Se eu desistir da pós-graduação vou ter que devolver a bolsa?

Um dúvida que assola e segura o pós-graduando em diversas situações é quando tem que devolver a bolsa de pesquisa.

Se eu desistir da pós, eu preciso devolver tudo?

Eu diria que depende.

Qual o motivo da sua desistência?

Se o motivo do desligamento for por alguma doença grave e comprovada, ou algum outro motivo de força maior que possa ser comprovado, a resposta é não.

Não precisa devolver.

Que tipo de doenças?

Aquelas que te impossibilitam fisicamente ou emocionalmente de dar prosseguimento a pesquisa.

É necessário um relatório/laudo que será analisado por uma comissão formada especialmente para isso.

Então cada caso é um caso.

Agora caso o motivo seja que você não aguenta mais (pede pra sair!), ocorre a devolução sim.

Além disso, depende também do programa de pós-graduação em que você está.

Existe uma variedade de modalidades de bolsas, e em geral cada programa de pós-graduação tem seu próprio regimento, além do regimento dos órgãos de fomento.

O programa de pós-graduação tem autonomia para decidir várias coisas, então nem sempre vale só o regulamento das agências de fomento.

Vamos reunir aqui o que diz o regimento das principais bolsas de mestrado e doutorado.

O que diz o regimento do CNPQ

RN-017/2006

4.3 – Direitos e Obrigações

4.3.2 – Do bolsista:

c) ressarcir o CNPq quanto aos recursos pagos em seu proveito, atualizados pelo valor da mensalidade vigente no mês da devolução, no caso de abandono ou desistência de própria iniciativa, sem motivo de força maior, ou pelo não cumprimento das disposições normativas, no prazo de até 30 (trinta) dias contados da data em que se configurar o abandono ou desistência.

Não cumprido o prazo citado, o débito será atualizado monetariamente, acrescido dos encargos legais nos termos da lei (IN 35/2000, Art. 11, III, TCU).

O que diz o regulamento da CAPES PROEX

Art. 20 A CG/PROEX

Parágrafo único. A não conclusão do curso acarretará ao ex-bolsista a obrigação de restituir os valores despendidos com o benefício, salvo se motivada por caso fortuito, força maior, circunstância alheia à sua vontade ou doença grave devidamente comprovada, que o impeça de realizar as atividades acadêmicas.

A CG/PROEX deverá fundamentar e se posicionar em parecer conclusivo, com decisão fundamentada, acerca de todas as situações de não conclusão. (Redação dada pela Portaria Capes nº. 227, de 2017).

O que diz o regulamento da CAPES DS

Portaria 076

Art. 13. Será revogada a concessão da bolsa CAPES, com a consequente restituição de todos os valores de mensalidades e demais benefícios, nos seguintes casos:
I – se apurada omissão de percepção de remuneração, quando exigida;
II – se apresentada declaração falsa da inexistência de apoio de qualquer natureza, por outra Agência;
III – se praticada qualquer fraude pelo bolsista, sem a qual a concessão não teria ocorrido.

Parágrafo único. A não conclusão do curso acarretará a obrigação de restituir os valores despendidos com a bolsa, salvo se motivada por caso fortuito, força maior, circunstância alheia à sua vontade ou doença grave devidamente comprovada.

A avaliação dessas situações fica condicionada à aprovação pela Diretoria Colegiada da CAPES, em despacho fundamentado.

O que diz as Fundações de Amparo à Pesquisa (FAPs)

As bolsas das fundações de amparo a pesquisa como a Fapesp, em geral são mais rigorosas tanto no controle quanto para conseguir a bolsa.

A restituição de valores atualizados ocorre não apenas por desistência da pós-graduação sem defender, mas pelo descumprimento de uma série de itens.

As obrigações do bolsista podem ser vistas aqui para mestrado e aqui para doutorado.

Independentemente de qual seja a sua bolsa, é importante que você consulte o regulamento do seu programa de pós-graduação.

É a secretaria da pós-graduação que vai ter ajudar ou não no cancelamento da bolsa.

By |2018-12-06T01:56:12+00:0017-12-2017|debates|193 Comments

About the Author:

Autora dos blogs Ponto Didática e Ponto Biologia, é graduada em Ciências Biológicas (licenciatura) pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais e mestre em Ciências (ênfase em Ensino de Biologia) pela Universidade de São Paulo.

193 Comments

  1. Pitágoras 18.12.17 at 14:23 - Reply

    Gostaria de saber se quem é bolsista, pode ter uma empresa em seu nome?

    • Teresa Nunes 20.12.17 at 17:42 - Reply

      Olá Pitágoras!
      Em geral, não pode!
      Em alguns casos você pode ser sócio de uma empresa, mas não pode trabalhar nela. Isso desde que haja o consentimento do orientador e do programa de pós graduação.

  2. João Carlos Freitas 19.12.17 at 09:42 - Reply

    E se eu abandonei a pós por motivos de doença, poderei retornar a ter a bolsa se eu voltar a estudar?

    • Teresa Nunes 20.12.17 at 17:16 - Reply

      Olá João!
      Quando sua bolsa é cancelada ela passa para outro aluno. Caso não, o programa de pós perde a cota.
      No caso de retorno a pós graduação após abandono, você teria que participar de um novo processo de seleção para bolsas. E aí depende bastante do regulamento do programa de pós permitir ou não. Os regulamentos das agências financiadoras não determinam nada sobre isso.

  3. Felipe 22.12.17 at 10:57 - Reply

    Teresa Nunes

    Caso um discente bolsista não conclua o mestrado, ele possivelmente devolverá a bolsa. Mas, salvo os casos de comprovações de doença, existe algum outro modo de não devolução da bolsa? Por exemplo, o mesmo pode fazer outro programa de mestrado e se finaliza-lo a questão da bolsa será findada?

    Att.

    • Teresa Nunes 22.12.17 at 19:01 - Reply

      Olá Felipe!
      Já vi relatos de programa de pós graduação que dá um “jeitinho brasileiro” de abafar o caso de desistência para não se “queimar”. Já que quando um aluno desiste é ruim para o programa e para o orientador, e sabemos o quanto o mundo acadêmico tem vaidades.
      Fora isso e os motivos comprovados, não conheço formas de não ter que devolver.
      Não é possível se livrar da dívida fazendo outro mestrado/outro programa. Até porque seria um outro processo seletivo e que provavelmente você estaria impedido de concorrer a bolsa.

  4. Naty 24.12.17 at 23:38 - Reply

    Olá tudo bem? Você sabe me dizer se há justificativa no caso do orientador abandonar o orientando a menos de 15 dias da defesa ? Obrigada.

    • Teresa Nunes 25.12.17 at 19:59 - Reply

      Olá Naty!
      Problemas orientador/aluno é a coordenação da pós graduação que resolve, inclusive quando tem que mudar de orientador.
      Em relação a bolsa provavelmente não haverá problema, especialmente se a defesa já está marcada.

  5. Luis 03.01.18 at 01:34 - Reply

    Olá Teresa.

    E caso o aluno seja reprovado na apresentação da dissertação ou da tese, tem que devolver a bolsa também?

    Abraços!

    • Teresa Nunes 03.01.18 at 15:17 - Reply

      Olá Luis!
      Nunca vi casos assim. Na maioria das vezes as reprovações ocorrem na qualificação, em defesa é bem menos comum.
      Em algumas instituições a reprovação na qualificação implica no cancelamento da bolsa, em outras não.
      Não há uma norma específica das agências de fomento para isso.

  6. Paulo Pires 20.01.18 at 15:42 - Reply

    Boa tarde. Minha dúvida eh a seguinte: no meu caso a minha orientadora não aceitou minha prorrogação por 6 meses para concluir o mestrado, se tivesse certamente teria concluído. E nesses casos em relação a devolução da bolsa?! To preocupado c isso…

    • Teresa Nunes 20.01.18 at 21:03 - Reply

      Olá Paulo, explique melhor a situação. Então não houve a defesa da dissertação/tese? Houve trancamento? Qual o motivo da recusa do prorrogamento? O programa de pós graduação te disse o que?

  7. Amanda Nogueira 21.01.18 at 11:04 - Reply

    Essa era minha dúvida também! Não posso perder a Bolsa de jeito nenhum.
    Obrigada pela informação!

  8. Léo 22.01.18 at 07:47 - Reply

    Oi, bom dia!
    Em caso de ter que devolver a bolsa de mestrado, essa devolução pode ser parcelada?
    Alguém aqui já teve que restituir a bolsa? Ela foi parcelada? Em quantas vezes?
    Se eu não tiver como pagar, o que pode ocorrer?
    Quais as consequências de ficar devendo à união e não ter nada para penhorar?

    Obrigado pela atenção!

    • Teresa Nunes 22.01.18 at 13:18 - Reply

      Olá Léo!
      Já vi relatos de parcelamento sim. Em geral para isso, é necessário um acordo feito entre o ex-bolsista e a agência de fomento.
      De modo geral o pagamento é feito por GRU (Guia de recolhimento da união) e o não pagamento acarreta em dívida ativa na união.
      Na prática isso te impede de abrir contas, fazer empréstimos, utilizar o limite do seu cheque especial, participar de licitações públicas e de assumir cargos de concurso público.

  9. Dayane Andrade 23.01.18 at 04:01 - Reply

    Olá, boa noite!

    Fui bolsista por 28 meses no doutorado, daí fui aprovada em um concurso em outro estado, tive que me mudar, mudar de orientador e não tenho certeza se vou conseguir fazer uma tese digna de aprovação. Caso eu não consiga terminar o doutorado, o fato do concurso e conciliar trabalho e tese com o fator distancia significativa seria suficiente para justificar junto a CAPES ou seria necessário devolver a bolsa!?

    • Luis 06.02.18 at 16:53 - Reply

      Oi Dayane!
      Tenho a mesma dúvida que você. Você obteve alguma resposta já?

    • Teresa Nunes 06.02.18 at 18:44 - Reply

      Olá Dayane!
      Como descrito no post, para a CAPES são consideradas justificativas para a não devolução da bolsa problemas de saúde, devidamente comprovados e algum outro motivo de força maior, o que não é o caso. Dependendo de qual programa, universidade e motivo da troca de orientador, trabalho e distância está mais contra você do que a favor. Já que você já tinha um compromisso com a pós graduação e optou por uma carga horária/deslocamento não compatível com o tempo necessário para o desenvolvimento da pesquisa.

  10. Diego 06.02.18 at 17:22 - Reply

    No meu caso as chances são de reprovar, e o pior que parte da bolsa eu usei para bancar a pesquisa. Meu trabalho deu errado por displicência do meu orientador, ele queria um prêmio Nobel e deu tudo errado e falta três meses pra terminar no mestrado. Como que eu vou devolver isso? Jesus na causa.

    • Teresa Nunes 06.02.18 at 18:48 - Reply

      Olá Diego!
      Você já usou o prorrogamento do prazo para defesa?

