Não gosto do meu último sobrenome. Posso trocá-lo nas citações?

Olá, preciso de uma consulta rápida com vocês, é obrigatório no artigo científico o uso do último nome da pessoa para autor?

A resposta curta: se o seu nome é Fabrício Lizotti da Silva, a abreviação correta é SILVA, F.L. da.

E ponto. É assim que manda a ABNT. Qualquer pesquisador que cite um artigo em que seu nome esteja completo irá referenciá-lo assim.

Agora, a resposta longa.

Tem gente que faz diferente e muda a ordem dos sobrenomes? Tem sim.

Assim como tem gente que em seus artigos discute a diferença entre as médias mesmo quando o teste estatístico dá não significativo. Ou seja: não é porque fazem por aí que está certo.

E qual o problema em trocar a ordem dos sobrenomes? É bem simples.

Alguns periódicos publicam os artigos com o nome completo dos autores e geram automaticamente as abreviações nas bases de dados. Nesse caso, seu nome seria abreviado como SILVA, F.L. da. nas bases de dados, conforme o padrão vigente.

Eu, por exemplo, assim como qualquer pesquisador, se pegasse um trabalho seu com seu nome completo, iria citá-lo no meu texto como SILVA, F.L. da.

Entretanto, alguns periódicos deixam isso a cargo do autor, como parece ser a sua situação. Então você decide colocar LIZOTTI, F.S.

O resultado é que, conforme sua produção acadêmica for crescendo, nas bases de dados você irá aparecer como SILVA, F.L. da. e também como LIZOTTI, F.S.

Da mesma forma, algumas citações suas em textos acadêmicos serão como SILVA, F.L. da. e outras como LIZOTTI, F.S.

E isso dá impressão que são trabalhos de dois pesquisadores diferentes, quando na verdade, são todos seus.

Assim você não cria uma “identidade”, algo que quando outros pesquisadores/autores veem a sua citação, sabem quem é ou que outros artigos publicou. Fica difícil você se tornar referência no seu campo de estudo.

By |2016-01-19T15:52:01+00:0030-03-2012|debates, guia|123 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

123 Comments

  1. posgraduando 30.03.12 at 10:24 - Reply

    Realmente, Gabriela, Obrigatório não é. Mas não são todos os periódicos que permitem assinar “como quiser”. A menos que você omita o sobrenome desde o cadastro da submissão.

    No meu caso, por exemplo, “ganhei” uma duplicidade nos bancos de dados por causa da preposição. No exemplo acima, um periódico me cadastrou como “SILVA, F.L.”  e outro me cadastrou como “SILVA, F.L. da”.

    Tentei convencer o periódico a alterar o nome, mas foram irredutíveis.

    • Aline 17.02.16 at 16:08 - Reply

      Ola …meu nome e Aline Pereira Castelo assim e na certidão de nascimento….pois tirei a segunda via e coloquei invertido Aline Castelo Pereira ….isso pode me trazer alguma complicação?cm algo?

  2. posgraduando 30.03.12 at 10:25 - Reply

    E as duas são da mesma área?

    • Marina 30.03.12 at 10:27 - Reply

      Ahan. Com a diferença que eu sou dos estudos formalistas da Linguística e ela dos funcionalistas.

  3. Pedrolucas 30.03.12 at 09:54 - Reply

    Você pode ter vários formatos do seu nome para citação. Isso não é regra e você coloca no lattes.

    • posgraduando 30.03.12 at 10:06 - Reply

      O problema é mais em relação aos bancos de dados e à criação de uma identidade.

  4. Caio 30.03.12 at 09:56 - Reply

    Posso usar meus dois últimos sobrenomes? Por exemplo: COSTA E SILVA, Caio Cesar.

    • posgraduando 30.03.12 at 10:07 - Reply

      Creio que iria cair no mesmo problema. É bem provável que aconteça a duplicidade relatada no texto. 

    • Raquel Costa 30.04.12 at 18:37 - Reply

      Caio, vc eh meu irmão? kkkkkkkkkkkk meu sobrenome tb é Costa e Silva, e não gosto do Silva no Lattes ¬¬

      • zilmar meis velooso 08.08.15 at 16:42 - Reply

        eu nãu costo esse sobre nome veloso e da portoques eu desteto esee ridilolo da familia veloso não dão bom eu prefiro sobre nome da mãe e
        que e mais bonito de tradição da familia do meu avõ flolinto meis e mais bonito e da familia tradicional e mais mais ponito nos somos da espanha

    • Rafael 25.04.14 at 18:35 - Reply

      Meu sobrenome é Costa Silva e eu utilizo os dois como se fosse espanhol… haha… Costa-Silva, R. Minha orientadora de deu a dica, pq tem muito Silva por aí. =P

  5. Ariane Melo 30.03.12 at 09:57 - Reply

    Muito bom! Algumas colegas minhas récem doutoras que estão casando, optaram por não colocar o sobrenome do marido pelo mesmo motivo. “Perderiam” as públicas feitas enquanto solteiras. =)

    • giovane 30.03.12 at 10:26 - Reply

      Não é bem assim.. por este e outros motivos devemos manter atualizada uma página com nossa publicações. Lattes?!

      • Deise 17.04.12 at 23:57 - Reply

        Giovane, normalmente as busca bibliográficas são feitas em bases de dados… não no Lattes. 

    • Yona 23.09.15 at 21:34 - Reply

      Essa é uma dúvida muito grande que tenho. Já tinha algumas publicações com o nome de solteira. Quando casei, meu nome aumentou, porém continuo publicando com o nome de solteira para não ter duplicidade. É como se eu omitisse os dois últimos nomes ( de casada). Gostaria de saber se é errado. Abs

  6. Santos 30.03.12 at 09:57 - Reply

    Faça como Pereira, L. C. B.. e coloque um hífen no nome: Bresser-Pereira! 😛

  7. Gabriela Sobral 30.03.12 at 10:00 - Reply

    sugestao: vcs poderiam ter acrescentado na resposta q um autor assina seu nome como quiser e bem entender, q para isso, nao há regra. basta sempre assinar no mesmo jeito. se a pessoa prefere o lizotti ao silva, basta omiti-lo. ou poderia assinar com hífen: Lizotti-daSilva ou Lizotti-Silva.

    fiz essa observacao pq bem ou mal o seu nome de publicacao é um nome “artístico”, fantasia, e vc pode adaptá-lo como quiser. mas existe uma cultura mt forte de manter seus sobrenomes, especialmente o último, custe o q custar [embora ache q isso tem melhorado na última década].

    eu tenho 3 sobrenomes e nao assino meu último pq nao sou e nem nunca fui conhecida por ele. prefiro só ser nome + sobrenome2. já a minha irma, é nome + sobrenome1 + sobrenome2 – o q é um pouco menos confuso, já q nossas iniciais sao as mesmas.

