• Capes divulga orientações de combate ao plágio

Capes divulga orientações de combate ao plágio

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) recomenda, com base em orientações do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que as instituições de ensino públicas e privadas brasileiras adotem políticas de conscientização e informação sobre a propriedade intelectual, adotando procedimentos específicos que visem coibir a prática do plágio quando da redação de teses, monografias, artigos e outros textos por parte de alunos e outros membros de suas comunidades.

A orientação é proveniente de proposição da Comissão Nacional de Relações Institucionais e da Seccional da OAB/Ceará (n. 2010.19.07379-01) aprovada pelo referido Conselho em sessão plenária no dia 19 de outubro de 2010. O texto ressalta que as ferramentas tecnológicas da informática e o advento da internet proporcionam acesso irrestrito a muitos bancos de dados oficiais e particulares e que algumas distorções advindas desta facilidade de acesso eletrônico têm gerado preocupações no sentido da prática nociva de copiar e colar textos. “Além da prática ilegal de apropriar-se da obra de terceiros sem autorização e sem a referência devida, o procedimento nefasto infecciona a pesquisa, produzindo danos irreparáveis.”

A OAB recomenda o uso de softwares que fazem a leitura eletrônica do texto (artigo, monografia, dissertação ou tese). Em seguida, realizam rastreamento comparativo em vários sites de busca na internet e em base de dados, verificando se o autor copiou frase ou parágrafo, por exemplo, identificando a base de dados e o texto copiado. A OAB orienta ainda que, por não se tratar de programa absoluto, procedimentos internos nas instituições acadêmicas devem ser adotados para aferir se houve ou não plágio. Um deles, citado como necessário, é que as instituições criem comissão que avalie os resultados obtidos pelo software de forma objetiva, aferindo o grau de gravidade no caso dos textos copiados.

A Capes concorda com as orientações da Ordem dos Advogados do Brasil e reforça a necessidade de combate ao plágio onde quer que este se manifeste.

A íntegra do documento aprovado pelo Conselho está disponível na internet no seguinte endereço:
http://www.oab.org.br/combateplagio/CombatePlagio.pdf

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Capes/MEC.

By |2016-01-13T11:21:20+00:0006-01-2011|notícias|4 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

4 Comments

  1. Araceli 05.04.11 at 13:37 - Reply

    Olá! Vc sabe mais alguma coisa sobre os softwares q vc citou no texto? Gostaria de adquirir um…
    Obrigada,
    Araceli

  2. Desconheço os softwares citados. Não se trata, ao que parece de buscar pelo google, bing e etc ocorrências de trechos de trabalhos acadêmicos, mas de algo mais sofisticado; buscar em múltiplos locais coincidências entre o texto (no todo ou em parte) e outros trabalhos já escritos. Quem souber deixe aqui uma mensagem.
    Grato

  3. Adão Costa Silva 08.10.11 at 13:40 - Reply

    Não é a origem ou tamanho do texto que caracteriza plágio. O fato de se usar um texto, independente do seu tamanho, seja palavras, frases, parágrafos… bem como independente da sua origem, livro da biblioteca, ou textos da web…isto só é plágio se o uso não for feito conforme preconiza a ABNT.
    A propósito, alguém conhece estes Softwares?

  4. Alice 23.07.13 at 07:27 - Reply

    http://www.turnitin.com/pt_br/

    Software anti plagio para universidades – tem tambem este para estudantes:
    https://www.writecheck.com/static/home.html

Leave A Comment