  11. Nathalia 21.02.18 at 15:01 - Reply

    Olá! Minha bolsa é de iniciação científica PIBIC/CNPQ. Porém minha orientadora disse que ao mandar o relatório meu desempenho foi insatisfatório e minha bolsa foi retirada. Ela falou que eu tenho que mandar um relatório de atividades e dependendo terei que devolver a bolsa. Eu li mil vezes o regulamento e não consigo entender se realmente existe essa possibilidade ou se eu terrei mesmo que devolve-la. Estou muito preocupada.

    • Teresa Nunes 21.02.18 at 15:53 - Reply

      Olá Nathalia!
      Geralmente você reporta esses relatórios a sua própria universidade e, portanto, essa avaliação é feita por uma comissão de pessoas do programa/coordenação da sua instituição. Você tem trabalhos apresentados em eventos? Alguma coisa publicada? Dados parciais? Caso a resposta seja afirmativa acho pouco provável a devolução. Mas é necessário verificar os critérios de desempenho que a sua universidade estabelece.
      Mas esse relatório se refere a renovação da bolsa? Se você já teve a bolsa cancelada não há sentido em apresentar um novo relatório.

  12. Luisa 22.02.18 at 14:31 - Reply

    Fiquei gravida no comeco do doutorado e agora na metade do mesmo estou de novo gravida, fica muito dificil pra mim continuar, neste caso com dois bebes pequenhos, nesse caso se eu desistir, teria que restituir o dinheiro recebedo ate agora?

    • Teresa Nunes 22.02.18 at 20:30 - Reply

      Olá Luisa!
      Muito provavelmente sim, já que o resultado seria a não conclusão do doutorado. Depende também de como a sua instituição/orientador vê essa situação.
      É bom lembrar também que você tem direito a licença maternidade.

  13. Ricardo 23.02.18 at 14:48 - Reply

    Olá, fui aprovado numa seleção para mestrado com bolsa CAPES e ao mesmo tempo estou esperando convocação de um concurso público. Se eu iniciar o mestrado com a bolsa e, ao ser convocado pelo concurso, desistir da mesma mas continuar no mestrado sem bolsa, como fica a situação? Teria que devolver?

    • Teresa Nunes 23.02.18 at 20:55 - Reply

      Olá Ricardo!
      Não teria que devolver. Neste caso há apenas o cancelamento da bolsa, que passa para outro aluno do programa.
      Você concluindo o mestrado não há problemas.

  14. Carlos 25.02.18 at 21:33 - Reply

    Olá! Fui aprovado em um processo seletivo de mestrado com bolsa. A instituição ainda não sabe me informar se receberei uma bolsa CAPES ou CNPq. Ao mesmo tempo, estou aguardando resposta de processo seletivo em empresas privadas. Se eu tiver a bolsa e começar a trabalhar, cancelando a bolsa, devo devolver os valores se continuar no mestrado? E se tiver de sair do mestrado?

    Outra dúvida, caso exista desligamento por reprovação, a bolsa deve ser devolvida?

    Agradeço!

    • Teresa Nunes 11.03.18 at 20:59 - Reply

      Olá Carlos!
      Se você solicitar o cancelamento da bolsa para trabalhar geralmente não costuma ocorrer a devolução da bolsa.
      Agora reprovação geralmente você perde a bolsa e depois é difícil conseguir outra, mas ainda não vi casos de devoluções.

  15. Patricia 26.02.18 at 17:58 - Reply

    Fui bolsista por 10 meses ( em 2015) abri mão da bolsa, ela foi transferida para outro aluno doutorado. Desde então não tenho bolsa doutorado, por motivo familiar quero cancelar meu doutorado ( agora em março 2018) vou ter que devolver os 10 meses de bolsa? Mesmo a bolsa passando para outro?

    • Teresa Nunes 11.03.18 at 21:04 - Reply

      Olá Patrícia!
      Você tem produções (publicações, participações em evento, etc) do período em que foi bolsista? Caso a resposta seja afirmativa, é muito pouco provável a devolução.

  16. Carlos 05.03.18 at 06:27 - Reply

    Olá Bom dia!

    Alguém pode me explicar isso – “acrescido dos encargos legais nos termos da lei”…no caso, além do valor da bolsa ainda tem esses encargos? Quanto é esse encargos? Dobra o valor da dívida?
    Abraços!

    • Teresa Nunes 05.03.18 at 10:32 - Reply

      Olá Carlos!
      Quando a devolução da bolsa não é realizada dentro do prazo estipulado, vira dívida ativa da união e a partir disso o valor é cobrado com juros e correções monetárias. Não é muito claro qual a porcentagem cobrada, mas meio que dobra a dívida sim.

  17. Bianca 08.03.18 at 22:14 - Reply

    Olá, estou no 2º semestre do mestrado e irei, nesse semestre, concorrer a uma bolsa de PhD no exterior, se aprovada, irei ter que abandonar o mestrado, nesse caso terei que devolver as bolsas?

    • Teresa Nunes 11.03.18 at 20:53 - Reply

      Olá Bianca!
      Se for com a anuência do seu orientador, bem como do programa de pós é possível que não ocorra processo de devolução.
      Mas para não correr riscos, o correto seria o cancelamento da bolsa.
      A regra é a devolução em casos de não conclusão do mestrado, mas depende da instituição, orientador e programa darem um “jeitinho” ou não.

  18. Lia 11.03.18 at 00:57 - Reply

    Oi Teresa. Vc sabe se o pagamento é parcelado? Quantas parcelas é dividida o valor? Vc conhece alguém que teve que restituir a bolsa? Como ocorreu esse processo?
    Obg

    • Teresa Nunes 11.03.18 at 21:29 - Reply

      Olá Lia!
      A priori o pagamento é em guia GRU única, mas já vi relatos de parcelamento quando o discente não consegue pagar. Mas isso é um acordo realizado entre a agencia de fomento e o discente depois. Não sei te informar quantas parcelas, pois cada caso é um caso (analisado por uma comissão). O processo de devolução geralmente se inicia com uma notificação de restituição enviada a você pelo seu programa de pós graduação. Primeiro é entre aluno/universidade, só depois entra a agência de fomento.

  19. Ana claudia 11.03.18 at 22:20 - Reply

    Li que o regulamento da capes mudou em 2015 para devolver toda a bolsa caso não termine um doutorado.
    Essa fonte procede?
    Se sim, se eu tiver entrado na pós graduação antes disso ainda fico no sistema antigo?
    Como ficaria caso de desistência? Você informar?

    • Teresa Nunes 12.03.18 at 09:46 - Reply

      Olá Ana Claudia!
      A devolução da bolsa caso não haja a conclusão da pós graduação (tanto mestrado quanto doutorado) é anterior a 2015.
      A portaria 76 que regulamenta a bolsa DS (a maior parte das bolsas CAPES) é de abril de 2010.
      A última atualização que eu tenho conhecimento é a portaria 227 de novembro de 2017 referente as bolsas PROEX, mas o artigo de restituição segue inalterado.

  20. Denis Fernandes 18.03.18 at 23:21 - Reply

    Eu fui aprovado em um processo seletivo de mestrado em 2018 (com bolsa), porém a primeira parceria é só em Abril. Infelizmente estou sentindo dificuldades e não estou gostando do programa e pretendo sair, se isso não mudar. Se abandonar o mestrado e tentar seleção em outro programa no meio do ano, corro o risco de não ser mais bolsista capes?

    • Teresa Nunes 19.03.18 at 11:26 - Reply

      Olá Denis,
      Neste caso é preciso observar que as parcelas que você receber da bolsa neste programa são descontadas do total de 24 parcelas as quais você tem direito. Por exemplo, se você receber duas parcelas da bolsa neste programa, ao trocar de programa/instituição você terá direito apenas a 22 parcelas de bolsa; se receber 5 parcelas terá direito apenas a 19.
      Se você pretende desistir e mudar de programa/pós-graduação aconselho a não ser bolsista neste momento.

  21. PAULA MONIQUE CARVALHO DA SILVA 22.03.18 at 22:47 - Reply

    Perdi a bolsa de estudos do doutorado por reprovação em uma disciplina. Agora por não ter conseguido desenvolver o meu projeto e ter ganhado dados para conseguir defender penso em desistir do doutorado por não me sentir bem com a situação. A questão é: Terei que devolver a bolsa mesmo que a tenha perdido?

    • Teresa Nunes 23.03.18 at 16:41 - Reply

      Olá Paula!
      Se você não foi notificada sobre a devolução ao perder a bolsa (coisa que era possível) é provável que não seja mais.

  22. Rita Garibotti 27.03.18 at 19:57 - Reply

    Olá, boa noite. Me tire uma dúvida por favor. O estudante de mestrado estava trabalhando na tese no exterior em determinado país. Por desconhecimento e desligamento (dãhnnn), resolveu morar do outro lado da rua, só que o outro lado da rua era outro país – diferente daquele onde foi concedida a bolsa, embora continuasse suas atividades normais de mestrado. Foi identificado que ele morava no outro país, foi processado pelo pais que recebeu a bolsa, perdeu o recurso e, por fim foi deportado, tendo que voltar ao Brasil faltando 1 ano para conclusão do tempo da bolsa. Qual a situação real de ter que devolver o valor da bolsa, mesmo que não tivesse abandonado as atividades?

    • Teresa Nunes 28.03.18 at 10:40 - Reply

      Olá Rita!
      Por gentileza detalhe melhor a situação. Pelo que eu entendi o estudante em questão teve problemas com os países (o que estudava e o que foi morar) e o processo de deportação ocorreu por isso, correto?
      Qual a modalidade/agência de fomento da bolsa? A agência de fomento foi notificada da situação antes da deportação? A bolsa foi cancelada?

  23. Miguel 29.03.18 at 15:08 - Reply

    Olá boa tarde. Caso eu desista do mestrado pq fui aprovado em um concurso público terei que devolver a bolsa ?

    • Teresa Nunes 29.03.18 at 19:08 - Reply

      Olá Miguel,
      De acordo com as regras da CAPES e CNPq, sim!
      Dependerá também de como seu programa de pós e orientador vêem isso.

  24. Miguel 29.03.18 at 16:27 - Reply

    Boa tarde. Se eu desistir do mestrado pq fui aprovado e nomeado em concurso público terei que devolver a bolsa pelo tempo que recebi?

  25. Daiane Belisaro 29.03.18 at 16:32 - Reply

    pergunta: se um estudante de mestrado que vem recebendo bolsa a 1 ano da capes, é prestador de serviços (evetualmente) numa empresa,( inclusive prestava esse serviço antes de entrar no mestrado), mas nao tem nehum vinculo empregaticio com a empresa em questao, isso seria motivo para cancelamento da bolsa? ou devoluçao?
    outra pergunta, A empresa esta fazendo recolhimento do inss, sobre o valor pago pelo serviço…isso pode ser um problema? ter uma contribuiçao mensal no inss ao mesmo tempo de estar recebendo a bolsa?

