5 razões para fazer um mestrado, doutorado ou pós-doutorado no exterior

Nunca foi tão fácil para os pós-graduandos brasileiros realizarem seus estudos no exterior. Com o programa “Ciência sem fronteiras”, criado pelos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC), por meio de suas respectivas instituições de fomento (CNPq e Capes), as possibilidades de realizar um doutorado sanduíche ou até mesmo um doutorado pleno em outro país ficaram maiores.

Entretanto, muitos profissionais ainda possuem um pouco de receio em estudar no exterior, ou até mesmo dúvidas se a empreitada vale mesmo a pena. Desta forma, elencamos alguns pontos positivos de uma pós-graduação no exterior que podem auxiliá-lo na sua tomada de decisão.

1. Criar uma nova visão da ciência e do mundo acadêmico
Conhecer a estrutura, a organização e a rotina das universidades estrangeiras, bem como discutir ciência com pesquisadores com uma formação acadêmica e cultural distintas das nossas pode ajudá-lo a fazer uma autocrítica da ciência brasileira, tornando-o um professional mais maduro e consciente dos problemas e das possíveis soluções da nossa ciência.

2. Conhecer novas técnicas de pesquisa
É possível aprender novos protocolos, novos métodos de pesquisa e, principalmente, discutir as técnicas já existentes por um ângulo completamente diferente. Existe a possibilidade de encontrar conceitos ou tecnologias que ainda não são empregados por aqui, ou então novos usos para os já empregados atualmente.

3. Network profissional
Os contatos profissionais realizados no exterior poderão “abrir portas” para futuras parcerias, colaborações e intercâmbios com universidades e pesquisadores estrangeiros, novas titulações acadêmicas no exterior ou apenas manter-se informado sobre os caminhos da pesquisa no seu campo do conhecimento em diferentes lugares.

4. Melhorar sua proficiência em outro idioma
Estudar no exterior ainda é a melhor maneira de aprender outro idioma. Não há nada melhor e mais eficaz que estar em contato direto com o país em que se fala o idioma que deseja aprender, cercado pela linguagem em uma base diária, além de ouvir as expressões no próprio contexto cultural.

5. Motivação maior
Como tudo é novidade, sua motivação para estudar, pesquisar e produzir costuma ser bem maior do que quando estamos “acomodados” em uma instituição onde já conhecemos tudo e todos. Haverá também uma grande vontade, às vezes até subconsciente, de “mostrar serviço” ou de causar uma boa impressão, o que aumentará sua dedicação. E a vantagem desta dedicação toda é o maior crescimento profissional e o menor estresse com as situações acadêmicas cotidianas.

By |2016-01-19T16:29:50+00:0020-03-2012|debates|21 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

21 Comments

  1. Rafael Andrette 20.03.12 at 12:25 - Reply

    Muito bom! 

    ME animou pra fazer um Pós Doc lá fora! 

  2. Liliane 20.03.12 at 16:39 - Reply

    Alguem sabe qto esta a bolsa sanduiche do ciencia sem fronteiras?

    • Bruno 21.03.12 at 18:19 - Reply

      dependo do lugar nos EUA esta mais ou menos 1200 dolares

  3. Alejandra 24.03.12 at 22:52 - Reply

    🙂 Essas são minhas razões para fazer meu mestrado no Brasil. Soy da Argentina.

  4. Luciana 24.04.12 at 13:34 - Reply

    Estou fazendo doutorado sanduiche na Western Ontario University no Canada e sem duvida foi a melhor escolha que poderia ter feito. Sinto que de fato vou poder contribuir com a ciencia no Brasil. Minha pesquisa jamais seria tao profunda e bem analizada sem os recursos de laboratorios daqui. Agora meu objetivo quando voltar eh conseguir reproduzir o mesmo padrao de qualidade nas pesquisas desenvolvidas ai.

  5. Lesurya 25.04.12 at 14:26 - Reply

    O mais chato é ter que re-validar o seu diploma no Brasil, ai sim você vai ver o que é burocracia e impedimentos…

    • Pam 02.07.12 at 02:11 - Reply

      Vc realmente acha que isso anula todas as vantagens?

