Dez dicas para escrever artigos científicos

Um bom artigo deve conter uma (boa) ideia, mas não muitas boas ideias. É importante, portanto, que você tenha claro qual é sua melhor ideia. Caso você não tenha apenas uma (boa) ideia, mas sim várias, e queira escrever um artigo científico, é recomendável optar por uma das alternativas a seguir:

(i) hierarquizá-las, para deixar claro qual delas será tratada;

(ii) planejar a escrita de vários artigos, cada um sobre uma das suas ideias (nesse caso, é recomendável que você não os escreva simultaneamente, pois isso significa escolher alguma como prioritária, ou seja, significa voltar ao item precedente);

(iii) fundir as várias ideias em uma só, que seja consistente, sem ser excessivamente genérica.

Com clareza quanto à sua boa ideia e com os resultados finais ou parciais de sua pesquisa à mão, eis dez pontos importantes para compor um bom artigo.

1. Faça um roteiro antes
Antes de escrever, elabore um roteiro: tenha uma ideia clara do que você quer demonstrar, confirmar/desmentir, ilustrar, exemplificar, testar, comparar, recomendar etc. O começo, o meio e o fim do artigo devem estar claros para você antes de ele começar a ser escrito. Lembre-se: qualquer autor passa muito mais tempo revendo/reescrevendo (quase sempre mais de uma vez) os diferentes trechos de um texto, do que os escrevendo. Por isso, o roteiro ajuda a compor a primeira versão que, em seguida, será objeto de várias revisões. Não é por acaso que vigora a máxima de que o ofício de pesquisador requer 10% de inspiração e 90% de transpiração.

2. Use a fórmula SVP
Valorize a fórmula consagrada de escrita chamada SVP – “sujeito, verbo e predicado”. Escreva “O conselho discutiu a regra”. Não escreva “A regra foi discutida pelo conselho” ou “Foi discutida pelo conselho a regra”. Usar esta fórmula simples de escrita ajuda a tornar o texto claro e preciso, encurta as suas sentenças e diminui a possibilidade de cometer erros de concordância, entre outros.

3. Não especule
Evite generalidades, mas abuse dos dados. Generalidades são boas para conversa de mesa de bar. Cada afirmação do seu artigo deve ser capaz de ser respaldada por dados, achados e interpretações encontrados em artigos e textos de outros autores ou na sua própria pesquisa. Não importa tanto o que – ou quem – você usa para respaldar as suas afirmações, nem que você respalde explicitamente cada afirmação, mas elas têm que ter respaldo.

4. Cuidado com os “achismos”
“Eu acho”, “eu prefiro”, “o melhor é”, “deve ser”, “tem que ser”, “todo mundo sabe que”, “sempre foi assim”, “a tendência natural é” – nada disso dá respaldo a argumentos usados em textos científicos. Essas expressões indicam manifestações de normatividade, de opção pessoal ou de preferência. Evitar.

5. Trabalhe suas premissas
Seja lógico: após o A, vem o B, e não o C ou o D. Releia as suas afirmações e conclusões: veja se elas têm mesmo respaldo empírico e se decorrem logicamente da sua argumentação. É muito comum o uso de expressões como “dessa maneira”, “portanto”, “segue-se que”, “assim”, “conclui-se que” etc., sem que de fato haja relação lógica entre as conclusões e as frases que a precedem. Exemplo: A: “O céu amanheceu sem nuvens.” B: “Sem nuvens não há chuva.” C: “Portanto, não choverá nas próximas semanas.” A está certo; B está certo; C pode até estar certo, mas não decorre de A nem de B. C é uma afirmação ou conclusão que não decorre rigorosamente das afirmações anteriores. Rigorosamente, C é uma suposição, mais do que uma conclusão.