    • Teresa Nunes 29.03.18 at 19:15 - Reply

      Olá Daiane!
      Prestação de serviço eventual não é vínculo empregatício e não causa problemas com a CAPES. Em relação a isso o único problema que você pode ter é se seu orientador/programa de pós-graduação não estiverem de acordo. O programa tem autonomia para estabelecer as regras que geram o cancelamento da bolsa. Devolução é pouco provável, principalmente se você tem suas atividades em dia.
      Quanto ao INSS também não há problemas com a CAPES em contribuir. Só esteja atenta a como está sendo pago. Na maioria das vezes os estudantes de pós-graduação contribuem como autônomos ou como eventuais.

  26. Lucas dos Santos 30.03.18 at 22:38 - Reply

    Estou numa situação um pouco complicada: pretendo desistir do mestrado que faço, mas a primeira parcela está prestes a cair na minha conta (talvez nos primeiros 05 dias úteis de abril/2018). Gostaria de saber se eu conseguindo cancelar a tempo o recebimento da primeira parcela, ficaria livre de ser penalizado e não poder ser bolsista pelos próximos 05 anos. Neste caso, seria bolsista da CAPES, porém queria saber se isso se estenderia aos demais financiadores, como CNPq, por exemplo.

    • Teresa Nunes 31.03.18 at 22:06 - Reply

      Olá Lucas,
      Geralmente as folhas de pagamento (CAPES e CNPq) são fechadas no dia 15 de cada mês, se você foi cadastrado após o dia 15 provavelmente consegue cancelar a bolsa sem receber, se foi antes provavelmente vai receber. Caso você receba a primeira parcela, ao cancelar a bolsa você faz a restituição e segue sua vida normalmente. Acredito que não haverá problemas com a agência de fomento, mas cuidado com os programas de pós-graduação (se o motivo da desistência for a troca de programa/universidade).

  27. Sara 01.04.18 at 20:51 - Reply

    Olá Teresa,

    Sou bolsista de mestrado pela CNPq (Abr/2017 – Abr/2019). Entretanto, provavelmente irei trocar de orientador, porém estou receosa no que diz respeito à bolsa. Gostaria de saber se caso eu troque de orientador há a possibilidade de perder minha bolsa.

    • Teresa Nunes 01.04.18 at 21:35 - Reply

      Olá Sara,
      Geralmente quando se troca de orientador mas não de programa de pós-graduação a bolsa continua. Dê uma conferida se o seu programa de pós-graduação tem isso no regimento, já que o programa tem autonomia para decidir a distribuição das bolsas. O CNPq não tem norma em relação a troca de orientador, salvo projetos temáticos.

  28. Roberto Silva 02.04.18 at 14:40 - Reply

    Olá Teresa,

    Teresa no caso do aluno que não conseguiu ter um desempenho adequado no programa (tb tem que devolver)?? Quanto tempo leva pra CAPES pedir a restituição de bolsa???

    • Teresa Nunes 02.04.18 at 15:46 - Reply

      Olá Roberto,
      Você se refere a reprovação em disciplinas? A não cumprimento do regimento da pós-graduação?
      Em geral, quando o problema é com os requisitos/regras do programa de pós-graduação a única penalidade é ter a bolsa cortada. Mas não costuma haver devolução desde que se conclua o mestrado/doutorado.
      A cobrança da restituição pode ocorrer em até 5 anos após o desligamento. Em geral você é notificado primeiro pelo programa de pós-graduação.

  29. Lena 05.04.18 at 20:40 - Reply

    Olá, Teresa. Eu sou bolsista CAPES e durante o mestrado fui diagnosticada com depressão e tive crises de ansiedade. Consegui trancar durante 6 meses, mas ao retornar as atividades, estou tendo novas crises mesmo fazendo tratamento. Gostaria de saber caso não consiga terminar o mestrado, eu teria que devolver a bolsa ou minha situação se enquadra no caso de doença mencionado no estatuto da CAPES?

    • Teresa Nunes 06.04.18 at 13:39 - Reply

      Olá Lena,
      Sua situação se enquadra nos casos de doenças, uma vez que te incapacita terminar. Reúna laudos psiquiátricos, medicamentos e tudo que comprove seu estado de saúde. Seu pedido de desistência (se houver) é avaliado por uma junta médica indicada pela instituição para só depois ir para a agência de fomento.
      Espero que você fique bem!

  30. Suzana 05.04.18 at 20:46 - Reply

    Olá Teresa, no caso de se abandonar o mestrado por doença como deve ser feito o procedimento? ENvio dos laudos primeiro para a universidade ou para a agencia de fomento?

    • Teresa Nunes 06.04.18 at 13:32 - Reply

      Olá Suzana,
      É primeiro com sua instituição de ensino/Programa de Pós-graduação.
      A orientação da agência de fomento é que cada caso de desistência seja analisado por uma junta médica indicada pela própria instituição de ensino, ou órgão similar, antes de serem encaminhados à CAPES para apreciação.
      O Ofício Circular nº 19/2016-CDS/CGSI/DPB/CAPES é o que regulamenta o pedido.

  31. Gabriel Gomes 08.04.18 at 20:53 - Reply

    Olá Teresa,
    Após ser aprovado e iniciar um doutorado aqui no Brasil, concorri (na verdade o orientador) em um edital para bolsa do CNPq e fui indicado como bolsista por dois anos, tendo sido renovado por mais dois. Ao final dos quatro anos, período em que a bolsa foi encerrada, atendi às obrigações de envio do relatório final das atividades desenvolvidas, com aprovação do orientador, e a prestação de contas realizadas pelo pesquisador. Entretanto, após um ano além do prazo regular de conclusão do curso decidi por abandoná-lo, tendo sido jubilado pela Universidade. Hoje, ao menos três anos depois, recebo e-mail de analista do CNPq solicitando informações sobre a defesa da tese. Neste caso, a defesa da tese é requisito para o encerramento do processo? Terei que devolver os valores recebidos?

    • Teresa Nunes 09.04.18 at 10:35 - Reply

      Olá Gabriel,
      Sim, a tese é o ‘produto’ o qual foi financiado, portanto seria sim o requisito para encerramento, “quitação” com a agência de fomento.
      A falta da tese, salvo por motivos de saúde, geralmente implica na devolução sim. E quanto a ser três anos após, está dentro da normalidade. A agência de fomento cobra justificações/devoluções até 5 anos após a desistência.

  32. Rodrigo 13.04.18 at 05:55 - Reply

    Teresa, Bom dia. Tudo bem? Tenho algumas duvidas sobre o Programa da CAPES para Doutorado Pleno no Exterior. No meu caso estou concorrendo a uma Bolsa de Doutorado no Exterior pela CAPES e tbm concorro a Bolsa de Doutorado em outro Pais ao qual no momento me encontro matriculado e cursando o Doutorado (sendo que o financeiro é todo por minha conta) desde Dez/2017, pergunto: Se eu chegar a Ganhar a bolsa CAPES e aceitar e depois de 5 meses que estiver recebendo a Bolsa CAPES for aprovado por esse outro Programa de Bolsa desse outro Pais eu Posso ficar com essas duas Bolsas ? ou se eu desistir da Bolsa CAPES para ficar com a Bolsa do programa do outro pais tenho q devolver o que eu recebi da Capes c/multa, etc ou simplesmente devolvo a bolsa Capes e não pago o q usei durante esses 5meses e no fim fica tudo certo…

    • Teresa Nunes 13.04.18 at 13:45 - Reply

      Olá Rodrigo,
      Não pode ficar com as duas bolsas. Esse tipo de acúmulo seria motivo para devolução dos valores.
      O ideal é que você solicite suspensão da bolsa CAPES antes de assumir a bolsa da instituição do país que você está. Em geral você justifica o por que da suspensão, a CAPES analisa e cancela sua bolsa. Desde que você termine seu doutorado e preste contas do período de bolsista CAPES (quando solicitado) não costuma haver devolução.

  33. Luma Dias 21.04.18 at 17:40 - Reply

    Olá Teresa, estou no mestrado agora e gostaria de saber, em caso de reprovação a bolsa será cancelada e terá que ser ressarcida?

    • Teresa Nunes 21.04.18 at 20:05 - Reply

      Olá Luma,
      Geralmente a bolsa é cancelada sim, mas não costuma haver devolução. Depende do regimento do seu programa de pós-graduação.

  34. Ramon 22.04.18 at 20:11 - Reply

    Olá, Teresa!

    Estou atualmente matriculado no mestrado como aluno regular aqui no Brasil, mas estou me candidatando a uma bolsa de mestrado no exterior também. Caso eu seja aceito nesta bolsa no exterior, o quão “feio” fica para mim desistir do mestrado aqui? Estou com medo de “queimar o meu filme” com a universidade daqui, pois possivelmente acabaria fazendo doutorado aqui no futuro. Se eu for desligado do programa, posso me inscrever novamente no futuro?

    Obrigado!

    • Teresa Nunes 22.04.18 at 22:26 - Reply

      Olá Ramon,
      Quanto tempo de mestrado você já cursou? Seu orientador sabe disso e concorda? Seu programa de pós-graduação também? Se a resposta for não, diria que fica muito feio, principalmente se for bolsista aqui. Desistências são ruins para os programas e para os orientadores (em termos de avaliações).
      Poder se inscrever futuramente novamente você pode, te aceitarem de volta depende de como você sai.
      O programa de pós-graduação que você está não lhe permite fazer mestrado sanduíche? Intercâmbio? Estágio no exterior? Se a intenção é fazer o doutorado por aqui avalie essas possibilidades também!

  35. Leonel 25.04.18 at 02:50 - Reply

    Olá Teresa!
    Estou indo para o final do terceiro mês de prorrogação do mestrado e último concedido pelo programa de pós e fui bolsista CAPES durante o período regular. Já troquei duas vezes de pesquisa, pois não deram certo. As análises da pesquisa atual também estão indo para o mesmo caminho. Ainda é possível prorrogar mais 3 meses, porém não há tempo hábil para mudar novamente de pesquisa. Tendo em vista que durante o período vigente da bolsa houve participação em congressos e eventos da área, com publicações de resumos, qual a possibilidade de ter que devolver a bolsa caso não consiga concluir o mestrado?

    • Teresa Nunes 25.04.18 at 10:13 - Reply

      Olá Leonel,
      A reprovação também é um produto final, e não costuma gerar devolução da bolsa.
      No caso de uma desistência, se você tem as produções e os relatórios do período de bolsista em dia, e como comprovar suas diversas tentativas de análises e por que deram errado, acho pouco provável que você tenha que devolver.

  36. Arthur Vieira 30.04.18 at 17:26 - Reply

    Olá, boa tarde. Sou aluno do mestrado e bolsista capes há quase 1 ano… recebi proposta de emprego irrecusável em outro país, nesse caso se eu desistir, tenho que devolver toda a bolsa?

    • Teresa Nunes 30.04.18 at 20:02 - Reply

      Olá Arthur,
      Se desistir do mestrado é muito provável que sim.

