Estudantes de Pós-Graduação cobram reajuste de 30% no valor das bolsas de mestrado e doutorado

Estudantes de pós-graduação entregaram ao ministro da Educação, Aloizio Mercadante, uma carta de reivindicações. A principal demanda é o reajuste em 30% das bolsas de mestrado e doutorado oferecidas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Em 2012, houve um acordo com o Ministério da Ciência e Tecnologia para um aumento de 40% no valor das bolsas. No segundo semestre do ano passado, houve um reajuste de 10%. Os estudantes pedem a complementação do percentual.

O diretor de Políticas Educacionais da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) e mestrando em História Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Lucas Machado, afirma que “sem que o pesquisador seja valorizado não tem como o Brasil projetar e organizar o seu desenvolvimento. A valorização do pesquisador é questão fundamental para pensar estrategicamente a situação brasileira”.

O valor da bolsa de estudos é R$ 1.350, para mestrado, e R$ 2 mil, para estudantes de doutorado. “Qualquer pessoa em início de carreira pode ganhar mais do que o valor da bolsa, o que nos estimula a continuar na universidade? Tem que gostar muito mesmo de pesquisar”, afirma Tamara Naiz da Silva, tesoureira da ANPG.

A entrega foi realizada durante o 2º Encontro Nacional de Grêmios da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), evento sediado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) simultaneamente ao 14º Conselho Nacional de Entidades de Base (Coneb) da União Nacional dos Estudantes (UNE). Na manhã do dia 20 de janeiro de 2013, o ministro conversou com os estudantes da UNE.

Segundo a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), o Orçamento de 2013 realmente prevê o reajuste no valor das bolsas de estudo da Pós-Graduação para o início de 2013, conforme anunciado. Entretanto, “início de 2013” significa início da Execução Orçamentária de 2013, que deve ocorrer entre fevereiro ou março. Como a bolsa de um mês é depositada no mês seguinte, o reajuste deve acontecer entre março e abril de 2013.

Vale ressaltar que este reajuste é previsto para as bolsas da Capes e do CNPq e para bolsas de agências estaduais que possuem estas duas agências como fonte dos recursos. No caso das bolsas de estudo de agências estaduais com recursos próprios, as agências estaduais possuem autonomia para decidir se haverá reajuste no valor das bolsas ou não.

_________________________________________________________

Mariana Tokarnia e Lílian Beraldo – Agência Brasil

By |2016-01-14T18:06:26+00:0022-01-2013|notícias|20 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

20 Comments

  1. André Arruda 22.01.13 at 13:24 - Reply

    A FACEPE de PE já deu os 30% um semestre atrás. Espero que o governo federal faça igual.

  2. Cristiane Garcia 22.01.13 at 15:01 - Reply

    O que não é mencionado ainda é que o valor da bolsa, mesmo com reajuste, não é, de longe, o ideal. Somos expostos a perigos reais como por exemplo, a exposição a agentes biológicos e químicos nocivos à saúde. É por isso que a evasão de pesquisadores brasileiros para o exterior é bastante grande, provando a desvalorização destes profissionais no nosso país.

  3. Ludmila Nogueira 22.01.13 at 15:18 - Reply

    Qual o valor do reajuste???

  4. Sandra Pereira 22.01.13 at 16:01 - Reply

    Boa tarde, gostaria de saber se este reajuste vai ser conferido também para as bolsas de pós-doutorado CAPES e CNPq? Grata.

  5. DUOLIVE 22.01.13 at 16:28 - Reply

    Na realidade, justificar que o aumento da bolsa deva ser por causa que se ganha mais em qualquer outro trabalho em inicio de carreira não é um argumento muito forte para se conquistar tal benefício. O fato é que o valor é desatualizado e não consegue dar conta dos compromissos assumidos por um estudante de pós- graduação. Qualquer viagem que se faça para um congresso custa em média 1500 a 2000 reais, caso este seja fora do estado a uma distância média de 1000 km. Qualquer aluguel está em torno de 300 a 600 reais. Outro absurdo, são os cortes de bolsas que ocorrem no término do mestrado ou doutorado. Quando se renova a bolsa por 12 meses, deve-se receber 12 meses, e não cortar a bolsa do aluno se ele conseguiu defender por exemplo em 20 meses, afinal como este aluno sairá do mestrado e já começará a trabalhar? Este fato aconteceu comigo e estou as duras penas me virando para terminar de pagar as contas… Merecemos um pouco mais de consideração!

