• Ministro afirma que reajuste das bolsas será realizado em duas etapas

Ministro afirma que reajuste das bolsas será realizado em duas etapas

Após o Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmar que o governo estuda a possibilidade de corrigir a defasagem nos valores das bolsas da Capes, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Dr. Marco Antônio Raupp, confirmou a previsão de reajuste para este ano durante a inauguração do Museu de Ciência e Tecnologia em São Carlos-SP.

O Ministro Marco Antônio Raupp explicou ainda que o reajuste provavelmente se dará em duas fases: um aumento ainda este ano e outro em 2013. Segundo o ministro, esse parcelamento deverá ser necessário devido a não previsão do mesmo no orçamento deste ano. Mais uma vez, nem as datas ou valores foram informados.

Confira abaixo o vídeo com o discurso do ministro.

Abaixo-assinado
Em março deste ano o corpo discente do Instituto Alberto Luiz de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia – COPPE/UFRJ encaminhou um abaixo-assinado ao Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação reivindicando e solicitando apoio para a implementação urgente de reajuste e correção dos valores das bolsas de pós-graduação (mestrado e doutorado).

Como resposta, o Chefe do Gabinete do Ministério, Flávio da Cunha, entendeu como legítima a reivindicação e informou que o reajuste já vem sendo objeto de estudos e que “será implantado tão logo seja viável“.

O Chefe de Gabinete afirmou ainda que “como é de conhecimento público, temos uma conjuntura internacional desfavorável e o Brasil não pode assumir compromissos de longo prazo que possam contribuir para a desestabilização econômica“.

By |2018-12-06T01:56:47+00:0026-04-2012|notícias|21 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

21 Comments

  1. Patricia 26.04.12 at 15:07 - Reply

    Espero que não seja mais uma promessa, como as que acontecem quando há greve de professores e técnicos. Prometem um aumento, mas depois que termina a greve não há aumento como prometido. 

  2. Lucas Carlos 26.04.12 at 15:14 - Reply

    Afinal de contas… quando isso vai acontecer?????

  3. Carolhillebrand 26.04.12 at 15:20 - Reply

    Alguém sabe quanto será esse aumento?

  4. Jotajotacaminhao 26.04.12 at 15:33 - Reply

    Isso aí..compromisso a longo prazo só com o salário dos políticos, que aumenta todo ano mais do que qualquer outra coisa.

  5. xiz caras 26.04.12 at 15:53 - Reply

    essa eu quero ver!!

  6. Gustavo Menezes 26.04.12 at 16:05 - Reply

    sinceramente….. como zootecnista….. Isso é conversa pra boi dormir…

    • Allan Albuquerque 24.05.12 at 10:15 - Reply

      Alguém de letras vai dizer que é colóquio flácido pra acalentar bovinos

  7. Camila Carlos 26.04.12 at 16:13 - Reply

    aumentos estratosféricos nos salários do judiciário e legislativo não são compromissos de longo prazo que que contribuem para a desestabilização econômica. ¬¬

  8. “conjuntura internacional desfavorável e o Brasil não pode assumir compromissos de longo prazo que possam contribuir para a desestabilização econômica” – investir em pós-graduandos é desestabilizar? Será que isso inclusive não melhoraria – claro, a longo prazo – a “conjuntura internacional” ?!

  9. Cesar 26.04.12 at 16:24 - Reply

    e o CNPQ???

  10. Edu 26.04.12 at 16:25 - Reply

    Ficamos na toricda!

  11. Tom Zé 26.04.12 at 17:05 - Reply

    Queria que fosse aumentada a quantidade de bolsas, porque meu programa tem conceito CAPES 4, 36 vagas abertas todos os semestres e apenas 6 bolsas por semestre, muito pouco para um país que quer formar pesquisadores, muito pouco mesmo, não dá pra fazer pesquisa sem bolsa… vou começar a passar fome desse jeito!!!

