Ferramentas gratuitas para detectar casos de plágio acadêmico

Com o crescente aumento no número de casos de plágio acadêmico e em uma época em que o “publicar ou perecer” é a lei da selva nas universidades, surge a necessidade de encontrar ferramentas que possibilitem detectar esses casos de desvio de conduta com a menor quantidade de tempo gasto possível.

Existem vários softwares que realizam esta tarefa. A maioria destes softwares, entretanto, é pago ou possui grandes limitações em suas versões gratuitas. Alguns sites também cobram pelo serviço de vasculhar em todos os cantos da internet os possíveis casos de plágio de um trabalho.

Mas existem também ferramentas gratuitas (pelo menos por enquanto) e de boa qualidade. Descrevemos neste artigo três formas de detectar gratuitamente casos de plágio acadêmico nas bases de dados disponíveis na internet.

Google

O bom e velho Google é uma excelente ferramenta gratuita para encontrar casos de plágio na internet. Para isso, basta colocar uma frase ou um parágrafo do texto desejado entre aspas duplas no campo de pesquisa e clicar em pesquisar. Ao colocar aspas duplas em uma frase ou parágrafo, o mecanismo de busca irá buscar as palavras exatamente na ordem em que foram digitadas.

Para facilitar a busca, recomenda-se colocar frases da conclusão ou das considerações finais do trabalho. Afinal, dois acadêmicos podem chegar aos mesmos resultados e às mesmas conclusões, mas dificilmente irão descrevê-los exatamente com as mesmas palavras.

google.com.br

Plagium

O plagium.com é um site desenvolvido pela Septet Systems Inc. e que utiliza técnicas avançadas de busca para aprofundar a exploração de documentos na internet. O serviço de busca por plágios é gratuito, prático e bem simples de usar.

Basta digitar ou colar no campo de busca o texto a ser analisado e clicar em “Busca rápida”. Na versão Beta (e gratuita) do site, o texto é limitado ao tamanho máximo de 25 mil caracteres, que são mais que suficientes para detectar a maioria dos casos de plágio.

Nos resultados da pesquisa é possível encontrar os documentos na internet que possivelmente também utilizam o texto digitado, com seus respectivos links para conferência. O site disponibiliza também uma nota, em porcentagem, para a coincidência entre os textos digitado no campo de busca e os encontrados em cada texto da internet.

plagium.com

Plagiarism detect

O plagiarism-detect.com também é um serviço online gratuito para detectar plágios em documentos, textos ou websites. Nesta ferramenta é possível digitar (ou colar) o texto a ser verificado no campo de pesquisa, assim como no plagium.com, ou então fazer o upload de um arquivo para ser analisado.

Como resultado da pesquisa, o site apresenta a porcentagem do conteúdo plagiado, os links para os trabalhos similares, a porcentagem de conteúdo similar em cada fonte e as frases comuns aos dois trabalhos.

plagiarism-detect.com

By |2018-12-06T01:56:45+00:0021-06-2012|guia|42 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

42 Comments

  1. Minha dúvida é a seguinte. Muitas partes de um texto acabam sendo mt parecidas e quase que iguais em mts trabalhos. Por exemplo, descrever uma metodologia de coloração de gram e algo q não dá pra “inventar” mt, e se vc pegar 100 trabalhos q fizeram isso, provavelmente eles estarão idênticos nessa parte. Isso seria considerado plágio? A verdade é q se vc pegar vários trabalhos de qualquer área, o início geralmente é sempre o msm…

  2. praticadapesquisa 25.06.12 at 17:02 - Reply

    Para colaborar com o questionamento apresentado por Patricia
    Freitas Costa, apresento algumas considerações. Embora o plágio seja
    qualificado basicamente como a apresentação de obra alheia como sendo de outra pessoa, no
    plano acadêmico, pode-se dizer que o plágio é o “império do menor esforço”. É
    certo que várias pessoas, em seus trabalhos, poderão referir-se a fontes idênticas.
    Eventualmente até podem ter citado diretamente o mesmo trecho de texto. Contudo,
    esta coincidência só será lícita se todos pesquisaram diretamente a mesma
    fonte. Por outro lado, empregar citações de outros trabalhos sem consultar diretamente
    a fonte citada ou empregar a expressão “citado por”, é uma das práticas típicas
    da política do “menor esforço”. Para não incorrer em plágio, sempre cite as
    fontes dos conteúdos apresentados no seu texto, ainda que elas estejam presentes
    em centenas de outras fontes. Observe também que, se eu reproduzo literalmente
    um texto de uma fonte, cujo conteúdo seja de conhecimento público, ainda assim,
    meu compromisso moral e legal é indicar a fonte. A Lei de Direitos Autorais
    (9610/98) estabelece que a proteção incide sobre a “expressão das ideias” e não sobre as
    ideias em si. Ou seja, uma ideia de domínio público ou uma informação notória podem
    ser “expressas” textualmente ou verbalmente por qualquer pessoa. Mas se eu as
    escrevi, “expressei textualmente”, todos que reproduzirem o meu texto (minha
    expressão) ou o utilizarem para elaborar os seus trabalhos, deverão citá-lo.

