• Nova versão da Plataforma Lattes: alcançando a web “2.0”?

Como os cursos de Pós-Graduação mudam as pessoas

Fiz essa enquete em meu perfil no Facebook para saber como as pessoas entraram e saíram do mestrado. Achei algumas respostas particularmente engraçadas, resolvi compartilhar. Lá vai:

  1. Você vai entrar na pós-graduação sendo uma pessoa saudável. Vai sair com uma gastrite, e sintomas iniciais de esquizofrenia e psicose.
  2. Você vai entrar na pós-graduação “bebendo socialmente”. Vai sair viciado em café, cigarros e álcool, e, se seu projeto envolve uma área da ciência particularmente difícil, existe uma grande chance de sair viciado em sedativos para cavalos.
  3. Você vai entrar na pós-graduação achando que é possível se sustentar com o valor da bolsa. Vai sair mais endividado que o Banco Santos.
  4. Você vai entrar na pós-graduação achando que dois anos é tempo suficiente para escrever uma dissertação. Vai sair procurando onde foram parar estes dois anos, já que pra você pareceram somente dois meses sem dormir.
  5. Você vai entrar na pós-graduação parecendo uma pessoa normal. Vai sair com olheiras mais fundas que o Grand Canyon e sem pentear os cabelos há três meses.
  6. Você vai entrar na pós-graduação acostumado a dormir como uma pessoa normal. Vai sair tendo dormido menos que um soldado na guerra do Vietnã.
  7. Você vai entrar na pós-graduação habituado a sair nas sextas. Vai sair achando que o calendário só tem segundas-feiras.
  8. Você vai entrar na pós-graduação tendo uma namorada. Vai sair mais celibatário que um habitante de uma ilha deserta.
  9. Você vai entrar na pós-graduação achando que sua pesquisa vai mudar o mundo. Vai sair perguntando quem seria idiota o bastante para usar o que você descobriu.
  10. Você vai entrar na pós-graduação pensando em aprender outra língua, algum instrumento musical ou a velejar. Vai sair tendo lido 783 artigos, mas já esquecendo como se diz “bom dia” na sua língua nativa.
  11. Você vai entrar na pós-graduação tendo horários regulares. Vai sair almoçando às 9:00, jantando às 00:00 e dormindo entre os experimentos.

_________________________________________

Texto escrito por Ricardo Mayrinck

By |2015-11-01T09:43:40+00:0031-05-2012|humor|37 Comments

About the Author:

O posgraduando.com é um espaço na internet para troca de experiências, opiniões, depoimentos, dicas, tutoriais, humor e debates saudáveis sobre o meio acadêmico. Para participar também, leia nossas instruções aos colaboradores.

37 Comments

  1. Tatiana 31.05.12 at 12:03 - Reply

    Tá faltando: Você entra na pós-graduação como uma pessoa que faz atividades físicas regulares. Vai sair com problemas na alimentação e com problemas nos joelhos.

     Aconteceu comigo.

  2. Jam Feitosa 31.05.12 at 15:03 - Reply

    Os alunos de física já saem da graduação com quase todos esses sintomas
     

  3. Tais 31.05.12 at 15:53 - Reply

    Você entra na pós-graduação sabendo basicamente tudo o que acontece na mídia ou coisas com o seu nome, de sua família, seu endereço, telefone. Com uma vida relativamente saudável, durante o “processo”, percebe que algumas palavras não param de martelar sua cabeça, tais como: prazos, seminários, artigos, orientador, o nome do deu orientador. Percebe que sua alimentação já não é mais tão saudável assim e no fim das contas, seu colesterol está mais alto do que seu rendimento deveria estar e sua quantidade de sono é inversamente proporcional….

  4. Marcus 31.05.12 at 16:55 - Reply

    Engraçado, de que planeta esses autores do pós-graduandos são. Nada dessas coisas acontece com esse drama todo. O problema ai não é a pós-graduação ser essa dificuldade toda mas sim a vida desorganizada que alguns alunos sempre tiveram e que acaba refletindo quando eles entram no curso.