  6. João Paulo 22.01.13 at 16:52 - Reply

    De que valor será o reajuste dessa vez? 10% novamente? Sobre o que? Sobre os atuais 1350 ou referente aos 1200?

  7. Girliane Regina 22.01.13 at 19:18 - Reply

    Está claro que o aumento de 10%  no ano passado foi uma forma de ganhar tempo e muito dinheiro, claro! Isso é vergonhoso! A agencia de fomento do Estado de Pernambuco (FACEPE), que dispõe de muito menos recursos, ja aumentou em 40% o valor das bosas desde o ano passado. Isso é uma falta de respeito com os estudantes pesquisadores que dependem exclusivamente dessas bolsas.

  8. Adelino de Santi Júnior 22.01.13 at 20:49 - Reply

    Chegará o dia em que nenhum ser sábio ousará fazer mestrado ou doutorado, apenas os piores, doidos por cabides de emprego.

    • Gustavo Barizon 06.03.13 at 15:35 - Reply

      piores mais que passam por um processo seletivo, que falam inglês ..e que tem a capacidade de crescer na vida…eu não vejo , bolsa como um cabide de emprego…pois não recolhem o fgts, não pagam o inss e é por tempo limitado…é apenas um incentivo, eu faço mestrado e não recebo bolsa, porque tenho meu emprego…pensamento minimalista este teu!!

  9. Bruno Lopes 01.02.13 at 15:05 - Reply

    Acho que o essencial para a pós-graduação é a criação de contratos trabalhistas também. Isso acontece em outros países e o estudante tem contrato com a universidade e precisa lecionar durante esta fase. Além do retorno financeiro, existe a experiência profissional na área. No Brasil, parece que os estudantes se tornam empregados do laboratório e sustentam uma vasta proporção da pesquisa, no entanto, sem vínculo de emprego.

  10. Gustavo 02.02.13 at 09:23 - Reply

    Com gastos cada vez mais inflacionados, acho justo o aumento das bolsas para a pós. Mas por que os alunos de iniciação científica seriam menos importantes? Acho q se aumenta para mestrandos e doutorandos, nada mais justo que haver um aumento também para alunos de IC, que mesmo cursando 6 (ou mais) matérias por período ainda se dedicam ao trabalho científico, e são incentivados por suas bolsas IC.

  11. carol reis 18.02.13 at 22:48 - Reply

    Alguém sabe dizer se dá problema receber uma RPA sendo bolsista?

  12. Nilton 03.03.13 at 22:49 - Reply

    Só não entendo pq o governo gasta uma fortuna com o Ciência Sem Fronteiras, que beneficia, na maioria das vezes, quem já nasceu com boas condições, e deixa seus pós-graduandos na miséria. Com o que paga um mestrado ou um IC, ninguém se interessa pela pesquisa. E não vem com essa de amor a pesquisa, pois ninguém vai abraçar a carreira acadêmica, que requer muito esforço e privações, se pode trabalhar no “mercado” e ganhar 5 vezes mais que uma bolsa miserável.

  13. A agencia de fomento do Estado de Pernambuco (FACEPE) paga R$ 1.525 pra Mestrando e R$ 2.440 pra Doutorando, mais uma ajuda de custo chamado “Bolsa finalização” para aqueles que nao conseguiram defender no tempo certo. Já a CAPES, do governo federal, que tem muito mais dinheiro, paga R$ 1.350 e R$ 2.000 seco.

  14. Igor 11.03.13 at 11:50 - Reply

    O aumento não saiu em março…será que sai em Abril ?

    • Rosendy Jess Galabo 17.03.13 at 09:05 - Reply

      A esperança é a última que morre. Já estamos em março e não vi mais nenhuma notícia relacionada com esse reajuste, não acho que o aumento cairá em Abril!

  15. Jomário 25.03.13 at 19:51 - Reply

    Alguma novidade sobre esse assunto???

  16. Já estamos quase em Abril… e nenhuma novidade sobre esse outro aumento…

  17. Ana 29.03.13 at 15:59 - Reply

    Nem todo emprego tem horário flexível! Nem todo curso é conciliável com emprego! Sem dinheiro ninguém vive!

Leave A Comment