Um autêntico chá de cadeiras: considerações sobre a revalidação do seu diploma estrangeiro

Se eu pudesse voltar no tempo e dar um único conselho a mim mesma quando decidi viver dois anos para a realização de um mestrado em Portugal, seria esse: “Não se esqueça da revalidação!“. Traduzindo em miúdos: lembre-se do quão penoso, caro e burocrático é o processo de revalidar um diploma estrangeiro no Brasil, antes de sair gritando que aqui nada funciona e que a grama européia (ou americana) é sempre mais verde.

Antes de pensar em estudar no exterior, gostaria que alguém me tivesse dito (ou melhor, de ter eu mesma pesquisado!) que, ao voltar, embora diplomada mestre, eu não poderia prestar concursos públicos (aparentemente a única forma de sobreviver decentemente para quem segue carreira acadêmica); que não há nenhuma lei que facilite os trâmites (o senador Roberto Requião está tentando, minha gente!) e que por mais que eu quisesse não dava pra botar a culpa no Ministério da Educação (MEC), pois o mesmo simplesmente se ausenta de qualquer responsabilidade nesse campo.

Também gostaria de ter levado em consideração os prazos (diga-se de passagem, estimados): entre a entrega de documentos, o início do processo e a aceitação, contemos de 6 meses a 1 ano (mas já ouvi histórias horripilantes que compreendem entre 2 a 5 anos!). Não sei quanto a vocês, mas pra mim, promessa não é dívida no meio acadêmico. E tem mais: não bastasse toda a papelada e espera, a gente ainda corre o risco de escutar um “Então, sabe o que é? Resolvemos não revalidar seu diploma porque __________________” (coloque aqui qualquer razão que pareça justificável).

Para aflorar ainda mais os nervos, o procedimento para pedir a revalidação não costuma ser lá muito claro. Ou seja, cada universidade faz do jeito que lhe convém. Não há um padrão a ser seguido, o que aumenta a dificuldade e a confusão. Como se já não fosse difícil garantir o teu lugar ao sol no mercado de trabalho, saiba que, para revalidar, a competição é igualmente grande e, em alguns casos, rola até acampamento na frente da reitoria (veja aqui)

Mas calma que nem tudo está perdido: há rumores de que a revalidação automática venha se tornar realidade em terras brasileiras, graças a uma lei aprovada pelo senador Roberto Requião, conforme citei no início do texto. A questão, no entanto, continua dividindo opiniões e causando polêmica, a começar pela recusa da CAPES em relação ao proposto.

E enquanto ninguém vence essa disputa, a gente toma um chá de cadeira e permanece em empregos medíocres ganhando menos do que merecia, aguardando uma chance do nosso esforço lá fora ser finalmente reconhecido.

Sobre a autora: pós-graduada pela Universidade de Coimbra, com um diploma de mestrado na mão e só, literalmente.

By |2018-12-06T01:56:18+00:0011-08-2015|debates|40 Comments

About the Author:

O posgraduando.com é um espaço na internet para troca de experiências, opiniões, depoimentos, dicas, tutoriais, humor e debates saudáveis sobre o meio acadêmico. Para participar também, leia nossas instruções aos colaboradores.

40 Comments

  1. Anne Francine 11.08.15 at 08:53 - Reply

    Aff ja estou me preparando psicologicamente para via crucis

  2. Tudo que eu não indico para alguém… se for para estudar fora, não retorne ao Brasil. É muito desmotivante esperar 4 anos por uma revalidação.

  3. Luiz Ammes 11.08.15 at 09:29 - Reply

    Mas existe uma “solução” simples fazer um cursinho qualquer em CUBA e voltar como + médico e nem “”presiza”” revalida – desculpe não pude perder a piada que é o tramite politico desse pais

    • Marina 08.09.16 at 15:12 - Reply

      trâmite (com circunflexo) / político (com acento agudo). Não vou comentar questões de pontuação. Desconfio de sua ironia…

      Sobre o processo de revalidação, acredito ser um procedimento necessário, já que há muitas instituições estrangeiras de qualidade duvidosa (oferecendo pós-graduações “intensivas”, por exemplo) esperando beneficiar-se com esta lei (se um dia for aprovada). Mas é fundamental que as universidades brasileiras sigam critérios coerentes, claros e padronizados.

  4. Alexssandro Becker 11.08.15 at 09:42 - Reply

    se calhar, quando voltarmos já estará melhor! ….hehe

  5. Suellen Lima 11.08.15 at 09:45 - Reply

    Amigo! Eu quero incentivo! Pra me desanimar já existe um mundo inteiro!

