• Demônio “Tranca-Tese”: o que fazer quando ele resolve agir?

Demônio “Tranca-Tese”: o que fazer quando ele resolve agir?

Uns dizem que a culpa é do Murphy, outros dizem que é culpa do “Coisa Ruim” ou simplesmente “falta de sorte”.

Pois bem, em véspera de defesa, como diria Lucas Silva e Silva: Tuuuudo pode acontecer!

Os acontecimentos das últimas semanas me fizeram escrever esse post e, sinceramente, estou com muito medo do que pode acontecer até a minha defesa.

Você mora em uma cidade que é mais quente que o inferno (é  oque dizem!), quase não chove… Aí você termina sua dissertação em uma linda manhã de sol, sai voando pra imprimir porque seu prazo vai acabar e o que acontece?

( ) o pneu da sua bicicleta fura e começa a chover
( ) você esquece o pen drive na sua casa que é do outro lado da cidade
( ) a empresa de impressão está fechada
( X ) chove granizo e você fica presa em uma cobertura de alumínio, embaixo de um pé de manga. Árvores caem à sua frente e a cidade fica sem luz o resto do dia.

Ps: Sem falar que em dois meses, três computadores foram estragados.

Sim, caros colegas! E o que fazer nessas horas?

1. Fique calmo: dizem que o fundo do poço é o limite. (Duvido!)

2. Não adianta chamar o Batman, muito menos o orientador. Você realmente acha que alguém vai acreditar que tudo isso aconteceu?

3. Se você se comportou o ano todo, peça para o Papai Noel “quebrar essa” como adiantamento do presente de Natal.

4. “Manhêêêêê “. Quem sabe isso resolve! Mãe sempre resolve tudo, não é?

5. Chorar JAMAIS! Afinal, pós-graduando não chora: ele contrai a glândula lacrimal liberando fluido em excesso.

6. Tudo tem um jeito. Se a coisa tiver apertada DEMAIS, pega um avião, três ônibus e uma balsa e encontre energia elétrica (e uma impressora).

7. FAÇA TUDO COM ANTECEDÊNCIA… Muita, se possível!!! Não deixe pra amanhã. Você nunca sabe quando o azar pode te pegar.

E quem aí já foi surpreendido por algum desses seres malignos?

By |2015-11-01T09:43:23+00:0002-12-2013|humor|16 Comments

About the Author:

É Licenciada em Ciências da Natureza (USP) e Mestre em Ciências (UNIFESP). Atualmente é Doutoranda do Programa de Ciência dos Materiais na UNESP de Ilha Solteira. Publica seus textos toda sexta-feira (ou quando a pós-graduação deixa).

16 Comments

  1. Unlucky 02.12.13 at 18:38 - Reply

    Meu pc pifou, um pendrive queimou e os arquivos do pendrive de segurança foram apagados por um vírus

  2. Vanderlei Ricken 04.12.13 at 11:45 - Reply

    Passei por algumas dessas… Enfim, deixei de correr atrás da máquina e comecei a ser prevenido.
    As minhas regras são:
    – São antes de começar qualquer coisa.
    – Quanto mais importante for, salve em vários lugares(Google Drive, e-mail, pendrive, FTP, HD externo, etc…)
    – Não deixe nada pra última hora.

  3. Mycke Richard Guntijo 04.12.13 at 19:25 - Reply

    Meu notebook foi roubado dois dias antes da apresentação do meu TCC! Um salve para cloud computing… o/

  4. Paribanú Freitas De León 07.12.13 at 11:55 - Reply

    Espero que usar línux me ayude! jajaja

  5. karin 11.12.13 at 17:46 - Reply

    O meu micro quebrou, perdi a maior parte da tese, e tive que refazer o texto em 20 dias…

  6. Fábio 11.12.13 at 19:53 - Reply

    O dropbox facilita muito…

  7. Fernanda 12.12.13 at 05:53 - Reply

    Gravo tudo no HD externo, pen-drives e google drive.
    A hora de imprimir coisas é tensa, sempre aparece o Exu tranca impressora!
    Acaba a tinta, trava o papel, etc…
    Eu tento sempre terminar tudo pelo menos 2 dias antes do prazo, imprimir 2 dias antes.
    O Exu só aparece quando temos que imprimir no dia!

