• Um paralelo entre a Copa do Mundo e a vida acadêmica

A Copa do Mundo da vida acadêmica

Com o tal do grande evento da Copa do Mundo batendo à nossa porta violentamente, fui obrigada a tentar entender um pouco mais como funciona a estrutura deste campeonato e olhar um pouco (mas não muito) mais para o futebol. Essa minha inserção no assunto era mais ligada à forma de organização da competição em si, dadas as últimas notícias referentes às eliminatórias e os países que “carimbaram o passaporte para o Brasil”.

Assim, perguntando aos meus colegas entendidos do assunto, e ainda juntando com as informações que pude buscar nos meios de comunicação relacionados ao assunto, foi impossível não traçar um paralelo entre a disputa para chegar ao grande título de campeão do mundo e a vida acadêmica. Então, sem mais delongas, vamos às minhas comparações.

ELIMINATÓRIAS
Ocorrem a cada quatro anos e são o passaporte para o grande campeonato. Ora essa, estamos falando da graduação! São (no mínimo) quatro anos nesta preparação, e as suas possibilidades no futuro vão depender de o que (e como) você produziu nesse tempo. Se você for tiver bons resultados durante estes quatro anos, será bem sucedido nas seleções de pós-graduação e terá o seu “passaporte carimbado” para um bom curso de pós-graduação (teoricamente).

FASE DE GRUPOS
Aqui são oito grupos com quatro seleções cada um, que se confrontam diretamente e as duas primeiras equipes de cada grupo passam para a próxima fase. Alguma semelhança com as seleções de mestrados e bolsas de estudos?

OITAVAS DE FINAL
Logo depois da fase de grupos, onde a quantidade de times baixou pela metade. Soa-me como o curso do mestrado, onde apenas “os selecionados” seguem, dia a dia na batalha para chegar até o final. Não é a toa que esta etapa da Copa do Mundo funciona no esquema de “mata-mata”, onde quem perde o jogo está eliminado.

QUARTAS DE FINAL
Continuam no esquema do “mata-mata” e mais uma vez o número de times cai pela metade. Sendo comparado a um time que partiu para a próxima etapa, é o final do mestrado e está, dependendo da área de atuação, capacitado para um bom rumo na vida profissional. A comparação com o mata-mata cabe bem na parte de quantos, daqueles que começaram lindos, vão concluir em dois anos?

Se você, como eu, meu amigo, sente que é obrigado a seguir na luta, seu próximo passo é a seleção do doutorado. (Aqui nem vou falar da busca pelo orientador, que fica para um próximo post também).

SEMIFINAL
Aqui estão apenas quatro. Aqueles quatro gênios que conseguiram um orientador, passaram pela aprovação do projeto, exames, entrevista… São apenas os quatro melhores, aqueles que conseguiram passar livres e ilesos (será?) por todas as outras etapas, para enfim chegar à… Bom, a disputa do terceiro lugar. É meio triste, não é? Parece-me que os dois que disputam o terceiro lugar são perdedores e disputam para ver quem é mais perdedor, então vou pular esta etapa (omissão de dados científicos para melhorar o resultado?).

FINAL!
Aqui, estão aqueles que chegaram à qualificação da tese. Aquela disputa para ser campeão e ter o título! Seja este de doutor ou de campeão do mundo, a questão é que a vida não para por aqui, afinal, logo vem outra Copa, ou o pós doc…

By |2015-11-01T09:43:24+00:0002-12-2013|humor|0 Comments

About the Author:

Professora de História, mestranda em Gestão do Patrimônio Cultural pela Universitat de Girona, na Espanha e buscando especialização na área do turismo cultural e gestão de empresas culturais.

Leave A Comment