O projeto de pesquisa é o planejamento detalhado de uma pesquisa que se pretende realizar. Além de facilitar o trabalho e antecipar dificuldades, o projeto proporciona ao pesquisador a chance de ver a sua pesquisa como um todo antes mesmo de começá-la.

Oportunidades para um pós-graduando elaborar um projeto de pesquisa não irão faltar. A grande maioria dos cursos de pós-graduação exige um projeto já no seu processo seletivo. Depois, projetos de pesquisa são submetidos a órgãos de fomento ou ao colegiado do próprio programa.

Em resumo, ninguém arranjará dinheiro, material ou infra-estrutura para você começar a sua pesquisa se antes você não provar que sabe o que está fazendo e que sabe como dar conta do recado.

Cada programa de pós-graduação e agencia de fomento possui seu próprio modelo de projeto de pesquisa. Entretanto, existem alguns pontos que podem ser considerados comuns a todos. Vamos a eles.

1. Introdução e justificativa
Antes de tudo é necessário delimitar qual tema será o seu objeto de estudo. Caso precise de ajuda, dê uma lida neste post. Com o tema da pesquisa bem definido, é hora de realizar a caracterização do problema. A introdução e justificativa é a oportunidade de “vender o seu peixe”. Neste item deve-se introduzir o leitor, mesmo que leigo, ao assunto, mostrar a ele os problemas e convencê-lo da importância e da relevância do seu trabalho.

2. Objetivos
Qual é a finalidade da sua pesquisa? Os objetivos são as metas que se pretende atingir com a elaboração da pesquisa. Dependendo da magnitude do projeto, os objetivos podem ser divididos em gerais e específicos. Como o próprio nome diz, os objetivos gerais são aqueles mais amplos. Em geral, o primeiro e maior objetivo do pesquisador é o de obter uma resposta satisfatória ao seu problema de pesquisa. No entanto, para se cumprir os objetivos gerais é preciso delimitar metas mais específicas dentro do trabalho. São elas que, somadas, conduzirão ao desfecho do objetivo geral. A formulação dos objetivos – seja dos gerais, seja dos específicos – se faz mediante o emprego de verbos no infinitivo: contribuir, analisar, descrever, investigar, comparar.

3. Hipóteses
Uma hipótese é uma formulação provisória, com intenções de ser posteriormente demonstrada, constituindo uma suposição admissível. São as suas suposições para a solução do problema. A metodologia e a análise estatística serão escolhidas de modo que seja possível comprovar/rejeitar as hipóteses testadas.

4. Revisão de literatura
Na revisão de literatura deve-se mostrar o famoso “estado da arte”, ou seja, o que existe na literatura a respeito deste problema. Os conceitos básicos, os experimentos já realizados que seguem uma linha parecida ou oposta com a sua, os avanços da ciência nesta área. Nos processos seletivos da pós-graduação, observa-se neste item se o candidato possui amplo conhecimento da literatura a respeito do tema, se as obras mais importantes foram citadas e se os assuntos atuais foram abordados.vAlgumas sugestões de base de dados nacionais para começar a sua revisão, você encontra neste link.

5. Material e métodos
Aqui devem ser listados todos os procedimentos, materiais, equipamentos e métodos necessários para testar suas hipóteses e cumprir seus objetivos. Antes de começar a escrever a metodologia, costumo fazer um roteiro utilizando o método do diagrama, que consiste em escrever num retângulo a pergunta principal e, no retângulo subseqüente, o que é preciso fazer e o que é preciso saber para responder esta pergunta. E assim sucessivamente, até se ter um esqueleto completo dos passos que serão precisos para chegar à reposta.

6. Cronograma
Com base na sua metodologia, faz-se necessário fazer o planejamento ao longo do tempo. Cursos de mestrado possuem duração de dois anos, o que exige muito rigor na distribuição dos procedimentos neste intervalo de tempo. Geralmente o cronograma é disposto em uma tabela com as atividades nas linhas e os meses ou as quinzenas nas colunas.

7. Referências bibliográficas
Tudo aquilo que não é de autoria sua deve ser devidamente referenciado por meio de paráfrases e listado nas referências, caso algum outro pesquisador ou consultor queira ter acesso à obra citada. Sugiro que antes de escrevê-la você dê uma lida nesta discussão.

8. Título
Apesar de ser o primeiro item a ser lido em um projeto, gosto de escrevê-lo no final, quando se tem uma visão mais abrangente do projeto. Algumas dicas importantes: evite começar o título com as palavras efeito, influência, avaliação, estudo, interação, etc. Se você está estudando, é óbvio que é para ver o efeito, a influência e por aí vai. Comece o título com a palavra mais importante do seu trabalho. Se você fosse resumir o seu trabalho em uma palavra, qual seria? Pois comece o seu título por ela. O Título deve ser claro, conciso e abrangente, permitindo uma compreensão inicial da sua finalidade. Terminada a redação do título, veja a sua coerência com os seus objetivos.

Alguns modelos podem pedir ainda os resultados esperados ou o orçamento, mas em via de regra, a maioria dos projetos possui uma combinação entre estes oito pontos principais.