Anhanguera realiza demissão em massa de professores mestres e doutores

O que acontece quando a educação vira mercadoria
A Anhanguera Educacional tornou-se uma empresa S.A., com ações na bolsa de valores e uma agressiva política de compra de outras instituições. Depois de gastar R$ 800 milhões com a compra de 12 redes de ensino, o grupo tornou-se a maior rede de ensino do país. Só no ABC a Anhanguera já adquiriu a Faenac, em São Caetano, a Anchieta e a Uniban, em São Bernardo, a UniA e a UniABC, em Santo André.

Com a aquisição de tantas faculdades, era de se esperar que houvesse mudanças no quadro de professores, promovendo assim um alinhamento com as diretrizes do grupo. No entanto, o que acabou acontecendo foi muito mais que isso.

As demissões em massa
Segundo dados da Federação dos Professores de São Paulo (Fepesp), o Grupo Anhanguera demitiu apenas no Estado de São Paulo 1.497 professores. E esse número deve ser ainda maior, uma vez que há relatos de demissão em outros estados, como Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul.

Especula-se que a Anhanguera deseja reformular seu quadro com professores de titulação mais baixa. Segundo professores da Anhanguera, a instituição paga a um mestre o valor de R$ 38,00 por hora-aula e, agora, deverá pagar R$ 26,00 aos novos contratados.

O outro lado
Por nota, a Anhanguera Educacional afirma que “A Anhanguera realizou um grande ciclo de aquisições em 2011, com 12 instituições adquiridas, e que a atualização do corpo docente é necessária para adaptar os currículos das novas unidades ao padrão de qualidade dos cursos da Anhanguera. Neste ajuste, a instituição reduzirá o numero de professores temporários, mas também fará contratações de outros em regime integral”, diz a nota.

Verdade seja dita
A incoerência da nota publicada pelo grupo Anhanguera encontra-se no fato de que foram realizadas demissões radicais em praticamente todas as faculdades do grupo, ou seja, não foram apenas as 12 instituições adquiridas em 2011 que tiveram baixas em seu quadro docente.

Outro aspecto curioso é que 2011 foi ano de avaliação institucional das faculdades do grupo pelo MEC, e os avaliadores do governo encontraram um quadro de professores mestres e doutores que não se encontram mais nas faculdades. A grande sacada aí é que legalmente, as universidades precisam ter ao menos 1/3 de professores com mestrado ou doutorado. Mas há o entendimento de que a porcentagem diz respeito ao número de docentes, não à quantidade de aulas dadas.

E eu com isso?
Imagine a situação absurda: professores qualificam-se com titulação de mestres e doutores e são penalizados exatamente porque estudam.

Sem mencionar que as oportunidades de emprego para mestres e doutores vão acabar se reduzido às instituições públicas, principalmente em regiões como a Grande São Paulo, onde o grupo comprou grande parte das instituições.

“Só dava aula naquela instituição. Sei que na região minhas opções diminuíram, pois não vou procurar nas que integram o grupo. Além disso, a qualidade do ensino fica prejudicada, uma vez que preferem contratar profissionais com menos experiência e estudo”, lamenta o professor em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Para finalizar, a pergunta que não quer calar: “Por que será que o MEC não toma uma atitude a respeito deste sucateamento do ensino privado superior no país?”.

By |2016-01-19T16:18:38+00:0027-01-2012|debates, docência, notícias|199 Comments

About the Author:

Criador e editor de conteúdo do blog, é portador de uma imaginação hiperativa e de uma necessidade patológica de estar sempre bem-humorado. Acredita que a Pós-Graduação, como tudo na vida, pode ser interessante, divertida e descomplicada.

199 Comments

  1. Darlan 27.01.12 at 10:35 - Reply

    Nobre posgraduando, o MEC não toma uma atitude por um motivo bem simples. A política governamental do PT é quantitativa. Isso é claro e declarado sem parcimônia. Se é bom ou ruim, já é outra história. Mas é a realidade do ensino superior no Brasil. 

    • Soniacerqueira 28.01.12 at 07:43 - Reply

      Quantitativa ou “interessativa”? 

    • Fernando 28.01.12 at 14:23 - Reply

      Darlan desculpe, ma o PT implantou o melhor plano de ensino superior que esse país já teve, falo isso porque temos o respaldo dos dados estatísticos, o numero de universidades publicas que esse governo implantou em 8 anos, a média de trabalhos publicados nos últimos 9 anos foi o maior que esse país já teve em toda sua história e ainda podemos citar o investimento em pesquisa, bateram recorde nos no governo PT, fornecendo bolsas e subi-sídeos a pesquisa dos pós-graduandos,  a área de pesquisa no Brasil nos governos anteriores era totalmente sucateada, o resultado desse investimento em educação também é visível na nossa economia. Ainda vale ressaltar os programas de ação afirmativas e o PROUNI e FIES, agora com isso td não da pra criticar o PT na área de ensino superior. Tenho que concordar que essa situação do ensino superior privado é complicadíssima, há vários ganchos que geram um numero muito grande de problemas e discussões.

      • RapGangsta 03.02.12 at 08:40 - Reply

        Em que país você vive Fernando????????
        Se for no Brasil, deve acreditar em papai noel.
        A qualidade do ensino superior no Brasil está uma porcaria. Sei de casos que o graduado não consegui redigir uma simples declaração.

        • Lorenzzo 27.02.12 at 10:16 - Reply

          Eu sou professor universitário e confirmo; os alunos de graduação tem muitas dificuladades e SIM o governo quer apenas quantidade!!!

        • Galileu 04.03.12 at 10:45 - Reply

          Embora só concorde parcialmente com o Fernando, tenho que admitir que ele ia muito bem na sua argumentação… até escorregar na palavra “subi-sídeos”.  Além disso, a falta de acento em algumas palavras e erros de concordância nominal demonstram pouco cuidado com a língua portuguesa, o que é inadmissível por parte de qualquer pessoa que tenha curso superior.
          Esta é uma das consequências da massificação do ensino universitário: a baixa qualidade dos profissionais formados atualmente.

        • Nell 21.07.13 at 23:15 - Reply

          RapGangsta, faculdade nao ensina ninguem redigir declaracao, a pessoa aprende a escrever no ensino basico. As faculdades melhoraram sim no governo do PT, pelo menos a publica. O que anda ruim eh o ensino basico, que passa os alunos sem saber nada. E antes que alguem fale alguma coisa, meu teclado nao tem acentos, por isso estou escrevendo algumas coisas errado.

          • Paulo 25.09.13 at 12:38

            Tá, a falta de acento é culpa do teclado… e a falta de concordância????

          • Paulo 09.05.15 at 09:51

            Isso,as públicas melhoraram…..na sua pobre consepção encher de gente desqualificada somente visando números quantitativos para iludir gente como você basta.
            Se informe melhor,USP e UNICAMP desceram no rank das melhores,despencaram.
            O fato de ter acesso pela porta dos fundos não é sinônimo de progresso e sim atraso.
            Entrar em uma pública pelo empurrômetro é uma coisa,se manter é outra e sair formado é missão quase que imposível,
            Acorde para a realidade!

          • Pedro 10.07.15 at 22:08

            USP, UNESP e UNICAMP são responsabilidade do GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO – PSDB… Vou repetir, PSDB.

            Vamos lá, o PT tem uma pá de defeitos. Ponto indiscutível. As estratégias para aumento do acesso a Universidade só não foram mais catastróficas porque ainda existe um sistema de seleção… o que agora com ENEM tende a ser menos criterioso. Maaaaaaaas… a criação de Universidades, nos últimos 20 anos é de fato conquista do PT. O investimento em programas de pós-graduações, também. Claro, com esse corte, estamos, com o perdão da palavra, no cu do peru. O PT também falhou na privatização dos hospitais universitários com a criação da EBSERH, e falhou no ajuste da carreira do docente, que está estagnada e não foi até hoje regulamentada. Pera lá, galera. Quer criticar. Saiba criticar, quem criticar, o que criticar. Agora sobre o GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. O PSDB tem a iniciativa de sucatear e promover o desmanche da Universidade Pública Estadual. Esse interesse, é claro, tem vistas a privatização de instituições como USP, UNESP e UNICAMP. Que poderiam ser vendidas, a grandes grupos como este. Resta saber é, dos CEOs destes grupos, quantos contribuíram para as campanhas dos tucanos? Se sim, já é entendível o sucateamento das estaduais. Façam vocês a matemática. O PT tem defeitos, tem… Mas os problemas da USP, UNESP e UNICAMP são causados pelo GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Saibam criticar. E eu completo, se o que foi escrito acima, foi escrito por algum docente da USP, UNESP ou UNICAMP, eu só sinto em dizer, mas… Como [email protected]@lh0 d’água, você não entende o sistema qual está inserido? Se é professor de uma federal, IDEM! Comparar USP, UNESP e UNICAMP com as federais é como comparar carne com leite!

          • Caroline 14.07.15 at 23:19

            Posso estar falando abóboras, pois não frequento o ambiente acadêmico das universidades públicas, mas no meu entendimento: no governo do PT teve um monte de porcaria para o ensino sim, sabemos. Mas também teve ProUni, FIEs, sem falar do Ciências sem Fronteiras, investimento em pesquisa, etc etc etc, coisa que garanto que a maioria aqui já usou ou tentou usar.

            Acredito que a maioria dessas ações do governo do PT nada mais são do que formas de garantir o acesso a educação privada – já que não é competente em oferecer educação pública – através da “transferência” de dinheiro público para instituições particulares. Não estou dizendo que isso é ruim, óbvio que não é, mas o que acontece é que as faculdades e garantem seu caixa, numa mistura de dinheiro público e provado e tem a coragem de pagar apenas 38 mangos/hora para um professor qualificado.

            Se essa galera não sabe escrever uma redação, como elas passaram no processo seletivo da faculdade??? Será que o vestibular era mal feito? Será que era só porque eles comprovaram que iam pagar a mensalidade certinho no fim do mês?
            E, se entraram tão mal assim, como eles são magicamente aprovados até conseguirem um diploma??? Será que é porque os professores estão desestimulados com os salários baixos?

            Sei que cabe ao governo garantir uma qualidade sobre o que se ensina, mas li os comentários e achei bem simplório culpar o PT por todos os males.

          • Ricardo 17.07.15 at 01:42

            Caroline, me desculpe, mas, transferir dinheiro público para instituições privadas é sim um erro enorme. Não é tendo acesso a curso superior que se melhora a qualidade do ensino. Esse tipo de instituição, como a Anhanguera, Unip, São Judas, São Marcos e todas as outras “Uniqualquercoisa” ou “Sãoqualquerporcarias”, não têm como premissa, a qualidade do ensino. Garanto que não é preciso prestar vestibular para ingressar em qualquer uma delas. Sendo que algumas ainda o fazem quase que mensalmente. Acredite, com RG em mãos você consegue se matricular em qualquer uma delas. Sim, são as famosas “pagou passou”. Claramente entre os alunos existem as exceções. Esses não são tão dependentes da qualidade dos professores dessas instituições. O que esse governo fez foi aumentar a quantidade de acesso a cursos superiores, e o maior problema em toda essa propaganda é que ela associa maior numero de universitário com maior qualidade de ensino o que não é verdade. Esse é o problema. Concordo que culpar o PT por todos os males é uma opinião realmente muito simplória. Mas é o PT quem está tentando simplificar o entendimento de qualidade de ensino no país. (PS: não sou partidário nem de PT nem PSDB)
            Aproveitando outros comentários acima, entendo e sei perfeitamente a quem cabe a competência sobre universidades estaduais e federais. Estudei na UFSC e na USP, e posso garantir que a QUALIDADE entre as duas destoa e muito.