  37. ALEX 02.05.18 at 16:20 - Reply

    olá, estou tendo problemas para a finalização do meu Doutorado, na verdade tenho poucos resultados para uma defesa boa. minha pergunta é, nesse momento se eu reprovar na defesa de doutorado se eu tenho que devolver as bolsas recebidas até agora???

    • Teresa Nunes 02.05.18 at 16:53 - Reply

      Olá Alex,
      Em geral reprovações não costumam gerar devoluções.

      • alex 03.05.18 at 08:42 - Reply

        Eu procurei alguma coisa na Resolução da Capes que falasse sobre isso mas não tem nada… e nunca vi relatos desse tipo em paginas da internet… mas em todo caso agradeço pelo retorno… obrigado

  38. Helena 08.05.18 at 10:17 - Reply

    Olá, tudo bem? Tenho a bolsa de demanda social da capes e estou pensando em desistir do mestrado, muito por não ter me identificado com o programa e porque vou focar em outra área. Você sabe como funciona a devolução? Deve ser um parcela única? Eles atualizam o valor ou existe alguma cobrança de outros encargos? Obrigada!

    • Teresa Nunes 08.05.18 at 11:42 - Reply

      Olá Helena,
      Geralmente o processo de devolução se inicia com uma notificação de restituição enviada a você pelo seu programa de pós graduação. Primeiro é entre aluno/universidade, só depois entra a agência de fomento. Por isso é importante conferir o regimento do seu programa.
      A priori o pagamento é em guia GRU única, mas já vi relatos de parcelamento quando o discente não consegue pagar. Mas isso é um acordo realizado entre a agencia de fomento e o discente depois. Não sei te informar quantas parcelas, pois cada caso é um caso (analisado por uma comissão). É cobrado com juros e correções monetárias só quando vira dívida ativa da união. Ou seja, quando você não paga no período estipulado.

  39. Rosana 08.05.18 at 14:04 - Reply

    O estatuto do programa de pós-graduação ao qual estou vinculada prevê que o aluno é desligado do mesmo tendo sido reprovado em duas ou mais disciplinas. Nesse caso, o valor da bolsa precisa ser restituído?

    • Teresa Nunes 08.05.18 at 14:45 - Reply

      Olá Rosana,
      Geralmente ocorre o cancelamento da bolsa, nunca vi devoluções nestes casos.

      • Rosana 08.05.18 at 22:30 - Reply

        Obrigada! Mesmo depois de já terem passado 24 meses (ou seja, estar em prorrogação)?

  40. Rosana 08.05.18 at 23:22 - Reply

    Olá, Teresa!
    Obrigada. Mesmo nos casos em que o aluno já está na prorrogação (ou seja, já não recebe mais a bolsa)?

    • Teresa Nunes 09.05.18 at 08:51 - Reply

      Eu realmente nunca vi casos de devoluções por reprovação em disciplina. Os regimentos das agências de fomento preveem a devolução em casos de desistências, ou de não defender. Mas também não é comum ser impedido de defender por reprovação em disciplinas. Procure saber no seu programa de pós-graduação se já houve casos em que os alunos foram reprovados e o que aconteceu. Essa é uma norma bem específica do seu programa de pós-graduação.

  41. Roberto Silva 14.05.18 at 18:44 - Reply

    Teresa,
    boa tarde. Fui bolsista de doutorado da CAPES no período de mai/2008 a dez/2011. Abri a mão da bolsa e tranquei o doutorado por não conseguir dar andamento devido a outras atividades. Tenho que devolver a bolsa recebida no período?

    • Teresa Nunes 15.05.18 at 09:59 - Reply

      Olá Roberto,
      Se você não foi notificado para devolução até agora é muito provável que não seja mais.

  42. Jean 17.05.18 at 02:57 - Reply

    Boa noite, iniciei meu mestrado e após 1 ano de bolsa, pedi cancelamento pois fui selecionado em uma vaga de trabalho. A bolsa deve ter sido repassada para outro aluno. Como fica a questão dos meses recebidos, terei que ressarcir?

    • Teresa Nunes 17.05.18 at 16:07 - Reply

      Olá Jean,
      Não há devoluções quando se desiste da bolsa. As restituições ocorrem em casos de desistência do mestrado.

  43. Filipe 17.05.18 at 19:11 - Reply

    Boa noite. Estou em um programa de mestrado há 1 ano, ainda não cheguei a qualificar, mas sinto q provavelmente não vou conseguir dar continuidade devido a minha depressão estar cada vez pior e me incapacitar de produzir. Nesse caso como devo proceder para que não haja necessidade de devolução da bolsa?

    • Teresa Nunes 18.05.18 at 08:55 - Reply

      Olá Filipe,
      São necessários laudos que comprovem o estado da sua saúde e tudo que ajude a comprovar a sua impossibilidade de prosseguir. É importante também que tanto o programa quanto o orientador estejam cientes sobre o seu problema de saúde, isso te ajuda a evitar problemas com a agência de fomento posteriormente.

  44. Filipe 17.05.18 at 20:08 - Reply

    Boa noite. Estou perguntando novamente pois meu comentário sumiu. Estou em um programa de mestrado há 1 ano, ainda não qualifiquei, porém meu quadro de depressao está grave e há tempo eu nao consigo produzir o conteudo da dissertação, como devo proceder para que não seja necessário eu devolver o valor da bolsa caso necessário o abandono do programa? Obrigado.

  45. Juan 18.05.18 at 09:13 - Reply

    Oi Teresa, eu fiz 26 meses de doutorado com uma bolsa da CAPES e neste periodo eu tive produção cientifica. Agora estou abandonando este doutorado para fazer outro na Europa com bolsa de lá, eu terei que devolver? A minha unica opção é cancelar mesmo, ou eu poderia tentar algum outro tipo de acordo?

    • Teresa Nunes 18.05.18 at 19:18 - Reply

      Olá Juan,
      Seu orientador e programa de pós-graduação estão cientes e de acordo? Se você está desistindo do doutorado você está sujeito a ter que devolver sim.
      Agora se você tiver indo para uma universidade conveniada desenvolver parte da pesquisa que já está em andamento, é só o cancelamento mesmo.

  46. tayna 01.06.18 at 23:24 - Reply

    ola, tereza, sou prestador de serviço da prefeitura ,e queria me inscrever no mestrado, e solicitar a bolsa de estudos, porque o mestrado nao e na mesma cidade que moro e “trabalho”. tem algum problema. sera que eu consigo essa bolsa.

    • Teresa Nunes 04.06.18 at 15:34 - Reply

      Olá Tayna,
      Você tem contrato? Ou são serviços eventuais?
      Se você tem um salário fixo geralmente você não pode concorrer a bolsa de estudo.
      Se for um serviço eventual depende das regras do programa de pós-graduação pretendido e da concordância do orientador.

  47. Dayane Sousa 02.06.18 at 14:39 - Reply

    olá, recebo bolsa CAPES há 1 ano, recebi uma proposta de emprego, gostaria de aceitar. Nesse caso tenho que devolver a bolsa? no caso vou continuar o MESTRADO.

    • Teresa Nunes 04.06.18 at 15:39 - Reply

      Olá Dayane,
      Neste caso é só você abrir mão da bolsa. Concluindo o mestrado não há devoluções.

  48. G. T. 04.06.18 at 15:13 - Reply

    Olá Teresa, cursei um mestrado profissional iniciando em 03/2014 até 03/2016 prorrogando os 6 meses permitidos pela programa de pós graduação da universidade até 09/2016, sendo o prazo máximo permitido pela programa de pós graduação de 2,5 anos. Realizei todos os créditos necessários, exame de qualificação aprovado, mas não consegui realizar a defesa por não ter conseguido resultados mínimos durante o processo de desenvolvimento da dissertação, durante esses 2,5 anos. Fui oficialmente desligado do programa alegando somente esta questão de prazo em 09/2016.
    Durante o período recebi uma bolsa de 90% atrelada ao governo chamada PADIS, e nos 3 contratos que assinei (2014,2015 e 2016), somente o último correspondente aos 2 últimos meses dos 24 meses tinha uma cláusula de ressarcimentos caso não conclui-se o curso.
    Minhas dúvidas são:
    1 – Posso receber em algum momento a cobrança deste reembolso destes 2 meses?
    2 – Existe alguma possibilidade no futuro de eu realizar processo seletivo novamente e propor ao programa somente um novo tema para ex. qualificação e posterior defesa para terminar o mestrado?

    • Teresa Nunes 04.06.18 at 16:09 - Reply

      Olá G.T.,
      Não conheço o regulamento deste financiamento, mas se estava nos contratos assinados, sempre há riscos de devolução.
      Quanto ao retorno, depende do regimento do seu programa de pós-graduação e universidade.

  49. Lauren 06.06.18 at 02:12 - Reply

    Olá, Teresa.
    Comecei meu doutorado como bolsista capes durante 24 meses. Então comecei a trabalhar e abri mão da bolsa, que passou para outro colega.
    Tive muitos problemas no doutorado como a troca de projeto (2x), falta de orientação e agora fui reprovada no exame de qualificação, tendo APENAS 30 dias para reapresentar.
    No tempo em que fui bolsista publiquei um artigo como primeira autora, participei de outro artigo como colaboradora, ganhei destaque em um trabalho apresentado em um simpósio nacional (demonstrando que produzi apesar das adversidades).
    Então tenho duas dúvidas:
    1 – em caso de desistência, eu teria que devolver as bolsas que recebi? Estou mto desmotivada.
    2 – em caso de reprovar novamente na qualificação e ser desligada do ppg, eu tenho que devolver as bolsas?
    Estou muito insegura para o novo exame de qualificação.
    Obrigada!

    • Teresa Nunes 06.06.18 at 09:03 - Reply

      Olá Lauren,
      Quando não há a conclusão pelas normas tem que devolver, mas isso depende muito do seu programa de pós-graduação. Como você abriu mão da bolsa duvido muito que o programa notifique a agência de fomento (já que isso “queima” a universidade e o orientador). Procure saber como a sua universidade costuma agir a respeito.
      Quando há reprovação geralmente não acontece devolução.

  50. Juca Batista 10.06.18 at 19:42 - Reply

    Se, eu reprovar na qualificação é necessário devolver os valores?

    Os valores serão apenas do governo ou também da instituição.

    Por exemplo bolsa taxa 1100 +
    Valor 1400 liberados pela instituição para completar 2500 do valor original da mensalidade

    • Teresa Nunes 11.06.18 at 10:24 - Reply

      Olá Juca,
      Geralmente reprovações não geram devoluções. Mas dependendo da instituição você pode ter a bolsa cancelada.
      A devolução ocorre diretamente para agência de fomento via Guia de Recolhimento da União (GRU).

