Escolher um tema de pesquisa não é uma tarefa fácil. Seja para um trabalho de conclusão de curso, para uma dissertação ou apenas para aquele experimento que vale nota na disciplina, de repente, parece que tudo o que era realmente importante em qualquer campo do conhecimento já foi estudado ou descrito.

De modo geral, o cientista inicia o processo de pesquisa pela escolha de um tema, que por si só não constitui um problema de pesquisa (Vianna, 2001).

O tema é o assunto que se deseja estudar e pesquisar. Sua escolha deve levar em conta possibilidades, aptidões e tendências de quem irá elaborar a pesquisa (em conjunto com seu orientador).

Ao formular perguntas sobre o tema, provoca-se sua problematização (Santos, 2015).

Note que existe diferença entre tema e problema de pesquisa. Do tema de pesquisa procede o problema a ser investigado.

Desta forma, um tema pode resultar em vários problemas de pesquisa (Lakatos e Marconi, 2010).

O tema de pesquisa tem, portanto, caráter mais geral e mais abrangente que o problema de pesquisa.

Infelizmente, não existe uma regra ou uma receita pronta para se definir um tema de pesquisa.

É um trabalho árduo, que irá demandar bastante tempo, e muito fosfato também.

Mas existem alguns pontos que podem lhe ajudar a cortar caminhos, otimizar o seu tempo e evitar problemas que podem ocorrer durante a escolha do tema de pesquisa.

A seguir, você encontrará sete dicas para delimitar um tema de pesquisa.

1. Escolha uma área de pesquisa que você goste e se identifique

Uma pesquisa científica exige dedicação, horas de trabalho e ainda mais horas de reflexão. E sua empolgação com a pesquisa pode variar muito ao longo desse processo.

E quando temos afinidade com um campo do conhecimento, quando realmente estamos curiosos para encontrar a resposta, a motivação é maior.

Além disso, escolher uma área que você sente prazer em estudar vai te dar ânimo extra para quando for necessário, por exemplo, fazer aquela coleta de dados às 4h de uma madrugada de sábado, ou passar aquela noite de sexta-feira trabalhando.

2. Leia muito e questione mais ainda

Um excelente ponto de partida para delimitar um tema de pesquisa é a bibliografia básica (Andrade, 2014).

Comece pelos livros clássicos, que são referência na área, para compreender os conceitos básicos.

A partir de uma base de conhecimento sólida, adote a postura de uma criança que está aprendendo algo novo e pensando em todas as possibilidades, sob ângulos diferentes.

Procure pensar em novas formas de aplicação para determinado conceito, ou como uma informação poderia ser utilizada para resolver um problema ainda sem solução.

3. Procure conhecer as fronteiras do conhecimento nessa área

Os congressos científicos específicos de cada área são uma ótima oportunidade para conhecer os rumos da pesquisa em determinado campo do conhecimento e conhecer novas abordagens.

Procure descobrir os principais periódicos científicos da área que você possui maior afinidade, e observe os temas dos artigos publicados.

Em muitos artigos, o último parágrafo do autor é uma sugestão sobre como a pesquisa naquele tema poderia ser levada adiante.

Essa revisão de literatura também irá auxiliar a não pesquisar algo que já se possui um consenso, contribuindo para a originalidade do seu trabalho.

4. Tenha em mente as linhas de pesquisa do programa e do seu orientador

Além da orientação propriamente dita, você provavelmente irá precisar de recursos para realizar sua pesquisa.

O apoio, o respaldo e as contribuições, tanto técnicas quanto científicas, provavelmente serão maiores em pesquisas alinhadas ao pensamento do seu orientador e do seu programa de pós-graduação.

Tenha certeza que isso faz muita diferença.

5. Cuidado com sua ambição: seja prático e objetivo

Temas de pesquisa muito abrangentes podem demorar décadas para se obter uma resposta satisfatória.

Certifique-se que a sua pesquisa possa ser concluída dentro do prazo para a conclusão do curso. Verifique também os recursos necessários para a realização da pesquisa e a facilidade para obtê-los.

Em tempos de cortes nos orçamentos, é preciso ter cautela na escolha do tema de pesquisa.

Por isso, limite seu tema de pesquisa de maneira que seja possível encontrar a resposta dentro do prazo e das condições de infraestrutura disponíveis (Barros e Lehfeld, 2007).

6. Reflita sobre a relevância do seu tema de pesquisa

Este é o ponto em que muitos temas de pesquisa são descartados.

Afinal, para solicitar uma financiamento, defender a pesquisa perante a banca ou para publicar os resultados da pesquisa em uma revista é preciso que a pesquisa tenha mérito científico.

Reflita sobre as aplicações e, principalmente, sobre como essa pesquisa contribuiria pra o avanço do conhecimento em determinado campo.

Lembre-se que você não precisa “inventar a roda”. A tarefa não é tanto ver aquilo que ninguém viu, mas também pensar o que ninguém pensou sobre aquilo que todo mundo vê.

7. Converse sobre o tema com outras pessoas

Demorei muito a aprender essa dica.

As melhores contribuições para as minhas pesquisas foram oferecidas por profissionais de áreas completamente diferentes da minha.

Pessoas de outras áreas, com experiências e pontos de vista diferentes, são fundamentais no momento de pensar um tema de pesquisa sob outro ângulo.

Ouça outras opiniões antes de começar o seu projeto de pesquisa.

Você se surpreenderá com as contribuições que surgirão.