• O que aprendi com meu orientador

O que aprendi com meu orientador

Não existe nada mais antigo na pós-graduação que a relação de amor e ódio entre orientador e orientado. Mas seria injustiça dizer que os orientadores não exercem um papel fundamental na vida profissional de todo pós-graduando. Pensando nisso, elencamos algumas das lições valiosas ensinadas com todo o amor e paciência:

Meu orientador me ensinou hierarquia:
É porque eu acho que fica melhor assim e pronto.

Meu orientador me ensinou sobre antecipação:
Espera só chegar a sua banca que você vai ver.

Meu orientador me ensinou a ter paciência:
Envie o trabalho para o meu e-mail que assim que puder eu corrijo.

Meu orientador me ensinou responsabilidade:
Se você não vier ao laboratório todo dia, corto a sua bolsa.

Meu orientador me ensinou economia:
Vou passar para você fazer os orçamentos do meu projeto.

Meu orientador me ensinou redação:
Isso está muito ruim, é melhor reescrever tudo.

Meu orientador me ensinou sobre administração do tempo:
Você tem que terminar esses artigos até amanhã.

Meu orientador me ensinou didática:
Preciso que você dê uma aula no meu lugar amanhã.

Meu orientador me ensinou humildade:
Um dia você vai saber tanto quanto eu.

Meu orientador me ensinou sobre investimentos:
Os custos da publicação do artigo são por sua conta.

Meu orientador me ensinou sobre dedicação:
O que é que você faz da meia-noite às seis?

Meu orientador me ensinou sobre disponibilidade:
Atendo alunos somente com hora marcada.”

Meu orientador me ensinou sobre suspense:
Vou deixar para comentar o trabalho na sua banca.”

Meu orientador me ensinou a importância do descanso:
Você consegue terminar os resumos do congresso nesse final de semana?

Meu orientador me ensinou a compartilhar:
Vamos colocar os nomes dos meus outros orientados no seu artigo também.”

By |2015-11-01T09:43:49+00:0015-06-2011|humor|66 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

66 Comments

  1. AG 16.08.11 at 17:04 - Reply

    Com exceção dos artigos pois, como sempre trabalhei fora, a universidade nunca me pagou um centavo …. logo, não tinha que escrever um artigo por semana … no resto nada caracterizaria melhor meu orientador ….

    E pensar que na época deles não havia nada disso pois, muitos entraram em uma época em que não havia pós (nos 3 níveis) em muitas areas …. hoje se colocam como deuses ….

  2. Anna 19.09.11 at 09:14 - Reply

    É melhor aprender isto na faculdade, pois quando o babaca do seu chefe e aquele colega que nunca estudou sabotarem suas ideias, você saberá como reagir.

  3. giovane 25.09.11 at 18:56 - Reply

    acho que podemos falar, também, dos orientadores legais e muito competentes[eles existem!!!]. O que acham? E isso pode ser extremamente divertido.

    • posgraduando 27.09.11 at 17:08 - Reply

      Oi Giovane,
      Já saímos em defesa dos orientadores aqui no posgraduando.com.
      Com direito a “puxão de orelhas” nos pós-graduandos e tudo mais.
      O texto encontra-se em O Orientador nosso de cada dia.
      Abraço e obrigado pela companhia no site!

    • Lia 20.09.15 at 16:32 - Reply

      Também concordo. Existem orientadores ótimos, por exemplo o meu. A única dificuldade é ter paciência para lidar com a paciência que ele tem. Rs

    • Letícia Vieira 21.09.15 at 10:44 - Reply

      Concordo plenamente! Eles existem!

  4. Lucas 01.11.12 at 18:51 - Reply

    Não é bem assim.

  5. Fernanda 15.03.13 at 15:15 - Reply

    Putz, depois dessas descobri que meu orientador é um anjo!

  6. ANDRÉ DE ALMEIDA SILVA 07.08.13 at 23:02 - Reply

    Poxa Fernanda, verdade um anjo que caiu do céu. NA verdade que caiu do céu?

  7. Ana 15.08.13 at 13:10 - Reply

    Universidades criadas e administradas por senhores da época da nossa ditadura é assim. Universidades criadas pra incentivar a inovação e o conhecimento são bem diferentes, olhem só esse link https://www.youtube.com/watch?v=niukAIOB23E

  8. Raquel 13.09.13 at 13:57 - Reply

    Ah, sobre dedicação já tive uma orientadora que me ensinou:
    “O que você faz de madrugada? Dorme?! Nossa, que estranho!!”
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  9. fulano 15.10.13 at 12:00 - Reply

    É melhor aprender isso com um chefe!