    • Bianca 14.09.12 at 17:22 - Reply

      Concordo. Seguindo a dica da minha orientadora, se a gente estuda cada dia um pouquinho, logo tudo está pronto antes dos prazos. O importante é organização e determinação.

    • Joana 27.09.12 at 16:16 - Reply

      O exagero faz parte do bom humor, coisa com o tempo a gente também perde na pós graduação.

    • Rodrigo 01.04.14 at 17:29 - Reply

      Quando eu entrei na pós tb achava q era exagero… mas durante o processo vc descobre q é bem pior do q as pessoas descrevem!!!

      • Hilda Rebello 25.09.15 at 23:55 - Reply

        Também acho…Acabei de terminar o mestrado. Te impõem dificuldades, terrorismo, aquela babaquice toda…Parece que se não for assim não é normal… Parece uma coisa meio “cultural” da pós. Fiz artigos, participei de eventos, congressos, e leciono na graduação. Sinceramente, se vc tiver um bom orientador, se planejar etc, as coisas transcorrem tranquilamente. Tirando o meu trabalho que amei, o resto…..

  5. Alecrides 31.05.12 at 17:00 - Reply

    adorei, dei ótimas gargalhadas principalmente naquela do cabelo despenteado…eu tava assim mesmo! kkkkkk

  6. Rafa Nandes 31.05.12 at 17:18 - Reply

    O lance da gastrite é mais que verdade…. Jesuis… e ainda por cima tem doido (que nem eu) que ainda topa fazer doutorado…. vai gostar de sofrer na China…. kkkkkkkkkkk

  7. Débora 31.05.12 at 20:35 - Reply

    INFELIZMENTE EU CONCORDO… Ô VIDA DURA, E OLHA QUE ACABEI DE ENTRAR NA PÓS-GRADUAÇÃO…. :/

  8. Fabio 01.06.12 at 19:25 - Reply

    Sou pós graduando da usp. Não possuo bolsa porque trabalho. Discordo de absolutamente todas as citações. Estas tonteiras só acontecem com quem não arruma emprego depois de formado e não tem perfil para a pesquisa. Aí, entra numa pós por causa da bolsa e depois precisa se descabelar para dar conta. 

    • Fernando 08.08.13 at 12:10 - Reply

      Humor também é uma coisa que se perde após entrar na pós-graduação, principalmente em pós que fazem parte da USP, não é mesmo Fabio? Não entendeu que isso foi uma brincadeira, pelo amor de Deus, esse povo tem perfil para pesquisa e tals e isso parece “inteligencia”, mais pelo que ando observando, perfil para pesquisa é inversamente proporcional a inteligencia minima para o menos entender oque é brincadeira, sarcasmo e ironia!

      • Gustavo 23.03.14 at 20:38 - Reply

        “mais”? Seu post depõe contra você mesmo!

    • Isac 23.03.14 at 20:04 - Reply

      Minhas desculpas caro Fábio, mas não compartilho de sua opinião. Também trabalho e estou fazendo mestrado acadêmico, e e nem é na USP, mas já passei por poucas e boas nestes dois anos. Claro que estas citações são hipérboles bem humoradas, mas dizer que é só por causa da bolsa, acho um exagero. Eu sou a prova de que você é exceção. Parabéns por se sair tão bem em uma pós da USP e ainda ter tempo para trabalhar, namorar e ter vida social sem preocupação!

    • Rodrigo 01.04.14 at 17:35 - Reply

      Pra qm faz pos na área de ciências biológicas essas descrições se encaixam direitinho. E no meu caso e de muitos amigos, é praticamente impossível trabalhar e fazer pós. Pois além das aulas, que muitas vezes são disciplinas condensadas ainda tem as inúmeras horas de experimentos no laboratório, portanto sobra um pouquinho de tempo para se tentar ter uma vida “saudável”(lê-se, comer alguma coisa e dormir)…