    • Larissa 16.03.15 at 12:15 - Reply

      Gabriela, se o nome de publicação é, na verdade, um nome fantasia, eu não tenho obrigação de usar o meu sobrenome verdadeiro, e posso, por exemplo, usar um outro sobrenome?

      É porque eu não tenho costume há muito tempo de não usar o sobrenome que consta no meu registro, mas ao invés, um sobrenome da que consta na minha família. Pretendo até passar esse sobrenome legalmente pro meu nome, mas ainda não tive $$tempo$$ sobrando pra isso.

      Agora vou começar a publicar e queria saber se já posso usar esse sobrenome que devo passar pro meu nome em breve.

      Sabes me dizer ou quem poderia me responder isso?

      Muito obrigada,
      Larissa.

  8. Marina 30.03.12 at 10:01 - Reply

    Me responde essa: e se outra pessoa tiver o mesmo sobrenome e iniciais que eu? Minhas citações são LEGROSKI, M. C. e as da minha prima também. Como é que faz?

  9. Pessanha 30.03.12 at 10:15 - Reply

    Tudo se resolve se ao publicar um trabalho/artigo você colocar apenas o sobrenome que deseja utilizar academicamente.  Desta forma não existirá citações de variadas formas dependendo da norma, da base de dados…  Só haverá um sobrenome na publicação!
    Para os espanhóis, por exemplo, o primeiro sobrenome é o principal (e é também o sobrenome do pai).  Assim, e talvez para evitar equívocos, não é incomum que eles publiquem apenas o sobrenome que usam academicamente.

  10. Carlafernandafr 30.03.12 at 10:17 - Reply

    Achei que o post ia ser bem interessante, mas pelo menos pra mim não foi. Há autores que omitem um dos sobrenomes, por exemplo se apresenta nos artigos somente como Fabrício Lizotti. Já vi vários autores fazendo isso, mas fico me perguntando como ele comprovará em um concurso público posterior que Fabricio Lizotti é o mesmo Fabrício Lizotti da Silva??? Vejo que isso é uma prática até comum, mas fico me perguntando, será que é necessário ir a um cartório e fazer uma declaração que a partir daquele dia todas as citações com o nome tal me pertencerá? Há a possibilidade também de inserir um hífen entre os sobrenomes, ex. Fabrício Lizotti-Silva, aí suas citações seriam: Lizotti-Silva, F.
    Gostaria de saber mais sobre esse assunto.

    • posgraduando 30.03.12 at 10:51 - Reply

      Por causa desta questão dos concursos públicos, da acusação de plágio levantada pelo Giovane (abaixo) e da duplicidade em bancos de dados, a recomendação é que se use seu nome inteiro, da maneira exata que ele é, e abreviado da forma correta.

      No final das contas, o comentário postado pela Teresa (abaixo) define bem a questão.

      • Gleice Kelly 30.08.18 at 13:35 - Reply

        Mas o seguinte:
        Meu nome é: Gleice Kelly Rodrigues do Nascimento e eu vou começar a publicar agr, porém na hora de citações poderá ocorrer duplicidad: NASCIMENTO, G. K. R. ou NASCIMENTO, G. K. R. do
        E agora? Como proceder ?

  11. Teresa Silva 30.03.12 at 10:20 - Reply

    Muito oportuno esse post! Sou bibliotecária e volta e meia topo com autores que
    não querem seu último sobrenome nas suas citações. Me parece que querem citar um sobrenome  “nobre”, “original”, “bonito”, de origem estrangeira, do que citar um nome “vulgar”, “comum”, “feio”, que transpareça origem humilde. Você fala em criar identidade. E o problema é de identidade mesmo.

    • Jonas Saldanha 11.08.12 at 23:52 - Reply

      Eu não poderia dizer isso de uma forma melhor. ‘E o problema é de identidade mesmo.’

      • Rodrigo Stw 10.12.12 at 10:28 - Reply

        Bom no meu caso, é fácil rsrs quero tirar um e por outro, meu padrasto é mais pai do que meu própio “Pai”.

        Seria somente isso.

    • Facundo 25.04.14 at 19:19 - Reply

      Um pouco limitada sua análise das possibilidades de alguém preferir um sobrenome ao outro.
      Por coincidência minha mãe me passou um sobrenome italiano e meu pai um sobrenome português muito comum.
      E eu gostaria muito não só de não publicar sob o sobrenome do meu pai mas até mesmo de tirá-lo completamente do meu registro civil – o que até onde eu sei não é tão fácil.
      O motivo não tem relação nenhuma com a origem do meu sobrenome nem com como ele soa, só com a relação pessoal que tenho com meu pai.
      Não sabendo disso eu facilmente seria enquadrado por você como mais um procurando um sobrenome “nobre”. Me pergunto quantos mais tem motivos como esse.

      • Amanda 03.04.17 at 13:13 - Reply

        eu também!!!!!!!! tenho nojo de pensar que minhas futuras publicações estariam vinculadas a um nome nojento do qual não me identifico, que esse nome vai levar mérito de uma coisa que eu fiz, que serei reconhecida por um nome que não me representa

      • Paz 23.07.17 at 18:07 - Reply

        Eu também, tem a ver com a relação pessoal com o meu pai, e gostaria de usar um outro sobrenome, que já sei qual é a muito tempo, e que já usei por um tempo no Facebook; mas não sei como resolver a questão de CV´s e como assinar cartas de apresentação para trabalhos, candidaturas a universidades, inclusive no exterior, pois estaria diferente não só dos documentos brasileiros, mas também do passaporte.
        Ter que estar sempre explicando que tenho dois nomes não parece bom.
        Como a minha area também tem criação, mas no lado artístico, pensei em usar este nome como nome artístico; mesmo assim terei que responder coisas diferentes quando perguntam o meu nome, dependendo da situação, e também como assinarei mesmo documentos relacionados a minha área.
        Quando usava o outro sobrenome no Facebook, eu as vezes tinha problemas em com acessar sites através do Facebook, apesar que o meu nome verdadeiro no Facebook ainda era o oficial.
        Adoraria que alguém desse esclarecimentos.