    • Roney Jesus Ribeiro 20.06.13 at 18:42 - Reply

      Fiz Mestrado e estou finalizando o Doutorado em Educação de modo interinstitucional por meio de bolsa estudantil parcial na Argentina e Paraguai e estou muito satisfeito. O fato de ter me aborrecido um pouco com o processo de reconhecimento do meu mestrado não anulou em nada minha experiência linguística, afinal melhorei minha fluência na língua espanhola, Cultura, Literatura e Arte da Espanha e Hisponoamerica… Estou muito feliz com minha escolha… Já estou planejando meu pos doutora na Argentina ou na espanha.

      Prof. Drnd. Roney Jesus Ribeiro

      • waldirene 13.03.14 at 22:07 - Reply

        voce fez a re validação no Brasil em que estado e cidade?

  6. Ayrtonsantos 29.08.12 at 17:29 - Reply

     Muito bom, estou no Mestrado em fase de construção da
    dissertação, mas já estou bem animado para fazer um Doutorado no exterior…
    vamos ver.

    Saí de minha cidade e fui para outra fazer este mestrado e
    as informações postadas são realmente verídicas, pois nos sentimos tão bem com
    outras pessoas e outros costumes . Esssa convivência nos dar ânimo para brilhar cada vez mais e
    estamos em constante mudança.

  7. seria otimo..nao fosse o fato de ser ciencias COM fronteiras ja que varias areas não sao mais completadas pelo programa do governo.

    • Guilherme Garcia 31.03.13 at 15:08 - Reply

      Sim, infelizmente o programa deveria ser chamado de “Ciências EXATAS sem fronteiras”.

      • Rafaela Souza 08.07.13 at 12:51 - Reply

        Concordo!!

  8. Guilherme Garcia 31.03.13 at 15:07 - Reply

    Consigo pensar em pelo menos mais 10 motivos para fazer o Mestrado/Doutorado fora, mas não quero ser polêmico.

    • Rafaela Souza 08.07.13 at 12:51 - Reply

      Fale. Gostaria de conhecer sua opinião.

  9. marlene bruggink 12.01.14 at 07:43 - Reply

    preciso de ajuda,meu filho estuda e mora comigo na holanda ,mas ele quer estagiar no brasil,ele faz engenharia civil,e tem que fazer um estagio de seis meses na area dele,nos somos de sao luis,gostaria de conseguir um estagio pra ele em sao luis,porfavor empesas de uma oportunidade pra ele,seria otimo pro curiculo dele um estagio fora da holanda e muito bom tambem representar o nosso pais aqui.

  10. Rosalia moreira xavier cassio 29.08.14 at 10:26 - Reply

    Preciso de ajuda… tenho vontade de fazer meu Mestrado em Portugal, e ouvi falar de um método de Mestrado semi presencial (ainda estou pesquisando sobre isso), onde se comparece alguns meses lá e as pesquisas podem ser feitas no Brasil, não precisando morar direto em outro país, apenas 1 ou 2 meses ao ano, acho que é isso… Alguém já fez, ouviu falar, podem me dizer se é real, confiável? Pois sou casada e fica complicado passar todo o período do Mestrado em outro país. Muito obrigada!

  11. Anne kannes 24.11.15 at 17:02 - Reply

    Muito bom seu texto.
    Acredito que temos outras tantas razões para fazer um doutorado aqui na nossa terrinha também. No Brasil existem muitas instituições serias e de grande credibilidade, inclusive “lá fora”. Àqueles que podem investir na empreitada no exterior, faça as malas e corra, mas pense que dentro de casa você pode fazer também.
    Bjos

  12. Luciano Vitorino 18.08.16 at 23:16 - Reply

    Fiz doutorado sanduíche na University of Alberta, Canadá. Foi uma experiência sensacional. Hoje tenho network em vários países de diversos continentes. Além de assumir que não seria possível aprender o que aprendi. Mesmo com as dificuldades financeiras e politicas que estamos passando recomendo à todos.

  13. Danilo 19.10.16 at 23:40 - Reply

    Cara estou pasmo com esse choque de realidade!!!

  14. Junior 26.10.16 at 21:30 - Reply

    E ainda tem a velha tendência de alunos e professores caírem em depressão e ficarem por anos pulando de religião em religião

Leave A Comment