Resposta bem-humorada a uma carta de rejeição de artigos

Prezado Editor,

Lamento informá-lo que sua carta de rejeição ao meu manuscrito não poderá ser aceita neste momento. Por publicar em um campo com muita concorrência, tenho altos padrões para aceitar recusas de editores e, embora sua carta certamente tenha mérito e de fato possa se aplicar a algumas outras submissões de manuscritos, a mesma não atende aos meus padrões como membro da pós-graduação.

Mesmo que uma profunda revisão seja realizada na presente carta, não seria possível atender aos critérios estabelecidos para a minha vida profissional. Além disso, tenho neste momento um excedente de cartas como a sua e não haveria justificativa para aceitá-la. Em resumo, dado o grande número de cartas de rejeição que recebo atualmente, surge a necessidade de ser muito seletivo a respeito de quais cartas realmente irei aceitar, como estou certo que você poderá compreender.

Meus colaboradores que leram sua carta emitiram pareceres que eram, na melhor das hipóteses, conflitantes. Um colaborador disse: “Eu não posso acreditar que ele escreveu esta carta para você“. Outro escreveu: “Isso faz sentido. Ele só quer publicar os trabalhos dos seus amigos“. Dadas às reações conflitantes e não favoráveis dos meus colaboradores e a minha própria avaliação negativa, seria negligente de minha parte aceitar uma carta como a sua, no estado atual. No entanto, caso esteja disposto a enviar uma carta com um contexto diferente, mais aberta e mais animadora para publicação, gostaria de reconsiderar seriamente minha rejeição a presente carta.

Boa sorte em rejeitar manuscritos futuros.

Atenciosamente,

Pós-Graduando

By |2018-12-06T01:56:47+00:0007-04-2012|humor|51 Comments

About the Author:

O posgraduando.com é um espaço na internet para troca de experiências, opiniões, depoimentos, dicas, tutoriais, humor e debates saudáveis sobre o meio acadêmico. Para participar também, leia nossas instruções aos colaboradores.

51 Comments

  1. Luiz Alberto 07.04.12 at 15:03 - Reply

    hahaha muito boa

  2. Bio Loren 07.04.12 at 15:17 - Reply

     kkkkkkkkkkkkk ‎”sua revista nao preenche os requisitos do nosso artigo” sinto muito u.u

  3. Flávio Araújo 07.04.12 at 15:27 - Reply

    A parte do “ele so quer publicar trabalhos dos seus amigos” foi sensacional. Mostra a total imparcialidade das bancas rs

  4. Sabrina_nutri28 07.04.12 at 16:06 - Reply

    Adorei…já sei o que vou escrever se meu papper for recusado!!!
     

    • Juniorurso 04.05.12 at 12:35 - Reply

      papper? o que seria papper? e vc faz pós….francamente.

      • Jhonatan 14.02.14 at 16:31 - Reply

        Tá assustado pelo fato dela escrever Papper ao invés de Paper ou algo além da minha imaginação? hahah

      • Almeida 15.02.14 at 01:12 - Reply

        Tá discutindo se ela escreveu papper ou paper ao digitar um comentário em um blog? E vc faz pós… francamente.

  5. João Guilherme 08.06.12 at 13:02 - Reply

    Muito bom! kkkkkkkkk

  6. joao carlos 13.08.12 at 01:03 - Reply

    hehehe, em pensar que em uma péssima fase de minha vida pensei em suicídio depois de receber um review negativo de conferência de alta concorrência, hoje eu dou risada

    • geise 14.02.14 at 13:52 - Reply

      Rsrsrs rir alto!! muito boa a carta!

  7. John 14.02.14 at 13:53 - Reply

    “tenho neste momento um excedente de cartas como a sua”
    hhahahaha coitado desse que escreve esses artigos hein. Mas nunca esqueço meu primeiro artigo negado. Meu mundo caiu, sofri horrores. E na época, ninguém, nenhum professor meu chegou e disse: “Isso acontece, é normal, você nem é o primeiro e o último a passar por isso”. Hoje em dia tenho outra visão, se isso acontece, leio as críticas, vejo o que faz sentido, procuro melhorar o texto onde foi criticado e passo pra outra revista. E já aconteceu de eu ter um artigo negado numa revista B3 e depois ter o mesmo aceito numa A1. Justamente por isso, olhei as críticas e dei uma melhorada no texto. Sempre tem algo que pode ser melhorado. Exceto em casos ali em cima, onde citam certos grupos que só publicam textos dentro de certos grupos ou temáticas ou etc.

