• Um caso de amor!

Eu e a interdisciplinaridade: um caso de amor

Caros pós-graduandos! Resolvi relatar um pouco da minha longa e feliz história de amor com a interdisciplinaridade.

Sou “filha” do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza!
Já posso ver as rugas em sua testa tentando processar essa informação.

As perguntas que mais ouço é:

“É tipo Biologia?” (SOCORRO!!!)

“Mas você aprende o que?”

Vi muitos alunos abandonarem o curso porque não tinham o cuidado de analisar a grade curricular antes e tinham esse pensamento de que um curso que tem “natureza” no nome é voltado à Biologia.

Este curso abrange áreas como Astronomia, Geologia, Física, Química, Matemática e Biologia, além das disciplinas da Licenciatura.

A relação entre o multi e o interdisciplinar é uma linha tênue, e acho que o meu curso se encaixa em ambos. Tínhamos as aulas de todas as áreas separadamente (característica multidisciplinar), mas em momentos como viagens de campo, por exemplo, os conhecimentos nas várias áreas eram concentrados em um mesmo ponto (característica interdisciplinar).

Sempre que me perguntam sobre a minha formação digo: “Tem um lado bom e um ruim. O ruim? É que eu tenho um POUCO de tudo! O bom? É que eu tenho um pouco de TUDO!”

Sim! É ruim não ter um aprofundamento em uma área específica, mas é ótimo saber andar por várias áreas. A gente aprende a aprender! (confuso?)

Foi isso que eu levei pra minha vida acadêmica: fui da química analítica à microbiologia aplicada. Aprendi muita coisa praticamente do zero, mas não foi tão complicado porque nada era tão “estranho” pra mim, e tenho certeza q isso me seguirá, porque não consigo pensar dentro de uma caixinha muito pequena.

Felizmente, me deram uma caixinha um pouco mais espaçosa, ou melhor, um quintal pra explorar! 🙂

Fica a dica: Se você não está em um curso interdisciplinar, cabe a você aumentar a sua caixinha. Muitas respostas vêm quando ampliamos o “campo de visão”… e não faz mal a ninguém!

Obs: Meu apoio à luta dos alunos, professores e funcionários da minha querida EACH-USP!

By |2013-09-29T17:58:08+00:0029-09-2013|debates|9 Comments

About the Author:

É Licenciada em Ciências da Natureza (USP) e Mestre em Ciências (UNIFESP). Atualmente é Doutoranda do Programa de Ciência dos Materiais na UNESP de Ilha Solteira. Publica seus textos toda sexta-feira (ou quando a pós-graduação deixa).

9 Comments

  1. Luan 29.09.13 at 19:09 - Reply

    Olá,
    Sou graduando em Ciências Naturais pela UFPA, realmente o curso e um pouquinho de cada coisa, mais independente de ser pouca coisa, nada nos impede de se aprofundar em uma área mais especifica, eu por exemplo sou bolsista da área de bioinformática, sendo que temos somente uma disciplina de informática nesse curso.

  2. Dionatan Tissot 29.09.13 at 19:26 - Reply

    Creio que não exista desvantagens na interdisciplinaridade, desde que esta seja bem compreendida. A base de uma formação – assim creio eu – pelo menos nas ciências humanas, que é minha área, deve ser disciplinar e não interdisciplinar. Para que consigamos fazer um diálogo (necessário) entre áreas afins, mas distintas, é necessário ter uma formação sólida específica o que, naturalmente, com o tempo, levará o bom estudioso, em seu caminho acadêmico ou pessoal, a transitar por outras disciplinas. Porém, não sei se uma formação de base interdisciplinar seja algo adequado…

  3. Bia 29.09.13 at 19:42 - Reply

    Bacana! Realmente é um ótimo conselho para todos. O lance é pensar além do específico, é buscar entender o contexto, buscar ampliar as ideias a partir de vários pontos de vista. Ajuda em tudo, tanto na formação profissional como na pessoal.

  4. Lu 29.09.13 at 21:00 - Reply

    Tenho graduação em Ciências Biológicas e Mestrado multidisciplinar em Recursos Naturais, sou doutoranda na mesma linha. O ruim é que toda boa propaganda de inter/multidisciplinaridade que se faz na pós não combina com os editais de seleção para as IES

  5. Beck 29.09.13 at 22:33 - Reply

    texto curto, mas com argumentos profundos o suficiente pra fazer muita gente mudar de opinião… parabéns!

  6. Glauce 30.09.13 at 08:08 - Reply

    Sou fisioterapeuta e doutoranda em Engenharia Mecânica, em uma linha de pesquisa voltada à Biomecânica. Concordo que a inter/multidisciplinaridade, além de ser uma tendência nas pesquisas científicas, é uma grande oportunidade de explorar novos conhecimentos e ampliar consideravelmente os pontos de vista a respeito de determinados assuntos. Parabéns pelo site e pelo texto!

  7. Leila 30.09.13 at 09:44 - Reply

    Excelente Bianca..

    Venho da área de Humanas (sou formada em Relações Internacionais, que tbm é um curso interdisciplinar e multidisciplinar, pelas mesmas razões/situações que vc menciona)..
    E me encontro cursando um mestrado interdisciplinar.. é incrível poder entender além de uma pequena caixa a complexidade do mundo…

  8. Thiago Teruya 12.02.15 at 19:30 - Reply

    Só para deixar meu registro aqui para você Bianca. Salve EACH USP!!! Sou formado em CAF (só os fortes como nós eachianos entendem rs) e atualmente mestrando lá na EEFE USP e sigo pesquisa na área de biomecânica.

    Abraços

  9. Mariana 23.03.15 at 15:38 - Reply

    Olá Bianca!!

    Conforme o colega Thiago comentou acima: Salve EACH USP!

    Sou formada em Obstetrícia e fiz mestrado no Programa de Mudança Social e Participação Política (tbm da EACH). Acho fantástica essa característica multi e interdisciplinar dos cursos de graduação e de pós. E sinceramente?! Não me vejo “estudando só uma coisa”, entretanto, ainda sinto um pouco de dificuldade nesse mundo cheio de “especialidades”, as pessoas querem te colocar dentro de caixinhas pré-definidas…

    Abçs,

Leave A Comment