6. Evite sentenças longas
Mantenha as suas sentenças curtas. Para isso, a solução é simples: abuse dos pontos finais, pois eles são gratuitos, não estão ameaçados de extinção e organizam o seu texto. Sentenças longas exigem o uso excessivo de recursos como vírgulas, dois pontos, pontos e virgulas, travessões, parênteses etc. Eles são também gratuitos e abundantes, mas quando usados a granel não facilitam a leitura do seu texto. Sentenças longas devem ficar para os que têm um bom domínio da língua, como os detentores do prêmio Nobel (José Saramago) ou mestres da literatura (Machado de Assis). Mas, cuidado com Guimarães Rosa: o uso recorrente de neologismos funciona muito melhor na literatura do que em textos científicos.

7. Leia muito
Reserve tempo para sempre ler literatura (romances, contos, novelas, narrativas, poesias etc.), mesmo quando estiver redigindo a sua tese ou dissertação. Ler bons textos é fundamental para aprender a escrever. Procure textos que se relacionem com as suas deficiências de escrita. Por exemplo, os prolixos devem ler João Cabral de Melo Neto, e os muito secos podem escolher Vinicius de Moraes.

8. Não seja preguiçoso
Não use apud quando puder se referir diretamente a um autor/texto, pois este é um recurso excepcional. Leia e cite sempre o autor e o texto originais, a não ser que seja um texto antiquíssimo que existe apenas na Biblioteca Nacional de Paris ou que esteja escrito apenas em chinês arcaico ou em aramaico.

9. Utilize citações com boa credibilidade
Busque sempre usar como fontes os autores mais reconhecidos, as maiores autoridades no assunto. Não é porque você teve um bom professor que escreveu um artigo ou deu uma boa aula a respeito de um assunto que ele é a referência mundial nesse assunto. Da mesma forma, não se limite a ler e a citar os autores e textos usados pelos seus professores prediletos. Aprenda a usar ferramentas que lhe permitam identificar os autores mais importantes em cada área de saber, inclusive aqueles com quem você não necessariamente concorda. No entanto, os autores não devem ser usados ou citados apenas porque são reconhecidos, mas sim porque são bons e pertinentes à construção de seu texto.

10. Não deixe de publicar
Regra de ouro para publicar artigos: “quem não pesquisa, não escreve; quem não escreve, não submete; quem não submete, não é aceito; quem não é aceito, nunca será publicado; quem não é publicado permanece anônimo, e de nada vale um cientista ou intelectual anônimo.”

. . .

Texto escrito por Marcel Bursztyn, José Augusto Drummond e Elimar Pinheiro Do Nascimento.

By |2016-01-21T22:17:47+00:0015-02-2012|guia, redação científica|82 Comments

About the Author:

O posgraduando.com é um espaço na internet para troca de experiências, opiniões, depoimentos, dicas, tutoriais, humor e debates saudáveis sobre o meio acadêmico. Para participar também, leia nossas instruções aos colaboradores.

82 Comments

  1. Clara Ufc 15.02.12 at 14:40 - Reply

    Sempre ótimo! Obrigada! 

  2. Felipe 15.02.12 at 17:10 - Reply

    Ótimas dicas! Este era o tipo de site que eu estava procurando!

  3. Jader_sil 15.02.12 at 18:31 - Reply

    Mestre, eu preciso estar vinculado a uma universidade para enviar artigos para revistas científicas? Se eu não estiver vinculado a uma será que eu consigo publicar algum artigo?

    • Gnolasco1 12.04.12 at 01:29 - Reply

      Jader, si puedes enviar artigos a la revista que quieras, no es necesario que estés vinculado a una universidad, saludos desde México
      Gabriel Castañeda Nolasco

  4. Yasmin 02.03.12 at 22:04 - Reply

    Ótimas dicas!

