• Duas experiências com a Educação a Distância

Duas experiências com a Educação a Distância

A educação está passando por diversas transformações graças as novas tecnologias de informação e comunicação (TIC). Juntamente com as transformações vem o grande crescimento de cursos a distância promovidos por diversas instituições de ensino. Entretanto, muitas críticas põem a EaD em check em relação a sua qualidade.

Antes de tudo devem-se perceber as diversas experiências, positivas e negativas, que estão presentes no universo da educação à distância. Destaco duas experiências do início da minha vida como aluno de cursos online à distância para exemplificar as abordagens pedagógicas inseridas nestes cursos:

A primeira experiência deu-se através do ambiente virtual Next Generation Center promovido pela Intel Corporation. Fiz a inscrição no curso de “TI na educação” que apesar do bonito layout, era totalmente “fordista”, com início, meio e fim bem definidos. Para concluir o curso bastava apenas acertar mais de 80% das questões ao final de cada capítulo e pronto! O aluno já estaria apto a receber o certificado de conclusão do curso. Aprendi algumas noções de tecnologia da informação (TI) vinculadas a educação, contudo percebi que tudo era superficial e que logo esqueceria boa parte do que fora “depositado” em minha mente. Este curso nos leva a entender que mesmo a distância a abordagem tradicional da educação ainda existe.

A segunda experiência foi através do curso “Informática Educativa” promovido pelo SENAC-PA. Neste obtive o primeiro contato com um ambiente virtual de aprendizagem (AVA), que é o moodle, enviando as atividades solicitadas pelo tutor e compartilhando minhas ideias através de fóruns de discussão. Esta experiência deu-me um novo olhar sobre a EaD e seus benefícios para a construção de novos conhecimentos. Depois de alguns meses, ao finalizar minha graduação, fiz a matrícula no curso de pós-graduação em EaD pelo SENAC-PA e estou descobrindo a riqueza de uma modalidade da educação que tem sido uma ótima solução educacional para muitas pessoas.

Claro que algumas pessoas possuem mais habilidade do que outras para lidarem com cursos online à distância, mas este fato não exclui a EaD de ser um caminho satisfatório para a inclusão educacional no Brasil. No momento as instituições de ensino, tutores, pedagogos, designer educacionais, entre outros devem estar incumbidos em proporcionar cursos de educação a distância da melhor qualidade e não apenas plataformas virtuais com processos mecanizados.

_________________________________________________________
Texto escrito por Eduardo Henrique Silva Rodrigues, que é Licenciado em Pedagogia pela UEPA e pós-graduando em EaD pelo SENAC-PA.

By |2018-12-06T01:56:43+00:0027-10-2012|debates, docência|11 Comments

About the Author:

O posgraduando.com é um espaço na internet para troca de experiências, opiniões, depoimentos, dicas, tutoriais, humor e debates saudáveis sobre o meio acadêmico. Para participar também, leia nossas instruções aos colaboradores.

11 Comments

  1. Crl Designer 29.10.12 at 07:04 - Reply

    Concordo com o autor que cada pessoa tem mais habilidades em lidar com a EaD do que outras, mas não concordo com algumas práticas deste sistema de estudo que fazem uso do tutor como substituto do professor da disciplina. Também iniciei um curso de pós-graduação pelo SENAC-PR e desisiti do curso porque o curso era orientado apenas pela tutora… não tínhamos acesso ao professor da disciplina. Eles apenas forneceram um artigo de autoria deles (de no máximo 10p.) e o restante, todos os debates do fórum eram mediados pela tutora. Nunca tive acesso aos professores regentes. Desisti do curso porque considerei propaganda enganosa, afinal a tutora, por mais qualificada que fosse não era especialista em todas as áreas do conhecimento, tais quais eram os professores anunciados como regentes: mestres, doutores, pós-doutores…

    • Eduardo Rodrigues 29.10.12 at 22:29 - Reply

      Boa noite. Infelizmente em alguns cursos em EaD os professores acabam sendo apenas conteudistas das disciplinas sem ministrá-las. Fato que ocorreu com você. Isso revela que um curso em EaD depende de um planejamento pedagógico que dê ao público-alvo o melhor em qualidade de aprendizagem. Não sei se nesta, mas em algumas situações o professor acaba não sendo tutor da disciplina por não saber como utilizar um AVA. 