      • Joelza 03.02.18 at 16:58 - Reply

        Exato! Se eu pudesse fazer recusa de paternidade no meu registro civil, faria com certeza! E retiraria um sobrenome que não me representa e do qual tenho nojo, não pela forma como ele soa, mas por toda a carga negativa e pelas lembranças traumáticas que ele traz. Já procurei informações sobre isso, mas não encontrei casos precedentes. Não tem nada a ver com “nobreza”. A Teresa fez um julgamento extremamente raso.

    • Victor 04.04.17 at 15:42 - Reply

      Teresa, você está enganada em dizer tais coisas. Não necessariamente as pessoas são fúteis como você pensa, e os motivos para querer ser citado com algum certo nome podem ser vários. Não é legal julgar e ofender pessoas que você nem conhece.

  12. giovane 30.03.12 at 10:23 - Reply

     
    Por conta dessa confusão com o “nome de guerra”, eu já vi um caso de acusação de plágio em plena banca de doutorado.

    Tenho, ainda, 2 coisas a adicionar:

    Seria bom repensar o nome p/ publicações ao se trocar eventualmente o sobrenome em virtude de casório/divórcio.

    E… o que conta mesmo é o número de publicações né? (piadinha)

    • Facundo 25.04.14 at 19:23 - Reply

      Balela.
      Qualquer “caso de acusação de plágio em banca de doutorado” seria prontamente desfeito com um mínimo de investigação.
      E vamos concordar que não falta plágio de verdade passando batido pelo ambiente acadêmico a fora pra uqe um problema tão mínimo fosse “caso de acusação de plágio”.

  13. Carol Wanderley 30.03.12 at 10:25 - Reply

    E quanto a casar?? Então a sugestão é não incluir o nome do marido???

    • Marina 30.03.12 at 10:37 - Reply

      Eu já ouvi isso de professores. Mas acho que o que eles falavam acima, de usar o nome com hífen, é justamente para esses casos. Tipo Lizzoti-Souza.

  14. Herminio 30.03.12 at 10:25 - Reply

    E quando a pessoa tem o nome terminado com “Filho” ou “Júnior”?

    • Nesse caso, você deve colocar o último sobrenome com o “Filho” ou “Júnior”. Por exemplo, “Almeida Filho”.

      • Herminio 16.04.12 at 16:21 - Reply

        Valeu, João!

  15. Emmanuel Rodrigues 30.03.12 at 11:01 - Reply

    Há casos como o linguísta aplicado Luiz Paulo da Moita Lopes, da UFRJ. Ele é conhecido no meio acadêmico como Moita Lopes. Ele mesmo cita em “Por uma linguística aplicada INdisciplinar” obras dele como “Moita Lopes, 1996”, por exemplo. Também no Lattes dele  há a citação assim: MOITA LOPES, Luiz Paulo da ; LOPES, Luiz Paulo da Moita.

    No meu caso, que é Emmanuel Henrique Souza Rodrigues, ficaria Souza Rodrigues. Conserva o último nome, mas por ser um comum, como Lopes ou Rodrigues ou Silva ou Souza, dá uma combinação diferente.Isso é possível também?

  16. Carualves 30.03.12 at 11:04 - Reply

    Então, e quando acontece com o sobrenome de casada? Você ja tem varios artigos publicados com seu nome de solteira e depois que casa não quer publicar com o sobrenome do marido…como faz? Eu continuo colocando o nome de solteira.

    • Fernando 03.04.12 at 20:06 - Reply

      Pois é, mas não existe nenhuma obrigação de inserir o sobrenome do marido quando se casa né. Que coisa mais primitiva.

      • Raquel 31.03.15 at 09:47 - Reply

        Eu também acho isso de colocar nome de marido a coisa mais brega, cafona, ultrapassada e primitiva, mas enfim. A parada do nome é você quem faz no final das contas, seu nome ficará conhecido pelo seu trabalho e não o contrário (o trabalho ficará conhecido pelo nome). Um exemplo disso é o “Santos” da Ciência Política. Quer coisa mais comum que “Santos”? Para nós não, pois “Santos” quer dizer Wanderley Guilherme dos Santos. Imagina se ele tivesse preocupado com o “Santos” dele…

  17. Mona 30.03.12 at 11:58 - Reply

    Quando fui fazer a ficha catalografica da minha dissertação pretendia usar os dois sobrenomes (Oliveira-Santos) como um sobrenome composto, mas a bibliotecaria não deixou. Disse q nao era correto e que eu poderia ter problemas porque o meu nome de matricula na universidade, nas bolsas e tudo mais não era assim… 

    Conheço caso de autores que usam nome “artistico”, como o caso da profa. da PUC-RJ Zaia Brandão. Ela assina tudo assim e é citada “Brandão, Z.”, mas o nome dela de verdade é 
    Rosaly Hermengarda Lima Brandão. No lattes aparece o nome completo e a indicação citação como ela usa. Talvez isso so seja possivel pq ela ja publica desde muito antes do Lattes existir ne? rsrs

  18. Pedro Esperidiao 30.03.12 at 19:31 - Reply

    Meu sobrenome é composto, mas gostaria de atender apenas pelo primeiro sobrenome, que é o único que não é genérico como ‘da Silva’. Seria uma saída deixar de exibir o nome completo em documentos acadêmicos (e Lattes) de forma a ser conhecido apenas pelo sobrenome que prefiro ou cairia num caso de falsidade ideológica?

    • Manoelafarias12 27.05.12 at 13:54 - Reply

       Eu também penso da mesma forma que você, Pedro. Meu sobrenome é Farias Siqueira… gostaria muito de usar o Farias. Começarei a cursar uma área de saúde, é no meu jaleco gostaria de bordar Anna Farias, assinar as minhas receitas médicas também assim. Será que nesse eu posso? Amo o sobrenome Siqueira, mas, sem hipocrisia, prefiro usar o Farias, como sempre usei “socialmente”. O que faço? Será que posso?