  9. Ana Paula 13.06.12 at 12:45 - Reply

    1 (doente): check ✓
    2 (viciada): check ✓
    3 (lisa): check ✓
    4 (atrasada nos prazos): check ✓
    5 (olheiras): check ✓
    6 (sono): check ✓
    7 (sem vida social): check ✓
    8 (forever alone): check ✓
    9 (meus resultados não levam a nada): check ✓10 (sem relógio biológico): check ✓

  10. Camila 14.09.12 at 22:30 - Reply

    Não é bom ai, todos esses “problemas” acontecem mas por conta da preocupação e da importância com que a pessoa põem em cima da pós graduação do que ela de fato causa na pessoa, afinal quantas pessoas tem título de pós graduação e tiveram suas vidas sociais normais, sem maiores problemas. O que acontece é que a maioria deixa para ultima hora e ai sim os problemas começam aparecer.

  11. Francine Oliveira 21.09.12 at 16:58 - Reply

    E alguém aí falou q se estudar cada dia um pouquinho vc fica com tudo dentro dos prazos! Ri mais com isso que com o post inteiro! Na pós vc já entra com os prazos atrasados e eu, pelo menos, estou estudando cada dia um montão e continuo apertada nos prazos hahahahaha

  12. Francine Oliveira 21.09.12 at 17:02 - Reply

    outra coisa que ficou faltando é que vc entra sem problemas graves de saúde na pós e sai dela com falta de vitamina D (tem 2 semestres meu exame dá abaixo do recomendado) e pelo menos duas hérnias!

  13. Joana 27.09.12 at 16:22 - Reply

    Gente tem muito mais comentários confirmando do que contrariando, vamos fazer uma análise estatística da proporção dessas variáveis, é possível que alguns abençoados não passem apertos na pós, mas no geral é de pirar mesmo e “perfil para pesquisa” pra mim tem começado a significar “louco”

  14. Simone 08.05.13 at 21:05 - Reply

    Durante o período em que você fica escrevendo a sua tese ou dissertação, você pode virar um urso panda…pois, fica branco (por que fica só em casa trancado escrevendo, gordo (porque fica só sentado lendo, escrevendo e comendo) e com olheiras (por que dorme muito pouco). Mas ainda assim….somos felizes!!!

  15. Eduardo 26.07.13 at 16:53 - Reply

    hahaha…. muito bom, fiz mestrado e agora estou no doutorado, me identifiquei com todas….hahahaha

  16. Thaís 31.07.13 at 00:53 - Reply

    Eu fiquei acabada, dormindo muito pouco e aos poucos, branca, pálida, com olheiras, doente de uma tendinite no ombro que chegou ao punho e à mao direita a ponto de precisar imobilizar o braco inteiro (digitacao excessiva). O prazo correndo e eu imobilizada, foi lindo, só que nao. Sem falar das dores nas costas e da alimentacao desregulada, assim como o sono. Foi o inferno!!!!! Aos muito poucos que dizem que nao passaram por NADA disso, e que ainda tem a estupidez de nos chamar de desorganizados, vao pra p… pro doutorado amores, pro pós doc, vao, vao, vao!!!! (acentos omitidos)

  17. Ianne 31.07.13 at 02:57 - Reply

    E eu, idiota, confiando nas minhas language skills, me propus a fazer um mestrado em alemao. Estou no final do primeiro ano e já perdi metade dos cabelos!!! Os que perdi no final do primeiro semestre já cresceram de novo estao com seus 3 ou 4 centímetros – e teimam em olhar para o céu… nenhuma roupa cabe em mim… enfim…

  18. Anna 22.01.14 at 18:12 - Reply

    Alguns dos itens são perfeitos…estou acabando o doutorado onde conciliei pós-graduação, emprego e filha…e como diz um amigo meu “sou uma pessoa quimicamente controlada” com hipertensão e problemas psicológicos…mas gosto do que faço…isso é como uma cachaça!

  19. Clara 23.03.14 at 17:04 - Reply

    Como é? Ler um pouquinho cada dia? Organizar-se?
    Como se de uma aula para outra os professores dão um livro, uma tese, mas 3 artigos para ler….por disciplina? Fazer 24 créditos, publicar artigos e escrever uma dissertação em dois anos ou, no caso do doutorado, 48 créditos, artigos, tese, estágio docência e ainda atender nosso orientador…..bom, deve ser uma questão de organização mesmo….acho que vou repensar o que ando fazendo da meia noite às 6 da manhã….

