A resenha crítica não é apenas um resumo informativo ou indicativo. A resenha deve ser entendida como uma análise interpretativa e, por esse motivo, irá depender da sua capacidade de relacionar os elementos do texto lido com outros textos, autores e idéias sobre o tema em questão, contextualizando o texto que está sendo analisado.

Ao elaborar uma resenha crítica deve-se procurar resumir o assunto, apontar as deficiências e/ou pontos que, sob a sua ótica, poderiam ser melhor trabalhados (lembre-se que tais pontos podem estar fora do escopo da obra analisada), sem entrar em muitos pormenores e, ao mesmo tempo, destacar os pontos fortes com ponderação e sem bajular. Como uma síntese, a resenha deve ir direto ao ponto, mesclando momentos de pura descrição com momentos de crítica direta.

Muita gente ainda fica em dúvida sobre a estrutura de uma resenha, e é claro que existem algumas sugestões que podem ser bastante úteis. Entretanto, deve-se pensar nessas sugestões de estrutura como um guia para a sua redação, e não como um formulário. O texto deve ser uno, fluído e suas opiniões devem estar dialogadas com as do autor resenhado ao longo do texto todo, e não apenas no final.

Sugere-se que a resenha não seja muito extensa, e que seja um texto corrido, isto é, não devem ser realizadas separações físicas entre as partes da resenha, como a subdivisão do texto em resumo, análise e julgamento, por exemplo.

Com estas ressalvas em mente, confira algumas orientações utilizadas na disciplina de Metodologia em Ciência da Informação do curso de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UnB sobre a estrutura de uma resenha crítica, lembrando que não são itens de formulário, que a redação deve ser corrente, que tais tópicos são apenas diretrizes e que não precisam, necessariamente serem trabalhados nessa ordem:

1. Situe o texto no contexto da vida e da obra do autor, assim como no contexto da cultura de sua especialidade, tanto do ponto de vista histórico como do ponto de vista teórico;

2. Explicite os pressupostos filosóficos do autor que justifiquem suas posturas teóricas;

3. Aproxime e associe as idéias do autor expressas na unidade com outras idéias relacionadas à mesma temática;

4. Exerça uma atitude crítica frente às posições do autor em termos de:

a) coerência interna da argumentação;

b) validade dos argumentos empregados;

c) originalidade do tratamento dado ao problema;

d) profundidade de análise do tema;

e) alcance de suas conclusões e conseqüências;

f) apreciação e juízo pessoal das idéias defendidas.

Este post foi escrito com base no material gentilmente enviado pelo Prof. Dr. André Porto Ancona Lopez, do blog Metodologia em Ciência da Informação. Gostaríamos de expressar aqui nosso reconhecimento e nossa satisfação pela parceria entre os blogs.