Nesta época do ano, muitos candidatos a um curso de pós-graduação já passaram pelas provas de seleção e agora aguardam ansiosamente pelo dia da entrevista. A sensação de que as pessoas estão lhe avaliando nunca é agradável, mesmo para os candidatos mais preparados. Que atire a primeira pedra quem não sentiu um “friozinho na barriga” antes de iniciar uma entrevista de seleção, seja ela de emprego ou de pós-graduação.

As regras do jogo
Em um processo seletivo de pós-graduação, a entrevista é realizada após a prova escrita e a análise de currículo. Uma banca de três ou quatro professores irá argüir o candidato durante um período de tempo que pode durar de dez a trinta minutos, dependendo de cada caso e de cada programa de pós-graduação.

O quê os professores procuram?
Saber o que será avaliado ajuda muito na hora de preparar-se para a entrevista. Em via de regra, os professores querem saber se domina o assunto da sua área de pesquisa, se conhece detalhadamente os pontos do seu projeto de pesquisa, se terá tempo/motivação para concluir o curso e se irá depender ou não de bolsa de estudos.

Estude seu currículo
A entrevista de seleção é uma excelente oportunidade para os entrevistadores para verificar a veracidade dos trabalhos que constam no seu currículo. Procure demonstrar durante a entrevista como que a sua experiência profissional/acadêmica até aquele momento pode contribuir para o seu desempenho durante o curso. Caso possua, coloque em destaque os projetos de iniciação científica e as participações em congressos, que são bem avaliadas.

Estude seu projeto
Durante a entrevista com certeza haverá perguntas sobre itens específicos do seu projeto. Os professores irão avaliar a sua capacidade de defendê-lo, de convencê-los sobre a importância e a originalidade da pesquisa. Perguntas sobre pontos específicos da metodologia e da análise estatística são rotineiras nas entrevistas de seleção. Na verdade, o que os professores da banca procuram é a certeza de você dará conta de realizar o projeto e resolver eventuais dificuldades/problemas que surgirem – e pode apostar que irão surgir – durante a execução do mesmo.

Sua motivação
Um curso de mestrado ou doutorado exige grande força de vontade do aluno. Haverá dias em que você sentirá vontade de abandonar tudo. E as desistências são computadas negativamente na avaliação trienal promovida pela Capes. Por isso, existe um cuidado por parte dos professores em selecionar alunos que transmitam segurança de que irão completar o curso dentro do prazo estipulado. Para conseguir expressar melhor sua motivação, saiba que um curso de pós-graduação stricto sensu invariavelmente prepara profissionais para o ensino e para a pesquisa. Deixe bem claro o quanto o curso é fundamental para o plano de carreira que você almeja.

Sobre as bolsas de estudo
Se você depende de bolsa de estudo para poder cursar o mestrado ou o doutorado, seja sincero. Tem gente que acredita que se disser que seu ingresso no curso está condicionado à possibilidade de bolsas, irá reduzir as chances de aprovação. Mas mesmo que isso seja verdade, de que adianta ser aprovado, não conseguir a bolsa e ter que desistir do curso?

Para finalizar, não custa procurar conhecer o programa, as linhas de pesquisa e as disciplinas do curso antes de ir para a entrevista. Além de demonstrar interesse, pode convencer os entrevistadores que você tem uma boa noção do que te espera pela frente.