  6. Nathália Brandolim 11.08.15 at 09:47 - Reply

    Isso que é otimismo né? hehehe

  7. Vinicius Galvao 11.08.15 at 09:51 - Reply

    Isso mesmo! Espero que na nossa area nao seja assim tao dificil hehe

  8. Dayane Keres 11.08.15 at 11:31 - Reply

    Estou passando pela mesma situação. No meu caso fiz a graduação e o Mestrado em Psicologia em Portugal (Universidade de Évora) e quando retornei ao Brasil ACHANDO que estaria em melhor situação, veio a pior surpresa. Fora o tempo de espera relativo aos tramites que como já disseram é enorme, não tive o meu diploma validado, segundo a Reitoria da UFMG, devido a incompatibilidades de currículos. Resumindo, em Portugal sou Mestre e aqui nem sequer tenho uma graduação. Enfim… vamos esperar que esta lei venha fazer valer os nossos direitos.

  9. Graziella Prado 11.08.15 at 21:51 - Reply

    Nossa!!!!! ? palhaçada

  10. Graziella Prado 11.08.15 at 21:52 - Reply

    Yessss, sendo ryca aqui! ???

  11. Anaise Perrone 11.08.15 at 23:08 - Reply

    Pois!

  12. Márcio Teixeira 11.08.15 at 23:18 - Reply

    Tenso. Ainda bem que me lembrou disso. Vou perguntar amanhã ao meu orientador sobre o assunto.

  13. Juliana 12.08.15 at 09:36 - Reply

    Oi, fiz meu mestrado na Universidade do Algarve em Portugal. Mas já sabia do problema da validação, então (mas não só por isso), ingressei no doutorado na USP. Primeiramente me matricularam como doutorado direto e então entrei com a papelada para validação interna do diploma, sem custos! Cerca de 6 meses, ou um pouco mais, meu diploma de mestre foi validado. Ainda não vale para concurso, mas quando defender o doutorado terei o diploma de maior grau para concursos. Esse pode ser um caminho…

    • Nina 16.11.16 at 09:36 - Reply

      Juliana, qual é sua área?

  14. Carol Melo 14.08.15 at 15:02 - Reply

    Boa tarde. Gostaria de saber se existem universidades de Portugal que tenham seus diplomas de mestrado e doutorado AUTOMATICAMENTE revalidados aqui no Brasil. Muito obrigada.

    • Paty 26.08.15 at 08:37 - Reply

      Oi Carol,

      que eu saiba ainda não tem. Estão caminhando para isso, mas o processo é lento… e em Portugal mesmo, sendo a Universidade de Coimbra das mais famosas, eles até dispõem de um guia para a revalidação automática, que, quando clicamos, redireciona a página do MEC, onde não há nada que a gente já não saiba, e assim o ciclo se repete.

  15. Pablo Consuli 24.08.15 at 08:50 - Reply

    Pior são as justificativas das Universidades para não revalidação. Na UFMG por exemplo, após dois anos que meu diploma estava lá, o parecerista disse que não encontrou evidências suficientes que a Universidade Portuguesa que eu fiz o meu mestrado, produza ciência relevante na área… Como se aqui no Brasil, todas as Universidades Públicas e Privadas tenham a qualidade de ensino de uma USP ou UNICAMP da vida. Também já tentei na UFBA, UFMS, UFF, UFPB, UFRN que negaram meu pedido, por motivos esdrúxulos. Entrei com recurso na UFRN desde Junho/14, e até hoje, SEQUER, foi distribuído para uma nova comissão analisar o mesmo.
    Sabem o que é isso. Corporativismos acadêmico… é receio que nós tomemos as vagas de professor nas Universidades Brasileiras. Aí ficam os professores das Universidades Federais, sentados em seus tronos de ouro, fingindo que fazem pesquisa relevante para a sociedade, principalmente na área de ciências sociais, e a cada ano que passa a educação universitária brasileira descendo a ladeira do ranking mundial.

    • Paty 26.08.15 at 08:40 - Reply

      Nossa Paulo, falou muito do que penso… estou horrorizada, pois iniciei um pedido na UFBA esse ano, que, aliás, foi recusado porque o reitor decidiu assim, do além, devido aos trocentos diplomas já acumulados na secretaria. Eu me conformei e sigo trabalhando…

      • Paty 26.08.15 at 08:41 - Reply

        Ops, não Paulo, e sim Pablo. heheh
        O nervosismo sobre o assunto me cega! x_x

  16. Bruno Quintão 18.11.15 at 11:43 - Reply

    Eu fiz o meu mestrado em Ciências Políticas nos Estados Unidos… não só não consegui revalidação com ainda fui “zombado” pela burrice. O mais incrível é como as pessoas acham natural o processo ser fechado. A minha conclusão não foi aceita porque na minha universidades eu precisava apresentar uma pesquisa minha em uma conferencia de grande porte, eu fiz um estudo de casos e o que eu ouvi por aqui foi “grande coisa!”…opções: 1 – ir para o setor privado, foi o que eu fiz e deu certo, porque empresas privadas não ligam para MEC ou não ( a não ser pelo salário) mas na área de pesquisa privada, vc acaba sendo valorizado. 2 – começar tudo de novo, do zero. 3- não voltar!. Hoje, depois de 4 anos na área privada, acabei renovando minhas esperanças pra recomeçar, e sim, do zero.