  5. Afonso Medeiros 04.03.12 at 18:25 - Reply

    A princípio, ótimas dicas. Mas se for aplicado como receita inequívoca, pode-se tornar uma camisa de força para a inventividade e a criatividade, matérias primas dos pesquisadores que fazem a diferença. Por exemplo, se todos os pesquisadores só citarem as “autoridades” da área, teremos uma redundância insuportável. Ao contrário, citar alguém pouco conhecido (mas pertinente) pode fazer muito bem às ciências e às artes…

  6. Rodrigo de Jesus 12.03.12 at 02:27 - Reply

    Muito bom artigo! Tenho que estudar português por causa das vírgulas, pois abuso demais dela! Sinto necessidade em qualquer adverbio/expressão adverbial que uso.
    Não conhecia a fórmula SVP. Acabo escrevendo muito locuções adverbiais sem querer e realmente isso deixa o texto menos conciso. Devo começar a ler João Cabral de Melo Neto…
    Mas também concordo com o Afonso! Às vezes é necessário citar um autor menor em um assunto por ele fazer jus a uma ideia semelhante ou diferente sobre aquele mesmo assunto do qual alguém é uma autoridade.

  7. Ronilson Fernandes 10.04.12 at 13:46 - Reply

    Ótimo!!!

  8. Angryvdn 01.06.12 at 12:14 - Reply

    “de nada vale um cientista ou intelectual anônimo”

    Prefiro um cientista anônimo do que um cientista com um currículo cheio de artigos “pra encher linguiça” feitos pra preencher currículo e satisfazer o fetiche por currículo que ronda a academia

    • Juca 24.06.12 at 15:01 - Reply

      cientista anônimo detected

    • Luciana 09.07.12 at 14:45 - Reply

      Como saberemos o que está sendo produzido se não publicarmos??….Devemos ter qualidade nas publicações, isso sim!

  9. Eliane Santana 06.08.12 at 09:50 - Reply

    Gostei; conciso e objetivo! Exatamente o que muitos de nós precisamos. Obrigada!

  10. Juciany Santos 16.08.12 at 15:26 - Reply

    Dicas valiosas!!

  11. Claudia 18.09.12 at 08:14 - Reply

    gostei, tenho certeza que mim ajudara muito !!!!!!!!

  12. Fezitanurse 22.09.12 at 08:36 - Reply

    Gostei dessas dicas. Vão enriquecer o meu trabalho!

  13. Edneiadias2009 25.09.12 at 23:12 - Reply

    Estava procurando um assunto que não tem nada a ver com artigos, mas entrei nesse site e acabei deparando com um assunto interessante que 
    é   Artigos cientifico, me interessei, futuramente quero fazer um artigo. bom 
    é  sempre bom sonhar. estou cursando pedagogia e não quero ficar sendo uma simples professora. quero ir longe

    • Maraalmeidah 01.10.12 at 18:15 - Reply

      Valeu! Já faz algum tempo que estou redigindo o meu artigo. A cada vez que leio, procuro sempre melhorá-lo. Estas dicas me ajudaram um pouco. Obrig

  14. Fabio 24.10.12 at 21:00 - Reply

    beleza obrigado pelo o incentivo para publicar meu artigo.

  15. Jocianalife 26.10.12 at 13:50 - Reply

    Obrigada pelas dicas!

  16. Marcos 04.11.12 at 11:39 - Reply

    Parabéns, muito bom o comentário!

  17. Muito bom.

  18. Muito bom. 

  19. rosirosi 15.11.12 at 19:53 - Reply

    Muito obrigada pela ajuda. Vocês são bons no assunto.

     

  20. rosirosi 15.11.12 at 19:57 - Reply

    Muito obrigada pela ajuda. Vocês foram ótimos.

     
      Digite seu comentário aqui.

  21. paulo fernando 19.11.12 at 08:59 - Reply

    Belo texto. Simples, conciso e inspirador. 

  22. Anaí 04.12.12 at 13:49 - Reply

    ótimas dicas…..