  20. Deborah 23.03.14 at 19:07 - Reply

    Eu ri alto de todos da lista, pois me vejo em praticamente 90% deles! Estou doente: transtorno de ansiedade que adquiri no mestrado. Problemas gastrointestinais, dores de cabeça sem fim, lombalgia, sem contar na insônia, muitos pesadelos, olheiras, sem vida social nenhuma, todos os dias são iguais… Pra quem acha que é desorganização é porque teve todas suas coletas de dados e análises ocorridos em perfeito estado, sem burocracias, sem precisar repetir, sem sanduíche…

  21. Eliane 23.03.14 at 22:48 - Reply

    É bem como citou uma colega: ser bem humorado faz parte da vida de uma pessoa normal rs…da pra ver que tem muito pós graduando que já nem se lembra mais o que é rir de algum exagero e leva tudo ao “pé da letra” kkkkkkkkkkkkk

  22. Maianne 24.03.14 at 00:33 - Reply

    Nossa gente fiquei abismada com os comentários e ver que tudo de negativo e desgastante no mestrado é verdade, acho que até agora aqui sou a única que está no final da graduação e naquela fase de dúvida cruel…(fazer ou não fazer mestrado? eis a questão), mas depois de tudo isso estou pensando seriamente em seguir outro rumo… #fiqueicomtrauma rsrs.

  23. mari 24.03.14 at 10:49 - Reply

    Sofri jm pouco com a confecção do pré projeto e os exames de seleção para o mestrado em latim pela ufrj. Mas com isso jà comecei a dividir os capítulos e a traduzir os textos. Sou bolsista e casada e ainda tenho uma vida social senão piro de vez. Quem sabe daqui a 2 anos posso estar quase morremdo mais serei realizada.

  24. Luiza 25.03.14 at 21:21 - Reply

    Comecei o mestrado pintando os cabelos por opção, já no terceiro semestre os pinto por necessidade.
    No mais, só consigo produzir no desespero dos prazos. Passo o mês inteiro lendo artigos, teses e dissertações e tornando a lê-los ad infinitum. Tá difícil, viu?

  25. Ve 31.03.14 at 18:09 - Reply

    Gente isso é muuito verdade. Estou terminando o mestrado e no começo do doutorado, ficar sem dormir e ter pesadelos quando finalmente durmo é muito comum…O programa de pós em que faço ainda exige 56 créditos, tanto no mestrado, como no doutorado….

  26. Graci 06.04.14 at 19:54 - Reply

    Acredito que apesar do sacrifício e dos momentos “terríveis” que passamos, vale a pena, pois estamos estudando para algum fim. Eu Amo estudar e por isso, acredito que vale a pena passar por isso. Não podemos apenas reclamar e ver o lado negativo, pois desta forma ficaremos loucos!!!

  27. Tatiana 01.07.14 at 12:25 - Reply

    Concordo plenamente…principlamente (no meu caso) para quem dá aulas em duas escolas, com cerca de 300 alunos para dar conta…hahahah!

  28. felipe 09.06.15 at 05:31 - Reply

    você acha que já não tem mais relógio biologico? espera até entra na pós…
    afinal de contas, dormir e comer é para os fracos :/

  29. Lucas 26.09.15 at 03:56 - Reply

    Nossa… senso de humor passou longe de alguns aqui hein?! Realmente, tem gente que passa pela pós-graduação e não sente nada disso aí, como também não publica, não participa de congressos… faz só o básico exigido no regulamento do programa, defende a dissertação/tese em menos de duas horas (tem uma linha aqui do meu programa que consegue esse feito, pense o naipe das pesquisas), e sai diplomado/a e saudável. Passei e passo por tudo isso aí, estou tendo uma crise de gastrite nesse momento… e com peso na consciência pq deveria estar trabalhando na minha tese! rs

Leave A Comment