    Pelo menos conta-se tempo de serviço e aprende-se a lidar com clientes (não só com um chefe) 😉

  10. beltrano 25.01.14 at 17:17 - Reply

    As vezes acontece muitos abuso, assédio moral, alguns orientandos ficam com síndrome do pânico, sem comer e sem dormir, tudo tem um limite e deve haver respeito mútuo, eu mesmo passo por situações problemáticas, vim de outro estado pois a orientadora se comprometeu a trabalhar com um assunto, agora não quer que eu trabalhe mais com o que havíamos combinada, não cumpriu com sua palavra, e ela me ameaça de tirar a bolsa, sugeri mudar de orientador ela amaçou me queimar e dizer pra ninguém da Universidade me aceitar. Mandou eu desistir ou fazer o que ela manda porque ela é minha chefa… Enfim, acho que tem limites pra tudo.

    • aluna 08.08.14 at 12:42 - Reply

      se bobear ela não quer que você trabalhe com esse assunto é porque ela roubou sua idéia e entregou pra alguém! Boa sorte e resista. Quem sabe não consiga abandonar o curso e se matricular em outra instituição. Pode ser o melhor caminho, mesmo que pare;a difícil, você não sabe o que mais essa pessoa ainda pode fazer pra te prejudicar. Aproveita e deixa denúncias nos órgãos competentes. Boa sorte! Espero que já tenha conseguido se distanciar dessa pessoa. Com certeza, tem limites pra tudo!

  11. Clara 25.01.14 at 18:01 - Reply

    Nenhuma destas afirmativas corresponde a minha orientadora. Que maldade,

  12. Janaína 25.01.14 at 19:10 - Reply

    Nem tudo é culpa do orientador, mas, me divirto muito com essas postagens e muitas vezes me recordo de tudo que passei … não foi fácil!
    Parabéns! Estas postagens me ajuda a relaxar, divertir e recordar.

  13. Polly 25.01.14 at 21:19 - Reply

    É meu orientador tb é um anjo! rsrsr

  14. velfe 25.01.14 at 22:36 - Reply

    KKKKKKKKKK..minha orientadora simplesmente sumiu !!!!

  15. Cassiano 25.01.14 at 23:01 - Reply

    Não sei se meu mestrado é em História ou em paciência hahaha
    Lição constante:
    “Envie o trabalho para o meu e-mail que assim que puder eu corrijo.”

  16. Hilda 25.01.14 at 23:31 - Reply

    Desde que iniciei meu mestrado ouço as mais diversas histórias ou seriam estórias?? Acho que se faz muito terrorismo e os culpados disso são os próprios alunos que aceitam esse tipo de situação. parece que se não for assim tão terrível não é normal.Todos estão no mestrado ou doutorado para aprender e ninguém é tão bom assim o tempo inteiro…Muitos , acredito que usam destes artifícios terroristas para “maquiar” alguma deficiência. No meu caso, tenho me deparado com professores excelentes e muito humanos….Minha humilde opinião.abs

  17. Angélica 26.01.14 at 08:31 - Reply

    Minha orientadora me ensinou que podemos mudar de idéia:
    “Acho que vc não deve usar o sf-36 na sua pesquisa, faça um levantamento do que é utilizado nos outros estudos e me entregue…
    Dois meses depois:
    Qual foi mesmo o resultado do seu levantamento? Ah! É melhor usar o sf-36!”

  18. Claudia 26.01.14 at 11:49 - Reply

    Toda decisão que se toma na vida traz consequencias. Muita das vezes a escolha não é pelo orientador e sim pelo assunto de trabalho, só que numa relação deste tipo deveria se ter mais atenção a relação pessoal, afinal podem ser anos de drama, quando deveriam ser de aprendizado. Sou feliz em ter encontrado ainda na época de graduação aquele que foi meu orientador de projeto final de curso, mestrado e doutorado. Ele é uma pessoa especial e hj somos amigos e parceiros de projetos, mas sei que o tipo de relação que ele desenvolve é exceção entre os antigos. Assim como eu eu sei que tb escolheria outro caso não houvesse afinidade. Enfim…hj desenvolvo uma relação parecida com meus orientandos e espero que as novas geracoes de orientadores apresente melhoras nessa relação.