  23. Mara Rúbia Sampaio 05.01.13 at 10:59 - Reply

    Olá. Gostaria que comentassem sobre como publicar artigos científicos. Poderiam nos orientar, por favor? Desde já agradeço a atenção e parabenizo elo site. 🙂
    Abraços. Feliz 2013!

  24. rafaella 12.01.13 at 14:09 - Reply

    sou uma pessoa sucinta em palavras. podem indicar autores para que eu possa escrever bem?

  25. Celina Freitas 15.02.13 at 18:11 - Reply

    gostei. muito.

    otimas dicas.. !!!

  26. Victor 20.02.13 at 17:20 - Reply

    boas dicas, obrigaduuu

  27. André 16.04.13 at 07:21 - Reply

    Muito boa essas dicas, o difícil e colocá-las em prática… kkkk.

  28. André 16.04.13 at 07:21 - Reply

    Muito boa essas dicas, o difícil e colocá-las em prática… kkkk.

  29. Carla 07.05.13 at 09:56 - Reply

    Muito interessante!

  30. Reescrevendo a última dica com algumas inserções, se vocês me permitirem (é claro): “Quem não pesquisa (não estuda), não escreve. Quem não escreve, não se submete à avaliação de ninguém. Quem não se submete, não é aceito pelos demais; quem dirá por ele mesmo? Quem não é aceito, nunca vislumbrará suas ideias serem publicadas. Quem não é publicado permanece anônimo. E de que vale o anonimato? Ainda mais, quando pressupomos a existência de um cientista ou intelectual desconhecido por suas opiniões que, por sua vez, poderiam mudar o
    mundo?”

  31. SÔNIA LINS 13.05.13 at 13:53 - Reply

    DICAS DE QUALIDADE, COM ESTAS, EVITA-SE AS FRUSTRAÇÕES!!!!

  32. ∞ Bristol 19.05.13 at 23:10 - Reply

    Ótimas dicas!

  33. Pra Regina 20.05.13 at 09:57 - Reply

    Perfeito! Valeu a dica SVP, não a conhecia e com certeza me será útil!
    Parabéns!

  34. Pedro 30.05.13 at 10:27 - Reply

    Muito bom! Ajudou muito! Só fiquei ainda em dúvida na estrutura do artigo: quantas páginas tem geralmente, como separar o texto, capítulos, subtemas?

  35. Evelyn 12.06.13 at 23:53 - Reply

    Gostei, boas dicas. No item ” não seja preguiçoso” , dei boas gargalhadas, adorei.

  36. gislen 08.07.13 at 09:14 - Reply

    amei essas dicas, vou começar meu artigo

  37. Adriana Ruggeri Quinelo 26.07.13 at 14:18 - Reply

    Concordo bastante com o Afonso, mas sei que esta dica é importante e devemos sempre citar alguém Top e, claro, usar outros autores não tão conhecidos mas também pertinentes como contra-ponto. Acho isso perfeito! Além disso, uma dose de bom senso …

  38. Bob 30.07.13 at 15:08 - Reply

    Excelente.

  39. Amanda 02.08.13 at 19:06 - Reply

    Olá!
    Sou graduada em zootecnia, e tenho pouquíssimas publicações, mas gostaria de enriquecer meu Lattes. Como posso escrever um artigo diante de uma situação dessa? pois estou distante das pesquisas. Me ajudem com sugestões!!!!

  40. JONATAS 06.08.13 at 11:40 - Reply

    Parabéns pelas dicas, são gestos assim que motivam outras pessoas a fazer o mesmo. O conhecimento deve ser compartilhado lol

  41. hudson 11.09.13 at 07:17 - Reply

    Espero que essas dicas possam me ajudar no meu artigo, pois e o meu primeiro.

  42. Leonardo 11.09.13 at 11:19 - Reply

    Todas as dicas são excelentes. Ótimo trabalho!!

  43. Arlene Gonçalves da Silva 12.01.14 at 19:18 - Reply

    Quero agradecer aos autores pelas dicas. Muito me ajudarão na elaboração de meu artigo. Estava perdida, sem saber como começar!