          • Inocente 10.09.15 at 14:40

            É realmente incrível que num site com título de “posgraduando” e onde se espera ter muitas pessoas do ramo acadêmico, da ciência, pouca ciência existe. Pois se fala de questões complexas como as educacionais, como se resolve-se apenas com a vontade política de uma pessoa “presidente”.
            As críticas quando as universidades privadas e o dinheiro do PROUNI são sinceras e corretas. No entanto, qualquer pessoa com um mínimo de entendimento, vai saber que o REUNI, que o Ciência Sem Fronteiras, e o grande número de IFES criadas, bolsas, etc, não surgiram devido a bondade de nossos deputados em apoiar a educação e o governo, e sim devido a grana enviada para o PROUNI para atender o interesse de vários políticos e para o PRONATEC pra atender o interesse da indústria e inclusive o favorecimento com isenções fiscais a estas instituições, que saíram da situação de Fundações para Empresas com Lucros. É sério, pensar que tem pessoas aqui fazendo pós-graduação e que não sabem que as leis são votadas pelo legislativo e que o executivo no máximo pode negociar acordo$ e cargo$ ? . Realmente temos sérios problemas na educação, mas não se originam simplesmente na questão de investimento e política. Mas sobretudo pela falta de disposição a pesquisa e leitura que se espalha por toda a sociedade. Comecem pelos pré-socráticos, até chegar a modernidade, passando por Descartes, Spinoza, ler o Príncipe de Machiavel, etc. Assim, depois de um pouco de esforço, saiam do discurso fratulento e superficial.

          • Juvenil 05.01.16 at 10:41

            É tão fácil demonizar X, Y ou Z. Mais fácil ainda é notar apenas os erros ( que não foram poucos) do atual governo, desconsiderando os feitos positivos. Os grandes problemas do sistema de educação advêm de fatos que vão muito além do interesse político de uma única pessoa ou partido. Infelizmente, aqui, a opção por aquilo que é fácil predomina. Vamos ler um pouco mais.

        • Rods 24.10.14 at 00:19 - Reply

          Tem de mandar esses vagabundos embora mesmo alias professor univesitario no Brasil e enganção pra mim e o pior tipo de profissional tem de acabar com as faculdade no pais e começar a fazer cursos online mesmo por que esses vagabundos não ensinam nada p ninguem

          • Breno 13.07.15 at 09:21

            Dá para notar, você por exemplo não aprendeu a usar ponto e vírgula.

        • Artur 12.07.15 at 16:40 - Reply

          Concordo. O Fernando deve ser daqueles já contaminados com a propaganda Petista..Pra esses, quantidade é sinônimo de qualidade, não acontece aqui no Brasil. A quantidade de alunos ingressos é grande, mas a qualidade do profissional que vai sair dessa faculdade é questionável

      • Pedro Gabriel 03.04.12 at 16:26 - Reply

        Eu acho curioso essas pessoas falar “mas o PT fez coisas que nunca no pais fez”…. Oras, precisa ser muito inocente para uma afirmação dessa. Existem prioridades e questões históricas envolvidas. Como pensar em fazer universidades públicas [esquecendo um pouco da qualidade delas] num período onde nem a democracia era firmada, onde o desemprego era alarmante?  E só reza brava para sairmos da pobreza? O PT tem a sorte de estarmos num período GLOBAL que nos favorece. E ainda assim, há inúmeros dados nacionais e internacionais mostrando claramente que o governo NÃO ESTÁ APROVEITANDO BEM ESSE MOMENTO HISTÓRICO como estão países como a Russia, China e até a famigerada Índia que é de pobreza extrema e profunda em relação ao Brasil. Mas enfim, porcos que nunca comeram bem, se contenta com lavagem.

        • Inocente 10.09.15 at 14:54 - Reply

          Período Global que nos favorece? Sério? Baseia isso nas afirmações do PSDB? Só se for.
          Qual foi a situação que Itamar deixou o País e qual a situação que FHC deixou?
          Já que diz conhecer números, apresente-os..
          Inúmeros dados mostrando que o governo não esta aproveitando?
          Sério? que o mundo é feito de nações boazinhas, com empresas transacionais bacanas, todas ai favorecendo os países em desenvolvimento lhes dando inúmeras e maravilhosas oportunidades ao Brasil. Isso de nações violentas, imperialistas, bancos e empresas agressivas, frias e corruptas, deve ser em Marte, ou em um outro universo paralelo.
          O problema é só porque uma pessoa num cargo com poderes muito limitados não quis. Ó Sócrates! Quando vão conhecer seus escritos.

      • Sniffer 04.07.12 at 10:14 - Reply

        Concordo contigo Fernando, um belo plano de ensino, veja as universidades Federais,  veja o Nível do ENEM. Muito bom este plano. 

      • Marta 10.07.12 at 09:34 - Reply

        Formar quantidade e não qualidade, não é um mérito do PT. Aqui em Manaus, temos o exemplo da Universidade Estadual do Amazonas que praticamente obriga os professores a não reprovarem; a começar pelo vestibular, onde o candidato pode zerar uma matéria na prova do concurso.

        A qualidade da educação é absurdamente desprezada, independente de partido político.

        • Cléo 12.05.13 at 21:38 - Reply

          Todos os partidos políticos tem seus pontos positivo e negativo;…. a questão em minha opinião não é o melhor governo….mas o melhor adaptado….

          • Diego 12.07.15 at 18:35

            Não vou discutir política, mas acredito em uma única verdade: quem faz uma empresa dar lucro são os clientes!
            E essa compra em massa da Anhanguera cairá nesse conceito.
            Consequentemente, sua qualidade de ensino cairá, os formados em suas faculdades serão “mal-vistos” em empresas se comparados aos formados em outras universidades. Em pouco tempo, o número de alunos irá diminuir nessas universidades, e eles serão obrigados a trocar sua política de ensino.
            Outro detalhe: eu posso ter uma faculdade somente com Professores altamente graduados em universidades de grande nome no mundo, posso ter os melhores equipamentos e técnicas de aulas, manter a quantidade baixa de alunos em sala (isso muda bastante a aula), etc…, a qualidade do meu ensino não irá melhorar nunca se os alunos que estão lá não veem a hora de sair para Beber nos diversos bares localizados em volta das áreas universitárias. Lembre-se que a qualidade da faculdade é medida pelo Enade, que é um exame que os ALUNOS realizam.

      • Alberto Betzler 23.04.13 at 07:52 - Reply

        Fernando, o PT esta interessado em melhorar o IDH entulhando nossas universidades públicas e particulares de alunos que não sabem fazer um “o” com um copo.

      • Alberto Betzler 23.04.13 at 07:52 - Reply

        Fernando, o PT esta interessado em melhorar o IDH entulhando nossas universidades públicas e particulares de alunos que não sabem fazer um “o” com um copo.

      • Eu, Tu, Ele 31.07.13 at 13:15 - Reply

        Pohaaa esses Petistinhas não param mesmo né?! Até quando vão vangloriar este governo que nada faz ou nada sabe? Pais com deficit de P&D, qualidade dos graduados ridiculamente baixa e por ai vai…

      • Luiz Santos 15.07.15 at 11:50 - Reply

        É, o PT colheu o que FHC plantou, e tendo fundos pode ter feito alguma coisa, mas com planejamento porco não consegue pagar nem as bolsas dos estudantes fora do Brasil.

      • Ricardo 17.07.15 at 01:14 - Reply

        Fernando, por favor, poste os links com os respaldos estatísticos que você se refere. Sim, temos nesse governo uma mentalidade pura e simplesmente QUANTITATIVA!!! Qualidade é o que não se vê. Seria muito mais justo qualificarmos melhor as instituições federais já existentes. Porém o que foi feito foi aumentar sem pensar na qualidade do ensino. Isto se deu de forma muito clara nas instituições federais. Agora, se nossas faculdades públicas não estão sendo vistas de forma cuidadosa pelo governo, seria muita idiotice acreditar que fosse assim com as “privadas”.

      • Leonardo Amando 03.09.15 at 18:38 - Reply

        Fernando, o que são “subi-sídeos” ?

      • Raphael 06.01.16 at 20:55 - Reply

        Fernando
        Vice é um analfabeto político e anencéfalo
        seu amado PT acaba de cortar 10.5 bilhões de reais do ensino além de cortar subsídios para o o FIES – óbvio que vc não sabe que das 12 parcelas anuais do FIES o governo paga apenas 8
        O efeito cascata disso é o desmantelamento do ensino privado
        Vá estudar mais e coma menos pão com mortadela

      • Robson Costa 07.01.16 at 12:26 - Reply

        Sou professor universitario federal e já fui tecnico administrativo e aluno (que ainda sou no doutorado ). E concordo com tudo que voce disse. Incluio ainda a cinpra de acervo, reformas e assinatura de bases de dados nas bibliotecas. Com tudo isso estou dizendo que tudo está perfeito? Não. Há inúmeros problemas ainda (alguns ocasionados ppr mlhoras feitas em parte, como a expansão). E esse ano com a política de cortes o governo está retrocedendo. Mas é inegável as melhores nos ultimos anos.

    • Luciana Gonçalves 14.07.15 at 14:01 - Reply

      O PSDB DESTRUIU a educação do estado de São Paulo, começando já na época em que ainda era um só partido: PMDB. Eu trabalhei no Projeto Guri, que é uma das maiores enganações em termos de ensino de música que este país já teve. E lá, como tudo o que o PSDB faz, o que conta são os números. Pode perguntar para qualquer professor de qualquer área ligada ao Governo do Estado de São Paulo que você terá a mesma resposta: não importa se o aluno aprendeu alguma coisa, o que importa é mostrar quantos alunos se “formaram” ou passaram pelo curso x ou y. Qualquer energúmeno, por mais imbecil que seja, sabe o que está acontecendo em São Paulo há mais de 20 anos. Então, eu pergunto: em que raio de dimensão você vive, mesmo? Porque, no mesma galáxia, planeta ou país que os meus é que não é!

    • João Batista de Góis 08.01.16 at 17:03 - Reply

      Será que o Ministério da Educação e Cultura,(MEC) não estaria recebendo propina, para fazer vistas grossas, com esse sucateamento da educação superior no nosso País, promovido pela instituição Anhanguera Educacional? eu acredito que já está passando da hora da operação Lava Jato dar uma passadinha por lá. Não é mesmo?