  19. Roberto 26.01.14 at 19:43 - Reply

    Realmente é bem assim.kkkkkkk mesmo quando não tenho nada para fazer no laboratório, porque já terminei a aparte experimental e estou apenas na escrita do artigo minha orientadora diz: porque não apareceu no laboratório? ta de férias é? vou cortar sua bolsa. E ai de mim se disser alguma coisa. Mesmo assim não trocaria de orientador por nada.

  20. Rabelo 31.01.14 at 00:00 - Reply

    Tão real que consigo ler as frases com a voz dele´.
    “É porque eu acho que fica melhor assim e pronto.”

  21. Patricia Irish 21.05.14 at 15:53 - Reply

    Realmente acho que muitos de nós (não é regra geral…ok) estamos acostumados com essa “pressão louca” que envolve o mundo acadêmico, com a ideia de que tem de ser no sofrimento, de que o orientador deve ser um poço de soberba, um carrasco, mas a verdade é que não deve ser assim. A escolha do orientador é fator importantíssimo para o desenvolvimento do aluno, se não há comprometimento mútuo, colaboração e em raros casos “amizade”, a coisa não anda. Quando pensei na minha orientadora, sabia que ela estava disposta a me ajudar, não que a mesma tivesse de facilitar as coisas pra mim ou que eu a tivesse de endeusá-la, mas que, eu faria o meu trabalho e ela o dela.
    P.S: Ela é a única Mestre na linha de pesquisa na qual meu estudo fundamentou-se, se não fosse ela, eu tava ferrada. (kkkkkkkkk)

  22. bela 23.06.14 at 12:25 - Reply

    Meu orientador já disse: “Preciso que você dê uma aula no meu lugar agora, sala 03”

  23. Carla 10.11.14 at 17:12 - Reply

    Colocar o nome de outros orientandos é um pedido bastante desagradável, sobretudo quando você sabe que tem algum que não contribui para a pesquisa ou leva tudo sem o menor interesse!

  24. Alex Vazzoler 20.09.15 at 14:44 - Reply

    Que a universidade é uma fábrica de artigos e ninguém mais liga para educação ou ciência (não é o caso dele, mas a maioria é assim).

  25. Gabriella Ribeiro da Silva e Araujo 20.09.15 at 14:50 - Reply

    Sou uma mestranda de sorte: meu orientador não me ensinou nada disso aí! Ainda podemos ter esperança na humanidade!

  26. Lorena Lima 20.09.15 at 14:51 - Reply

    Tu só vale o artigo que pública

  27. Mateus Clemente 20.09.15 at 14:52 - Reply

    Professor e contratado por apenas 8 horas aulas semana e tem que se envolver com a pesquisa e publicar

  28. Meu orientador diz que não tem tempo.Às vezes acho que sei muito mais que ele.Porque sobre o meu TCC, no curso onde faço graduação em artes visuais onde me graduo, ninguém sabe opinar sobre pesquisa menos ainda sobre crescimento científico.

  29. Eu definitivamente aprendi com a minha desorientadora a como não fazer as coisas!

  30. É tudo isso e mais um pouco.

  31. Acho q vou colocar esse texto nos meus agradecimentos.

  32. Renata Leite 20.09.15 at 15:23 - Reply

    Já ouvi dos mais experientes que nunca se deve descartar suas versões da sua dissertação. Então salvo todas com data de alterações, pq posso precisar! E realmente dedicar se a educação, aulas, reuniões, comissões, planejamento, estágios e ainda fazer pesquisa no Brasil, isto sim, é um ato heroico!

    • Lorranny Lemes 20.09.15 at 16:46 - Reply

      Eu ouvi o mesmo do meu orientador, salvar por data cada alterações no trabalho

  33. Anisio 20.09.15 at 15:58 - Reply

    Mas isso não representa um mau orientador, Apesar de algumas serem verdades. Só acredito ser o trabalho deles é que iremos fazer parecido. Meu orientador sempre menciona que ele forma pessoas para serem melhores do que ele tem sido e que a amizade vem antes que a ciência. E ele de fato faz isso acontecer na prática. No entanto ele cobra muito trabalho, que será a chave do nosso desenvolvimento…. Tenho mais anos de convivência com meu orientador do que com minha esposa…. Kkkkkkkk…. Por isso tenham uma relação saudável

  34. Aliandra Sá 20.09.15 at 16:30 - Reply

    A me desorientar, apenas isso

  35. Valéria Scorsato 20.09.15 at 16:44 - Reply

    muitos desses itens eu ouvi o meu orientador falando, principalmente o suspense.