  51. Fabrício 11.06.18 at 14:27 - Reply

    boa tarde é o seguinte eu fui aluno de mestrado, minha orientadora devido ta passando por depressão e acredito ”não gostar de mim, resolveu para de me orientar, desde 2016 ta rolando esse problema e gostaria de saber se eu vou ter que devolver a bolsa, já que nao fui eu que desisti do mestrado e sim minha orientadora que desistiu de me orientar. Eu era bolsista da capes

    • Teresa Nunes 11.06.18 at 15:22 - Reply

      Olá Fabrício,
      Esse tipo de problema se resolve com a coordenação da pós-graduação. Se por motivos de saúde ela está afastada peça um co-orientador.
      A não conclusão do mestrado geralmente acarreta em devolução. Converse com seu programa de pós-graduação para evitar problemas.

  52. Thiago Vinicius Tomazelli 11.06.18 at 14:31 - Reply

    Ola Teresa
    Fui bolsista do Cnpq durante 24 meses, prorroguei o prazo e com muito custo defendi,
    porem fui aprovado com muitas correções, alias as correções que me foram solicitas para realizar a entrega e finalizar o processo são na maioria delas impossíveis de serem feitas devido a características técnicas do trabalho, se minha orientadora não permitir a entrega do trabalho ao programa por entender que não está corretamente corrigido terei que devolver a bolsa?

    • Teresa Nunes 11.06.18 at 15:44 - Reply

      Olá Thiago,
      Geralmente as correções são sugestões da banca para melhora do trabalho. Salvo se for uma norma do seu programa de pós-graduação não são necessariamente obrigatórias, ainda mais se são impossíveis. Acho pouco provável que sua orientadora não permita a entrega, pelo menos nunca vi isso acontecer. Até porque são poucos orientadores e/ou do programa que se dispõe a olhar todas as correções. Corrija o que é possível, provavelmente você entregará sem problemas (e sem devoluções da bolsa).

    • Jusci 19.07.18 at 11:28 - Reply

      Thiago, então é possível pedir prorrogação mesmo sendo bolsita CNPq? achei que não podia. Ainda não consegui terminar minha dissertação e vou precisar prorrogar, espero que eu consiga.

  53. Ane 12.06.18 at 09:57 - Reply

    Oi Teresa,

    No meu caso tenho uma bolsa de doutorado da CAPES e meu prazo máximo para a entrega da tese é em agosto. Já solicitei para o meu orientador a entrega da tese mas o mesmo se recusa sem me dar explicações sobre sua justificativa (o que está documentado por e-mail). O meu projeto de doutorado já está concluído e publicado. Caso vença o prazo e ele não concorde com a entrega da tese, eu terei que devolver o valor da bolsa? Você tem alguma sugestão de como posso me proteger para que eu não tenha que devolver os recursos, pois não sou eu que quero desistir da defesa? Obrigada

    • Teresa Nunes 12.06.18 at 13:18 - Reply

      Olá Ane,
      O seu orientador não quer que você defenda antes do prazo? Por acaso a sua pesquisa está atrelada a um financiamento de pesquisa maior? (Pode ser um dos motivos). Mantenha as conversas documentadas sempre que possível e em último caso procure a coordenação do programa de pós-graduação.

  54. Jessica Damasceno 15.06.18 at 23:07 - Reply

    Oi Teresa, tudo bem?
    Eu estou no primeiro semestre do Doutorado, mas comecei a ter criaes de ansiedade, surtos nervosos, enfim, características claras de uma depressão. Estou fazendo terapia, mas os as crises estão piorando e em nome da minha saúde, principalmente mental, decidi pedi desligamento do doutorado. Até agora, só recebi duas bolsas que são financiadas pela CAPES. Assim, gostaria de saber se preciso devolver essas bolsas se eu desistir do doutorado? No futuro, caso eu queira cursar um outro doutorado, posso me inscrever em outra instituição? Poderei receber bolsa novamente?

    • Teresa Nunes 15.06.18 at 23:28 - Reply

      Olá Jéssica,
      Se você tiver laudos que atestem o seu estado de saúde e portanto, a impossibilidade de continuar o doutorado não ocorre a devolução. Procure ver no seu programa de pós-graduação como eles lidam com esse tipo de situação. A devolução depende mais da instituição do que da agência de fomento de fato.
      Quanto a um novo doutorado, pode se inscrever em outra instituição, algumas vezes até na mesma (se fizer o trancamento). Quanto a receber bolsa depende de como o seu programa de pós-graduação resolve a situação. Se eles cancelam a sua bolsa e passam para outro aluno, no novo doutorado você pode ter bolsa da mesma agência de fomento descontados as bolsas que já recebeu. No caso 2 meses de bolsa CAPES a menos. Se você tiver que devolver, geralmente não pega outra bolsa da mesma agência de fomento.

  55. Vinicius 19.06.18 at 14:06 - Reply

    Ola Teresa, gostaria da sua ajuda em uma dúvida.

    Estou quase reprovando uma disciplina e perderei a bolsa caso reprove, minha dúvida é o seguinte, se eu permanecer no mestrado por enquanto mas fizer seleção para outra instituição ao final do ano e for aprovado lá, eu posso me transferir sem precisar devolver a bolsa ? Outra dúvida, há transferência de créditos, sendo de Federal para Federal ? Outra dúvida, se eu tivesse que me desligar do programa, mesmo havendo comprovação que não disponho de condições financeiras de me manter na cidade sem bolsa eu seria obrigado a devolver o valor ?

    • Teresa Nunes 20.06.18 at 10:06 - Reply

      Olá Vinicius,
      Geralmente quando ocorre uma reprovação mas há o término do mestrado não há devoluções.
      Entenda que, geralmente é o programa de pós-graduação que notifica a agência de fomento sobre descumprimento de regras, desistências, etc. Portanto, a maneira como o seu programa de pós e o seu orientador veem/lidam com essa possível transferência é o que vai te dizer se terá problemas ou não. Até porque, no regulamento das agências não tem nenhuma regra específica sobre transferências.
      Sobre transferência de créditos ou reaproveitamento de disciplinas é muito variável já que cada universidade tem seus próprios critérios. Algumas aceitam outras não.
      Sobre o desligamento, por regra, só não devolve quem comprova um motivo de força maior (questões de saúde, por exemplo). Mesmo não tendo dinheiro para pagar, caso seja notificado para devolver, você fica com dívida ativa na união.

      • Vinicius 21.06.18 at 13:59 - Reply

        Certo, obrigado Teresa. No caso de eu não me desligar, fazer um esforço e continuar na pós e o final do ano ser aprovado em outro programa, é possível transferir de programa sem ter de devolver a bolsa ?

        • Teresa Nunes 21.06.18 at 17:36 - Reply

          Olá Vinicius,
          Olha, nunca vi casos de devoluções por esse motivo, mas é preciso verificar as regras do seu programa de pós-graduação. Como eu disse, a agência de fomento não tem nenhuma norma que especifique transferências, e o programa/universidade tem autonomia para estabelecer regras próprias.

  56. Ana 21.06.18 at 14:18 - Reply

    Olá Teresa, gostaria da sua ajuda em um questionamento.

    Há uns 2 anos atrás eu era bolsista de um mestrado. Acabei desenvolvendo depressão e abandonei o mestrado. Apesar de ter sido acometida por esse mal, não obtive laudo, tendo em vista que não tive acompanhamento psicológico, apenas ajuda de familiares e posteriormente quando melhorei um pouco fui em busca de um psicólogo, porém tempos depois. Diante disso, tentei prosseguir a minha vida, e me interessei por concurso público. Os meus questionamentos seriam quais as implicações da minha desistência do mestrado em relação uma possível posse de cargo público, tendo em vista a minha não devolução dos recebimentos da bolsa? Em casos de abandono como foi o meu caso, existe alguma possibilidade de regresso para o mestrado da mesma instituição, ou posso tentar novamente um mestrado em outra instituição? E quais seriam as implicações legais da não devolução dos recebimentos da bolsa, após abandono do mestrado?

    Obrigada!

    • Teresa Nunes 21.06.18 at 18:06 - Reply

      Olá Ana,
      Você foi notificada para devolução da bolsa?
      Se foi e não devolver a consequência é: vira dívida ativa da união. Na prática isso te impede de abrir contas, fazer empréstimos, utilizar o limite do seu cheque especial, participar de licitações públicas e de assumir cargos de concurso público.
      Se você não foi notificada, vida que segue!
      Quanto a retornar, você pode tanto para a instituição de origem quanto tentar em outra (legalmente não há nada que te impeça). Mas é preciso ter em mente que geralmente quando se abandona o mestrado, começa tudo de novo. Não é comum ter reaproveitamento ou retomar de onde parou. Veja na sua instituição como eles procedem a um retorno (e avalie se vale a pena estar no mesmo ambiente, se vai conseguir orientador, etc.).

  57. Clarice 25.06.18 at 00:54 - Reply

    Olá. Faltando 3 semanas para qualificação, meu orientador abriu mão oficialmente de me orientar. Segundo as normas do meu programa, tenho até 30 dias para apresentar novo orientador. No entanto, nenhum deles se dispõe a me orientar. Para piorar, preciso qualificar até o fim do mês ou será mais um prazo que estoura (prazo final de qualificação + prazo de novo orientador). Meu texto já foi enviado para banca de qualificação presencial mas não posso aparecer lá sem um orientador que assine o formulário. A secretaria da pós me informou que se eu não apresentar novo orientador nesse prazo estou automaticamente desligado por motivo de desistência. Talvez o colegiado do programa pudesse apresentar alguma solução, mas já entraram de férias. É evidente que não sou eu que estou desistindo.Me sinto de mãos atadas. Para piorar, o coordenador da pós é meu orientador. Durante o tempo que estou lá, tive artigos científicos publicados, participei de congressos, conclui todas as disciplinas necessárias, bem como estagio de docência. Alguma sugestão de como proceder? Existe algum órgão superior que possa ser contatado sobre a situação que se apresenta?

    • Teresa Nunes 25.06.18 at 10:01 - Reply

      Olá Clarice,
      Veja quais os níveis hierárquicos da sua universidade. Esse tipo de situação geralmente se resolve com o coordenador do programa e/ou colegiado. Como você não tem essas opções, pode tentar na pró-reitoria de pós-graduação. Se em nenhuma instância da universidade resolver, seria o caso de procurar uma orientação jurídica. O orientador tem direito de abrir mão da orientação, porém não pode te deixar a deriva sem que ninguém assuma o posto dele.

  58. Agda Carneiro 26.06.18 at 19:04 - Reply

    Olá,
    Iniciei o doutorado há 6 meses, estou na fase inicial do projeto e fazendo os créditos necessários.
    Mas a faculdade está com problemas financeiros, não paga os salários dos professores há mais de um ano e todos estão ameaçando sair.
    As aulas estão um caos, a faculdade está um caos… Está impossível continuar.
    Já conversamos com o Reitor, nada foi resolvido.

    Qual o procedimento para sair do curso, desistir da bolsa?