  2. Thomazclara 27.01.12 at 10:37 - Reply

    É deprimente!

  3. Claudio Lira 27.01.12 at 10:45 - Reply

    Realmente é uma vergonha… depois que passamos 2 anos para mestrado, 4 para doutorado, sem férias, 13°, contribuição, etc. ainda não teremos emprego…
    Então fica a pergunta: Estudar tanto pra quê?
    Ê brasil..!!! -.-´

    • Fabio 28.01.12 at 13:48 - Reply

      Isso não te dá direito a um emprego nem a um alto salário. As pessoas não são obrigadas a abrir um negócio só para te contratar. Se voce acha que vale muito, então procure alguém que te reconheça. Se ninguém reconhece… então te resta a abrir teu proprio negócio e mostrar ao mundo o bom profissional que voce é. Se não for nem uma coisa nem outra, então acho que voce está com sérios problemas sobre a própria imagem. Título não te torna uma pessoa especial.

      • Arthur01_rimbaud 31.01.12 at 18:14 - Reply

        Você é um projeto de liberal que nunca leu um livro! deve ter se formado nas faculdades que adotaram essa politica a mais tempo

      • Ndebarueri 09.06.12 at 11:29 - Reply

        pensamento típico de um neoliberal

      • Ebano 25.07.13 at 08:32 - Reply

        É impressionante a ignorância em relação à pesquisa acadêmica e suas finalidades. Há áreas em que a pesquisa aplicada habilita o pesquisador e empreender com o conhecimento adquirido. Mas isso é bastante restrito. Há outras, a maioria, em que por tratar-se de pesquisa básica, não há como criar um mercado imediatamente para ela e se tornar “empreendedor”, como alguns desinformados afirmaram aqui. Antes que digam “ah, então é uma pesquisa inútil”, afirmo que há conhecimentos básicos, descobertos há 50 anos ou mais, e que hoje estão na base de produtos e projetos fabulosos, mas que na época em que as pesquisas básicas foram feitas, não eram possíveis…

        O governo do PT fez um trabalho muito bom, mas incompleto, com as Federais. Aumentou a oferta e isso oferece maiores oportunidades sociais, tanto para os alunos (inclusive de baixa renda), como para os professores doutores, gente boa e que no Governo do Rei dos Sociólogos (FHC), estavam passando fome literalmente, pois não havia alternativas viáveis. Agora, o que tá faltando é uma política decente para as privadas, que ganharam uma injeção enorme de dinheiro público via Prouni, e oferecem como contrapartida um ensino de merda e professores ridículos e medíocres, que não sabem porcaria nenhuma. O Governo Federal deveria dar uma reestruturada no MEC, criar superintendências regionais e marcar em cima estes malditos. Mas, nunca vai fazer isso, pois em educação, tem raposa tomando conta do galinheiro….

      • Carlos 08.08.13 at 19:35 - Reply

        É isso mesmo! Nós somos um bando de mal-agradecidos ingratos! Ganhamos a pós-graduação de graça do povo brasileiro, sem qualquer esforço e com todo reconhecimento. Nem trabalhamos mesmo… e nossa vida é muito boa, ganhamos muito bem. Aí, quando tentamos devolver ao povo o investimento que fizeram na gente, resolvemos cruzar os braços, porque somos mimados! E olha que não há razão para não querermos dar aulas, pois nossas faculdades são ótimas, temos as melhores condições de ensino e vagas de sobra! Afinal, o povo precisa de ensino e o governo sabe disso. Além do mais, temos uma economia fantástica, com empresas plenamente empenhadas em fazer P&D, e mesmo assim desistimos de trabalhar nessas empresas inúteis, que querem domar nossa criatividade científica, bando de interesseiros! Eles vivem no nosso pé, povo chato, vivemos desligando o telefone na cara deles! Não, não! Queremos mesmo é fazer nosso próprio investimento, criar nossa própria empresa e ter nossa própria fortuna. Afinal, ter idéias inovadoras é fácil, e mais fácil ainda é fazer pesquisa tecnológica para transformar essas idéias em produtos. Ora, o investimento é mínimo e o retorno é certo! Os EUA, a Coréia do Sul, a Alemanha e o Japão gastam bilhões com educação e desenvolvimento porque desperdiçam demais! Afff, esses ignorantes!

        (o que me espanta nesses comentários neoliberais é a completa falta de noção das garantias básicas ao crescimento saudável de uma nação, como a educação. “Estudar pra ser educador??? Pra que???? Bobagem! O importante é criar uma empresa e dominar o mundo! E se os professores doutores ficarem muito caros, vamos demiti-los todos, porque importante é só o lucro! Yeah!”)

        • Pedro 10.07.15 at 22:28 - Reply

          Aplausos. <3 De coração. Esses trouxinhas (porque xingar as coxinhas de gente sem criticidade não dá) não entendem merda nenhuma de carreira acadêmica, acham que professor universitário tem que ser babá de aluno, e não observam como são sólidos os melhores sistemas de ensino público superiores internacionais como o Alemão, por exemplo, que recentemente estatizou todas as instituições de ensino superior. O povo que acha que privatização é solução tem matado as aulas de Políticas de Saúde, Políticas da Educação, Direito Constitucional e etc. Estudar para essa galera tá meio tenso. E isso, porque eu sou aluno de graduação de um curso 'subcurso' (licenciatura em Música). A população, cegada pelo ódio ao PT, está deixando que os oportunistas sucateiem, culpem o governo federal enquanto eles mesmos não fazem o trabalho deles (vide governo paulista, crise das universidades estaduais paulistanas), o resultado disso vão ser os desmanches e privatizações e desacessibilização do ensino superior. Mas quer ver que vai ter trouxinha neoliberal falando que fomos doutrinados. Dá vontade de falar, doutrinado onde, parça? Né!

      • Leo 13.07.15 at 02:19 - Reply

        perfeito.

    • Alessandro_botti 02.11.12 at 20:12 - Reply

      Não sabiam que a realidade do pós graduando é assim? É estudar 6 anos e tentar produzir bastante pra passar em concurso e/ou ser pobre. É ISSO!
      OK? Se sabiam, não podem reclamar. Se não sabiam, não adianta reclamar. Parem de procrastinar, se organizem, publiquem, OU MORRAM!!!

      • Carlos 08.08.13 at 19:16 - Reply

        Pois é garotão, sabe qual é a merda disso? Eu não sabia. Sério, não sabia. Entrei muito jovem na faculdade e apaixonado por ciência, não conseguia enxergar as dificuldades que meus professores enfrentavam – especialmente porque eu estava numa “ilha”, a Federal de Viçosa, cidadezinha do interior de Minas onde prof. ganha o suficiente para viver. Pois é… aí fiz mestrado e ainda queria acreditar, então entrei no doutorado. Só agora caí na real: não basta estudar muito e trabalhar duro para ser bem-sucedido com ciência. Você tem que ser peixe de algum professor, fazer décadas de pós-doc lambendo seu orientador, coisas assim… então vc se dá conta de que tem 30 anos e sabe TUDO sobre NADA. É como dizer a um vendedor, juiz, médico, gari e qualquer profissão tradicional: “olha, eu sei tudo sobre a fosforilação do resíduo de tirosina 259 da proteína fosfatase 2yZx7, codificada pelo gene do locus 7q21, envolvida na via de sinalização da carochinha, implicada na doença do duende verde ocidental”. Tá vendo, como eu sei muito????

        • gustavo 23.08.14 at 23:55 - Reply

          Mas quem quer ser um especialista em genética precisa saber muito sobre enzimas, regulação de transcrição, tradução, operadores, promotores… Se não fossem essas pessoas, como farmacêuticos que realizam pesquisas, médicos não saberiam como tratar um paciente. Se o brasil não oferece oportunidades de pesquisa, por que não ir para um país desenvolvido que reconhece pesquisadores e professores?

      • Fábio 12.07.15 at 13:11 - Reply

        Até parece que funcionário público ganha bem kkkk. Só em um caso ou outro, para ganhar mais de 20k. E pra entrar num desses, é raro. Menos do que isso, compensa mais montar empresa ou ser um funcionário bem formado mesmo. Sem contar que a tendência futura é acabar com a mamata de funcionários públicos. Privatizações são uma tendência…

    • Alberto Betzler 23.04.13 at 08:00 - Reply

      Porque você gosta de estudar. Estou fazendo doutorado por isso. No Brasil, temos que ter o “livro de regras” debaixo do braço. Uma das regras é que quem estuda neste pais não é valorizado e ainda é taxado de mané ou vagabundo.

  4. Ramon Vilela 27.01.12 at 10:47 - Reply

    se a moda pega, tamo lascado!

  5. Andressa 27.01.12 at 10:48 - Reply

    Pq o governo não muda esse mínimo de 1/3 de professores com mestrado e doutorado para 80%?!!

    • Ivanildo Terceiro 27.01.12 at 11:37 - Reply

      Andressa, os salários de mestres e doutores são altos, e devem ser porque são profissionais escassos. Quando você aumenta obriga que as faculdades tenham mestre e doutores em seus quadros, isso significa que os custos serão maiores, e quem paga esses custos são os alunos.

      Enfim, as mensalidades ficarão mais caras, e quem pagará por isso são os mais pobres que são maioria em faculdades privadas. 

      • Andressa 27.01.12 at 22:48 - Reply

        Mas o que adianta o aluno ter diploma de uma faculdade sem qualidade?!! E quem faz mestrado e doutorado “que pague o pato” e perca seu emprego?! Pra que estudar, né?! 

        • Ivanildo Terceiro 28.01.12 at 10:57 - Reply

          Isso é o aluno que tem que dizer, mas você não pode privá-lo de tomar suas próprias escolhas, ora por que você se acha tão digna de arbitrar a vida dos outros? . Além de que mestrado e doutorado não significa que você será um bom professor. 

          • Andressa 28.01.12 at 13:16

            Ah, claro! É pura coincidência que a USP, considerada a melhor universidade do país, tem a maior proporção de professores doutores. 

          • Fernando 28.01.12 at 14:02

            correção a UFABC tem a maior proporção de professores doutores 100% do quadro de professores possuem título de mestre

          • Ivanildo Terceiro 28.01.12 at 16:08

            A USP tem um orçamento total de 
            $ 2,815 bilhões de reais maior do que o PIB de muitos países como o Togo, Libéria, etc.

            Se a universidade com todo esse dinheiro não conseguisse ser a maior do país, nós teríamos um sério problema de gestão. 