  44. Eduardo 22.01.14 at 11:04 - Reply

    Pessoal, estas dicas são fantásticas, colocadas com muita clareza e objetividade. Parabéns!

    • Pós-Graduando 22.01.14 at 11:21 - Reply

      Obrigado, Eduardo!
      É sempre muito bom saber que nosso material foi útil para alguém!
      Abraços e inté!

      • Cleo 01.05.16 at 10:54 - Reply

        Olá! Como preencher um currículo lattes, na lacuna onde pede o curso de licenciatura?
        Pois cursei Biologia , e nas opções aparecem várias biologia com sequência de número diferentes. Como saber qual número representa a biologia que cursei?

  45. Raiany 26.01.14 at 18:31 - Reply

    É, pode até ser uma boa explicação. Mas lembrem-se: o estilo do autor, onde fica? É, por que quando dizem que deve-se evitar sentenças longas, estão na verdade querendo encobrir o estilo do sujeito. Não existem regras, existem estratégias, as quais vão desde leitura de mundo e leitura enciclopédica, até o entendimento do porquê utilizar a linguagem escrita.

  46. Alaila Resende 26.01.14 at 20:04 - Reply

    Maravilhoso, me tirou muitas dúvidas!

  47. Sérgio 30.01.14 at 22:45 - Reply

    Valeu pelas dicas. São boas!

  48. Carol 15.02.14 at 21:29 - Reply

    Acho que estou no caminho certo! Adorei o SVP 🙂

  49. Elizete Drilard da costa 29.03.14 at 20:34 - Reply

    Sonho em fazer um artigo mas, acredito que tenho medo. Ao ler as informações percebi ser capaz.
    Gostei muito do SVP e demais dicas.
    Estou entusiasmada e iniciarei com um artigo pequeno.
    Obrigada
    Elizete Drilard

  50. Valdemar 23.04.14 at 20:07 - Reply

    Uma única palavra define a qualidade das informações disponibilizadas neste site: EXCEPCIONAL!.

  51. João Paulo 10.05.14 at 20:43 - Reply

    Obrigado! Muito boas dicas!

  52. Tay 23.05.14 at 10:10 - Reply

    Oi, seu texto me ajudou muito e agora me sinto mais segura para redigir meu artigo, porém estou fazendo-o sozinha, ou seja, a partir de pesquisas suadas e cansativas sem qualquer professor (por que acho minha ideia boa e a universidade que frequento nao possui especializados na area da pesquisa), entao como publicar, é a minha dúvida. Poderia me esclarecer?

  53. Karin Cristiane 06.06.14 at 23:22 - Reply

    Bem legal suas dicas! Adorei.

  54. Aline 17.06.14 at 17:11 - Reply

    Uma 11. dica: exclua sua conta do Facebook! No meu caso, só isso me ajudou a produzir 🙂

  55. Ma. Jesus T Matas 25.06.14 at 15:11 - Reply

    Adorei as dicas. Gostaria de sugestões de revistas para publicações. Antecipadamente agradeço.

  56. Ma. Jesus T Matias 25.06.14 at 15:17 - Reply

    Excelente !!

  57. joão vitor 12.07.14 at 15:50 - Reply

    Dicas ótimas 100%, esse site é nota 10

  58. MARIA AMELIA G.F. MACHADO 22.07.14 at 23:27 - Reply

    APESAR DE SER LEIGA EM ESCRITA,GOSTO MUITO DE LER E ESTOU PESQUISANDO,PARA ESCREVER UM ARTIGO SOBRE,UM DOS SEGMENTOS, QUE PARTICIPO NA MINHA PROFISSÃO.PERCEBI QUE VC USOU EXATAMENTE O RECOMENDOU,NAS DICAS VALIOSAS QUE NOS DEU,VALEU!!! VOU USAR CADA UMA DELAS.