  19. Natashabrianez 31.03.12 at 10:11 - Reply

    tá, e quando a pessoa casa e troca o sobrenome? eu era só rodrigues, agora sou rodrigues aragão. tenho alguns artigos com rodrigues, de antes de casar. os próximos deverão ser com rodrigues ou aragão?

    • Facundo 25.04.14 at 19:24 - Reply

      Essa simples e corriqueira possibilidade derruba por terra a ideia do artigo. As pessoas que tentaram solucionar o problema com o hífen não mudaram absolutamente nada, qualquer alteração por mínima que fosse geraria uma nova entrada em qualquer banco de dados.

  20. Leandro 01.04.12 at 14:51 - Reply

    Quando a pessoa se casa e “ganha” um sobrenome, de fato, surge um problema semelhante ao de não usar o último sobrenome. Entretanto, é em menor escala, já que, quando a abreviação é gerada pelo programa/base de dados, usa-se o sobrenome atual do autor. Assim, todas as publicações a partir da data do casamento usarão o nome novo, o que não acontece no caso dos pesquisadores que começam a trocar seus sobrenomes à vontade.

    E adicionar abreviações no lattes não resolve quando o pesquisador vai pro meio internacional, quando nem sempre se usa a base do CNPq. A própria Capes, aliás, durante a avaliação anual dos programas stricto sensu, usa por padrão o último nome do autor para buscar suas publicações.

  21. Lih_bio 03.04.12 at 19:34 - Reply

    Ja pesquisei e encontrei autores com a mesma abreviação que a minha, por ser SILVA o ultimo nome. como : SILVA!  Isso de virar referencia cai um pouco por terra no meu caso.
    então tenho optado por utilizar meu nome do meio que é italiano e BEM diferente, então acredito que ele me da bem mais identidade do que o SILVA!
    Ou por fim, troco 6 por meia duzia mesmo hahahaja que o sobrenome italiano seria uma referencia e o SILVA outra… ou compartilho da mesma abreviação com mais 2 autores… hahaha
    mesmo que eu nao vire uma referencia no que diz respeito a pesquisa do meu nome… quero acreditar que meu curriculo com meus artigos seja suficiente para criar essa “identidade”. 

  22. Deise 17.04.12 at 23:57 - Reply

    Por mais que tente explicar, esta é uma questão tipo: “é lei mas eu sou contra!”… em se tratando de autorAS fica mais complicado ainda por conta do casa e descasa… o fato é: se desejas ser citado não deves “criar” regras, deves segui-las! Se queres pontuações acadêmicas, seu belo sobrenome deve se transformar em referência bibliográfica! Vc tem o direito, e pode, publicar com o nome que bem entender, tudo depende do seu objetivo futuro…

  23. Stella 22.04.12 at 17:59 - Reply

    Quero me casar e mudar o nome (retirar o último sobrenome e utilizar o do meu marido), como vai ficar isso no meu lattes? Dois nomes  e essa confusão de saber quem é quem?

    Obrigada

    • Paulo Marques 25.10.15 at 15:34 - Reply

      Stella, no Brasil não é mais possível ocultar nomes do registro civil. Assim, ou você mantém seu nome de solteira completo e acrescenta o do marido ou o deixa inalterado. Eu já quis acrescentar o de minha esposa FERREIRA. Em alguns empreendimentos usamos FERREIRA MARQUES, mas não posso porque meu último nome é Junior e a regra é não acrescentar nada quando tem Junior, Filho, Neto… pois descaracterizaria a referência à pessoa que originou o nome. Tem coisas que é melhor aceitar…

  24. Dayana A 30.04.12 at 09:46 - Reply

    Em outros paises diferentes do Brasil é usado o primeiro sobrenome e nao o segundo 

  25. Tico 30.04.12 at 17:38 - Reply

    Se vc é conhecido mais pelo nome do meio pode utilizar também como LIZOTTI-SILVA.

  26. Daniel_biomed 08.07.12 at 02:04 - Reply

    Meu nome é Daniel Moreira Silva, de que adianta eu colocar SILVA, D.M. pra criar uma identidade? Quantos Diegos Moura Silva , Daianes Maria Silva existem por ai? Dá na mesma, ficaria muito comum. Sempre que posso coloco MOREIRA SILVA, D. rs

  27. Day 17.07.12 at 11:29 - Reply

    Estão reclamando de barriga cheia… O meu último sobrenome é PINTO… “de acordo com Pinto (2012)…”

    • Marcel Thomas 08.08.14 at 09:52 - Reply

      ri alto….kkkkkkkkkkk

      • Paula 24.09.15 at 15:01 - Reply

        O meu também. Uso Rodrigues-Pinto para evitar frases engraçadas.

        • André 10.03.16 at 10:57 - Reply

          Também sou Pinto! E de família portuguesa, que adora nome composto e sobrenome até do vizinho, daí vira PINTO, A. L. B. V.!

  28. Emmanuel 11.10.12 at 16:46 - Reply

    Segundo você o Fabrício Lizotti da Silva, ficará SILVA, F. L. da. Ok, entretanto nesses casos eu costumo usar apenas SILVA, F. L., sem o da.   Tem problema?

  29. Helena Brito 19.11.12 at 21:34 - Reply

    Se eu me casar, posso omitir o novo sobrenome de casada e continuar utilizando meu nome científico antigo?

    • Cláudia M. C. B. 12.01.13 at 10:23 - Reply

      Aconselho a nunca mudar seu nome. Garanto pra você que não será a inclusão do nome de seu marido que fará o seu casamento mais ou menos feliz.

  30. Melly Da Hora 26.11.12 at 00:32 - Reply

     Olá meu nome é Lorena Soares … , eu não gosto do meu sobrenome ‘ soares ‘  e descobri que uma das variações dele(soares) é SAROCH. eu poderia trocá-lo ?

  31. Cláudia M. C. B. 12.01.13 at 10:20 - Reply

    eu vou me divorciar e tirar o nome do ex-marido, minha dissertação de mestrado está com o nome de casada. O que queria saber é se tem como requerer a mudança da capa da dissertação com sua respectiva alteração no banco de teses da universidade, para que tenha o meu nome que agora será o permanente, porque nunca mais mudarei de nome, mesmo se me casar novamente.

  32. Ester 09.07.13 at 15:46 - Reply

    Meu nome é Ester Pereira da Rocha

    E eu gostaria de mudar de ordem meu sobrenome

    Por exemplo : Ester Rocha Pereira.