  17. Ribeiro 27.02.16 at 17:40 - Reply

    Eu me ferrei,fui aceito na Paris 2 e na Universidade de Toulouse pra o mestrado em Direito. Peguei o avião e trocentos custos de estadia, etc…no primeiro mes constatei que a qualidade dos cursos não é como tdos pensam, pelo menos eu tive a nitida certeza que estava num patamar muito elevado para o que é considerado mestrado na Europa, eu ja era advogado. Enfim, me decepcionei horrores, fiquei deprimido, e decidi retornar mesmo antes de passar por mais uma frustração na vida, a de continuar o curso de “mestrado”, que mais parecia um cursinho de extensão universitária para os padrões brasileiros, e, ainda sim, concluir o curso e não poder usar o titulo para dar aular nas unis, afinal precisaria ser validado, e, muito dificilmente seria.
    FIM

  18. Emerson 14.04.16 at 14:28 - Reply

    Oi gente. Estou pensando em cursar mestrado em Portugal (Universidade do Porto ou Universidade de Coimbra ou Universidade de Lisboa). Como está sendo o processo de revalidação agora em 2016? Continua difícil? Por favor, me atualizem. 🙂 Obrigado!

    • Ana 04.05.16 at 12:30 - Reply

      Oi Emerson, não saberia te dizer atualmente como estão as coisas em Portugal… mas fucei no site da UC (Coimbra) e só o que achei foi uma nota tosca: http://www.uc.pt/brasil/revalidacao que não esclarece nada. Te aconselharia a entrar em contato por e-mail com a secretaria acadêmica da própria universidade, dê uma olhada nas possibilidades e formas de enviar a tua dúvida: http://www.uc.pt/academicos/contactos. Te passei os de Coimbra porque também estudei lá. Das demais universidades você pode igualmente caçar nos respectivos sites… tio Google sabe quase tudo, coloca o nome das instituições nele…

      Boa sorte rapaz, espero que te respondam logo e de forma clara…

  19. Rogerio 30.05.16 at 23:21 - Reply

    Digam me uma coisa: qual seu curso de vcs? O meu foi Mestrado em Comunicação e Jornalismo/ Universidade de Coimbra; Vocês tentaram/tentam revalidar em que universidades brasileiras? Sabem me dizer quais as menos burocráticas? Tanto faz validar numa pública ou privada ou vale mesmo o nome/peso da instituição? Tenho que validar o meu ms qdo penso na burocracia toda…

    • Julia 14.07.16 at 13:57 - Reply

      Oi Rogério, o meu mestrado foi em Literatura, também em Coimbra, e de acordo com a linha de pesquisa que desenvolvi só tinha três opções no Brasil (ou seja, o teu quadro de disciplinas em Coimbra tem que se adequar minimamente ao quadro do curso oferecido no Brasil): UFSC, UNB ou UFBA. Optei pela menos dolorosa no bolso: UFSC. A UNB pedia cerca de 2 mil reais, a UFBA 500, e a UFSC não me cobrou nada, mas também já tô nessa há mais de 1 ano e meio. Nem tem como cobrar resposta né, já que não paguei nada mesmo… na UFSC foi só encaminhar os documentos e o resto é meditação pra exercitar a paciência.

      Na minha visão, validar numa pública é muito mais interessante, principalmente se teu intuito é seguir carreira, tentar concursos, e etc. Burocracia infelizmente vai ter em todas, pagando ou não :/

  20. M 14.07.16 at 18:27 - Reply

    Fiz graduacao total em ciencias farmaceuticas na Irlanda. Retornei ao brasil em 2013 , ap.iquei pra revalidar meu diploma na Usp. Depois de 3 anos veio a devolution negando o processo. Nem chance de cursar as materias que NAO fez parte do meu curriculo eles deram. Pense na frustracao! She pudesse solar uma bomba la teria feito. Ate hoje ainda maquino essa possibilidade. Paguei mais de €60000 em curso de que NAO vale no tao avancado pais chamado Brasil. Pior ainda, ha 27 meses sem emprego, Nem aulas de ingles consigo dar por ser considerado muito experiente e com ample exposicao internacional. E mole?

  21. Anselmo José Gomes 26.08.16 at 17:29 - Reply

    Em minhas considerações devo dizer que todos erraram, fizessem medicina na Bolívia, Chile, Paraguai, ou seja, países do Mercosul. Dos quais já vimos ter diploma reconhecido no Brasil sem muita exigência, pois saúde aqui é o que menos interessa. Afinal um erro médico não é tão grave como os casos apontados aqui ou são? Tudo no Brasil é uma piada, sistema funciona de acordo com interesses, tomara que a lei de revalidação possa ser aprovada.