    • Teresa Nunes 26.06.18 at 21:56 - Reply

      Olá Agda,
      Nunca vi um caso parecido, mas parece ser o mais viável.
      Além de abrir mão da bolsa guarde tudo o que for possível sobre essa situação da universidade para que se posteriormente der problema, você não tenha que devolver.

  59. Jackson 29.06.18 at 09:52 - Reply

    Olá Teresa,
    Estou em vias de assinar um termo de compromisso para receber uma bolsa do Mestrado Profissional Nacional em Ensino de Física, via Portaria Ministerial MEC nº 289/2011.
    Esse termo de compromisso exige que continue atuando, por um período não inferior a cinco anos após a diplomação, como Professor da Rede Pública.
    Isso é legal?
    Desde já, agradeço a atenção.

    • Teresa Nunes 29.06.18 at 14:52 - Reply

      Olá Jackson,
      Geralmente no mestrado profissional a bolsa é de Formação Continuada, e por isso a contrapartida para recebe-lá é essa mesmo.

  60. Bruna 07.07.18 at 23:52 - Reply

    Desisti do meu mestrado. Como fico sabendo em quanto esta minha divida. Aonde me informo. Posso assumir cargo público?

    • Teresa Nunes 08.07.18 at 19:54 - Reply

      Olá Bruna,
      Geralmente você é notificado por escrito pelo programa de pós-graduação primeiro. A cobrança pode ocorrer até 5 anos após a desistência.
      Se você não foi notificada e já faz mais de 5 anos pode assumir tranquila. Caso seja recente, enquanto não houver notificação não há nada que te impeça de assumir cargo publico, mas é preciso cautela, já que você pode se complicar se precisar restituir e não o fizer.

  61. Marley 10.07.18 at 22:00 - Reply

    Boa noite! Sou bolsista de Mestrado há 9 meses e terei que mudar de cidade para acompanhar a minha esposa. Não vou desistir do Mestrado, já cumpri todos os créditos e voltaria para a cidade apenas para qualificação e defesa. A minha bolsa poderá ser cortada pela mudança de cidade?

    • Teresa Nunes 11.07.18 at 08:43 - Reply

      Olá Marley,
      Isso depende das regras do seu programa de pós-graduação e do orientador. Alguns permitem que os alunos morem em cidades diferentes do programa desde que cumpram todas as obrigações e prazos. Já outros exigem que more na mesma cidade e neste caso como é requisito para recebimento pode ser cortada. As agências de fomento não interferem nessas questões e nem estipulam normas. Veja como funciona no seu programa.

  62. Felipe 11.07.18 at 11:35 - Reply

    Li os comentários, mas ainda não tenho certeza de algumas coisas.
    No meio do DR recebi uma proposta de emprego e desisti da bolsa FAPESP, mas não abandonei o DR. Estou, desde então, tentando terminar meu DR, mas a pesquisa não foi nada bem e, não estou conseguindo terminar um trabalho decente.
    1. Pelo que li, não entendi se tenho que devolver a bolsa, caso desista, por ter aceitado o emprego (a FAPESP diz que sim).
    2. E outra coisa: caso, então, eu seja reprovado na defesa, a agência considera o DR concluído? Pergunto isso porque no sistema da FAPESP ainda estou devendo a “Ata de defesa” da tese (ainda dentro do prazo), então, mesmo que a ata não seja positiva, eu finalizaria meu compromisso com a agência?
    É bem complicado isso porque mesmo no termo de outorga, no item 15.4.2, as justificativas para desistências são bem vagas. Mas, usando o Google, é possível encontrar casos de processo em que a Fapesp ganhou a causa de alguns alunos.

    • Teresa Nunes 11.07.18 at 20:07 - Reply

      Olá Felipe,
      Quando você abriu mão da bolsa você justificou/avisou a FAPESP?
      A não conclusão implica em devolução, independente se foi por emprego ou porque não quis mais. Só não há devoluções quando não se conclui por motivos de saúde, devidamente comprovados.
      Geralmente quando você abre mão da bolsa, mas termina o doutorado não costuma haver devoluções. Portanto, é necessário realizar a defesa. A reprovação (embora difícil ocorrer) também é um produto, e estaria finalizado o vínculo.

      • Felipe 12.07.18 at 15:33 - Reply

        Obrigado pela resposta.
        Mas, logo depois de postar, fui rever o termo de outorga e lá consta que o bolsista deve, ao terminar o trabalho, submeter a ata de defesa, comprovando a aprovação. Ou seja, acredito que uma reprova na defesa implicaria na devolução da bolsa.

        • Teresa Nunes 12.07.18 at 19:47 - Reply

          Felipe, realmente!
          Na Capes é aceito a reprovação na defesa como finalização do vínculo (embora seja raro acontecer). A FAPESP realmente não pode haver reprovação. Nem na defesa nem em disciplinas. Na entrega da ata além dos dados da defesa é necessário também submeter a cópia da página da tese onde conste a menção ao apoio da FAPESP.

  63. LeonardoC 12.07.18 at 00:13 - Reply

    Se um candidato passar em um concurso público fora da área do doutorado ele não pode alegar isso como motivo de força maior?

    • Teresa Nunes 12.07.18 at 11:12 - Reply

      Olá Leonardo,
      Motivos de força maior são os de saúde, em que realmente não há condições de término.
      O que você pode fazer é abrir mão da bolsa, assumir o cargo e terminar o doutorado.

  64. Bruno 16.07.18 at 16:30 - Reply

    Olá, tudo bem?

    Eu vi aqui em cima que tem um caso parecido com o meu: Eu fiquei com bolsa de mestrado durante 10 meses (2016). Recebi uma proposta de emprego, desisti da bolsa e continuei no mestrado e trabalhando, enquanto a bolsa foi passada para outro aluno. Agora, em 2018, sai do emprego por desmotivação e iniciei uma nova graduação. O mestrado continua trancado e agora penso em desistir dele. Gostaria de saber se preciso devolver a bolsa do período de 10 meses que fui bolsista. Acrescento que tenho apresentação em um congresso nesse tempo que fui aluno.

    Obrigado

    • Teresa Nunes 16.07.18 at 19:27 - Reply

      Olá Bruno,
      É sempre um risco. Geralmente quando a universidade passa a bolsa para outro aluno ela não costuma comunicar a CAPES e com isso não costuma gerar devoluções. Na teoria a regra seria a devolução sim, já que você não concluiu o mestrado. Na prática depende da sua universidade/programa de pós-graduação.

  65. Jessyca Oliveira 18.07.18 at 14:19 - Reply

    Olá, Teresa, tudo bem?

    Eu estava com a defesa marcada quando sofri um acidente e pouco tempo depois desenvolvi uma doença psicológica. Entrei com pedido de trancamento do mestrado e o mesmo foi homologado. Agora, o prazo de 6 meses terminou e ainda não me sinto bem para retornar as minhas atividade laborais. Nesse caso, como devo proceder? Existe algum recurso que me assegure mais tempo? E se não houver a defesa, é caso de devolução da bolsa?

    Obrigada.

    • Teresa Nunes 18.07.18 at 20:00 - Reply

      Olá Jessyca,
      Em relação a prorrogação do prazo, depende da sua instituição/programa de pós-graduação. São eles que definem isso e cada instituição tem suas próprias regras. Já tentou apresentar laudo médico solicitando mais tempo?
      Quanto a devolução, muito possivelmente não ocorreria, já que você teve um problema de saúde que impossibilitou a continuidade. É necessário laudos que atestem a não possibilidade de defesa por motivos de saúde.

  66. Maria 19.07.18 at 11:32 - Reply

    Olá Teresa. É possível pedir prorrogação do prazo para defesa de dissertação sendo bolsista CNPq?

    • Teresa Nunes 19.07.18 at 19:14 - Reply

      Olá Maria,
      Sim, é possível a prorrogação do prazo. Isso é diretamente com o programa de pós-graduação não tendo interferência da agência de fomento. Lembrando que o período de vigência da bolsa não é estentido.

  67. janaina da silva carvalho 21.07.18 at 14:59 - Reply

    Olá recentemente ganhei a bolsa residencia pedagógica no edital consta que se eu sair tenho que devolver o dinheiro, mas me inscrevi no enem pra passar denovo no meu curso por medo de jubilamento, faço matemática, voce sabe me infomar se eu perdo a bolsa e devolvo dinheiro já que não estou saindo do curso e sim realizando uma nova matricula?

    • Teresa Nunes 22.07.18 at 09:57 - Reply

      Olá Janaina,
      Nunca vi um caso assim. A priori quando você é contemplada é considerado o prazo regular para conclusão, e não costumam contemplar alunos que já estejam em próximos de jubilar. Conversa na secretaria do seu curso.

  68. Maria 07.08.18 at 16:12 - Reply

    Olá. Tenho uma dúvida.
    Eu sou bolsista da Capes/Fapeg. Estou planejando mudar de cidade e consequentemente transferir meu curso de doutorado. A bolsa poderá ser transferida ou eu a perco?

    • Teresa Nunes 07.08.18 at 17:03 - Reply

      Olá Maria,
      Geralmente as bolsas são distribuídas por programa de pós-graduação, portanto mudanças/transferências de programas de pós-graduação e/ou instituições são sem bolsas.

  69. Regina Anita Deotti Loures 10.08.18 at 14:50 - Reply

    Olá Teresa Nunes.
    Meu filho vai defender sua tese de doutorado daqui a uns dias. Ele é o orientador têm um péssimo relacionamento. Não estamos seguros de que sua tese será aprovada. Meu filho está confiante nas questões que ele irá responder aos outros professores da banca.
    Ele é bolsista CAPES.
    1- No caso de reprovação da defesa, ele terá que devolver a bolsa?
    Ele teve quatro artigos aceitos em revista científica e um publicado, em 2017.
    2- E poderá fazer outro processo seletivo, na mesma instituição e cursar outro doutorado com outro orientador?
    Se sim, ele poderá ser bolsista novamente?
    Obrigada.

    • Teresa Nunes 10.08.18 at 17:08 - Reply

      Olá Regina,
      Por pior que seja o relacionamento do aluno/orientador é muito raro ocorrer reprovações na defesa, visto que isso é ruim tanto para o orientador quanto para o programa de pós-graduação. Ainda mais se seu filho está confiante com a pesquisa que desenvolveu. Acho pouco provável que isso ocorra.
      No caso da CAPES, reprovação também é um resultado, e não costuma ocorrer a devolução.
      Ele pode cursar outro doutorado mas ele não poderia ser bolsista CAPES novamente. Teria que tentar outra agência de fomento.

      • Regina Anita Deotti Loures 12.08.18 at 01:45 - Reply

        Muito grata por sua resposta. Me sinto bem mais tranquila, principalmente sabendo que ele poderá cursar outro doutorado, na pior das hipóteses.

  70. Doutorando no Exterior Desesperado 16.08.18 at 14:17 - Reply

    Qual a base moral para exigir as bolsas de volta no caso de não conclusão do curso? Bolsas concedidas pela União Europeia e Estados Unidos não possuem tal exigência. Sou estudante de doutorado pleno no exterior e, apesar de estar no 5o ano, não vejo condições de terminar o Doutorado. Todos os recursos somados chegam a meio milhão de reais devido à cotação monetária.