    Eu tenho 16 anos e ainda vou tirar meus documentos

    Exceto que eu já tenho minha certidão.

    Me respondem Pliz!

  33. Amanda 06.08.13 at 20:43 - Reply

    Nossa, aqui tem cada caso que eu aconselharia procurar o escrevente judiciário, rsrs. Mas concordo com a colega acima (Cláudia), o bom mesmo é nunca alterar seu nome.

  34. Danielle Cabrini Mattos 06.08.13 at 23:46 - Reply

    Gente,
    Fiquei um tanto quanto… espantada, digamos assim, com o “rumo da prosa”.
    Bom, acho que, antes de mais nada, a decisão de adotar o nome do seu marido ou de sua esposa (embora não tenha sido citado em nenhum comentário, ambos podem adotar o sobrenome do outro) deveria passar longe do currículo Lattes: Aloww é o seu casamento, um passo importante da sua vida PESSOAL! Se você resolver adotar o sobrenome do seu amado ou amada, creio que será por concepções e princípios e isso não será um transtorno ( não deveria ser!). Ou você deseja isso, ou não deseja (onde o Lattes entra??) Essa é minha ponderação “existe vida além da pós-graduação” e “você é MUITO mais que o seu Lattes”.
    Sobre a questão da citação, vivo a seguinte experiência: Fui citada como CABRINI, D. até me casar. Quando a citação é automática, fica MATTOS, D.C. Quando eu posso definir, opto pelo hifen, porque sou conhecida socialmente pelo meu sobrenome de solteira, então uso CABRINI-MATTOS, D. Tenho isso descrito no Lattes, mas como vários colegas já disseram, nas bases de dados serão computadas 3 referências distintas. Enfim, quem estiver estudando sobre o tema que publico irá “me achar”.Nós não achamos os “nossos” autores com as mais diversas citações quando precisamos deles?
    Por fim, acredito no seguinte: são as bases de dados que precisam se ajustar, em certa medida, a essa dinâmica, flexibilizando ao menos o uso de dois sobrenomes, até para diminuir os homônimos, e não o contrário: pessoas perdendo o sono para definir como será o seu “nome científico” quando poderiam estar efetivamente produzindo ciência.

    • Milena 18.04.14 at 14:40 - Reply

      Danielle, nem sei se irá ler essa resposta, após tanto tempo passado. Me casei há 8 meses e coloquei o sobrenome do meu marido após meus outros 2 sobrenomes (de pai e mãe). Acabei chegando aqui por procurar no google como eu deveria colocar meu nome em minhas publicações a partir de agora e, como você, também me assustei com o rumo da conversa. Jamais faria a escolha de colocar o nome do marido ou não pensando no lattes ou em publicações, porque minha vida é MUITO mais do que isso (ainda bem!).
      Sua resposta foi a única a me dar uma “luz”. Vou adicionar o novo nome ao lattes e vou adotar também o hífen, sempre que possível, para que continuem me encontrando pelo meu sobrenome “original”. Fico então Moraes-Ferreira. 😉
      Obrigada pela ajuda e pela lucidez. rs

      • Facundo 25.04.14 at 19:27 - Reply

        Por pouco não era Moraes-Moreira

      • Camila Macedo de Paula (com sobrenome do esposo sim!) 12.08.17 at 17:57 - Reply

        Obrigada pela resposta, Tamiris! Cheguei aqui pelo mesmo motivo e ter de ler comentários acima como se nossa vida se resumisse a “nome para publicação” é que é brega rs
        Cada um faz suas escolhas, não é mesmo?

        Obrigada mesmo porque estava meio perdida! 🙂

    • Tamiris 25.04.14 at 16:56 - Reply

      Daniele: faço das palavras de agradecimento da Milena as minhas. Gratas pela luz que vocês me deram.
      Tenho um sobrenome bastante comum e apenas sobrenome de pai. Estou para me casar ao final do ano e adotarei o sobrenome do meu noivo e ficarei com um sobrenome a menos (meu nome do meio). Apreciei a lucidez e a solução de vocês, pois eu tinha esta dúvida. Obrigada novamente!

    • Mariella 27.04.14 at 16:30 - Reply

      Super sensata!!!
      Viver em função do lattes é o fim!
      🙂

    • Juliana Pereira de Souza-Zinader 18.01.15 at 09:18 - Reply

      Parabéns pela resposta. A melhor até agora. Penso da mesma forma.. Sou recém casada e com certeza utilizarei o nome do meu marido. Farei as atualizações necessárias no Lattes e em outras bases de dados. Obrigada!

    • Maria Cecília Perantoni Fuchs Ferraz 22.04.15 at 11:55 - Reply

      Danielle, muito obrigada!!! Seu post de quase dois anos atrás foi o único que me orientou e tranquilizou quanto à utilização do nome de casada. Decidi colocar o nome de meu marido e essa foi uma decisão pessoal que o lattes ou pessoas que acham ‘brega’ não deveriam ser levadas em consideração. Mas depois sempre vem a dúvida: E agora, como coloco nas próximas publicações?. Como gosto muitíssimo de meu último sobrenome, optei por colocar Fuchs-Ferraz nas próximas submissões!! Muito obrigada pelo exclarecimento!!!!!!!!

  35. Rafael 13.08.13 at 19:40 - Reply

    Em algum lugar do mundo existe alguma outra forma de identidade sem ser pelo nome? Desde os primordios do mundo existem homonimos, é evidente, vendo este debate que adotar o nome como seu identificador não é uma maneira de identificar. O Lattes poderia inovar nisso e criar alguma chave para cada pessoa e essa chave ser a nossa identificação. Não só aqui, uma base mundial, viagem minha, mas poderia ser uma solução melhor.

  36. Jõao Thiago Rodrigues 18.09.13 at 22:27 - Reply

    Tenho um problema um tanto peculiar, sou transexual e ainda não troquei meu nome e gênero nos meus documentos, posso no Lattes escrever meu “nome social”? Alguém tem alguma informação sobre isso?
    Conversei com outras pessoas Trans* e alguns me disseram que colocam os dois nomes no currículo e outros escrevem só o “nome social”.

  37. Adriano 06.10.13 at 01:50 - Reply

    Olá, meu nome completo é Adriano Pavanati Elias da Rosa, não gosto dos sobrenomes Elias e da Rosa, portanto, sempre assino por Adriano Pavanati., queria saber se dá pra fazer meu nome assim:
    PAVANATI, A. E. R., posso?