          • Rafael 28.01.12 at 16:01

            Gostaria de ressaltar apenas dois pontos, dentre vários:
            1. A racionalidade da “escolha” de uma instituição particular superior frequentemente é influenciada por toneladas de propaganda, mensalidades “acessíveis” e “vestibulares” agendados (marque o dia que você quer pagar e passar). Dificilmente o aluno saberá das consequências dessa “escolha” até estar formado, caso a faculdade não seja fechada antes… Tampouco é capaz de avaliar a qualidade do ensino que comprou, já que a avaliação do ensino não tem como ser feita por quem dele não conhece. Isso deveria caber ao MEC, que, como sabemos, não cumpre muito bem com a sua parte.2. Essa suposta lógica de “mais mestres e doutores custam mais aos alunos” é pelo menos enganosa. A prioridade de uma sociedade anônima, como a Anhanguera, é com o lucro dos investidores e não com a qualidade objeto de exploração comercial, no caso a educação. Se, para diminuir os custos (e consequentemente aumentar os lucros), essa empresa precisa demitir o pessoal qualificado e “caro”, certamente ela demitirá quantos forem precisos.Além do mais, duvido sinceramente que esse corte de gastos será refletido na diminuição ou mesmo na manutenção do valor das mensalidades. Acredito que eles pagarão pelo menos a mesma coisa – provavelmente mais – pra ter um ensino ainda mais fraco. 
            Lembrando que falei apenas de alguns pontos tristes do que acontece quando o ensino vira mercadoria…
            Abraço

        • André 31.01.12 at 18:43 - Reply

          O cara ali em baixo disse que a UFABC tem 100% dos professores mestres, na verdade é 100% de doutores mesmo… não que isso agregue alguma coisa à discussão, só corrigindo mesmo…

      • Vinicius 08.02.12 at 06:24 - Reply

        Hoje em dia tem mestrado EAD, qualquer um faz mestrado…escasso é o emprego mesmo. E o governo tem dinheiro de sobra pra tudo que tá escasso, só não aplica.

        • Carlos 03.02.15 at 10:27 - Reply

          Qual o mestrado EAD reconhecido pelo MEC que você conhece ? Por favor, compartilhe.
          Grato.

      • Vinicius 08.02.12 at 06:24 - Reply

        Hoje em dia tem mestrado EAD, qualquer um faz mestrado…escasso é o emprego mesmo. E o governo tem dinheiro de sobra pra tudo que tá escasso, só não aplica.

      • Vinicius 08.02.12 at 06:24 - Reply

        Hoje em dia tem mestrado EAD, qualquer um faz mestrado…escasso é o emprego mesmo. E o governo tem dinheiro de sobra pra tudo que tá escasso, só não aplica.

      • Blue_onyx 07.05.12 at 23:02 - Reply

        Desde quando salário de mestre é alto? Pode ser mais alto do que de graduado ou especialista, mas ainda é muito aquém do necessário…

        • Marta 10.07.12 at 10:15 - Reply

          Com certeza… falou tudo!

      • Marta 10.07.12 at 10:19 - Reply

        Ivanildo… vc está muito desinformado. Salário alto tem um policial federal, um escrivão federal, um juíz, ou mesmos nossos representantes lá de Brasília. Vc acha que R$ 2.200,00 é um salário alto? Pois isso é o que muitos mestres recebem, de salário base. 

      • Henrique Oliveira 07.07.13 at 18:58 - Reply

        E vão baixar as mensalidades por terem demitido professores “caros”?

  6. Debora 27.01.12 at 10:50 - Reply

    A universidade particular na verdade é uma empresa, que visa  em quase sua total integridade  o lucro. Menos qualificados, menores salários, mais rendimentos. Os alunos que pagam essas instituições deveriam exigir mais a respeito.

  7. Professor de Federal 27.01.12 at 10:51 - Reply

    EXCELENTE REPORTAGEM!!!! Quem sabe essas particulares que eu chamo de EMPRESAS EDUCACIONAIS QUE COMERCIALIZAM DIPLOMAS tomem vergonha na cara e parem de fazer da Educação um COMÉRCIO! E mais, o povo tem que se conscientizar de que educação de qualidade não é alcançada facilmente. Portanto, se o professor fechou um olho, passou a mão na cabeça do aluno, ISSO NÃO É SINÔNIMO DE EDUCAÇÃO DE QUALIDADE. Estão querendo é o seu DINHEIRO pois estão VENDENDO UM PRODUTO! Que horror dessa EDUCAÇÃO PRIVADA DESSE PAÍS!!!!! GRAÇAS A DEUS, ME LIVREI DAS PARTICULARES!!!!!

  8. Lorena 27.01.12 at 10:56 - Reply

    Educação como mercadoria…sucateamento do ensino…baixos salários…ainda dá para piorar?

    • Fabio 28.01.12 at 13:59 - Reply

       Dá, é só o governo se intrometer ainda mais na educação do país. Se ela fosse livre, totalmente livre, sem o MEC para atrapalhar as coisas, existiria educação para todos os gostos e finalidades. Quem impede chama-se estado.

      • Pedro 10.07.15 at 22:35 - Reply

        Já viu o sistema alemão de ensino? Melhor que o Brasileiro. 100 por cento público. Já viu o americano? Do americano só 3 universidades são boas… As Alemãs, TODAS EXCELENTES E BEM CONCEITUADAS. Tá precisando se inteirar mais colega.

      • Breno 12.07.15 at 23:14 - Reply

        Na Europa o ensino é em sua esmagadora maioria estatal, e muitas das melhores instituições de ensino e pesquisa estão lá, mesmo nos EUA apesar de a maioria ser privada quem financia a esmagadora maioria da pesquisa é o ESTADO, portanto o estado SEMPRE se intromete na educação e tem que se intrometer pois o lucro neste caso não pode ser o objetivo final. Até parece que uma instituição com fins lucrativos iria investir num curso de excelência em matemática ou filosofia por exemplo. Resumindo esse pensamento liberal pode até se aplicar ao pastel da feira, mas certamente não se aplica ao ensino e à pesquisa.

  9. Rafael 27.01.12 at 11:43 - Reply

    Moro em Florianópolis – SC, sou aluno de doutorado pela UFSC e tive o desprazer de assistir ao telejornal local de minha cidade, onde um comentarista teve a infelicidade de comentar sobre a pós-graduação (mestrado e doutorado). Eis que “Luiz Carlos Prates” fala que o pós-graduando é um vagabundo, que teve medo de enfrentar o mercado de trabalho e com isso prefere continuar na universidade. Disse qinda que são um bando de incompetentes e por aí foi…. O que ele esqueceu é que foi esse mesmo bando de incompetentes que deu formação a ele (se é que este sujeito é formado em algum curso superior). Mas o fato é que é dessa forma que todos vêem a pós-graduação em nosso país… Fico perplexo de ver e ouvir certas coisas… TRISTE

    • Soniacerqueira 28.01.12 at 07:46 - Reply

      Rafael, ele deve ser um frustrado que não conseguiu entrar em nenhum programa de pós-graduação decente!

      • Fabio 28.01.12 at 14:02 - Reply

        O Prates é psicólogo. Por que voces acham que a maior mágoa da vida do Prates é não ter feito trabalhos academicos sustentado pelo dinheiro dos outros? Ninguém é especial por fazer uma pós graduação, continuam pessoas comuns e falíveis. Desçam do pedestal.

        • Thays 30.01.12 at 10:26 - Reply

          Concordo quando você menciona que pós graduandos não são especiais. Mas isso não autoriza ninguém a falar que são vagabundos. Fazer uma pós graduação não é tão simples assim para ser tão desvalorizada. Investir em estudo e trabalho é algo para ser estimulado.

        • Ndebarueri 09.06.12 at 11:47 - Reply

          cara ou vc é muito desinformado ou é ignorante mesmo.

        • Marta 10.07.12 at 10:11 - Reply

          As duas coisas!!! Pode ter certeza de que ele não sabe o que está falando. Venha ser pesquisador na Amazônia, morando em Manaus, que é a segunda cidade mais cara do Brasil em custo de vida, ganhando uma miséria para se sustentar, fazendo trabalhos de campo, andando na mata selvagem, se arriscando com cobras e outros animais, etc…
          É um tolo!!!

        • gustavo 24.08.14 at 00:02 - Reply

          Como um brasileiro consegue ser admitido para fazer pesquisa e ser professor em universidades famosas de países desenvolvidos sem uma pós-graduação de qualidade? Tem certeza que um mestre ou doutor em genética e biologia molecular não está no pedestal?

    • Mrgarcia 28.01.12 at 19:42 - Reply

      O mais absurdo é que foi a Universidade que mais recebeu bolsas do ProUni no país neste ano !

      • João Alberto 20.09.12 at 09:18 - Reply

        O governo tinha que liberar bolsas do ProUni somente para as faculdades com qualidade comprovada.

    • Tatiluluzinha 31.01.12 at 11:58 - Reply

      Só quem nunca fez nenhum tipo de pesquisa é capaz de denominar um pos graduando de vagabundo!!! Não sei de onde saiu essa criatura que acha que dedicar-se em tempo integral, recebendo uma bolsa insuficiente, passar por stress quase todos os dias e, as vezes, arcar com despesas para concluir nossas pesquisas e ainda assim persistir, pode ser vagabundo. Podemos ser incompetentes por acreditar que certas coisas ainda valem a pena nesse pais!! A pos graduacao, no minimo, nos deixa em contato com o que acontece em nossas areas e com acesso a informacao de qualidade, agora, se isso nao significa nada para ele (s)…. só demonstra o quao ainda teremos que trabalhar!!! Ha espaco para quase todo tipo de profissional no mundo, vc só tem que escolher, se for possivel, qual tipo gostaria de ser. Realmente revoltante certas coisas…….Brasil neh!!? 

      • Marta 10.07.12 at 10:00 - Reply

        Falou tudo menina!!! Esse Fábio é um mané, mesmo. Ninguém está querendo um pedestal. Esse mané nunca fez uma pesquisa, principalmente no Brasil, e não tem a mínima idéia das dificuldades enfrentadas pelos pesquisadores. Se a pessoa recebe bolsa de estudo (e diga-se de passagem, mas dá para se sustentar) é porque ela precisa se dedicar o seu tempo integral, lembrando que quem usufrui da bolsa também paga por ela.  Muitos outros gastos o governo tem com a população, como com os crimes, os vandalismos, a limpeza pública que os ignorantes fazem o favor de não contribuírem parta manter, entre outros… e o mané vem aqui escrever um monte de baboseiras, reclamando do invertimento na educação??? Palhaço!

    • willian 11.07.15 at 09:38 - Reply

      Lamentável o pensamento desse “comentarista”.
      O único consenso que há nesse país é que é necessário melhorar a qualidade de educação, ai vem um boçal desse falar que pós-graduando é vagabundo. Trabalhador deve ser ele que é pago pra vomitar asneiras na televisão.

  10. tati 27.01.12 at 12:19 - Reply

    Sempre quis fazer mestrado. E são notícias como essa que me desestimulam.  Como disse nosso amigo Darlan aí abaixo observa-se uma política quantitativa na educação brasileira. Sou professora da rede pública e a pior [email protected]$ que fizeram foi dar bolsa família para que os alunos frequentem a escola. Só que não associam o recebimento da bolsa com o rendimento do aluno, somente com sua frequência. O resultado? Alunos que se recusam abrir cadernos, professores que se estressam, alunos também, gera um conflito cada vez maior, e a educação fica do jeito que está.