    Se eu morrer, a dívida some? Tenho tido questões de saúde mental no período.

  71. Marcos Ramos da Silva 22.08.18 at 14:25 - Reply

    Olá Teresa!
    Estou com uma dúvida. Eu tava no doutorado com bolsa FAPESP em São Paulo. Tive que pedir desligamento do doutorado pois minha mãe estava com um tumor grave na tireóide e meu avô precisa fazer hemodiálise por resta da vida tres vezes por semana devido ao não funcionamento dos rins. Ambos passaram a depender de mim. Logo tive que retornar para Bahia para cuidar deles. Nesse caso seria motivo de força para FAPESP não pedi a devolução dos recursos?

    • Teresa Nunes 22.08.18 at 16:47 - Reply

      Olá Marcos,
      Geralmente os motivos de força maior/saúde tem de ser com o próprio bolsista. Nunca vi um caso assim, ainda mais na FAPESP que é muito mais rigorosa que a CAPES. Você notificou a FAPESP sobre esse problema?

  72. Marcos Ramos da Silva 23.08.18 at 05:09 - Reply

    Olá Teresa!
    Então, já notifiquei a FAPESP e estou juntando todos os laudos e certificados médicos para justificar e validar meu desligamento. Espero que dê certo, pois eu não teria como pagar esse valor da bolsa.

    • Teresa Nunes 23.08.18 at 12:42 - Reply

      Se você sempre esteve em dia (relatórios, disciplinas, publicações, pesquisa) e fez a notificação certinho, é muito provável que dê tudo certo! Apresente sim os laudos. Boa sorte e muita luz na sua jornada.

  73. Bruna 23.08.18 at 10:39 - Reply

    Olá Teresa,

    Iniciei meu doutorado em março de 2018 com a garantia de bolsa apenas até março de 2019, ou seja, não me foi garantida uma bolsa por 4 anos. Isso significa que em março de 2019 eu terei que passar por um novo processo de seleção de bolsistas. Acontece que estou insatisfeita com meu trabalho e pretendo me desligar do programa. Neste caso, como minha bolsa tem validade apenas de um ano, eu terei que devolver esse valor mesmo se me desligar apenas em março de 2019 (quando acaba a bolsa)? E se eu me desligar agora, antes do término da bolsa? Terei que restituir os valores recebidos até o momento à CAPES?

    Obrigada, aguardo resposta

    • Teresa Nunes 23.08.18 at 12:46 - Reply

      Olá Bruna,
      É indiferente o tempo de bolsa, qualquer descumprimento das normas e/ou desistências sem motivos graves (de saúde por exemplo) implicam, pelas regras, na devolução da bolsa. Ai depende se seu programa de pós-graduação notifica ou não a CAPES.

  74. MARCUS 02.09.18 at 10:53 - Reply

    BOM DIA, SOU BOLSISTA PELA BOLSA DE FORMAÇÃO DA FAPEG DA CHAMADA 03/2018 E NO PRIMEIRO SEMESTRE DO MESTRADO PEGUEI DUAS DISCIPLINAS SENDO QUE UMA APROVEI E OUTRA REPROVEI, SERÁ QUE PERDEREI MINHA BOLSA?

    • Teresa Nunes 02.09.18 at 12:40 - Reply

      Olá Marcus,
      De acordo com o edital a que você concorreu a manutenção ou renovação da bolsa depende do desempenho acadêmico por parte do bolsista avaliado de acordo com critérios do programa de pós-graduação. Portanto, confira as normas do seu programa de pós-graduação, pois é ele que pode ou não cancelar sua bolsa por causa da reprovação.

  75. Pedro 04.09.18 at 22:25 - Reply

    Oi Teresa. Eu fui reprovado na qualificação do doutorado em maio de 2017 (tive problemas de relacionamento com a orientadora). Minha bolsa era CAPES. Não recebi nenhuma notificação ainda. Será que vou receber uma notificação e ter que devolver toda a bolsa?

    • Teresa Nunes 05.09.18 at 11:03 - Reply

      Olá Pedro,
      Normalmente a bolsa é cancelada pelo programa de pós-graduação (e passa para outro aluno) quando há reprovações, mas a devolução ocorreria só se você não concluísse o doutorado. Quando reprova na qualificação tem uma nova apresentação, o que permite a conclusão da tese.

      • Pedro 05.09.18 at 11:52 - Reply

        Obrigado pela resposta, mas eles me desligaram do programa após a reprovação. Disseram que eu não teria tempo de arrumar os erros. Então eu desisti do doutorado. Terei que devolver a bolsa?

        • Teresa Nunes 05.09.18 at 16:06 - Reply

          Neste caso depende do seu programa de pós-graduação. A regra é a devolução, já que não houve conclusão. Mas tem muitos programas de pós-graduação que omitem esse fato da CAPES.

  76. Anderson 10.09.18 at 13:14 - Reply

    Oi Teresa,

    Meu caso foi que recebi uma proposta de emprego de uma empresa privada em outra cidade, após um ano de doutorado com bolsa CNPq. Durante algum tempo eu apenas cancelei a bolsa e tentei fazer concluir o doutorado mesmo trabalhando. Porém, com o tempo percebemos que não seria possível finalizar o doutorado trabalhando em outra cidade e por isso interrompi o doutorado. O processo seletivo da empresa se iniciou antes de eu começar o doutorado, porém todo o processo durou um tempo e eu fui contratado um ano após iniciar o doutorado. Gostaria de saber se neste caso eu preciso devolver a bolsa?

    • Teresa Nunes 10.09.18 at 16:42 - Reply

      Olá Anderson,
      Depende de como o seu programa de pós-graduação procedeu. A regra seria a devolução já que não houve conclusão, mas se o programa passou a bolsa para outro aluno e não notificou o CNPq é possível que não ocorra a devolução.

  77. Rejiane 13.09.18 at 10:59 - Reply

    Olá, eu iniciei um mestrado em uma instituição em 2016 e era bolsista, mas fui desligada devido a reprovação em disciplinas. Recebi cinco bolsas nessa instituição e depois iniciei outro mestrado, novamente como bolsista em outra instituição.Como já havia recebido algumas bolsas anteriormente, vou deixar de receber o auxílio antes que o mestrado acabe. Eu poderia receber bolsa de outra agência de fomento até a conclusão do mestrado na nova instituição?

    • Teresa Nunes 13.09.18 at 15:57 - Reply

      Olá Rejiane,
      Pode. Agências de fomento diferentes você receberá normal. Mesma agência tem esse “desconto” mesmo.

  78. Tarcyana 13.09.18 at 11:32 - Reply

    Olá,

    Eu era bolsita cnpq no exterior para doutorado pleno, mas terminei o doutorado com antecipaçao. Minha tese foi defendida em 10/07 e o CNPq me informou de que devo devolver os meses de julho, agosto e setembro. Nesse caso, está correto me cobrarem todo o mês de julho? e esse valor poderia ser parcelado?

    • Teresa Nunes 13.09.18 at 16:06 - Reply

      Olá Tarcyana,
      É comum quando se defende antes do dia 15 não receber mais a bolsa por conta de fechamento de folha de pagamento. Provavelmente foi isso que aconteceu, mas cabe questionamento. Quanto a parcelamento é o CNPq que analisa caso a caso a possibilidade ou não.

  79. Mariana Martins 14.09.18 at 01:11 - Reply

    Olá, boa noite!
    Sou bolsista de mestrado CAPES mas recebi uma proposta de emprego e vou abrir mão da bolsa, porém continuarei o mestrado. Minha dúvida é: se eu me desvincular após o dia 15 desse mês, ainda receberei a ultima bolsa no quinto dia útil de outubro? Pq eu li que o bolsista não receberia mesmo que trabalhasse ‘uma pequena parcela” do próximo mês. Mas, ao mesmo tempo, o fechamento é no dia 15. Você saberia me explicar?
    Obrigada!!

    • Teresa Nunes 15.09.18 at 19:05 - Reply

      Olá Mariana,
      Em casos de defesa, geralmente ainda recebe o mês seguinte quando ocorre após o dia 15. Mas como você está abrindo mão da bolsa, pode ser que não receba, pois vai para outro aluno.

  80. Daniel 15.09.18 at 20:39 - Reply

    Olá fui reprovado na defesa. Fiz tudo que o orientador pediu, mas o membro externo era alguém que já fiz seleção com ela e desde que ela viu me currículo ela me tratava mal. Por ironia do destino ela foi convidada para banca. O artigo da pesquisa foi publicado em um revista A1. E agora tenho que devolver a bolsa?Eu concluir mas ao tive culpa da escolha equivocada da banca. Minha formação inicial é Letras e o membro externo era de Farmácia!

    • Teresa Nunes 16.09.18 at 21:54 - Reply

      Olá Daniel,
      Depende da agência de fomento e do seu programa de pós-graduação. CAPES geralmente não devolve pois foi finalizado o processo. FAPESP geralmente devolve porque não considera reprovação como produto do processo.

    • Daniel 16.09.18 at 22:58 - Reply

      Ok, era paga pela CAPES mas vinculada a uma agência estadual em um programa interdisciplinar. Não vejo nas normas dessa agência informações sobre o assunto. Todavia eu pedi uma nova chance ao colegiado de defender novamente, dadas as circunstâncias atípicas. Meu vinculo já está cancelado,caso realmente não tenha mais jeito, eu vou seguir a sugestão do orientador de entrar novamente posteriormente através de um novo processo seletivo, reformular o projeto e defender perante uma nova banca.

  81. Antonio 16.09.18 at 23:38 - Reply

    Boa noite, tenho uma dúvida: minha namorada terminou e defendeu o mestrado antes do prazo, e mesmo sob vários pedidos por telefone a secretaria não cancelou a bolsa. Ela avisou ao órgão de fomento por e-mail que mandou que ela olhasse isso com a faculdade. Agora, a passou num concurso federal. Essa bolsa q ela recebeu a mais pode fazer com que ela perca o emprego? Ou é só esperar eles cobrarem e devolver?

  82. Michel 17.09.18 at 19:07 - Reply

    Olá,

    De 0 a 10, quão ruim para o centro é uma desistência de defesa no fim do mestrado?
    Pode detalhar o porque?
    Obrigado!

    • Teresa Nunes 17.09.18 at 21:51 - Reply

      Olá Michel,
      Desistências são ruins para os programas de pós-graduação e para o orientador pois são considerados nas avaliações das instituições.

  83. Eduardo 21.09.18 at 09:58 - Reply

    Olá Teresa,

    Muito obrigado pela atenção que tens dado às dúvidas aqui. Sou bolsista CAPES/ProEx há dois anos e meio. Durante este período, acabei desenvolvendo um quadro bem sério de ansiedade que fez com que tivesse uma recaída de depressão. Para contextualizar, fui tratado para depressão suicida durante mais de seis anos, no passado, com acompanhamento por psiquiatra. Agora, já há algum tempo, tenho feito acompanhamento psicológico para a ansiedade e depressão.