    • Adilson Pinto 26.04.12 at 18:29 - Reply

       Tom, você tocou em dois pontos que me parecem interessantes. Vou começar pelo fim: acho que é possível, sim, pesquisar sem bolsa. Ora, milhares já fizeram isso e não morreram. Parece que é possível, vamo sinvestigar.
      O segundo ponto é a questão do conceito do programa: não seria interessante que a cota de bolsas fosse distribuída por programa de acordo com sua nota? Se o Data Capes coleta informações de professores e alunos dos programas, acho que uma forma de incentivar a produção (sim, eu sei, produtivismo) é fazer com que os programas 6 e 7 tenham mais bolsas. (E não adianta dizerem que todos vão correr para esses programas porque as vagas são militadas e outros não deixariam de cursar uma pós graduação só pela quantidade de vagas; os outros cursos também seriam procurados).
      Sei lá, só algumas ideias.

      • Tome 08.05.12 at 18:14 - Reply

        Fazer pós graduação sem bolsa? Vocës estão de brincadeira né camaradas. 

      • Ellen Santos 08.05.12 at 21:39 - Reply

        Tenho atividade na minha pesquisa pra mais de 12h por dia, meus orientadores não admitem que seus alunos trabalhem e eu NÃO TENHO PAPAI PRA ME SUSTENTAR!!! E assim como eu existem vários alunos de pós por ai na mesma situação. Sem nosso esforço nossos orientadores não publicariam como publicam. Sinceramente, uma bolsa que me sustente durante esse período de formação é mínimo que espero…  

  12. Diego Marques 26.04.12 at 17:42 - Reply

    Enquanto isso bolsistas do ciências sem fronteiras na graduação ganham bolsa de 870 euros, passagem aérea de ida e volta alem de 700 euros para comprar Tablet!!!

    Nos pos-graduandos fazendo pesquisa de verdade ralando ganhando 1200/1800 reais é uma vergonha.
    http://www.youtube.com/watch?v=UbAHig6EJh0 (video onde o ministro fala do Tablet)

  13. Jordana 08.05.12 at 22:28 - Reply

    Por que será em duas etapas? Somos os profissionais mais baratos do mundo!!
    Ouvi rumores que a primeira etapa é para ver se esse aumento caberá nos orçamentos públicos. Eles não ouviram falar em cálculos estratégicos matemáticos???
    Ah, por favor, Brasil!!! Acorda. Estou falando de pesquisadores… O futuro está em nossas mãos.   

  14. Caio 04.07.12 at 08:08 - Reply

    Cade o aumento??? Recebi hoje minha bolsa de doutorado, a mesma quantia (1.800 reais)! =/

  15. Lucas Freitas 03.12.12 at 08:47 - Reply

    Então galera o seu ministro prometeu a primeira etapa do aumento veio e a segunda será que vem? Já estamos em janeiro e eu não vi em lugar algum nada sobre nosso novo e mais que merecido reajuste. To orando para ele realmente sair!

  16. Nilton 12.12.12 at 10:44 - Reply

    Governo mandando graduando pro exterior e quem sonha em fazer mestrado e doutorado se f… no Brasil. Era melhor dar uma bolsa decente (M=3000 e D=4000), pro pesquisador estudar tranquilo e poder viver com dignidade. Isso dá retorno. Agora, enfiar grana em garotos de 18 anos a fundo perdido irem passear no exterior, pelo amor de Deus! Quem recebe bolsa do Ciência sem Fronteiras, em geral, já tem uma boa base! E nada garante que eles trarão alguma contribuição efetiva para a Ciência no país. Enquanto isso, a gente só se f…. e tem que ser herói se quiser viver dignamente e fazer um doutorado….pqp……

  17. Lucas Alves de Freitas 04.01.13 at 12:28 - Reply

    Alguém do site tem informações se realmente teremos a segunda parte do reajuste? Quando e quanto seria isso?

Leave A Comment