  11. tati 27.01.12 at 12:19 - Reply

    Sempre quis fazer mestrado. E são notícias como essa que me desestimulam.  Como disse nosso amigo Darlan aí abaixo observa-se uma política quantitativa na educação brasileira. Sou professora da rede pública e a pior [email protected]$ que fizeram foi dar bolsa família para que os alunos frequentem a escola. Só que não associam o recebimento da bolsa com o rendimento do aluno, somente com sua frequência. O resultado? Alunos que se recusam abrir cadernos, professores que se estressam, alunos também, gera um conflito cada vez maior, e a educação fica do jeito que está.

  12. Ray 27.01.12 at 12:56 - Reply

    Aos mestres e Doutores demitidos

    As universidades Federais , e aqui cito a UFOP, precisam de professores com essa titulação e nao tem encontrado, corram para cá, mudem de vida, aqui vc n vai ser mandado embora e seus alunos vão te valorizar

  13. Mnad10621 27.01.12 at 13:03 - Reply

    Infelizmente não é só a política do PT, não estou querendo defender partido, mas estamos falando de uma empresa e empresas  visam o lucro. Esta é a lógica, afinal eu não conheço nenhuma universidade particular que tem como único objetivo o ensino de qualidade. 

    • Soniacerqueira 28.01.12 at 07:53 - Reply

      Caro ou cara Mnad 10621, toda empresa decente visa o lucro mas tem em seu plano estratégico sua MISSÃO, VISÃO e VALORES. Não conheço em toda a história da administração uma empresa verdadeiramente duradoura sem estes pilares.

    • Jairo 31.01.12 at 16:27 - Reply

      A Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) é a melhor particular do centro-oeste, é particular mas não tem fins lucrativos a mensalidade é menor que da anhanguera e a estrutura é muito superior em termos de tecnologia, e alguns cursos são considerados melhores que da própria UFMS e nenhum professor é menos que mestre. Não generalize todas as instituições privadas tendo como exemplo a péssima anhanguera. 

  14. marco 27.01.12 at 13:36 - Reply

    É assim que se faz o desenvolvimento tecnológico do país… Já passou da hora do governo começar a cobrar, além de resultado no ENADE, produção científica dessas particulares. Ainda mais por causa do Pró-Uni. Temos que acabar com essa safadeza de o cara fazer uma “universidade” só com quadro e giz e que funciona como colégio com os alunos preocupados só em “passar de ano”.

  15. SHIDO 27.01.12 at 14:57 - Reply

    Estão falando da Anhanguera, é uma situação muito grave. Mas vamos mais além, vamos analisar a qualidade das 14 novas universidades que o governo Lula abriu no final do mandado. Verdadeiras campanha eleitoral. Universidades sem predio., Laboratórios, computadores, sem dinheiro para diárias para congressos, mas ditas verdadeiras universidades populares e verdadeiras fábricas de militantes do PT. Sem falar os tais movimentos sociais:MST ; CPERS QUE NÃO SAEM DESTAS UNIVERSIDADES PARASITANDO E SE METENDO AN ADMINISTRAÇÃO E PROPOSTA PEDAGÓGICA. NEM DIGO OS MOVIMENTOS NO TODO, MAS PESSOAS MUITO ESPERTAS QUE SE APROVEITAM DO MOVIMENTO PARA OBTER GANHOS POLÍTICOS E PERSEGUIR FUNCIONÁRIOS E PROFESSORES QUE NÃO CONCORDAM COM O PREOJETO PEDAGÓGICO ENGAJADO DESTES MOVIMENTOS. Em suma , na iniciativa privada ou pública o pessoal acha que educação superior é brincadeira.

  16. Robson 27.01.12 at 16:19 - Reply

    É uma empresa privada, e como qualquer empresa tem a nobre missão de ser lucrativa. Obviamente, por ser um site dirigido a pessoas que estudo não preciso entrar em detalhes sobre isso. 

    Se a Anhanguera quer mudar seu foco, ie, professores menos qualificados, alunos mais baratos, menos conteúdo … enfim, diminuir o nível, tudo bem, será o foco deles. Se é certo ou errado, cabe a Anhanguera analisar.

    Claro, os alunos também tem a liberdade de querer ou não estudar lá. 

    E os professores tbém de querer ou não esse salário.Mas algo que foge um pouco aos nossos olhos é o PORQUE chegamos a esse ponto.

    Educação é caro. E tributado. Em cerca de 30%. Os salários dos professores também. O salário dos alunos também. O material de estudos também.

    Educação é extremamante regulada pelo MEC. Regulações são impedimentos a liberdade do aluno, do professor e da instituição de ensino. E essa regulação é muito cara.

    E tem outro ponto. O governo paga uns 12% ao ano para vc emprestar dinheiro para ele. Caso vc tenha dinheiro para investir em qualquer coisa, vc tem q partir de algo que renda bem  mais de 12% ao ano para compensar o seu trabalho. E acredite, não são tantas opções assim não. E porque o governo paga tudo isso de juros ?? Pq faz dívidas … muitas dívidas …. Isso se chama Custo de Oportunidade

    Então veja só …. se não fosse esses tributos e todos os custos como regulações, burocracia e de oportunidade, a Educação compensaria MUITO mais pra todo mundo. Menos para o governo, que gosta de manter gente burra com cabresto ……

  17. Simone 27.01.12 at 16:49 - Reply

    Estou decepcionada, gostava muito dos professores de Letras da Uniban ABC, maravilhosos inteligentes e comprometidos com a educação, agora o que nos resta… comer o osso que nos é dado.

  18. Rogerio Lima 27.01.12 at 18:36 - Reply

    Muitas dessas particulares são de Amargar. Hoje conversei com uma jovem estudante de Farmácia na UFF (Universidade Federal Fluminense). Ela disse que tem uma amiga que estuda farmácia em uma particular na cidade de Niterói-RJ. A Jovem me informou que o curso de farmácia nessa universidade particular têm apenas 8 disciplinas de Química e que todas elas não tem aulas práticas. Os alunos só tem uma disciplina prática durante todo ciclo básico. Somente durante o ciclo profissional é que os alunos têm realmente as disciplinas práticas.

    Enquanto que na UFF o mesmo curso tem muito mais carga horária em química e todas as disciplinas desse ramo de conhecimento têm sua contra-parte experimental.

    Lamentável. O pior que o MEC exige pouco dessas particulares. As diretrizes curriculares mínimas são muito aquém do necessário para se preparar um bom profissional.

    Chegar ao ciclo profissional tendo apenas uma disciplina prática num curso que tem uma base prática muito grande é de amargar. 

    Só num país onde educação não é prioridade isso acontece.

  19. Rogerio Lima 27.01.12 at 18:36 - Reply

    Muitas dessas particulares são de Amargar. Hoje conversei com uma jovem estudante de Farmácia na UFF (Universidade Federal Fluminense). Ela disse que tem uma amiga que estuda farmácia em uma particular na cidade de Niterói-RJ. A Jovem me informou que o curso de farmácia nessa universidade particular têm apenas 8 disciplinas de Química e que todas elas não tem aulas práticas. Os alunos só tem uma disciplina prática durante todo ciclo básico. Somente durante o ciclo profissional é que os alunos têm realmente as disciplinas práticas.

    Enquanto que na UFF o mesmo curso tem muito mais carga horária em química e todas as disciplinas desse ramo de conhecimento têm sua contra-parte experimental.

    Lamentável. O pior que o MEC exige pouco dessas particulares. As diretrizes curriculares mínimas são muito aquém do necessário para se preparar um bom profissional.

    Chegar ao ciclo profissional tendo apenas uma disciplina prática num curso que tem uma base prática muito grande é de amargar. 

    Só num país onde educação não é prioridade isso acontece.

  20. Renata 27.01.12 at 19:31 - Reply

    Uma amiga de longa data coordenava um curso de Biomedicina numa faculdade particular, e num evento destinado aos gestores/coordenadores/proprietários de instituições de ensino superior pôde ouvir o nobre senhor proprietário da rede Anhanguera numa palestra. 
    Ela me relatou, ainda perplexa, a quantidade de absurdos proferida em público pelo nobre mercenário da educação, que recomendava esta prática (demissão de mestres e doutores) com veemência na sua palestra – e o fazia sem o menor constrangimento. Enquanto a maioria dos envolvidos no evento falavam sobre como oferecer bons serviços educacionais, este inescrupuloso mercenário levantava a bandeira do lucro: não dá lucro, então não interessa. O corte dos professores que ele recomendava, na ocasião do evento, era por causa da redução do percentual de mestres e doutores recomendado pelo MEC. Trocando em miúdos, não é de hoje que a Anhanguera serve apenas como um mercado formal de diplomas, pouco comprometido com a formação discente e com a implicação social destas medidas.

  21. Diego Santana 28.01.12 at 08:50 - Reply

    Lamentável que isso ocorra. A qualidade do ensino superior vai ficar debilitada, Agora passar anos da vida estudando para no fim este ser a justificativa para ser demitido, o MEC tem que rever este conceito. Sou a favor de que todos os corpos docentes superiores do Brasil tenham no mínimo 2/3 de professores mestres ou doutores. 

  22. Vitor 28.01.12 at 10:49 - Reply

    Engraçado: pra se dar aula em universidade federal você precisa ser doutor, mas quando a questão vai pro ensino privado, o governo afrouxa. Algum intere$$e?

    • Ndebarueri 09.06.12 at 11:57 - Reply

      Eu respondo: universidade pública estudam filhos de empresários, políticos,etc.particular filhos de operários,motoristas,etc. alguma dúvida? 

      • clara 25.07.13 at 18:47 - Reply

        Fábio, Ndebarueri e coniventes do mesmo ponto de vista: meus pais não tiveram formação universitária, minha mãe é enfermeira formada por curso profissional – estudou até a 5a série (ensino antigo – ela tem 76 anos) e o meu pai é eletricista, estudou até a 8a série!
        tenho muitos colegas que vieram do mesmo nível social ou até mais baixo que o meu –

        ATENÇAO, também conheço pessoas que preferiram ir para uma particular porque era mais fácil de entrar e mais rápido de sair com um canudo na mão!!!

        Eu me FUD!… estudando, fiz toda minha faculdade numa Federal estudando e trabalhando, uma jornada de mais de 60h por semana durante anos. Quando fiz mestrado, tive apenas um ano de bolsa, e esta não era suficiente para pagar meu aluguel e gastos mensais, era obrigada a dar aulas particulares… Hoje, faço um doutorado sem bolsa, sem nada, trabalho e estudo, além de educar uma criança, meu filho – se não fosse o meu marido investir em mim… Pra quem pensa que estudar é moleza, coisa de vagabundo… estudar não é como tomar um sorvete ali na esquina, não!!! por favor, coisa fácil é ligar o botão da TV e assistir um monte de M???, ponham-se a simples questão : quem implantou esta ideia na minha cabeça???!!!