  38. Scharlise Thoman 12.11.13 at 15:52 - Reply

    Olá,

    Gostaria de saber onde está escrito isso na ABNT?

  39. renas 25.04.14 at 16:29 - Reply

    No lattes vc pode colocar todas as formas que é citado justamente para ser “contabilizado”, não? Estava com cruse de identidade e há pouco decidi que vou usar meu primeiro sobrenome, que pra piorar é composto e sem hífen. É por ele q me conhecem, meu email. Como ainda não tenho muitas publicações dá tempo de corrigir o caminho… O mundo anglo saxão não tem tantos nomes como nós da AL ou Portugal e Espanha, por exemplo. E conheço vários que só usam um, apesar se terem outro nome ou sobrenome. Desta vez vou arriscar desobedecer a regra, afinal, é meu nome, minha identidade que está em jogo.

  40. Denise 25.04.14 at 17:29 - Reply

    Acredito que entra no mesmo ponto da troca de sobrenome da mulher após se casar, né? No meu programa de doutorado, já ouvi conselho de coordenador de, se casar, não trocar sobrenome, para não ter problemas futuros de duplicidade. Mas eu ainda tinha dúvida sobre o assunto.

  41. Fernanda 25.04.14 at 19:00 - Reply

    Observem meu drama!

    Me chamo Fernanda Gabriela Péres da Rocha e Silva Pereira de Aguiar.

    Sou conhecida pelos dois primeiros sobrenomes, que são do meu pai e estão invertidos com os da minha mãe… e ainda sou solteira. Homônimos sei que não vou ter… Mas fico com dó de quem for citar meus trabalhos, kkkk

    Fiquei algum tempo pensando no que eu faria com relação ao nome para citação, bem como quando eu casar…

    Aff… Não ta fácil pra ninguém!

  42. Noemy 25.04.14 at 19:47 - Reply

    Discordo. É possível tirar o último nome completamente. Você pode usar apenas o primeiro sobrenome, e nunca colocar o outro em trabalhos publicados e em congressos, vc só é obrigado a usar o nome completo em documentos oficiais…

  43. Rodrigo 28.05.14 at 09:22 - Reply

    Olá. Meu nome é Rodrigo Vieira Alves. (ALVES, R.V.) esse é meu nome de solteiro no qual tenho varias publicações, após me casar meu nome passou a ser Rodrigo Vieira Alves Amaral. Nesse casa como ficam as publicações antigas ja que agora tenho novo sobrenome?

  44. Layon Maciel da Silva 21.06.14 at 03:22 - Reply

    Use o sistema espanhol de sobrenomes: LIONEL Andrés MESSI Cuccittini (lembrando que nestes países, o sobrenome paterno vem antes do materno). Sugiro esta: para você , que tal “LIZOTTI DA SILVA, Fabrício.”?

  45. Cristiano 12.11.14 at 10:33 - Reply

    Alguém sabe como adicionar pseudônimo (nome artístico)??? Já vi currículo que continham ” Fulado ou XXXXX”. Mas ao tentar não consigo porque cruza a informação com os dados da Receita Federal.

  46. Tiéle Morgana 14.11.14 at 21:44 - Reply

    Olá!! Tenho uma questão que me intriga desde o inicio da graduação. Certa vez me indispus a aceitar a metodologia de referenciação ex: RISTOFF, Tiéle Morgana. Não queria utilizar meu sobrenome, assim como ainda não considero correto a utilização do sobrenome (motivo: o sobrenome na maioria/sempre dos casos é masculino), e particularmente isso não me agrada. Questionei um dos professores sobre a possibilidade de utilizar o nome antes do sobrenome e ele afirmou que existem estudos que já estão adotando/já adotaram isso. Entretanto nunca achei estes estudos. Você tem algum conhecimento sobre isso? Ou se possui algum conhecimento sobre o sobrenome vir à frente do nome?

  47. OLIVEIRA-S., A. 24.11.14 at 03:51 - Reply

    O pesquisador deve e têm autonomia, para decidir como dever ser conhecido! No Rio, há uma pesquisadora franco-brasileira chamada “Lena Lavinas”, inúmeros periódicos nacionais e internacionais a citam dessa forma “LAVINAS, Lena” no entanto seu nome verdadeiro é “Maria Helena Lavinas De Morais” 😉 No exterior, não é o último nome que vem para frente, mas sim o primeiro nome que vai para trás, ex: eu me chamo Antonio Oliveira Da Silva, fica: “Oliveira Da Silva, Antonio” como abreviar isso? “OLIVEIRA-S., A.” utilizo assim aqui na Europa, em Israel e nos EUA, e utilizarei onde for!

  48. Éder 04.03.15 at 22:38 - Reply

    Olá! 🙂 O post contem alguns equívocos. A regra da ABNT é apenas uma orientação sobre como fazer citações. Eu desconheço de que forma essa regra do norme completo é imposta internacionalmente ou mesmo no Brasil. Você ESCOLHE o nome que deseja utilizar em suas publicações. Aliás, o problema de duplicidade em bases de dados não é único dos pesquisadores brasileiros, por isso ferramentas como o ResearcherID e o ORCID foram criadas! 😉 Eu escolhi utilizar meu sobrenome do meio “Bezerra” – embora não ache nem bonito nem “nobre”! – porque é mais diferente do que o último. Até hoje não tive problemas com isso. Conheço diversos pesquisadores e professores que sempre publicam com o nome “incompleto” e que também nunca tiveram problemas. Enfim, o importante é que você mantenha uma padronização, então escolha o sobrenome que mais gostar e seja feliz! 🙂

  49. cristiane 05.03.15 at 12:41 - Reply

    eu casei e coloquei o sobrenome do meu marido mas gostaria de mudar pois meu sobrenome ficou muito grande
    gostaria de saber se posso tirar mesmo tando casada e eu ainda nao troquei meus documentos para casada,sera q tem como?

  50. Jayne Monteiro 20.04.15 at 23:14 - Reply

    Onde está isso na ABNT? Iria ajudar! Obrigada.

  51. Fernanda 24.04.15 at 11:17 - Reply

    Vou casar em breve e solicitei o acréscimo do sobrenome do meu futuro esposo (no caso, os dois sobrenomes dele) ao meu. Como ficam as minhas citações bibliográficas? Pensei em manter o sobrenome de solteira para as publicaçõea antigas e juntar os três sobrenomes por meio de hífens. Será que isso é possível?