  2. Edo Hirata 29.10.12 at 08:07 - Reply

    Muito pertinente seus comentários. Já fiz dois curso a distância, um de curto prazo e outro de longa duração. Dependendo dos objetivos do curso o EAD é válido, mas depende também da forma como ele é apresentado. Não adianta apenas despejar o conteudo via web. É preciso metodologia para que o aprendizado ocorra. parabéns

  3. juliana muller 30.10.12 at 11:26 - Reply

    Ola Eduardo, considero bem pertinente suas colocações, visto que, minha graduação se deu de forma presencial e minha pós em design instrucional ocorreu a distância. Percebi tamanha diferença tanto na estrutura quanto no ensino em si, por momentos tive que estimular minha independência e persistência nos estudos apesar de ainda contar com o apoio do tutor. Um dos desafios que a EaD, assim como o ensino presencial nos coloca. Gostaria apenas de ressaltar que o Moodle é UM dos ambientes virtuais de aprendizagem, certo?!Bjao e parabens pela escrita.

    • Eduardo Rodrigues 30.10.12 at 13:14 - Reply

      Boa tarde Juliana,
      Sem dúvida, o Moodle é UM dos ambientes virtuais de aprendizagem que podemos utilizar para a EaD. Estou passando por uma experiência semelhante a sua (pós-graduação a distância) e vejo que o desafio aumenta quando temos que “estimular nossa independência”.
      Abraços.

  4. Arle Soares 10.11.12 at 14:19 - Reply

    Concordo com você Eduardo. Eut ambém estou tendo esta experiencia e com AVA eu tenho aprendido sim. Claro que gerenciar sua aprendizagem é muito importante!

  5. Adriana aparecida dos Santos 22.10.13 at 13:07 - Reply

    Gostei muito da abordagem apresentada neste maravilhoso texto. Eu, aluna de EAD “de primeira viagem”, sinto-me mais confiante e confortável com as duas explanações aqui expostas. Parabéns Eduardo!

  6. Joyce 29.07.14 at 04:34 - Reply

    Nao sou aluna de EAD, mas queria dizer que nas faculdades aqui na Australia vc tem a aula com o professor e depois os workshops com os tutores. O que eu quero dizer e que o acesso aos professores sempre sera de esforco seu pois alguns tem tempo pra vc e outros nao.

  7. Elisa 17.05.15 at 10:46 - Reply

    Muito bom esse post. Eu curso Tecnologia em Processos Gerenciais EAD mas tenho facilidade com o método pois trabalho como analista de Service Desk e com vários tipos de ferramentas.
    A universidade disponibiliza muito conteúdo para acesso e cabe ao aluno ir atrás do conhecimento.
    Minha pós será voltada para gestão de TI como complemento, visto que minha graduação é para área de gestão administrativa geral.
    Tenho experiência de trabalho em várias áreas e gosto de todas. Depois da pós vou, de fato, decidir o caminho a seguir.

  8. Eliete 19.11.15 at 12:28 - Reply

    Olá pessoal. Gostei muito da abordagem apresentada, sou de BH-MG, e estou muito confiante em fazer EaD, só tenho uma duvida agora, que é em qual faculdade ingressa, pois quero fazer Ciências Contábeis, alguém pode me ajudar?. Desde já agradeço.

    • Guilherme 10.07.16 at 12:55 - Reply

      Oi Eliete! Também sou de BH e estou pensando no EAD. Você já está fazendo as aulas? Como foi sua experiência?

Leave A Comment