        Uma pena que estudar, querer obter novos conhecimentos que vão além do senso comum é condenado pela nossa sociedade, medíocre!!! Fora os atuais e graves problemas ecológicos e urbanos que vivenciamos devido a manipulação do conhecimento científico e da especulação pelo poder capitalista em todas as áreas. Me pergunto, onde estaríamos sem a pesquisa fundamental/aplicada, sem o conhecimento produzido pelas ciências físicas, químicas, biológicas e humanas!

        Uma pena que o Brasil não acordou ainda e não oportuniza ao seu povo dar um salto de qualidade na sua cultura erudita e, portanto na sua qualidade de vida! O ensino fundamental é sucateado já na base! Digo isso de cadeira: fui professora durante 15 anos na rede pública de ensino e o quanto nós, e os alunos, perdemos com a eliminação das horas de planejamento e das reuniões pedagógicas!!!

        Povo sem educação e sem cultura = povo ignorante e dominado pelos valores do capitalismo – que se preocupa apenas com os lucros, em explorar os mais fracos e impulsiona-los ao consumo sem limites, como se isso fosse sinônimo de justiça e felicidade.

        Para o Cleberson deixo uma msg: moro há oito anos na França e o ensino, aquele que por aqui é bem tradicional, pra quem não sabe, só serve para encher a mente dos alunos de decoreba, uma incrível realidade!!! Este ensino é para os ricos e pra quem tem cultura e pais que explicam a lição em casa – além de ser fragmentado, ele oculta a verdadeira causa da miséria mundial, ou seja, um ensino totalmente acrítico e não reflexivo! As classes menos favorizadas, estes ficam bem a margem da sociedade! Não engane nossos colegas: muitas pesquisas brasileiras estão, em termos de teoria, muito mais avançadas que as francesas e o ensino por aqui é cada vez mais excludente! Eles aqui, bem poucos, estão apenas descobrindo o que é pesquisa extensão universitária – muitos nem imaginam do que se trata! A universidade aqui é realmente para bem poucos!!! E esses poucos têm que ser muito bons e partir do país para ensinarem e fazerem pesquisa porque por aqui carreira universitaria são para os peixões, nada diferente do Brasil! A diferença é que aqui são raras as faculdades particulares…

  23. Claudio Sanavria 28.01.12 at 18:06 - Reply

    Trabalhei na Anhanguera em Campo Grande – MS e, parece piada, mas ESCONDI meu diploma de mestre durante um ano para não ser demitido. Hoje faço doutorado e sou concursado em um Instituto Federal e tenho saudades apenas dos alunos e colegas de trabalho, que lutam para manter o mínimo de qualidade diante do massacre empresarial.  
    Acredito que o problema esteja justamente no MEC e suas diretrizes, pois a Anhanguera cumpre as normas estabelecidas pelo Ministério. A questão é que a instituição trabalha sempre com o mínimo exigido. Se o MEC pede um mínimo de X% de docentes titulados, será exatamente isso que se manterá no quadro. É pura lógica empresarial. O MEC precisa reconsiderar suas diretrizes e fazer um acompanhamento constante das instituições e não apenas em momentos pontuais. 
    O valor baixo das mensalidades muitas vezes se configura na única oportunidade de muitos alunos cursarem o ensino superior, já que as instituições públicas são tomadas pelos ricos. Entretanto, os alunos acabam se sujeitando a métodos de ensino totalmente equivocados e maquiados por discursos cheio de pedagogismos. Tive excelentes alunos na Anhanguera e sei que são competentes naquilo que fazem.

  24. Su_leandro 31.01.12 at 16:32 - Reply

    Porque será?
    Não seria por acaso que esta “faculdade ou universidade ” seja de algum político ou alguem um pouquinho conhecido de alguem?
    O mal do Brasil são os sujeitos ocultos e a falta de identidade cidadã de todo o brasileiro.

  25. Roblu2006 01.02.12 at 14:01 - Reply

    Concordo com os professores que se indignaram com essa politica canibalistica de lucro exagerado, e baixa na qualidade educacional, esta e a receita exata para as politicas publicas, baixa qualidade de educação, para se obter os eleitores preparados, ou seja, com um diploma para quantificar numericamente em índices mundiais, e iludi-los pois não serão profissionais capacitados…
    Uma vergonha Nacional!!!
    Ah eu faço parte desse grupo desligado aqui em Goias!!!!

  26. Débora 02.02.12 at 16:50 - Reply

    ABSURDO. Como é que o MEC finge que não tá vendo? Chegamos ao fundo do poço.

  27. Tudor 04.02.12 at 16:42 - Reply

    1° O MEC não faz nada porque ninguém quer se da ao trabalho de juntar a documentação necessária para enviar os documentos para ela;
    2° Quem é (ou foi) professor desta instituição sabe que a mesma envia um “protocolo” de como agir diante da auditoria do MEC;
    3° Quem esteve em universidades públicas nas gestões do FHC, sabe que quem abriu as pernas da educação superior e sucateou as universidades públicas foram eles, o PSDB sabe tanto disto que nem tocaram no assunto da gestão do FHC durante a campanha do José Serra… estavam com medo de quê se foi tão bom????
    4° Sim a política do PT não deveria incentivar o pro-uni… isso para mim é a privatização do ensino público!

  28. Oi Gente! Eu fui uma das demitidas! Nem o melhor curriculum da instituição me segurou lá!

  29. Só mais uma coisa, a hora/aula para mestre na Anhanguera é R$41,77 desde março de 2011. Eu lecionava lá desde fevereiro de 2009. Era a única entre os professores do curso com orientandos de Iniciação Científica e com 7 artigos publicados.

  30. Só mais uma coisa, a hora/aula para mestre na Anhanguera é R$41,77 desde março de 2011. Eu lecionava lá desde fevereiro de 2009. Era a única entre os professores do curso com orientandos de Iniciação Científica e com 7 artigos publicados.

  31. Carmen Martineli 07.02.12 at 10:50 - Reply

    Aqui em Passo Fundo, RS. Houve demissão em massa dos professores com mestrado e doutorado. Sabe o que fizeram? Contrataram ALUNOS RECÉM FORMADOS do curso do DIREITO, para darem aulas! INCLUSIVE, a aluna que se formou no mesmo semestre que eu É COORDENADORA….O engraçado é que em PASSO FUNDO, em todos segmentos, principalmente na POLÍTICA é assim! É a ligítima terra das OPORTUNIDADES. Aquilo que chamamos de QI (Quem indica ou Pistolão)  eles chamam de valorizar o povo da terra……

  32. Professor 07.02.12 at 11:32 - Reply

    Sou professor da Anhanguera há cinco anos e estou fazendo mestrado, mas ainda estou qualificado como especialista. Então, faço algumas observações: a política deles é de reduzir custos sim, pois tão logo foram feitas as avaliações pelo MEC, os mestres e doutores foram demitidos. Ao mesmo tempo, a rede anhanguera não permite notas quebradas, o que implica em arredondamento. Então, como a média para aprovação é 5,0, quem tiver média 4,6 estará aprovado. E caso os alunos reclamem do professor por aumentar o rigor nas avaliações, o professor é excluído da matéria. Resumindo, estão oferecendo educação de baixa qualidade, nivelando por baixo.

    Em síntese, ao contrário do que alguns partidaristas apaixonados pregam em seus discursos, a política educacional petista é um lixo, pois permite que o ensino privado seja nivelado por baixo. Jamais teremos um país desenvolvendo tecnologia porque a intenção é manter pessoas com o menor nível educacional possível. E aqueles que tiverem uma graduação, a inteção é mantê-los sem senso crítico..

  33. Sciencefismat 11.02.12 at 21:09 - Reply

    Isso em outras universidades particulares também está acontecendo. Os alunos nem se quer tem conhecimento e os que tem, não conseguem faer nada, só comentam… aquele professor era bom e foi embora…. Depois, quando nós olhamos os noticiários e vemos pontes caindo, médicos errando e matando pacientes, enfermeiras dando injeção em lugares errados… nós achamos que eles estavam errados.. Mas na verdade, foi essas instituições que os formaram e mentiram dizendo que eles estavam prontos para o mercado de trabalho.

  34. Marcelo 28.02.12 at 12:52 - Reply

    Ai que gentalha!

  35. Guest 28.02.12 at 23:12 - Reply

    Discordo integralmente que as particulares (e também algumas públicas bem ruinzinhas, isso tb existe) tenham todo o “direito” de fazer o que bem entendam, definindo elas mesmas seu modo de funcionamento: porque sua finalidade é preparar profissionais, que em tese deveriam ter um mínimo de qualidade em sua formação, para não prejudicar a sociedade: caso de engenheiros que fazem prédios que desabam, médicos ou enfermeiros que cometem erros que levam pacientes a óbito, psicólogos que fazem pregação religiosa nas terapias, dentre outros tristes exemplos. Essas mantenedoras, assim, não apenas enganam seus alunos (com projetos pedagógicos magníficos e professores bem titulados ANTES da vinda das comissões do MEC, para, assim que obtêm uma nota elevada, substituirem esses projetos pedagógicos por outros sofríveis e demitirem os mesmos docentes que asseguraram uma avaliação com nota elevada, intensamentem utilizada pelos departamentos de Marketing dessas instituições, afim de atraírem mais vítimas para o seu estelionato educacional), mas também, prejudicam a toda a sociedade. Porque uma parcela dos profissionais ruins que formam, justamente, termina mesmo sendo absorvida pelo mercado, com consequencias nefastas. E, já que se fala tanto na tal “mão invisível” do mercado, qual é a sua última novidade? A liberação da imigração em massa, para o Brasil, de profissionais formados nos cursos superiores de outros países – pois, apesar de a quantidade de profissionais formados por estas prestadoras de *lixo* educacional, ser superior ao número de postos de trabalho ofertados, na prática a demanda profissionais que tenha tido uma formação superior minimamente decente, é bem maior; há portanto uma  quantidade enorme de formados que não conseguem preencher as vagas, devido à sua formação péssima.  Não vou entrar na discussão “PT x PSDB”. Mas antecipadamente, apesar dos aspectos positivos e negativos de ambos governos no campo educacional, acho que merecem nota zero. Ambos governos, Lula e FHC, os governos que os antecederam, o governo que aí está e provavelmente os próximos governos, não fizeram aquilo que tinha que ter sido feito: fechado estas instituições, embora até certo ponto tenham tentado (tanto nos Govs. FHC e Lula, por exemplo, juízes davam ganhos de causa a mantenedoras em ações judiciais para impedir a divulgação pública de suas avaliações sofríveis, e é lamentável que o corporativismo das públicas siga o mesmo caminho, não pela via judicial mas, por exemplo, pelo boicote ao Enade). Sou docente há mais de 20 anos em particulares e, lamentavelmente e salvo poucas exceções dentre os que formei, não seria louco de indicar a ninguém para qualquer emprego ou prestação de serviços, a maioria de meus próprios ex-alunos. 