    Espero ter ajudado.

    Aproveito para parabenizar a equipe do Pós-graduando mais
    uma vez pela ótima postagem.

    Prof. Alejandro Knaesel Arrabal
    http://www.praticadapesquisa.com.br

    • Ju 02.11.12 at 19:57 - Reply

      Ou seja, é o antigo “escreva com suas próprias palavras” da escolinha.

  3. Rachel 27.06.12 at 17:30 - Reply

    Só queria dizer que o plagium.com é ótimo…mas não é tão “gratuito” assim…depois de um tempo usando (3 meses, no meu caso) começaram a me cobrar pelas buscas =/
    uma pena!

  4. Oneide Duarte 27.09.12 at 15:39 - Reply

    O que acontece com a pessoa que comete plágio, ainda que de pequenos trechos? No caso uma pessoa escreve um livro, não dá os créditos aos verdadeiros criadores da frase e alcança títulos por meio do livro?

    • Lilian 29.09.12 at 17:09 - Reply

      Plagio
      é crime, está no Código Penal Brasileiro, art. 184 – Violar
      direito autoral: Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa.
       

  5. Fernanda 26.11.12 at 17:26 - Reply

    Vamos dizer que alguém escreveu em seu artigo, Segundo o autor tal (2000) o conceito disso é isto e aquilo… E vamos dizer que eu NAO li esse livro desse autor. Eu posso pegar esse paragrafo e modifica-lo para minhas palavras e dizer que o tal autor que falou? Isso seria plagio?

    • Jessika Alves 11.12.12 at 09:18 - Reply

      Isso seria preguiça. Você tem que ir atrás do artigo do autor tal (2000), se não achar em qualquer circunstância, vc cita (Autor tal (2000) apud. (o artigo q vc leu), data, e página)

  6. Romuo 18.06.13 at 23:12 - Reply

    Fiz um artigo e deu 85% de autenticidade! os 15% eram nomes de instituições, doenças e outros termos técnicos. O que devo fazer ?

  7. flor 10.10.13 at 19:47 - Reply

    Estou usando mesma monografia do meu curso de serviço social para direito isso e plagio

    • Janaiina Alves 21.04.15 at 09:48 - Reply

      Sim é denominado auto plagio.

  8. Fabian 31.10.13 at 12:37 - Reply

    Também tem o docxweb.

  9. Valéria 31.10.13 at 13:47 - Reply

    As vezes os livros interessantes feito por pesquisadores de peso não são encontrados com facilidade, nas cidades pequenas, mas que possuem faculdades, usa-se então o apud quando se encontra textos importantes nos artigos de outros, mas existem também professores que não aceitam o apud, querem o original, acham que é fácil encontrar os livros que queremos citar.. Fazer um trabalho científico é difícil

  10. Lucimar 06.12.13 at 21:16 - Reply

    Qual é a porcentagem que é considerada plágio?

  11. cristina 30.12.13 at 08:02 - Reply

    Gostaria de saber se eu copiar um trecho, ou seja, um paragrafo de um livro ou artigo exatamente com as mesmas palavras e coloco o nome do autor é plagium, e como devo colocar as referencias, e gostaria de saber tambem qual a porcetagem é considerada plagium?

  12. Sandra 31.01.14 at 12:58 - Reply

    Tenho um trabalho acadêmico que teve algumas partes plagiadas, onde devo denunciar?

  13. Ueritom 12.04.14 at 10:28 - Reply

    Só espero que você não tenha copiado este post de ninguém…kkkk..brincadeira..

  14. Sueli 16.05.14 at 11:08 - Reply

    Uma consulta: Se eu pego um texto publicado num livro ou um dicionario, faco um escaner de uma página e envio para a internet para um desses buscadores de plagio, vai ser possivel detectar o plagio só pelo tipo de letra, pela cor, ou por alguma outra caracteristica das proprias letras? Penso no caso de um dicionario que está na internet, dos quais muitas vezes se copia parte de conceitos, que sao comuns a outros dicionarios.
    Por exemplo, eu copio do diccionario digital Aurelio a palavra “mesa” e seu conceito: objeto de madeira ou …. que serve para ….”. Isso é comum a quase todos os dicionarios. Como vai ser possivel detectar que se copiou e colou uma parte?
    Muito obrigada.

  15. Reginalda Gaigher 27.06.14 at 19:32 - Reply

    Acho que pessoas podem ter ideias parecidas, você pode escrever um texto semelhante ao de uma pessoa, numa redação pode ter palavras ou frases parecidas. Já peguei a introdução de um trabalho e detectou plágio. É quase impossível não haver nenhuma semelhança!

  16. Gecenyl 22.09.14 at 15:47 - Reply

    Testei o plagium mas não funcionou, peguei trechos de trabalhos e coloquei para busca, não achou nem o próprio texto que copiei.

