Bill Gates: “Quem precisa de Universidades quando se tem a Web”

Não há como negar a influência de Bill Gates no mundo da informação. O dono e co-fundador (juntamente com Paul Allen) da Microsoft. Gates ocupa atualmente o cargo de presidente não-executivo da Microsoft. Também dedica um pouco do seu tempo a atividades de filantropia. Recentemente ele, juntamente com outras empresas, colaborou no desenvolvimento de um reator nuclear.  No entanto, Gates afirma que a internet poderia substituir as instituições de ensino superior, prevendo que os diplomas serão cada vez menos significativos.

Ele mesmo deixou a Universidade de Harvard em 1975 para seguir o seu caminho que culminou na criação da Microsoft. Mesmo com todo o seu sucesso, aparentemente ele não vê o modo tradicional do ensino superior com bons olhos. Apesar de ter recebido um diploma honorário de Harvard em 2007, ele não é muito fã de faculdades e, participando de uma conferência chamada Techonomy 2010 (uma junção das palavras “tech” de tecnologia e “economy” de economia), ele criticou o sistema das faculdades atuais. Em suas próprias palavras, ele disse que a educação universitária esta “increasingly hard to get” (‘cada vez mais difícil de se obter’ em tradução livre).

Ele afirma que o ensino superior é complicado de se conseguir e diz que diplomas baseados em aulas presenciais não serão tão importantes no futuro. O argumento de Gates é que uma pessoa interessada pode aprender pela internet, e que as faculdades (com exceção das festas) não precisarão ser presenciais (em suas palavras “The self-motivated learner will be on the web.  And there will be far less place-based [college] things…College — except for the parties — needs to be less place based.”

Apesar da sua visão de ensino-aprendizagem pela internet parecer meio radical nos dias de hoje (afinal, a própria Microsoft contrata apenas profissionais qualificados através de diploma – na maior parte dos casos) não parece ser algo completamente impossível de ocorrer no futuro, pois não há como discutir o uso cada vez maior de plataformas de ensino online, que cada vez mais estão sendo utilizadas, não somente no ensino superior ou na pós-graduação, mas em ensino básico.

Agora fica uma pergunta, poderia a internet substituir o ensino presencial algum dia? Na minha opinião, acredito que ela é uma ótima ferramenta e nós, professores, devemos cada vez mais incentivar o seu uso, com cuidados.

Fontes: hypescience.com e dailytech.com

By |2016-01-13T11:21:38+00:0009-07-2015|debates|6 Comments

About the Author:

Químico de formação com Doutorado em Química Orgânica e Biológica.

6 Comments

  1. Silvania Silva 09.07.15 at 17:51 - Reply

    Quem precisa criar e inovar quando se copiou Jobs….rsrsrsrs

  2. angeli rose 10.07.15 at 07:25 - Reply

    Vai fazer um concursinho pra adjunto só na base da “competência”?deixa de publicar artigos pra ver o que acontece…e fica de fora da thurma da sua área pra ver aonde vai parar?!?

  3. Luciane 10.07.15 at 07:43 - Reply

    Caminho sem volta! A Ead ninguém segura. Precisa ter qualidade, este é para mim o grande desafio.

  4. Vinícius 10.07.15 at 15:34 - Reply

    Esse título foi um pouco sensacionalista. ;P

  5. André Sezerino 12.07.15 at 10:18 - Reply

    A informação está toda por aí disponível e de graça…

  6. Pedro 12.07.15 at 13:19 - Reply

    O grande problema é que Bill Gates é a exceção; ele não é a regra. Ele é UMA pessoa que abandonou os estudos e se deu bem. Por mais que este fato seja badalado na mídia, não podemos nos esquecer dos milhares que abandonaram e se deram mal. Além disso, a universidade que ele estava abandonando era Harvard (ninguém pode esperar o mesmo sucesso de um indivíduo que abandonou Harvard, a menos que seja um aluno de Harvard).

Leave A Comment