  36. Alberto Almeida 20.09.15 at 17:08 - Reply

    Tive sorte. Tive um grande orientador no mestrado e no doutorado, muito embora muito atarefado, meu orientador é muito dedicado!

  37. Tatiana Nogueira 20.09.15 at 17:24 - Reply

    Sensacional! Kkkkkkkkkkk

  38. Luciene Azevedo 20.09.15 at 17:52 - Reply

    Na minha primeira pós aprendi com a minha orientadora que alguns orientadores não sabem diversos assuntos!!!! Os orientadores também têm que respeitar prazos! Eu NÃO fui na minha formatura da pós(e paguei por ela) porque minha orientadora levou 2 meses para lançar a minha nota no sistema! Só recebi a minha nota final na manhã da formatura… Nota máxima…. Eu chorei muito….

  39. Márcia N. Piemonte 20.09.15 at 18:09 - Reply

    Desorientador eu tive!!

  40. Gabriella Unger 20.09.15 at 18:54 - Reply

    “O que é que você faz da meia-noite às seis?” Tenho sorte no quesito orientação <3

  41. Gislaine Fernandes 20.09.15 at 19:40 - Reply

    Que no dia da defesa, tudo tem que tá pronto.

  42. Paulo Assis 20.09.15 at 20:33 - Reply

    Simplesmente, nada!

  43. Monik de Albuquerque 20.09.15 at 22:14 - Reply

    Meu orientador me ensinou hierarquia:
    “É porque eu acho que fica melhor assim e pronto.”

  44. Fran Almeida 20.09.15 at 22:31 - Reply

    ABNT, está na ABNT, olha na ABNT, já viu a ABNT. Ehh por acaso já falei ABNT hoje??!!! Kkkkkkk

  45. Aninha 21.09.15 at 07:24 - Reply

    Dai pra pior! E tome choro e decepção…

  46. Sidon Duarte 21.09.15 at 08:02 - Reply

    kkkk, Bem isto mesmo.

  47. Se você passou por alguma dessas situações, há duas possibilidades, ou você mereceu ou seu orientador é um merda e a culpa também é sua por ter escolhido (ou aceitado) ele.

  48. Anselmo Oliveira 22.09.15 at 02:13 - Reply

    Nossa gente
    Se tem aluno que sabe maus que o orientador. Se a PG é um ambiente tão ruim como o que foi descrito aqui. Se tem aluno que fica doente por csusa da PG. Se o orientador é esse carrasco descrito aqui? Por que se submeter a essa situação. Ja pararam para pensar que alguns podem estar no lugar errado e por isso sofrem mo dia a dia? Afinal qual o propósito de se fazer PG?

  49. Silva 27.01.18 at 00:21 - Reply

    Você confia a pesquisa a uma orientadora que diz que sabe. Mas ela mostra que não sabe e ainda publica sua pesquisa com o nome dela, dá palestras com suas ideias, um lixo sangue-suga com lattes fraudado.

  50. Lana 20.10.18 at 11:45 - Reply

    Não se pode julgar quem se submete a condições ruins de pós. Há uma hierarquia rígida, um sistema que faz com que as pessoas fiquem presas e diversas amarras da vida, como psicológicas e financeiras para não deixá-las sair. É triste ler todas estas afirmações e saber que convivo com elas diariamente. Se foi uma escolha ruim? Não tenho dúvidas que sim. Um trabalho bem feito é uma construção de todos ao seu redor com foco principal em você mesmo e no seus orientadores. Um ambiente saudável é fundamental para um resultado bom. Não pude sair, porque quando percebi já era tarde demais e uma mudança iria impactar nos meus planos pessoais. Não sei se foi uma decisão sábia, mas o custo pessoal, psicológico e físico está sendo muito alto. Indico à todos escolherem bem seus orientadores, não se encantar com promessas vagas, ver como seus alunos agem (se é por medo ou por vontade própria) e não deixarem lhe escolher, escolham seus orientadores. É um plano que pode durar muitos anos de sua vida numa época que há uma pressão pela busca da sua postura profissional e há incertezas, isso deixa as pessoas mais vulneráveis. Hoje eu escolheria um orientador primeiramente pelo seu lado humano, pelas condições de trabalho e regras estabelecidas. Amo estudar e aprender, o resultado seria consequência natural de uma boa pós-graduação em qualquer área.

Leave A Comment