  17. Ana Paula 04.11.14 at 11:35 - Reply

    Onde é gratuito??? Nãqo consegui ver/usar esta versão gratuita. Achei plágio em um trabalho procurando no Google, acessando inclusive o trabalho. E este buscador não aponta este trabalho como plágio!! O que estou fazendo errado nas duas situações? ou não é gratuito?? Se não for tudo bem, mas não divulguem gratuidade onde não existe.

  18. Mauro 18.02.15 at 14:41 - Reply

    Olá! Tenho várias obras (contos/poesias) registradas no EDA da Biblioteca Nacional. Em algumas delas, após efetuar tal registro, achei por bem fazer pequenas alterações, tais como: erros de grafia, pontuações e de concordância, não tendo com isso alterado o seu contexto. Gostaria de saber se após tais alterações, terei que novamente registrar no EDA?

  19. Inacio mines 22.03.15 at 22:25 - Reply

    Vamos dizer que alguém escreveu em seu
    artigo, Segundo o autor tal (2000) o conceito
    disso é isto e aquilo… E vamos dizer que eu
    NAO li esse livro desse autor. Eu posso pegar
    esse paragrafo e modifica-lo para minhas
    palavras e dizer que o tal autor que falou? Isso
    seria plagio?

  20. Mya 23.05.15 at 11:00 - Reply

    Eu acho isso tão complicado, pois não final sempre será estaremos escrevendo o que outros disseram, que outros disseram e assim por diante, ai uso o Renato Russo para dizer “quais palavras nunca foram ditas”? Eu queria ler e simplesmente dizer o que eu acho e depois colocar o que disseram a respeito, seria muito mais fácil do que essa pataquada de citar a citação da citação de alguém que foi citado….irritante.

  21. Vanderlei 16.07.15 at 10:41 - Reply

    Prezados. Acrescenta o programa COPYSPYDER! Gratuito, em português e é o pragrama que eu utilizo para os trabalhos dos meus alunos. Att

    • Evandro 14.04.16 at 20:29 - Reply

      Vanderlei, testei o CopySpider como sugeriu. É muito completo – indica as referências dos sites e muito mais. Obrigado pela dica!!!

      • Simone 27.05.17 at 23:17 - Reply

        Aff não consigo baixar esse CopySpider, já tentei várias vezes!!!!!!

  22. Débora 16.07.15 at 14:17 - Reply

    Olá!
    Em 2012 participei de um congresso e o artigo que apresentei foi publicado online nos anais do congresso. Agora descobri que uma pessoa copiou praticamente todo meu texto, mudou apenas algumas palavras e postou em um site como se o artigo fosse de sua autoria. Quais providências devo tomar? Devo fazer queixa na delegacia civil?

  23. Maria Lewtchuk Espindola 18.07.15 at 04:46 - Reply

    Se não conseguir identificar o plágio diretamente verifique se o texto não está em português de Portugal ou se por acaso não foi traduzido pelo Google tradutor… Já tive os dois casos em correções dos alunos.

  24. Claudio 10.02.16 at 23:09 - Reply

    O artigo esta nota 10 e com as indicações dos sites para verificar plágios dou nota 1000.

  25. viviane 08.06.16 at 23:15 - Reply

    gostei muito do último, ele era ótimo, até sair do ar, ou dar erro, tomara que arrumem logoooooooooooooooo

  26. Carlos santos 05.06.17 at 16:22 - Reply

    Obrigado, já salvei um aqui nos favoritos e está me ajudando bastante

  27. Maria do Carmo Sousa Motta 10.07.17 at 14:26 - Reply

    Gostei muito das dicas! Grata

  28. Anderson Carvalho 05.08.17 at 11:56 - Reply

    O artigo é bem explicativo, mais existe varias maneiras de plagio tão eficazes, que nenhum desses programas o descobre!

  29. ermano Rodrigues 09.10.17 at 16:54 - Reply

    Achei muito interessante, pois a cada dia o aluno surpreende-nos e, por isso, é preciso acompanhar bem as produções das monografias, principalmente, quanto mais uma atividade neste nível. foi muito bom. esclareceu bastante.

  30. Prof. Darwin 12.10.17 at 11:45 - Reply

    Nenhum dos sites ou programas são totalmente eficientes. O correto dos programas para identificação do 5 de plágio, seria conter a informação de forma clara. Exemplo, identificar parte do texto que se repete em outras fontes e identificar se está com citação do autor(ano), neste caso não se trata de plágio, e sim de uma “citação direta”. O plágio é caracterizado quando usamos parte “literal” de um texto sem citar a sua fonte. Citando a fonte – desde que permitido pelo autor, não podemos dizer que há plágio, e para essa permissão, basta uma resposta do autor por e-mail.

  31. Julliana 26.10.17 at 07:57 - Reply

    Que pena o site plagiarism-detect.com está com problemas…

  32. renata 12.02.18 at 14:37 - Reply

    Não consigo baixar esse CopySpider

  33. Bruno Info 08.03.18 at 14:21 - Reply

    Se eu pegar um artigo em inglês e traduzir para o português seria plágio?

  34. Carla 10.05.18 at 11:46 - Reply

    Estou desenvolvendo um artigo, gostaria de saber qual a porcentagem é considerada, para não ser plagio?

Leave A Comment