• Quanto vale um pós-graduando?

Quanto vale um pós-graduando?

É unânime em todo corredor de pós-graduação quem bom aluno é aquele que publica. Fico transtornada com a inversão de valores que acontece nos programas. A final onde esta a responsabilidade ao conhecimento e aprendizagem? Como estes programas estão formando novos professores universitários?

Amontoados de artigos científicos correspondem a desenvolvimento de habilidades pedagógicas? Em falar em pedagogia, nossos programas possuem comprometimento em abordar métodos de ensino coerentes com as correntes educativas do ensino atual?

Observo comumente o desprezo dado às teorias da aprendizagem e metodologias do ensino superior pelos professores e alunos de pós-graduação. Afinal estudar estes assuntos não dará, em curto prazo, publicação alguma.

Além de revelar a limitação de muitos orientadores sobre este assunto! Papéis coloridos e avisos em quadros não permitem que o aluno se esqueça das metas de publicação do mês do semestre e do ano.

Qual será o momento em que haverá reflexão sobre abordagens de ensino e possíveis mudança, se alguns programas stricto sensu estão completamente desvinculados da pratica do ensino e da docência superior?

Programas estes que se justificam pela sua essência em formar pesquisador. Assim, chego à conclusão que bom pesquisador é bom professor e professor bom é quem publica, e a melhor régua do conhecimento é a publicação.

Empenho no ensino e aprendizagem eu vejo em milhares de professores do ensino fundamental, que se comprometem com a alfabetização das nossas crianças.

Meus melhores educadores não publicaram artigo científico algum. E os seus publicaram?

Mesmo no meio deste deserto que se chama pós-graduação precisamos ter olhos de águia e tentar perceber para onde estamos sendo levado. Se somos produto do meio, corremos grande risco de nos tornarmos bem parecidos com quem “detestamos”.

By |2013-07-22T01:10:29+00:0022-07-2013|debates, docência|8 Comments

About the Author:

Católica e educadora por vocação, dentista por profissão, farmacologista por paixão e doutoranda na atual situação em terras potiguares (UFRN) escrevendo recadinhos as quintas-feiras

8 Comments

  1. Gleudo Milfont 23.07.13 at 07:25 - Reply

    Provocativa!

  2. Rodrigues VC 23.07.13 at 18:08 - Reply

    Hoje em dia se gasta grande parte do tempo da pós-graduação (mestrado e doutorado) na correria da publicação e a didática fica de lado. Ensinar outros a ensinar é um dom que poucos no meio acadêmico reconhecem que NÃO TEM!!! A grande maioria “sabe pra si” e “não sabe passar o conhecimento”. É hora de parar e rever os conceitos!

  3. Melka 24.07.13 at 07:13 - Reply

    Obrigada Gleudo e Rodrigues pelos comentários a ideia deste texto é exatamente de alertar que as habilidades da pedagogia para o ensino superior são pouco trabalhada na pós. Desenvolver esta competência dai fica como “dever de casa” e como estudo individual onde muitas vezes não possuímos orientações!

  4. Renata 25.07.13 at 11:24 - Reply

    Caramba existe esperança…vc verbalizou meus pensamentos, sempre sofridos pensamentos, me achava um ET por pensar desta maneira como vc!
    Acho que precisamos de fazer mais isso nesse mundo da pós graduação!
    Melka vc ja acendeu a ponta da centelha com essa iniciativa!
    Parabéns pelo texto!
    E vamos provocar esse sistema que necessita de reflexões e ações!!
    =)
    Grande abraço e sucesso na sua jornada!

  5. Melka da uma olha nesse texto que recebi hj ….http://agencia.fapesp.br/17608#.UfExbASi-QM.facebook

  6. Giovanna 26.07.13 at 09:59 - Reply

    Dois pontos destacados, que gostaria de comentar:
    Sobre a falta que faz a Metodologia de Ensino, já que as pós-graduações stricto sensu ainda visam formar professores, é incontestável: Saem mestres e doutores sem saber ministrar aulas.
    A falta da dedicação de tempo para a Metodologia da pesquisa limita a pesquisa de qualidade, que é o de deveria ser o objeto das publicações científicas. Publicar por publicar é pura “encheção de linguiça”.

  7. melkame 28.07.13 at 07:55 - Reply

    Giovanna, Renata e Marlon obrigada pelas considerações, Os comentários servirão de inspiração para novas crônicas, fico muito feliz com a identificação com o tema (pois assim vejo que não sou a única a possuir estas inquietudes). Obrigada pelos comentários de verdade!!

  8. Rodrigo 04.02.14 at 12:37 - Reply

    Bom, a reflexão é boa sim… Mas também há que se considerar que o aprendizado [da docência] pode ocorrer de outras maneiras.

    No mestrado que fiz, tivemos Estágio em Docência, desenvolvido por todos os alunos, porém sem a mesma intensidade por parte de cada um deles. Eu fiz uma especialização em Metodologia da Educação para o Ensino Superior buscando aprender mais e me capacitar melhor pra enfrentar uma sala de aula. No entanto, cada um segue sua maneira de cursar uma pós-graduação e mesmo de atuar depois.

    Creio que o fato de publicar seja sim uma forma de mensurar o desempenho dos estudantes. Já considerar a publicação como única forma, no entanto, é um erro.

    Então jogar a culpa nos programas de pós-graduação e na matriz curricular que eles trazem nem sempre é a solução. As vezes essa busca pelo aprendizado deve partir de nós mesmos.

    Abraços.

Leave A Comment