  8. Danilo Carreiro 14.02.14 at 14:23 - Reply

    Aquele momento em que achamos que o revisor tem algo contra o pesquisador e não em relação à pesquisa….kkkkkkkkk

  9. 14.02.14 at 20:38 - Reply

    Aquele momento em que o revisor procura saber detalhes do artigo, e rejeita só para descontar no seu orientador, “inimigo científico dele”

  10. André William 15.02.14 at 08:52 - Reply

    Legal o texto, realmente o primeiro artigo negado é traumático. Só depois é que a gente leva na esportiva, mas sempre dá aquela raiva de ver o artigo rejeitado. Em muitos casos, os editores deveriam negar os avaliadores, digo aqueles que desconhecem teorias e emitem pareceres bem ridículos, subjetivos, nada a contribuir. Esses eu faço questão de responder, não tão esportivamente…. Abraço.

  11. luis Serra 15.02.14 at 15:04 - Reply

    Imagina eu sendo revisor e ou editor de uma revista e recebesse essa carta? Riria litros!!

  12. Ayrton 16.02.14 at 19:23 - Reply

    Ótima resposta!! Teria me economizado anos de terapia se tivesse visto antes!hahaha

  13. Ótima!

  14. Elen Petean 13.07.14 at 11:46 - Reply

    kkkkkk

  15. Pedro Paulo C S 13.07.14 at 11:47 - Reply

    Kkkkkkkkk

  16. Leo Martins 13.07.14 at 11:48 - Reply

    kkkkkkkk mto bom…

  17. Abelardo 13.07.14 at 11:49 - Reply

    Meu primeiro artigo recusado foi um trauma também, mas hoje já nem ligo. Como disse uma colega aqui, o rejeitado pela B3 às vezes acaba aceito por uma A1. Então, essas recusas merecem mesmo nossas considerações, como a bem-humorada carta! Mas existem surpresas agradáveis. Um artigo que escrevi recebeu um parecer muito interessante. O avaliador se limitou a dizer que o texto atendia plenamente ao que se espera de um texto científico e que o texto era recomendado para publicação. Sugeriu trocar uma palavra no título e finalizou em surpreendentes três linhas de parecer. Pensei no que disse uma professora que tive há muito tempo. Ela dizia que para reconhecer o trabalho de alguém como suficientemente bom, é preciso ter muita maturidade. Se faltar isso, um trabalho ótimo pode receber inúmeras críticas, porque alguém se acha suficientemente superior para colocar-lhe defeitos. Ela falava dos desafios da subjetividade na avaliação. Essas palavras me vêm sempre à mente!

  18. Vinicius ZH 13.07.14 at 11:49 - Reply

    HAahahaha. Show de bola!!! E viva o bom humor na pesquisa!!!!

  19. Rodrigo Rodrigues 13.07.14 at 12:34 - Reply

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  20. Lyghia Meirelles 13.07.14 at 12:55 - Reply

    kkkkkkkkkk =O

  21. Keila Rebello 13.07.14 at 19:42 - Reply

    ainda não estou na estatística dos 65% de pessoas que tem seus artigos rejeitados, mas quando estiver, juro que vou fazer o mesmo, heheheh

  22. Lucas Dmf 13.07.14 at 22:37 - Reply

    vou traduzir pro inglês e usar! uheauheauheau

  23. Júnior Silva 14.07.14 at 08:44 - Reply

    kkkkkkkkkkkkkk boa vou escrever isso

  24. Mayrla Lima 14.07.14 at 11:16 - Reply

    Muitoo bom

  25. Mariana Morais 06.12.15 at 11:41 - Reply

    Quem nunca?! Kkkk

  26. Isaac Oliveira 06.12.15 at 11:43 - Reply

    Carta bastante coerente para remeter a certos editores.

  27. Vagner 06.12.15 at 12:19 - Reply

    Simplesmente divino! Como disse um de nós: vale por anos de terapia! Que tiremos daí lições para outros reveses da pós-graduação.

  28. Muito bom!!!

  29. Paula 06.12.15 at 12:28 - Reply

    “Em resumo, dado o grande número de cartas de rejeição que recebo atualmente, surge a necessidade de ser muito seletivo a respeito de quais cartas realmente irei aceitar, como estou certo que você poderá compreender”. EXCELENTE!!!

  30. Li Cristina 06.12.15 at 13:01 - Reply

    Ótima

  31. Rafael Fernandes 06.12.15 at 16:28 - Reply

    Recalque acadêmico! Kkkk

  32. Perfeito!

  33. Osmar Felix 06.12.15 at 18:46 - Reply

    tem algumas revistas que merecem receber tal carta, principalmente aquelas que pedem exclusividade e levam 2 anos para responder, e quando respondem, é negativo. – Razão pela qual nunca mais escrevi para revistas brasileiras.

  34. Ikaro Barreto 06.12.15 at 18:47 - Reply

    Já quis muito fazer isto. Algumas revistas fazem críticas que não estão nem erradas, parecem que enviaram a carta para outra pessoa. Daí eu passei a rejeitar a revista. Enfim… Kkkkkk kkkkkk.

  35. Lorenna Macedo 06.12.15 at 19:22 - Reply

    Hahaha… Bom guardar essa cartinha!

Leave A Comment