  22. Magno 23.09.16 at 15:16 - Reply

    Minha esposa fez Mestrado na Universidade de Coimbra,esta a 3 anos tentando revalidar e não consegue…. isso é um absurdo.

  23. Carolina 06.04.17 at 21:30 - Reply

    Gente, faz Doutorado no Brasil, o mestrado é validado internamente. EU fiz licenciatura, revalidei na UFRJ sem problemas saiu em 3 meses e nem paguei nada pq era aluna 😉 a estratégia é essa! Me formei pela Univ de Coimbra.

  24. Jessica Emi 25.05.17 at 20:49 - Reply

    Alguém entrando com processo de revalidação de doutorado?
    Já utilizaram a plataforma Carolina Bori?

    • Suzana 05.06.17 at 17:33 - Reply

      Eu estou, Jéssica. Onde você pediu a revalidação?

  25. Karina 29.05.17 at 18:23 - Reply

    A Plataforma Carolina Bori não disse pra quê veio. No site informaram que fazem uma intermediação, consultoria ou algo assim, entre a pessoa com diploma estrangeiro que precisa ser revalidado e as universidades brasileiras. Ok, liguei pra lá buscando mais informações sobre esta “consultoria”, pois bem, a criatura que me atendeu, sequer soube explicar a atuação da plataforma C. Bori, limitou-se a dizer que as informações institucionais constavam no site, eu estava com o site na minha frente e lhe expliquei meu caso, já que eu estava entrando com o processo de reconhecimento do meu diploma estrangeiro em determinada universidade brasileira e gostaria de saber para depois obter, se possível, a orientação deles, ela não soube dizer. Resumo da ópera: estou sozinha neste processo.

    Aqui neste site as notícias sobre revalidação são bem desanimadoras, mas conheço muita gente, muita gente mesmo que fez mestrado e doutorado em Portugal e revalidou o diploma (em um processo que durou em torno de 4 meses) na UFRJ. Não tento lá, pq minha área de pesquisa não é compatível com a desta universidade. Aqui no Brasil, eu só posso revalidar na USP ou na UFCE, imaginem minha via crucis!!

  26. Suzana 05.06.17 at 17:32 - Reply

    Estou com um processo aberto a 180 dias para o reconhecimento do diploma de doutorado. Pelo que tinha entendido na Plataforma Carolina Bori, quem fez pelo Ciência sem Fronteiras deveria passar por um trâmite simplificado (que deveria terminar em 90 dias). Mas parece que não é isso que acontece. Tentei enviar email na plataforma, mas ainda não tive resposta. Uma opção é entrar com Mandato de Segurança, mas acho que se mais pessoas estiverem passando pelo mesmo, uma opção seria extrar com uma reclamação no Ministério Público.

    Alguém sabe se há algum grupo de pessoas que não estão conseguindo essa revalidação/reconhecimento no tempo indicado pela Resolução nº 3 do Conselho Nacional de Educação?

  27. ANTONIO CARLOS 28.08.17 at 09:41 - Reply

    Infelizmente, pessoal, revalidação de diplomas é esse caos, no País, tem muito tempo. Autonomia administrativa universitária é confundida com abusos administrativos. Li o relato de todos vocês e também conhece de uma série de outras pessoas, inclusive o meu que fiz fora. Houve um caso que passei que uma Universidade Federal depois que fiz os contatos para perguntar sobre Revalidação de Diploma, pasmem, subiu o valor da taxa de R$ 160,00 para R$ 1400,00 reais. É um verdadeiro vale tudo isso que passamos. É uma pena que a lei que está sendo criada ainda é ineficaz e devido ao forte lobby não saiu do papel.

  28. Marco 19.11.17 at 22:36 - Reply

    Olá…..Gostaria de saber se alguém já realizou o processo contrário…revalidar um diploma na área de saude em portugal??

  29. Anderson 25.03.18 at 18:48 - Reply

    Boa Noite,

    Fiz Doutorado em Coimbra, e após terminar o doutorado,o máximo que a Universidade consegue me entregar agora é o diploma, suplemento de diploma e ata da defesa. A minha questão é: Esses documentos(tirando os de praste) são suficientes para a validação no Brasil? Ou só validam se eu levar a Carta Doutoral? Minha grande dúvida e problema é esse, pois a Carta Doutoral em Coimbra demora muito, se não houver atraso é entregue no ano seguinte dia 01 de março.Mas se ela for necessário para validação preciso dela agora pois tenho que validar para tomar posse num concurso.

  30. Critina 05.10.18 at 13:57 - Reply

    Mesmo em 2018, o procesos continua embaçado. não retorne ou não vá.

Leave A Comment