  36. aline 09.03.12 at 14:25 - Reply

    Infelizmente a educação é um mero negócio para as instituições privadas, e digo isso pois sou graduada através de uma  (PUC), mas confesso que isso nao fechou portas na minha vida acadêmica e muito menos me impediu de fazer uma pós em uma universidade pública.

     
    Admiro a atitude do governo em “popularizar” o ensino superior, pois esta é a tendência do mercado de trabalho. Se antigamente nossos avós precisavam do ensino fundamental e nossos pais de no minimo o ensino médio, ficou ao encargo da nossa geração ter a formação minima do ensino superior. Mas sejamos sensatos e larguemos a utopia de um governo que realmente se importa e instituições que querem formar profissionais altamente qualificados. Governo faz melhorias para angariar votos e as instituições privadas pelo dinheiro. E nós não estamos muito longe dessa realidade, pois além do amor a profissão e vida acadêmica, todos buscamos reconhecimento e retorno através de salários compatíveis a todo nosso investimento por anos de estudo e dificuldades (quem vive de bolsa desde a iniciação cientifica sabe). 
    No final tudo se resume (infelizmente) ao dinheiro segundo o modo capitalista que vivemos. Pois quem tem dinheiro tem poder, quem ter poder faz o que bem quer.

    E se a Anhanguera faz isso, DEFINITIVAMENTE é uma instituição que merece desprezo e não quero fazer parte desse corpo docente, nem em sonhos. 

    Talvez um solução seria um boicote e demissão em massa, e quem sabe até uma greve generalizada, mas entendo perfeitamente que muitos profissionais (que são pessoas que precisam sustentar suas família) não tem a oportunidade de recusar um emprego, onde quer que seja. E é uma triste realidade onde , como já citado anteriormente, celebridade e jogador de futebol vale bem mais do que um professor. 

  37. Francisco Quiumento 03.04.12 at 11:42 - Reply

    Números simples: De 26 a 38 reais por hora-aula, 8 horas suadas por dia (esqueçamos a impossibilidade prática disto, pela preparação e outras atividades), R$ 208 a 304 por dia,  22 dias forçados por mês, R$ 4576 a 6688, por mês. Perdão, abandonem estas instituições e vão buscar consultorias em empresas privadas. Mesmo com ganhos até menores que estes, a carga de trabalho seria menor e a qualidade de vida, consequentemente melhor. Vocação e “gosto” podem ser atendidos com trabalho voluntário.

  38. Ana Basaglia 03.04.12 at 12:39 - Reply

    Não só a rede Anhanguera fez/faz isso, a UNIP também fez… Dei aulas lá por cinco anos, vi professor sendo contratado e vi professor sendo demitido, em função da política do momento (MEC fazendo vistoria ou não)… Vi colega minha comemorando o doutorado, mas pedindo discrição, para não chamar a atenção da coordenação…
    O fato é que os alunos da graduação estão cada vez piores, a formação dos professores está cada vez menos valorizada, e vemos no país uma valorização da quantidade e não da qualidade. Infelizmente…

  39. Marina 17.04.12 at 15:21 - Reply

    A Anhanguera não é a única, outras universidades particulares  contratam o número mínimo de mestre e doutores. E por isso os concursos públicos ficam lotados, como os 33 doutores q estão competindo por UMA vaga na UNESP.

  40. Sybylla 22.04.12 at 17:31 - Reply

    Ao invés de melhorarem o ensino de base, estão reduzindo a qualidade do ensino superior. Medo do futuro desse jeito. 

  41. Prof Vinicius 27.04.12 at 13:42 - Reply

    Gente, gostaria de dar meu parecer sobre a Anhanguera… que demiti e depois volta atrás…atrasa o pagamento…reduz a carga horária do professor (de 12 para 4 horas), reduz carga horária diária dos cursos (de 4 para 3 horas por dia).
    Imagino que uma empresa séria, digamos, uma empresa de tecnologia, não faça gato e sapato dos seus funcionários, né?Uma empresa séria não vai reduzir de 8 para 4 horas a jornada do funcionário?!Uma empresa séria (e que segue a CLT) não vai reduzir o salário do funcionário…Nada contra os especialistas, pelo contrário, já fui um e auxiliava um professor. Depois fiz meu mestrado e passei a ser assistente de um professor. Aprendi muito! Hoje sou Doutor e…danceiE lembrem-se, todos os governantes (Alckmin, Kassab, Cabral, Aécio, Lula) deste país usam números na educação…porque números são lógicos e favorecem o marketing!!!!Desculpe mas a Anhanguera nem empresa é…muito menos mais faculdade…Isso não é caso de política desse ou daquele partido…é caso de polícia!!! 

  42. Lucimarbeserra 28.04.12 at 19:54 - Reply

    E UMA VERGONHA ESSA ANHANGUERA OS ALUNOS DEVERIAM SE MANIFESTAR A RESPEITO DESSE ENSINO SUCATEADO  

  43. Deise France 17.05.12 at 16:35 - Reply

    Não tem nada haver Darlan. O que acontece é que o MEC só visita as Faculdades de 3 em 3 anos e se o ENADE for menor que 3. (paca cada curso). Para Renovação de Reconhecimento. Então se a nota no ENADE for mais de 3, a instituição só recebe o MEC para aumentar a nota. E é claro que uma instituição mais ou menos não quer o MEC por perto. 

  44. Marcelo Duran 13.07.12 at 10:51 - Reply

    Estudo na antiga Torricelli (Guarulhos) comprada recentemente pela Anhanguera. A qualidade do ensino caiu demais, houve demissões de professores e alguns dos que ficaram estão visivelmente desmotivados. Além das demissões, ainda juntaram 3 turmas (3,4 e 5 Semestre) do meu curso (Sistemas de Informação) numa só, prejudicando ainda mais o ensino. A turma ficou em cerca de 70 alunos, e quando há aulas e laboratório, não há computadores suficientes para todos, quem quiser acompanhar a aula que leve o seu notebook. Optei por estudar na Torricelli e agora terei que estudar nesta Anhanguera pq a transferência para outra faculdade, a esta altura, é complicada por questões de grade e distância.
    A Torricelli só era mesmo conhecida na cidade, mas o ensino era muito melhor, os alunos tinham ensino de qualidade e os professores salário mais justo.

  45. Henriquepgomide 03.08.12 at 19:09 - Reply

    É claro que a culpa pode ser distribuída pela falta de fiscalização, regras absurdas, etc. Mas esta culpa só existe devido à despreocupação com a qualidade de ensino da instituição.

    Fica claro e cristalino que a pilatragem agora é S/A.

  46. Eduardo Simões Martins 09.08.12 at 19:34 - Reply

    É uma absurdo o que está acontecendo no mundo universitório, em outras palavras, não é o capitalismo? O negóacio é lucro. O trabalho dos professores é intermediado, mal remunerado. Mas como vivemos um sistema de Estado não-inetervencionista ocorre que a saia é justa para todos os professores que ficarão desempregados.

  47. Alunasemaula 22.08.12 at 19:21 - Reply

    estudo em uma das unidades e o que posso dizer é que realmente o ensino é degradante, a qualidade das aulas baixas, professores desmotivados e instituição como um todo descomprometida com os alunos.

  48. CLEBERSON EDUARDO DA COSTA 12.10.12 at 14:45 - Reply

    PROSTITUOS INTELECTUAIS
    PROSTITUTOS INTELECTUAIS

    Nas sociedades capitalistas ocidentais, onde impera a obsolencência programamda; onde impera à produção desmedida de informação e conhecimento a cada seis meses, num rítimo cada vez mais alucinado; num rítimo em que quase tudo que é tido como sendo novo se torna velho quase ao mesmo tempo, soa-nos como um disparate falar em cursos de mestrados que durem dois anos e, pior ainda, de doutorados que durem quatro.
    Ou seja, um indivíduo que entra nesses cursos almejando sair dele mais sábio, sai um ignorante com diploma; da mesma forma que um indivíduo que entra nesses cursos almejando contribuir para o desenvolvimento do conhecimento, ao concluir sua tese, aumenta o lixo cultural.
    Explico-me: nas sociedades do capital, tudo é mercantilizado, inclusive o que dizem ser saber. Nesse sentido, os intelectuais modernos se transformaram numa especie de prostiutos intelectuais, ou seja, precisam criar e sistematizar hierarquias de saber, através de títulos e diplomas, para poderem vender seus “produtos”, seus saberes enlatados.
    Numa outra via, essa prostituição intelectual se dá quando esses indivíduos buscam esses cursos para poderem receber aumentos de salários.
    Infelizmente, nas sociedades subdesenvolvidas do capital, o que se procura estudar e pesquisar, através desses cursos, é o que já está obsoleto em outros países.
    Se alguém tem alguma dúvida, perguntem-se quantas universidades, hoje, nesse país, exportam tecnologia ou conhecimento de ponta. Para se fazer uma linha de Metrô, por exemplo, assim como esse próprio meio de transporte, é preciso importar tudo da alemanha.
    Eu poderia, aqui, enumerar uma série desses exemplos. Todavia, isso talvez pudesse fazer parecer que não sou um Brasileiro e que estou zombando do nosso povo. Não, nem de longe me passou isso pela cabeça…
    O que se quer dizer é que, nesse país, como em tantos outros da america latina, título de mestre e/ou de doutor se tornaram sinônimos de sabedoria quando, na verdade, hoje, não passam de mitos.
    Mitos porque a internet está aí, disponível para quem quiser pesquisar e aprender em tempo real; mitos porque quase ninguém tem mais tempo para ler um livro ou mesmo uma tese de quinhentas páginas, repleta de termos técnicos; mitos porque quase ninguém tem mais saco para redundâncias, hermetismos e prolixidades acadêmicas;mitos porque, no mundo de hoje, quanto mais a gente sabe um assunto qualquer, menos a gente precisa escrever sobre ele.
    Isto é, no mundo de hoje, é preciso saber dizer em no máximo três páginas o que um Mestre ou um Doutor qualquer precisaria dizer em quinhentas ou mil, sob o formato de uma tese.
    E essa questão não  é exatamente da suposta diferença de qualidade entre elas, mas do desenvolvimento de uma outra capacidade: análise e poder de síntese.
    Os intelectuais dessas sociedades, além de não possuírem o poder de análise e síntese trazem na prática acadêmica os ranços históricos do esquerdismo, tornando-se crítcos ao extremo e, consequentemente, incompetentes tecnicamente.
    Todos aqueles que já passaram por uma universidade pública, entendem bem o que eu estou falando: critcar e o sitema e nunca apresentar soluções parece, nesses meios, ser também o sinônimo de “ampla sabedoria”.
    Lembro-me de professores que tive nos cursos de pós-graduação que não passavam de seres completamente limitados à suas áreas de saber.
    Sem querer me engrandecer, certa vez, aprensentei um trabalho a um professor sobre os conceitos de Liberdade e Igualdade em NORBERTO BOBBIO e o prof. escreveu no trabalho que não conhecia o autor, mas me deu (10) dez. Esse fato ocorreu-me várias vezes no Brasil: muitos deles não sabiam que eu tinha vivido alguns anos na Europa, por meio de um intercâmbio, e que também era um rato de biblioteca.