  52. Jeferson Roberto da Silva 29.05.15 at 23:22 - Reply

    Meu nome é Jeferson Roberto da Silva. Poderia utilizar “Da Silva, J.R.”?

  53. Marcos Godoi 02.06.15 at 07:19 - Reply

    Tenho tanto asco pelo meu ultimo sobrenome que estou disposto a pagar o preço

  54. Letícia 03.06.15 at 13:49 - Reply

    Qual a norma da ABNT que indica como deve ser elaborado o nome em citação? Você citou no texto mas não colocou referência. Obrigada!

  55. Gilmara 11.06.15 at 21:12 - Reply

    Não quero ser SILVA, G.V.da.
    Tem milhões de SILVA por aí.
    Queria ser VALADÃO, GV.

    Poxa…

  56. Jonathan 23.06.15 at 20:24 - Reply

    Boa noite..
    Meu nome é Jonathan Lanine Franco
    Franco.. Como visto tenho dois sobrenome.. Minha duvida é os dois vale como sobrenome ou é so o ultimo nome??

  57. samara 29.06.15 at 02:39 - Reply

    oii tudo bem queria saber como que eu faço pra tirar só correa do meu facebook

  58. samara 29.06.15 at 02:41 - Reply

    oi tudo bem eu queria saber como que eu faço pra mim tirar só o sobrenome do meu facebook sera que vou ter que fazer um face novo se quiser tirar,meu sobrenome

  59. Taís 14.09.15 at 21:38 - Reply

    Olá, tenho dois cadastros de citações no currículo. Entretanto, já deixei de usar um deles há algum tempo, mas o lattes continua considerando ele como sendo minha citação principal, tanto que não consigo cadastrar trabalhos se não adicionar essa citação (mesmo que ela não esteja no trabalho). Você sabe como posso fazer?

  60. Juliana Pegoraro Kus 23.09.15 at 10:20 - Reply

    Acho que a ABNT deveria mudar isso aí! Sério mesmo.

  61. Bárbara 23.09.15 at 10:40 - Reply

    E quando você já possui publicações com o nome de solteira, e se casa e muda o último nome, se usa o último nome de solteira ou o de casada?

  62. Tiago Falótico 23.09.15 at 11:25 - Reply

    O problema de nomes idênticos ou mesmo nome grafado diferente é sério. Várias editoras agora pedem o cadastro no ORCID.org, sistema que gera um código único para a pessoa, independente do nome.

  63. Anna Teófilo 24.09.15 at 13:25 - Reply

    Minha gente, estou casando em breve… Como é casamento inter-cultural perderei todo meu sobrenome de solteira, adotando só um único sobrenome dele (na França é assim, o filho só apresenta o sobrenome do pai, assim como a esposa perde o de solteira). Como fica minhas citações??? Realmente já tenho uma identidade construída muito forte de Anna Teófilo nas minhas áreas de concentrações. Pode continuar usando o de solteira, há implicação legal nisso?

  64. Gleiciana 24.09.15 at 14:18 - Reply

    Muito complicado essa questão do nome. Eu não sei o que fazer, pois tenho produções antes do casamento como : SILVA, G.S e agora publicações depois do casamento: ALBUQUERQUE, G.S.S.B e não sei como fazer essa atualização no LATTES.

  65. ever 24.09.15 at 22:02 - Reply

    Pior comigo que sou de lingua hispana, e em qualquer pais latino ao redor do Brasil utilizamos o primeiro sobrenome e nao o ultimo dado que noso primeiro sobrenome vem do pai. Assim se meus trabalhos aparecerem com o meu ultimo sobrenome, quem me conhece nem vai achar que o autor sou eu rsrsrs Como estava precisando essa informaçao para colocar certinho na folha catalográfica da minha dissertaçao, eu consultei na biblioteca da minha faculdade e eles me falaram que o certo no meu caso é utilizar os dois sobrenomes, por que se eu for utilizar apenas o primeiro sobrenome, essa condiçao nao existe ou nao ta certa e tambem e cria confusao. No meu caso eles procuraram os numeros correspondentes á letra inicial do meu sobrenome e no literal coloquei meus dois sobrenomes seguido de uma virgula e meus dois nomes. Alem disso, uma pergunta simples simples pode resolver o problema: Como vc quer ser citado?

  66. Marcia 13.10.15 at 09:52 - Reply

    Existe alguma regulamentação em relação ao uso do hífen para juntar os sobrenomes?
    Meu sobrenome é Alves Silva e eu gostaria de junta-los: Alves-Silva.

  67. Tayanná Santos 06.01.16 at 16:04 - Reply

    Engraçado… vim com uma dúvida e fiquei com mais outras rsrsr. Mas a principal é uma que já foi colocada anteriormente: Meu nome de solteira é Tayanná Santos Conceição de Jesus, e as publicações da graduação todas são citadas como JESUS, T.S.C. Agora casei e meu sobrenome Conceição foi retirado (isso mesmo, por recomendação da moça do cartório rsrs) e acrescentado Sbrana, que é o do meu esposo. Agora fica Tayanná Santos de Jesus Sbrana. A referência vira SBRANA, T.S.J? Se sim, complica, pois ele é da mesma área e sua referência é SBRANA, D.R. Seria possível eu colocar JESUS-SBRANA, T.S.????? E como acrescento meu novo sobrenome no lattes sem “perder” as publicações anteriores?

    Obs.: Sobre a questão da identidade: tenho uma carreira em consolidação e não vi problemas em acrescentar o nome do meu esposo, já que temos nossa identidade em comum. Sei que vai ser bem engraçado ter as referências de graduação e parte do mestrado como JESUS, T.S.C. e as de parte do mestrado e doutorado SBRANA ou JESUS-SBRANA, T.S.C. rsrsr

  68. Fábio 26.02.16 at 00:19 - Reply

    Bom, eu acho que assim como temos um registro de identidade numérico também temos um registro alfabético. Nos somos muito mais identificados pelos números de RG e CPF do que pelo nome. O nome fantasia, apelido, codinome e nome social são válidos para o nosso dia a dia e para cadastros não formais como por exemplo, academia de musculação, vídeo locadora, consultórios e outros mais. Em caso de problemas existe os registros oficiais que provaram que você é você mesmo, e as pessoas que convivem no seu meio social que podem dizer que você usa um nome social.