  8. Danilo 12.12.13 at 10:51 - Reply

    Reza pra Nossa Senhora Destrancadora de Teses

  9. Luciana 12.12.13 at 15:12 - Reply

    Paribanú, uso línux, mas incrivelmente meu OpenOffice veio bugado… só sei que quando estava fazendo trabs de final de disciplina, do nada, quando eu tava super escrevendo, o “Writer” apagava metade da página e eu perdia tudo… =/ tive que reinstalar o OpenOffice, até agora está tudo certo…

  10. Alice 12.12.13 at 19:16 - Reply

    Meu orientador de mestrado sugeriu que eu tomasse um floral para acalmar os nervos antes da defesa. Tinha duas opções na farmácia: o rescue para estudo e o rescue para as horas de aflição, principalmente o parto. Mandei fazer o bendito remédio e, 3 dias antes da defesa, tomei uma super dose. Efeitos: coração palpitando, enjoo, tontura (pensava que nada mais poderia piorar e piorou muiiito!). Quando o pós graduando está a ponto de defender, não aguenta ler mais nada, nem rótulo de medicamento. Resultado: fizeram para mim o rescue para a hora do parto e não o que era para estudantes. Tudo bem que a defesa é quase um parto, mas me preparar para um nascimento fisiológico quase me matou!

  11. Bromélia 12.12.13 at 22:41 - Reply

    É fácil falar que as coisas têm que ser feitas com antecedência pra quem consegue fazê-las com antecedência. Eu não sou desses agraciados. Começo com muita antecedência (ao ponto de todo mundo dizer que sou exagerada), mas só vejo resultado na véspera. Então esse tipo de imprevisto já me atingiu muitas vezes na vida. Meu mestrado foi entregue no último dia de prazo, faltando poucas horas pra fechar a secretaria. Passei a madrugada terminando a conclusão, e antes de enviar a uma amiga que ia imprimir e entregar (em um outro país) meu trabalho, descubro que uma página no meio de tudo foi embaralhada (coisa do capiroto!) de modo que não fazia nenhum sentido. Passei DUAS horas nas últimas tentativas de refazer o arquivo. No meio de tudo isso, cai a eletricidade (o capiroto dormiu com o Bozo, não é possível!). Não acreditava no que estava acontecendo. Refiz o arquivo, e quando vou ver, o mesmo erro. Refiz de novo, e vejo um absurdo enorme no índice, com dois títulos idênticos e a numeração embaralhada. Caraio. Refaço tudo de novo. A energia cai de novo, só pra eu querer pular da janela (com o azar que eu tenho, moro no segundo andar e, se pulasse, aposto que não ia conseguir morrer!). Mas aí por sorte o corte de energia dura apenas 5 min. Mando a dissertação e a minha amiga não me responde. Pânico, terror e aflição!! Por sorte, finalmente me lembro do fuso-horário e que ela pode estar dormindo. 1h e meia depois ela responde. Ufa, de aí em diante por sorte o capiroto não se teletransporta e ela entregou tudo certinho pra mim, faltando duas horas pra fechar a secretaria!

  12. Olga Soares. 14.12.13 at 23:03 - Reply

    Olá !
    Sofri um “ataque” desses ao tentar redigir meu TCC / Monografia, em 1998…

    Depois de várias peripécias de idas e vindas de Maceió para João Pessoa e até receber um computador de meu filho, vindo de Brasília, solicitei a ajuda de um primo prá configurar o mesmo e,

    pasmem !, ele instalou o programa que se a gente apagasse não conseguia escrever mais…ia comendo as

    letras…Ele trabalhava só no teclado e eu só sabia usar o mouse…Pense num drama !!!

    Cara ! Tive que “comprimir a bolsa lacrimal” várias vezes…e sem querer…

  13. Adriana Vidal 17.01.14 at 13:06 - Reply

    Na semana de entrar minha dissertação à Secretaria de Pós Graduação, transferi todos os meus arquivos do PC para um HD, para formatar o PC. O HD caiu no chão e perdi TUDO!!!!!!!!!!!!!
    A única coisa que sobrou foi um arquivo da dissertação EM PDF!
    Todos os dados brutos se foram. TODOS!
    =/

  14. Mirelle 04.02.14 at 10:29 - Reply

    “Chorar JAMAIS! Afinal, pós-graduando não chora: ele contrai a glândula lacrimal liberando fluido em excesso.”…kkkkkkk
    É, pós-graduando sofre!!

  15. Patricia Irish 08.07.14 at 09:55 - Reply

    Depois que passa a gente acha engraçado , mas na hora dá um desespero terrível.
    Faltando três dias para a entrega da monografia à banca, acredite se quiser, o meu net e o pc quebraram, os dois notebooks dos meus irmão também e eu ainda precisa fazer algumas correções. Fiquei desesperada. Salvei uma cópia do trabalho no pendrive de uma colega, pra corrigir em algum outro pc, mas, o pendrive tava cheio de vírus, na hora de abrir, cadê? Não tinha nada, só o atalho. Pra minha sorte, tinha salvo (nem lembrava), uma cópia da mono no meu e-mail (minha salvação). Por fim, consegui corrigir no computador do vizinho da minha tia (Deus sempre manda alguém,né? srsrs). Como tinha feito em um word diferente, na hora de impirmir, ficou tudo desconfigurado. Mas enfim, consegui. Pode parecer difícil de acreditar, mas, tudo isso aconteceu comigo. Valeu a pena, o trabalho foi muito elogiado.

Leave A Comment