Estudante de Pós-Graduação conclui 22 mestrados e um doutorado

Fazer uma pós-graduação não é tarefa fácil. É preciso muita dedicação, paciência e, sobretudo, força de vontade para não se perder em meio a tantas disciplinas, pesquisas, coletas de dados, revisões de literatura, leituras de artigos, teses e dissertações, prazos apertados, pressão por publicações, esperas intermináveis pelas correções do orientador, experimentos que não dão certo e aquele cursor piscando em uma folha em branco durante horas.

Sejamos sinceros: que atire a primeira pedra quem nunca pensou em jogar tudo para o alto e ir vender coco na praia.

Pois imagine então o que seria cursar três especializações, 22 mestrados e um doutorado, em áreas que vão de Educação ao Direito.

Pois este é o currículo de Michael Nicholson, um norte-americano de 71 anos, 50 deles dedicados ao ensino superior. E apesar da incrível quantidade de titulações acadêmicas, Michael ainda não está satisfeito e quer chegar a 34 diplomas de nível superior para, só então, concluir seus estudos, o que segundo seus cálculos deve acontecer aos 81 anos.

A esposa de Michael, Sharon, também foi contagiada pela dedicação do companheiro aos estudos e já conquistou sete diplomas de nível superior.

Sem entrar em discussões sobre a aplicação de todo esse conhecimento adquirido ou sobre as diferenças entre os formatos das especializações, mestrados e doutorados norte-americanos e os nossos, a dedicação deste esforçado estudante definitivamente merece destaque.

Refletindo um pouco mais sobre as nossas atividades cotidianas durante a Pós-Graduação, imagine a quantidade, e a diversidade, de orientadores que devem tê-lo acompanhando durante toda essa jornada.

E mais: a incrível marca de 26 bancas de defesas de trabalhos de conclusão de curso. Se para muitos, passar por todo o estresse de ser avaliado por uma banca durante o mestrado e/ou o doutorado já é motivo de apreensão, pense como seria enfrentar essa maratona de bancas durante a vida acadêmica.

By |2013-07-21T02:52:25+00:0002-07-2012|debates, notícias|15 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

15 Comments

  1. Joao Paulo 02.07.12 at 17:33 - Reply

    simplesmente… doente!!!!! uma alma dessas nunca tomou um gole de cerveja com amigos!

    • Josenaldo Matos 03.07.12 at 17:33 - Reply

      Acho engraçado esse conceito que as pessoas têm de que quem estuda não tem tempo pra curtir e de que estudar é um tormento… 

      Doente? Ele com certeza viveu a vida dele exatamente do jeito que quis! Muito diferente da maioria que reduz a sua vida a Trabalho que odeia -> comprar coisas que não quer -> sair com gente de quem não gosta -> envelhecer arrependido de não ter feito o que gosta -> morrer amargurado.Abra a cabeça, meu amigo… Pra algumas pessoas, estudar é tão divertido e viciante quanto jogar bola ou encher a cara… Se ele é feliz assim, qual o problema? 

  2. Thaisa Pedron 02.07.12 at 17:39 - Reply

    Quando eu crescer quero ser uma Michaele Nicholson ^^ também tem que ter muita bala na agulha, pois o que gasta com livros!!!

  3. Danilomonteiroo 02.07.12 at 18:03 - Reply

     Quem deve saber escrever tá ai…
    acho que os orientadores só botam o nome, nem olham o que ele está fazendo…

  4. Danilo 02.07.12 at 19:42 - Reply

    Parece ser uma pessoa dispersa … que tempo tirou para aplicar o que aprendeu?

  5. Leandro Sumida 02.07.12 at 19:55 - Reply

    “Sejamos sinceros: que atire a primeira pedra quem nunca pensou em jogar tudo para o alto e ir vender coco na praia.”

    Puts… semana passada tava falando pra minha namorada que eu ia largar dessa vida de stricto sensu e abrir uma barraquinha de água de coco e camarão em Maceió…

  6. Gera 04.07.12 at 10:10 - Reply

    Espero que não tenha utilizado um centavo de dinheiro público. Imagine se fosse no Brasil: quantas oportunidades não teriam sido tiradas de outros.

  7. Elber Neves 05.07.12 at 11:58 - Reply

    kkk… Deve ser uma vida legal… não sei se é com dinheiro publico isso, mais se for, vai virar moda, alguem ja imaginou, o que voce faz da vida: sou escritor de mestrado. rssss

  8. Cmeirelles00 06.07.12 at 07:36 - Reply

    Brasileiro é foda mesmo. Claro que por aqui ele iria “tirar oportunidades”, pq ensino superior não é pra qualquer um. Quem quer chega lá, no Brasil ou onde for.

  9. Elga 09.07.12 at 12:47 - Reply

    Depois da 7ª deve ficar melzinho na chupeta 😛

  10. AyrtonSantos 29.08.12 at 17:37 - Reply

    Esse aí é um exemplo… Estou no Mestrado e sei que não é fácil,
    mas a recompensa cobre todas as noites mal dormida, os textos complexos e as
    horas de investimento na construção de artigos!… Quando crescer que ser que
    nem você! Um exemplo de vida. Parabéns!

  11. Claudia Helena 22.09.12 at 15:58 - Reply

    Adorei saber que não sou a única que gosta de estudar.
    Não cheguei ao nível dele, mas tenho 5 especializações e estou cursando mestrado. Pretendo fazer doutorado assim que concluir o mestrado.

  12. capitu 23.02.14 at 06:35 - Reply

    Isso é o que chamo de “formação continuada”.hehehehe!
    Depois da piada a tragédia: recentemente perdi 2 vagas em 2 concursos públicos para doutorandos.Sou doutora,entre várias formações,mas estou desempregada há algum tempo e ,tb por isso, com dificuldades para fazer pós-doc.Enquanto os demais classificados…
    Dá pra entedner?
    (quem quiser confira o CV LATTES)

  13. Carlos Wagner 08.08.14 at 14:56 - Reply

    Meu sogro vende côco em frente à sua casa e faz mais de R$2.500,00 por mês de lucro.

  14. Mariana Sabany 22.04.15 at 23:19 - Reply

    Ah que inveja boa, meu sonho fazer tudo isso. É um legado incomparável, indestrutível, inigualável… Muito mais gratificante do que a maioria das pessoas que passa anos trabalhando em algo que não as realiza e não as emancipa, ele além de sair da zona de conforto, imposição e alienação do pensar e do agir, ainda contribui grandiosamente com as suas dissertações e teses, grande exemplo.

Leave A Comment