    Estou escrevendo minha dissertação de mestrado e quero usar o meu nome pelo qual sou conhecido a muitos anos devido a minha atividade como músico e também tenho essa duvida. Mesmo assim vou deixar o nome que quero, se minha orientadora falar para eu colocar o nome de registro, ai eu mudo. Dependo dela para ser aprovado, não vou fazer intriga por isso. (rsrsrs)

  69. Jeferson 20.05.16 at 20:33 - Reply

    E no caso de ter junior no final? Como fica? Tenho usado Moriel Junior, J. G. nas citações. Tá certo?

  70. Heraldo Paarmann 13.07.16 at 06:28 - Reply

    Olá, tenho uma dúvida sobre o meu acadêmico, sou músico e utilizo meu nome artístico ( sobrenome da minha mãe que não consta no meu nome de registro ) faz quase 30 anos. Agora que estou terminando meu mestrado estou neste dilema, eu posso utilizar meu nome artístico na minha dissertação mesmo que o sobrenome não conste no meu nome de registro? Temo que não serei identificado dentro do meu segmento, quero que meu nome como artista esteja também como nome acadêmico. Pedi informações ao CNPQ e eles não deram orientações, pois alegam que eles não interferem em assuntos desta natureza (respota absolutamente vaga).

    Alguns colegas veteranos dizem que, sim eu posso usar meu nome artístico, porém outros não sabem ou afirmam que não é possível. Já estou considerando em mudar meu nome de registro civil para mudar isso de vez através de uma ação intervenção registro civil de inclusão sobrenome, no meu caso seria o sobrenome de minha mãe.

    Enfim, espero que alguém me oriente melhor sobre esta questão.

    Obrigado

  71. Gianna 25.09.16 at 19:44 - Reply

    Acho desnecessários esses comentários dizendo que é cafona colocar o sobrenome do marido e que não é isso que te fará feliz bla bla bla. Cada um escolhe como quer. Eu optei por colocar o sobrenome do meu marido pq a partir de agora somos uma família, nós dois juntos! E acho sim que meu sobrenome deve ir ao lado do dele. Cada um é cada um. Enfim, de qq forma, nas citações eu não queria omitir o sobrenome do meu pai e vim aqui procurar respostas. Gostei da ideia do hífen. Assim , meu sobrenome ficaria MARCHESE-RAMPINI nas citações. Porém, quando meu bisavô chegou no Brasil trocaram Marchese por Marqueze e agora consegui voltar o sobrenome p grafia original. Meu primeiro artigo estará como MARQUEZE somente. Uma salada agora! Pelo menos foi só no primeiro artigo! Como que fica para provar em concurso, bolsas e tudo mais que Marchese-Rampini e Marqueze são as mesmas pessoas?

  72. Tulio Bezerra 27.12.16 at 17:36 - Reply

    Como eu gero o meu “nome citação” ??

  73. Tuane Fernandes 16.02.17 at 09:50 - Reply

    Sou graduanda na área da saúde. Meu nome registrado é: Tuane Fernandes, porém TODOS me conhecem como Thuane Fernandes (pouca diferença, apenas o acréscimo do H). Gostaria de saber se posso escrever futuramente Dra. Thuane Fernandes, como sendo um “nome fantasia” ou posso abrir um consultório médico com nome: Consultório Dra. Thuane Fernandes, ou se ainda posso escrever no jaleco Dra Thuane Fernandes.

  74. Jéssica de Oliveira 15.07.17 at 16:55 - Reply

    Olá, meu nome é Jéssica de Oliveira, bem comum para o Brasil, eu gostaria de saber qual é a forma correta de abreviação dele, já que é bem curto, não sei se posso abreviar meu primeiro nome.

    Desde já, grata.

  75. Rubenilson 16.10.17 at 09:44 - Reply

    olá, meu nome é Rubenilson dos Santos Soares, como ficaria meu nome em uma citação? e como faço pra inserir o nome que eu pretendo usar nas citações na plataforma lattes?

  76. Ryan Emmanuel 27.03.18 at 21:05 - Reply

    Você pode usar o nome que quiser, com base na lei 9610/98.
    Art. 12. Para se identificar como autor, poderá o criador da obra literária, artística ou científica usar de seu nome civil, completo ou abreviado até por suas iniciais, de pseudônimo ou qualquer outro sinal convencional.
    Cabe ao pesquisador manter a coerência, registrando-se em diretórios de pesquisadores com a forma escolhida e as formas alternativas, de modo que os mecanismos de busca sejam capazes de identificar a relação o entre o nome padrão e os alternativos para uma mesma pessoa.

  77. Joelma 13.06.18 at 18:20 - Reply

    Bom, casei e optei por acrescentar o sobrenome de meu esposo ao meu nome, porém nunca alterei no lattes, e sigo publicando com meu nome de solteira, será que tem algum problema?

  78. Sérgio Batista de Oliveira Santos 16.06.18 at 03:35 - Reply

    Acrescentei Santos ao meu nome, no Lattes meu nome era OLIVEIRA, S. B. Tenho muitas publicações assim, agora que mudei, terei que mudar para SANTOS, S. B. O.?

  79. Thales 15.07.18 at 10:53 - Reply

    A questão de identidade é relativa. Acredito que algumas pessoas têm sim preconceito inexplicável com o sobrenome “silva”, mas o argumento de que nomes iniciais acarretariam em perda de identidade é válido também para este sobrenome Silva, que é muito comum. É quase um primeiro nome, sinceramente.
    Meu nome todo é Thales Matheus Caetano Santos da Silva, e eu gostaria de utilizar Silva-Santos-Caetano, M. T.
    Tanto Santos quanto Silva são muito comuns, e acho que poderia também ser utilizado o argumento de perda de identidade nesses dois casos. No entanto, não gostaria de deixar de usá-los por completo. Adoraria mostrar o Silva-Santos-Caetano, mas não sei se é permitido.

  80. Vera 02.09.18 at 21:17 - Reply

    Tenho uma duvida: meu lattes está com meu nome de casada, mas me divorciei e passei a usar o nome de solteira, com o mesmo cpf. preciso mudar o nome do lattes? como fica minhas produções?
    abs

Leave A Comment