A pós-graduação e as consequências da Lei de Murphy

A Lei de Murphy na pós-graduação continua implacável. Se você já viveu alguma implicação da famosa Lei de Murphy em sua vida acadêmica, envie para o @posgraduando que a gente publica no próximo post desta série.

Veja aqui mais alguns postulados da Lei de Murphy na pós-graduação:

→ “Os assuntos mais simples de discutir são aqueles dos quais você não entende nada.”

→ “A referência mais importante do seu trabalho sempre estará em uma língua que você nem sabia que existia.” (via @hell_ribeiro)

→ “A chance do seu artigo ser recusado pelo consultor é diretamente proporcional ao tempo de espera pelo parecer. “

→ “A qualidade percebida da sua tese nunca será superior à da sua pior citação.” (via @acfrery)

→ “Para todo problema complexo há uma solução simples, precisa e… errada.”

→ “Entre duas hipóteses prováveis, sempre acontece uma terceira, improvável.”

→ “Os avaliadores do seu artigo serão os autores dos trabalhos que você esqueceu de citar. “(via @acfrery)

→ “Se há possibilidade de várias coisas darem errado no seu experimento, todas darão – ou a que causar mais prejuízo.”

→ “Sempre que você tem as respostas certas, ninguém está te fazendo as perguntas.”

→ “Quando um trabalho é mal feito, qualquer tentativa de melhorá-lo só o piora.”

→ “Acontecimentos infelizes sempre ocorrem em série.”

→ “O valor de uma pesquisa é proporcional ao peso de seus relatórios.”

→ “As peças que exigem maior manutenção ficarão no local mais inacessível do aparelho.”

→ “A Natureza está sempre à favor da falha.”

→ “Ninguém ficará telefonando para você ou te chamando para sair se não houver trabalho algum a ser feito.”

→ “Independente do resultado de uma experiência, existirá sempre alguém querendo:
1. Interpretar a experiência incorretamente
2. Falsificar sua experiência ou
3. Acreditar que ela justifica a sua própria teoria.”

→ “Toda a idéia revolucionária provoca três estágios:
1º. é impossível – não perca meu tempo.
2º. é possível, mas não vale o esforço
3º. eu sempre disse que era uma boa idéia.”

Aviso aos estressadinhos: o conteúdo deste post é de caráter irônico-sarcástico-humorístico. Releve.

By |2016-05-11T17:04:19+00:0019-06-2010|humor|11 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

11 Comments

  1. cristiane costa 20.06.10 at 09:42 - Reply

    Se você deixar para imprimir seu trabalho no dia da entrega, uma das três coisas vai acontecer:
    sua impressora vai pifar
    o toner da impressora vai acabar
    o papel será insuficiente
    Se você imprimir seu trabalho na véspera, nada disso vai acontecer.

    • Tatiana 23.04.12 at 19:55 - Reply

      Faltou: a versão errada do trabalho será impressa. Aconteceu comigo.

    • Elizângelo Lopes 27.04.13 at 10:44 - Reply

      aconteceu comigo!!!

  2. realexo 29.08.10 at 21:23 - Reply

    O avaliador do seu projeto na Fapesp será aquele professor que seu orientador chamou de palhaço no último congresso.

  3. ricardoszm 02.11.10 at 01:19 - Reply

    Nossa @realexo, isso realmente aconteceu com você?

  4. Tatiana 23.04.12 at 19:58 - Reply

    A sua dissertação tem uma pesquisa qualitativa. A banca será formada por 2 pesquisadores que só acreditam em métodos quantitativos, sendo que um deles não gosta nem um pouco de você (sempre solta alguma piadinha que você nunca pode responder de volta para não ter piores consequências).

  5. Jana 25.07.12 at 10:32 - Reply

    Você escreveu um artigo maravilhoso, bom mesmo mas no meio do texto tem um único parágrafo que ficou na média. Adivinha só é justamente aquele parágrafo que o seu orientador lê na revisão.

  6. Amanda Caroliny 09.02.13 at 06:45 - Reply

    Quanto mais próximo da defesa ou da qualificação maiores as chances de vc perder seu pen drive.

  7. Luana Jotha 11.02.13 at 18:01 - Reply

    Faltou: a gráfica que você mandou entregar sua dissertação para impressão terá um vírus maligno nos computadores que desconfigurarão seu arquivo, mesmo em pdf, gerando versões com erros diferentes para cada integrante da banca. Olha que legal! E como são erros diferentes, nem errata pode ser feita!

    Legal, ne?

  8. VALTER 30.03.15 at 03:31 - Reply

    FALTOU: Você tem sua Tese de Doutorado gravada em 4 computadores, 2 pendrives e 2 DVD, todos com última gravação um dia antes da Defesa. Na manhã do dia da defesa da Tese, marcada para as 14:00 horas, chega-se cedo para uma última passada na apresentação e…? DEU PAU!!! nem um dos arquivos em quaisquer mídia abriu! E GORA O QUE FAZER DEPOIS DE TANTAS TENTATIVAS E NADA? UMA MANHÃ DE AFLIÇÃO E AÍ, VOCÊ LARGA DE MÃO TUDO AQUILO E COMEÇA A PREPARAR O PLANO B (qual seja: “Na hora marcada vou apresentar meu problema à Banca Examinadora e….”). Após muitas reflexões, sentado as margens de rio, nada mais a fazer. Momentos antes da apresentação UMA ÚLTIMA TENTATIVA JÁ NA PRORROGAÇÃO (faltando 30 minutos para as 14:00 horas), VOLTO AO LABORATÓRIO, OLHO PARA O COMPUTADOR, E ME PERGUNTO, POR QUE NÃO ABRISTES MEU ARQUIVO? MIRO-O NOVAMENTE E DE SÚBITO DIGO: VOU LIGÁ-LO DE NOVO E….TCHAM, TCHAM, TCHAM….ABRIU NO PRIMEIRO COMPUTADOR, LINDA E MARAVILHOSAMENTE BEM CONCEBIDA MINHA APRESENTAÇÃO. Confiante tratei de salvar em um DVD virgem e A APRESENTAÇÃO FOI UM SUCESSO. COMEÇANDO, inclusive, PONTUALMENTE AS 14:00 horas.

    (Aconteceu a 12 anos atrás)

  9. Marcos 03.06.15 at 06:44 - Reply

    O único autor que você decide não citar, por nao saber exatamente onde encontra a frase e a referência correta, é aquele que o arguidor da banca examinadora ( que por acaso está fazendo doutorado na mesma linha do seu TCC) cobra no seu trabalho, te fazendo perder pontos da nota geral.

Leave A Comment