  59. Valdone MENDES 27.07.14 at 05:18 - Reply

    Ótimas orientações. Vou pô-las em prática e escrever artigos. Obrigado.

  60. Zita Maria Gonçalves Morais da Costa 13.08.14 at 05:55 - Reply

    por acaso gostei imenso duque foi dito porque também ando com dificuldade de escrever artigos e estas dicas ajudar-me-ao a começar a escrever.

    valeu …

  61. Zita Maria Gonçalves Morais da Costa 13.08.14 at 06:02 - Reply

    sou professora de filosofia, licenciada em filosofia, Angolana e gostaria muito de começar a escrever sobre a minha área de actuação mas uma vez valeram as informações .

  62. izaine lopes 15.09.14 at 16:27 - Reply

    também gostei bastante,,….

  63. Rafael 21.09.14 at 15:24 - Reply

    Muito bom! tá me ajudando muito.

  64. eluane 24.09.14 at 15:55 - Reply

    Muito bom. Já utilizei suas dicas algumas vezes. Sua escrita transmite sinceridade em ajudar .
    Abraços

  65. João Rozelio 01.10.14 at 19:41 - Reply

    beleza!!Muito bom!!

  66. Victor 19.01.15 at 12:47 - Reply

    Ali no item nove, sobre citações de credibilidade, ele não diz para não usar o texto de um professor da faculdade, ou mesmo de um colega que trabalha o mesmo assunto. Há inúmeros textos científicos disponíveis em revistas online, que podem servir como auxiliar no estudo e elaboração do artigo. O que ele diz é para não se limitar a citar o tal professor ou estas esparsas publicações. É recomendado citar autoridades reconhecidamente na área, mas são várias, como no meu caso, História, e o uso que se fará não é um corte e cola, mas sim um aporte teórico que pode ser explorado de várias formas, de a cordo com a sua intenção na pesquisa e com o seu objeto de estudo.

  67. Rose Moreira(posgraduanda de Psicopedagogia) 04.04.15 at 11:11 - Reply

    Ótimo artigo.Me esclareceu muitas dúvidas.Já está em meus favoritos!,com certeza me sclarecerá em outros assuntos pertinentes á mim.Grata!!

  68. fatima Brito 28.04.15 at 17:47 - Reply

    achei todas orientações fantásticas, mais tenho uma pergunta a fazer e tirar minhas duvidas, é o seguinte na parte do desenvolvimento do trabalho fazemos citações dos autores, pergunto: após estas citações devemos ou não fazer comentarios a respeito da citação, ou seja, colocarmos nosso entendimento, isso é correto? Tenho um amigo que ao citar um autor usa: uma citação atras da outra e começa os paragrafos assim: Para Silva, Ainda Silva, conforme Siva, etc. não leio nenhum comentario do entendimento dele sobre o assunto é como se ele estivesse afirmando somente o que o autor escreveu no livro. Se alguem puder me esclarecer ficarei muito grata. obrigada.

  69. Aline 28.06.15 at 08:40 - Reply

    Gostaria de saber se há prazo para apresentar artigo , após concluir o curso de pós graduação. Se não apresentar o artigo no tempo exigido eu perco todo ocurso?

  70. Veríssimo 28.07.15 at 11:16 - Reply

    Gostei do texto.
    Vc teria mais informações de
    Como publicar dados parciais?

  71. Francinei 20.02.16 at 00:00 - Reply

    Muito interessante, estou a procura de mais informações. Mas estas me foram validas.

  72. Nayara 29.03.16 at 11:23 - Reply

    Muito interessante!
    Adorei as dicas! Estou iniciando minhas pesquisas para dar início ao meu artigo de conclusão de curso.
    Suas dicas me serão válidas… e como serão! 🙂

  73. Joab Dina Alves 26.04.16 at 14:28 - Reply

    Boa tarde! Quantas laudas deve possuir um artigo científico?

Leave A Comment