    Não sinto que tenho mais condições psiquicas de terminar o doutorado. Cada vez que tento voltar a trabalhar na pesquisa, tenho uma crise de ansiedade e, as vezes, estas crises me desestabilizam de tal forma que volto para aquele quadro depressivo por semanas.

    Este quadro me parece ser condizente com desistência por motivo de doença, mas meu lado ansioso me faz duvidar que isso efetivamente seja considerado. O programa de PG no qual estou inserido é conceito 7, e acredito que eles não vão querer se ‘queimar’ negando um recurso de alguém na minha situação, mas sinto medo de estar enganado.

    Neste período, apesar dos problemas, eu desenvolvi todas as atividades requeridas: Cumpri todos os créditos, qualifiquei e escrevi um artigo que está pronto para ser submetido, além de estar terminando o estágio de docência (que é opcional, no meu programa).

    Não tenho condições de devolver a bolsa. Também não acho justo escravizar os alunos prendendo-os ao programa mesmo quando os mesmos não tem condições de terminar seus projetos. Minha pergunta é, na tua opinião, eu teria de devolver o valor integral que já recebi até agora ou haveria o desconto devido às atividades cumpridas?

    • Teresa Nunes 22.09.18 at 14:07 - Reply

      Olá Eduardo,
      Quando ocorre a devolução não há descontos (independente de ter cumprido ou não a maior parte das obrigações). Mas seu caso se enquadra sim nos motivos de força maior que impossibilitam a conclusão. Junte os laudos e exames que comprovam a sua situação para que não haja a devolução. Muita luz na sua jornada!

  84. Jessica Santos 24.09.18 at 11:31 - Reply

    Olá Teresa,

    Estou no primeiro semestre do mestrado, e estou tendo dificuldade em uma matéria, caso reprove na disciplina e perca a bolsa, não terei condições financeiras de me manter no mestrado sem a bolsa, desistindo, terei que devolver a bolsa?

    • Teresa Nunes 24.09.18 at 12:15 - Reply

      Olá Jéssica,
      De acordo com as regras sim. Mas é variável de acordo com o programa de pós-graduação/instituição.

  85. Thiago 25.09.18 at 01:20 - Reply

    Olá
    Estou numa situação bem difícil
    Estou no quarto do doutorado, com bolsa desde o começo do curso, mas não consigo mais avançar na pesquisa, tive problemas pessoais que me atrasaram muito a escrita. Já estou prestes a acabar o prazo da prorrogação da qualificação e penso em pedir o desligamento, porque a pressão é tanta que eu me sinto esgotado e sem capacidades de seguir avançando.
    A capes irá me cobrar fortemente essa bolsa até aqui? É possível parcelar? Como posso fazer isso?

    • Teresa Nunes 25.09.18 at 08:22 - Reply

      Olá Thiago,
      Pelas normas da CAPES, ocorreria a devolução a menos que você esteja com problema de saúde grave. Na prática depende do seu programa de pós-graduação notificar esse desligamento ou não para a CAPES. Parcelamentos só são possíveis diante de acordos entre a CAPES/pessoa mas é analisado caso a caso. A priori a devolução é em parcela única.

  86. Thiago 25.09.18 at 12:21 - Reply

    Obrigado pelos resposta, Teresa
    Então caso a bolsa seja cobrada, ela se tornará dívida ativa da união?
    Procurei saber e, se estou certo, a partir das informações que vi no site da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional – responsável pelas cobranças das dívidas ativas – as dívidas de até 1 milhão de reais podem ser parceladas a partir de 100 reais por mês. Você já viu algo assim?
    Estou preocupado com essa dívida, mas para mim não tem outro jeito, preciso largar o doutorado, mesmo estando no quarto ano. Contudo, se o parcelamento puder ser dessa forma, pelo menos posso resolver com maior tranquilidade.

    • Teresa Nunes 25.09.18 at 13:01 - Reply

      Isso, se torna dívida ativa da união.
      Quanto ao parcelamento, já ouvi relatos, mas é a partir de acordos mesmo.

  87. Paulo Ryan 01.10.18 at 12:43 - Reply

    Boa Tarde,
    Sou bolsista de doutorado pleno no Exterior (Reino Unido). Infelizmente deu tudo de errado no meu doutorado e, apesar de estar no 6o ano, não consigo ver o fim do curso. Caso desista, a dívida pode chegar a meio milhão de reais, devido a cotação monetária desfavorável.

    Você acha que há alguma solução para se livrar dessa dívida monstruosa? A única alternative me parece ser o suicídio.

    Grato.
    Paulo Ryan

    • Teresa Nunes 02.10.18 at 09:35 - Reply

      Olá Paulo,
      Calma, suicídio não é solução para nada.
      Por quais motivos deu tudo errado? Nenhum deles pode ser utilizado como justificativa? Já conversou com o orientador? Procure se informar no seu programa de pós-graduação como eles agem nesses casos. A regra seria a devolução, mas estamos no Brasil, nem sempre isso acontece.

  88. Fernanda 05.10.18 at 00:28 - Reply

    Olá Teresa!

    Fui bolsista de doutorado FAPEMIG durante 4 anos, cumpri todos os créditos, qualifiquei e fui aprovada. Escrevi a tese enviei para meu orientador que alegou não ter resultados suficientes para defesa. Fiz mais testes que não resultaram em bons resultados. Usei todo o tempo que consegui para defender, fui desligada do programa, pedi reintegração mas foi indeferido porque o artigo ainda estava sob revisão. Terei que devolver a bolsa integralmente? Mesmo tendo cumprido parte dos requisitos e tendo provas que eu fiz minha pesquisa e que tentei defender mas os resultados foram péssimos!?

    Obrigada

    • Teresa Nunes 05.10.18 at 12:54 - Reply

      Olá Fernanda,
      De acordo com a normativa Nº 01/2006 (Art.2) e o termo de compromisso que você assinou enquanto bolsista tem que devolver. Independente de ter cumprido os demais compromissos ou não. Geralmente depende do programa de pós-graduação fazer a notificação de que você não concluiu o curso a agência de fomento.

  89. Rafaela Silva 12.10.18 at 22:23 - Reply

    Bom dia,

    Fui bolsista Capes no mestrado por 2 anos, pedi pra estender mais 6 meses pra terminar a dissertação. Desde que entrei tive problemas emocionais, mas a partir de 1 ano e 6 meses pioraram e não consegui terminar a dissertação, por isso pedi mais 6 meses.

    Comecei um tratamento no psicólogo durante esse tempo, mas mesmo assim não consegui. Tenho o atestado do psicólogo. Me pediram pra fazer um parecer de justificativa. Gostaria de saber como fazer esse parecer. Procurei na net e não achei nada.

    Obrigada.

    • Teresa Nunes 13.10.18 at 10:59 - Reply

      Olá Rafaela,
      É preciso verificar no seu programa de pós-graduação o modelo adotado. Mas você vai basicamente descrever o que lhe impediu de terminar a dissertação. Isso inclui as medicações, os tratamentos, os sintomas físicos e psíquicos. É partir do que você colocar que a CAPES vai dar o parecer sobre ter ou não que devolver a bolsa.

  90. Jennifer Cardoso Couto 14.10.18 at 10:12 - Reply

    Olá, no meu caso eu gostaria de desistir do mestrado eu tive bolsa taxa, porém no decorrer do curso eu perdi total interesse e motivação para continuar, visto que percebi as ” vaidades” do mundo acadêmico e a incompreensão da parte dos orientadores que não conseguem respeitar e entender que nem todos os alunos que ali estão tem condições financeiras, e este é meu caso, eu sempre precisei trabalhar e não posso me dedicar somente aos estudos. Além disso, vejo que a ciência é extremamente desvalorizada no nosso país, como não tenho condições de permanecer. Também acho injusto essa questão de devolver os recursos, pois eu não utilizei comigo esse dinheiro, foi todo repassado para a instituição, a falta de motivação e respeito, assédio moral me fez infelizmente odiar estar nesta situação. Hoje, me vejo presa nisso e refém desse dinheiro. Gostaria, por favor de uma opinião e ajuda sobre como devo proceder neste caso.

    • Teresa Nunes 14.10.18 at 21:34 - Reply

      Olá Jennifer,
      Não compreendi bem, a bolsa era sua ou do departamento/laboratório? Qual agência de fomento?
      Eu sei que o mundo acadêmico é bem cruel em determinadas situações, mas não tem muito o que fazer. As opções são: terminar ou correr o risco da devolução dos recursos investidos em você.

  91. G. 14.10.18 at 15:36 - Reply

    Gostaria de saber, depois de abandonar o mestrado (8 meses de bolsa), quanto tempo tem para a bolsista reembolsar o valor total? (CAPES)

    • Teresa Nunes 14.10.18 at 21:15 - Reply

      Olá G,
      Você pode ser notificado para devolução em até 5 anos após a desistência. Uma vez notificado geralmente o pagamento é em guia única.

  92. Lita Rodrigues 15.10.18 at 10:46 - Reply

    Caso ocorra desistência e haja devolução dessa bolsa, devolve-se o valor com correções (juros, cotações da moeda etc.)? Há o parcelamento dessa quantia?

    • Teresa Nunes 16.10.18 at 15:08 - Reply

      Olá Lita,
      Normalmente a cobrança é feita em parcela única. Parcelamentos só são possíveis quando a agência de fomento faz acordo, após análise do caso.

  93. Patricio 01.11.18 at 14:25 - Reply

    Prezada Teresa.

    Favor me ajudar no me caso que exponho a segui: Fui bolsista de doutorado CAPES (2012 – 2015) mas não consegui defender a minha tese e então o programa de pós-graduação me desligou do programa. Hoje em dia estou na condição de desligado. Sou estrangeiro e partir do 2016 estou morando no meu Pais. No entanto cumpri com o numero de créditos exigidos e exame de qualificação aprovada pelo programa, só não consegui publicar em revista. Também não sei se fui notificado no meu ex-domicilio no Brasil já que não moro mais lá como eu disse. A minha desistência do curso, foi realmente por problemas de saúde associados ao bruxismo e ao não ter um bom relacionamento com o meu ex-orientador. Teresa, queria lhe perguntar como eu devo proceder no meu caso?. Desde já agradeço o tempo gasto em ler este parágrafo. Um abraço, fica bem.

    • Teresa Nunes 03.11.18 at 11:02 - Reply

      Olá Patricio,
      Por segurança guarde tudo o que comprove a sua condição de saúde durante a pós-graduação, que lhe impediu de concluir. O seu programa de pós-graduação não tinha registro de seu endereço de origem? Eventualmente o programa de pós-graduação ainda consegue lhe contactar via e-mail? Via telefone? Se sim, apenas aguarde.

Leave A Comment