• O que fazer na hora do "branco"?

O que fazer na hora do “branco”?

O grande terror do pós-graduando que está finalizando sua tese sem duvida nenhuma é o piscante incessante no documento em branco do Word. Eu estou passando por esse momento e quando menos espero ele começa a me assombrar… Piscando… Piscando… E piscando… NOSSA! Só de escrever isso já senti o bendito arrepio em minha espinha!

Devido a esse fato e pelo pequeno detalhe que o BRANCO afetou inclusive minha coluna semanal optei por trazer alguns conselhos de como agir em tal situação… E enquanto descrevo-os nesta coluna vou tentar aplica-los na vida real… Vai ser tipo um experimento científico nível Mundo de Beakman (infelizmente sem o Lester)…

GRITE
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!! Isso vai te ajudar a desestressar! Fazer seu cachorro te olhar com uma cara esquisita e fazer o bebê do vizinho começar a chorar… Mas use essa técnica com parcimônia se você repetir esse método MUITAS VEZES muito provavelmente a P.M. vai bater na sua porta junto com a equipe de filmagem do Polícia 24 horas. A propósito é por este motivo que eu estarei lá semana que vem… (brincadeirinha Orientadora)

ENDNOTE
O Endnote ou seus coirmãos podem te ajudar naquele momento que você está com a resposta na ponta da língua. Você deve pesquisar no seu organizador de referencia as palavras chaves que você está pensando e ele vai te fornecer o artigo perfeito… Ou (convenhamos) um absolutamente incoerente que só vai fazer você querer se matar… Mas quem sabe no ato de escrever as palavras chaves a ideia que faltava não surge nas teclas? Como mágica! Tanan!

TOME BANHO
Na boa, tem algo mais útil em colocar as ideias em ordem do que tomar banho? Sério, essa técnica ajuda a resolver todo tipo de problema, acalmar e obviamente te deixar limpo… Se você acrescentar ao banho a música do Ratinho do Castelo Rá-Tim-Bum (Lava o queixo, lava a coxa e lava até/ Meu pé, meu querido pé, que me aguenta o dia inteiro… Lembrou?), o efeito positivo é semelhante a uma lâmpada acendendo na sua cabeça e você gritando: EUREKA!

PLÁSTICO BOLHA
Estoure plástico bolha enquanto você encara o piscante do Word, isso vai te dar a impressão que sua tese não passa de um pequeno detalhe perante as mil e uma bolhinhas que imploram para serem estouradas… MORRAM BOLHAS! MORRAM!

MÚSICA
É incrível o efeito da música na escrita. Às vezes as repostas que você está procurando estão dentro de você e só precisam de um estimulo para brotar! Tente escrever ouvindo qualquer coisa! Tentem ouvir a sua inspiração! (Nossa! Essa foi bonita… Só que não, né?).

FAÇA MIOJO
Ferva 450mL de água, junte o miojo e cozinhe por 3 minutos. Só que em vez de colocar o tempero no caldinho, dá uma refogada no miojo com o tempero, fica muito bom e também vai te ajudar a esclarecer aquele parágrafo da discussão proveniente do resultado DESGRAÇADO que não foi nem um pouco esperado.

CERVEJA
Tome uma (duas, três, quatro, cinco, seis…) cerveja enquanto você olha o piscante no documento do Word, quem sabe você… Ou era eu? Ou era a gente? Nossa… Do que eu to falando mesmo?

By |2015-11-01T09:43:30+00:0020-08-2013|humor|8 Comments

About the Author:

Graduado em Medicina Veterinária pela UENP (2010) e mestre em Ciência Animal pela FMVZ-USP (2013). Lançou seu primeiro romance infanto-juvenil em 2011, intitulado "Flashback em: A Flor de Sakura". E atualmente está ingressando no doutorado em Reprodução Animal pela FMVZ-USP.

8 Comments

  1. Julia Rafalski 21.08.13 at 21:40 - Reply

    AHHHAHAHAHAHHAHA
    Exceleeente!!!

    O Endnote ajuda muito mesmo! Como tenho dificuldades com a minha memória, faço planilhas de leitura separando por abas os temas específicos e quando preciso escrever sobre um determinado tópico vou na planilha e uso os filtros do excel. É o que mais funciona pra mim.

    E eu deixo também dois documentos de word abertos, porque do branco para o ‘aisocorroummilhãodeideiascomoproceder?!” eu vou em um pulo (depois da cerveja) ai uso o segundo documento para anotar os assuntos que eu gostaria de escrever no documento 1 e organizar as minhas ideias. 🙂

    • Daniel Angrimani 23.08.13 at 15:53 - Reply

      uHAUhauUAHUhuaUHAHUuauHHUAuhauhUAHu… Boa técnica Julia! Principalmente a da cerveja!

  2. Muito divertido, Daniel, pra variar hehehe!! Ótimas sugestões, mas agora, a do miojo foi master! Hahahahahah!

  3. Fabrício Barboza 22.08.13 at 11:39 - Reply

    Um formado na UENP-CLM também?! Me formei lá em SI e estou sofrendo na luta pelo ingresso no Mestrado.

    • Daniel Angrimani 23.08.13 at 15:56 - Reply

      Força Fabrício! Uma hora vai! Sempre encontrando uns Uenpianos por aqui! hahahahahhahaha

  4. Maria da Soledade 25.08.13 at 11:47 - Reply

    Muito bom, Daniel!!! Já pratiquei as técnicas do plástico bolha e da música, tava pensando em partir pro grito hahahahahaha

  5. Pedro 06.10.13 at 20:41 - Reply

    Já me chamaram de masoquista por aquilo que vou escrever aqui, mas pra mim tem funcionado até agora, ao menos no mestrado funcionou, pretendo aplicar o mesmo no doutorado. O EndNote pra mim não funciona, prefiro escrever as referências na mão, ou como dizem alguns “na unha” mesmo. Isto aconteceu comigo porque em certa altura do mestrado enquanto escrevia minha dissertação comecei a utilizar o EndNote e depois percebí que várias referências não tinham sido colocado de forma correta, ainda que as configurações estivessem corretas. Assim acabei por terminar escrevendo todas as 187 referências de minha dissertação. Além disso isso me ajuda a saber de cor e salteado qual autor segue qual teoria e dessa forma me auxilia na defesa de minha tese/dissertação, por exemplo, uma vez que determinados pontos chave de minha discussão acabam se fixando melhor dessa forma do que utilizando o Endnote.

  6. Mateus Bastos 29.11.13 at 13:49 - Reply

    Uma dica que eu daria é: Se tudo der errado, escreva. Pode ser que você escreva muita porcaria, mas sair da tela branca vai te inspirar a escrever algo decente!

Leave A Comment