    Com esse discurso, todavia, não quero ser aqui mal compreendido e ser interpretado como aquele que disse que os curso de Mestrado e Doutorado não valem nada, mesmo porque, agindo assim, estaria jogando pedras no meu próprio telhado.
    Eles valem e valem muito: só que aqueles conseguidos no Brasil e/ou na America latina, na sociedade global, no mundo de hoje, nada ou quse nada valem.

  49. Professor Junior 25.10.12 at 10:43 - Reply

    é brincadeira…. estão zoneando tudo que sonhamos em construir, professores pagam valores altos para se qualificarem e vem uma empresa que so pensa em lucro e nao interessa como e faz isso.. Faço faculdade na Anhanguera em anapolis e meu professor de Fisica…. Se formou ano passo… imagina onde… NA anhanguera… é brincadeira….

    • Adevaldo 27.10.12 at 14:39 - Reply

      Em um país onde um pedreiro atualmente chega a ganhar R$ 4000,00 por mês em média, fica difícil com estes salários pagos incentivar um aluno a fazer uma graduação, mestrado ou até mesmo doutorado. Mas em relação a formação  profissional, não devemos basear-se apenas à ministrar aulas, penso eu que o objetivo é procurar ser sempre o melhor no que faz, pois para os bons profissionais as oportunidades sempre irão surgir.

  50. Hidekitk 30.10.12 at 20:05 - Reply

    Fica bonito dizer,  os pobres estão na faculdades.
    Se for fazer ensino de qualidade fica caro e o povo nunca irá se formar.

    Logo o governo nao vai falar formamos 1 milhão de engenheiros, 2 milhoes de professores etc.

  51. Daniel 22.11.12 at 11:10 - Reply

    universidades caça-niquel

  52. victor 14.12.12 at 11:40 - Reply

    O MEC n deve tomar uma atitude pq é privado, ué… e nem fundação é, é S.A.
    Quanto mais a educação virar mercadoria, mais fácil será medir seu padrão de eficiência. Afinal, é o mercado que vai decidir se os formados foram bem ensinados ou não. Caso a Anhanguera seja ruim, menos pessoas vão se matricular na mesma. Isso é dinâmica de livre mercado.
    Com todo o respeito, melhor isso que um bando de universidade pública dando aula de cênicas ou ensinando marxismo pra molecada.

  53. Sênior 18.12.12 at 19:27 - Reply

    Pois bem, primeiramente, tudo isso é um reflexo de um sistema; em outras palavras, parte principalmente dos discentes. As pessoas ingressam no Ensino Superior com o objetivo de se conseguir um diploma independentemente do nível da instituição; e, por conseguinte, isso faz com que o nível da pesquisa caia, pois como as faculdades se abrem para o mercado, é natural que a grade das disciplinas dos cursos diminuam de 4 anos para apenas 3 anos, sem contar os cursos de pós-graduação, que, normalmente, levava em torno de 4 – 5 anos, caiu para 3 anos; há cursos de mestrado que com apenas 2 anos a pessoa o conclui. Enquanto a Educação não for levado a sério neste país, haverá sim pessoas que só pensam no diploma sem levar em conta os conhecimentos que esse indivíduo haveria de conseguir com o curso superior. É, realmente, está difícil de tirar este país da lama.

  54. Viviane Faria 08.02.13 at 00:24 - Reply

    Fui professora da faculdade Processus, em Brasília. Após a avaliação do MEC, fui demitida porque além do Mestrado, havia acabado de entrar no doutorado. O interessante foi que ao me chamar para dar a notícia, a coordenadora disse que eu estava sendo excluída do quadro de professores porque era cara para a instituição e que seria substituída por um graduado.

    Minha sorte é que havia acabado de passar no concurso para professor substituto na Universidade de Brasília.

    Este é o Brasil!!!! E concordo com o posgraduando: onde está o MEC?????

  55. Armando do Prado 19.03.13 at 18:32 - Reply

    Causa: política educacional neoliberal. Vejam o caso do Estado de SP. Educação no chão.

  56. André 21.03.13 at 14:22 - Reply

    Já dei aula lá, detestei e me senti um “vendido”. Reprovar alunos era quase um “crime” e essa “Faculdade” parece uma fábrica de vender diploma.

  57. Vinnie 25.07.13 at 13:55 - Reply

    Eu concordo com o texto, mas vou fazer uma contraposição. Se, em grande parte, a culpa é das Universidades Particulares e da mercantilização do ensino, os programas de pós das públicas também tem sua parcela de responsabilidade. O que eu tenho visto na USP são alunos de mestrado e doutorado cada vez mais técnicos e menos envolvidos nas questões institucionais. Eles entram no esquema de publicar o máximo possível sem questionar e, sem algum tipo de organização, acrescentam quase nada à política educacional. Não vejo ninguém propondo nada nem do lado dos alunos nem da USP. O Mestrado, que deveria formar também professores, virou um mini-doutorado e não incentiva o aluno a pensar criticamente sobre seu papel na educação superior. Profissionais mais bem preparados e organizados poderiam fazer algo pra pressionar as Particulares e o Governo a mudarem suas políticas, mas não vejo nada sendo feito pra contribuir pra isso. Se não houver gente pra brigar contra isso, a bagunça e a exploração só vão piorar.

  58. AGNALDO 26.07.13 at 11:46 - Reply

    Essa é a herança do governo do PT e dos marcos valerio, genuino, ze dirceu e companhia, que o pt acolher em seu partido, LULA acabou com educação, somos único pais qye ttivemos um presidente analfabeto, O FIES dos estudantes, que não pagou sua divida, foram executados pela CAIXA ECONOMICA FEDERAL, executou todos os estudantes pobres, muitos ficaram sem emprego, tiveram oficial de justiçro a na sua casa, bloqueram as contas de que tinha dinheiro, muitos estudantes pobres tiveram que procuar rocuradoria de justiça, desbloquear sua contas, bloquearam o salario, meu caso, fiquei sem dinheiro, dependi de parentes para sobreviver, foi humilhação para os estudantes que erão pobres financiariam a educação pela CAIXA ECONOMICA FEDERAL, ENTIDADE arbitraria junto MEC, ACABOU COM os ESTUDANTES POBRES, HOJE TENHO UMA DIVIDA DE 32 000.00 MIL REAIS, NOMES SUJo, NÃO CONSIGO emprego, SÃO VÁRIOS ESTUDANDES NO BRASIL, ESTE GOVERNO DE SEU LULA FARSANTE, MENTIROSO, SAFADO, MUITOS ESTUDANTES estão pedindo ASILOS estudantil em OUTROS PAISES PARA sobeviver, GRAÇAS AO MEC, QUE PERSEGUE SEUS ESTUDANTES UMA VERGONHA PARA O MUNDO, até hoje renegociar a divida,a exigencia da CEF x MEC tem pagar custas do provessos e cinco por cento divida, infelizmente estudante no governo do lula tem pedir asilo a outros paises, na ditadura lula foi perseguido, no governo do lula e da dilma, os estudantes são perseguidos, eles tem o poder, usam seu advogados processando os estudantes, muitos tem o nome serasa, ja faz 10 anos que tenho nome sujo, não consigo emprego, vivo com muitas dificuldades e são vários estudantes no Brasil inteiro,que tiver dúvidas verifique os processos que se encontram no justiça federal, esta a vergonha deste pais, decepção do governo, votei no cara e traiu o BRASIL, NUNCA MAIS LULA E NEM DILMA.

  59. Armando 26.07.13 at 19:50 - Reply

    Fazer o quê? Fechar os cursos, colocando todo o resto na rua e privando alunos de mensalidade mais baratas? Jênio Socialista.

  60. janaina 30.07.13 at 20:17 - Reply

    Universidade publica nem papel higienico tem?? Que tal a mudanca comecar excluindo o PT do governo. Pode ser que pelo menos papel higienic nunca falte! Fora governo corrupto..queremos educacao para um dia ter o minimo.Emprego!

  61. Suely 30.07.13 at 23:58 - Reply

    Pois é. Resta o que então para os sem grana? Sim, porque, entrar numa universidade pública, além de tremendamente difícil, não oferece o ensino tão superior aos outros assim, como estão dizendo aqui.E, pagar uma universidade particular boa, é só para ricos. Então, para os pobres seres de classe média baixa, resta perder, as vezes, anos e anos tentando entrar numa faculdade pública (pagando cursinho que não é tão barato também) ou tentar as mais em conta, como a Anhanguera? Realmente, não resta muitas opções.

  62. Felipe Fert 01.08.13 at 11:23 - Reply

    Engraçado como vocês tem memória fraca e pensam que a culpa dos problemas do capitalismo é do PT, e esquecem da venda/doação do Brasil aos neoliberais durante a era FHC… Quando não se abria uma só vaga em instituição pública federal.

  63. Tiago 01.08.13 at 15:26 - Reply

    Quanto comentário mesquinho e de gente alienada!
    Que tal cada um começar a fazer a sua parte e parar de reclamar dos outros!
    Vocês não se dão conta que das mesmas pessoas que vocês reclamar, as mesmas pessoas nós serem futuramente (digo nós sim, porque poucos se salvam)! Se cada um por a mão na consciência e saber os seus deveres e direitos e prezassem por isso, nada disso estaria acontecendo! O problema é que a corrupção parece estar nas nossas veias, é de raiz e temos que começar a cortar isso! Achar culpados não vai resolver problemas, temos que achar SOLUÇÕES!

  64. Denise 09.09.13 at 11:03 - Reply

    Aqui no DF também acontece essa palhaçada!!!
    Profissionais excepcionais são demitidos porque se especializaram!!! Acho isso um absurdo e uma tremenda falta de respeito conosco!!!

  65. Fabrícia 10.09.13 at 10:49 - Reply

    Vamos combinar que também depende dos alunos se interessar em aprender alguma coisa. Não basta ir para a faculdade somente para marcar presença, tem que buscar informação, atualização! Cabe a nós alunos correr atras da nosso conhecimento. A faculdade não nos fará ótimos profissionais, e sim nós mesmos, nos dedicando e tendo em mente que só nosso esforço nos fará crescer.
    A faculdade somente nos dará base para seguirmos em busca do que queremos, e é vasto as áreas de trabalho, tendo nós que ficar no aperfeiçoamento.

  66. Leo Castelo 22.10.13 at 14:49 - Reply

    Assim que iniciei os estudos na Uniabc/Santo André, no primeiro Semestre já deu para sacar a qualidade dos 04 (quatro) professores, dentre eles exceção seja feita a apenas 01 (um), pois se por uma lado apresentaram seu interessante plano de aulas, por outro, no decorrer do curso é lastimável o modo como tentam transmitir o enunciado.
    Ocorre que neste 2º semestre a coisa ficou pior ainda, dos 04 (quatro) nenhum deles consegue o beneplácito de angariam o saber do Corpo Dicente em satisfação acima pelo menos de 50%.As notas bimestrais que o digam. Segundo informes de antigos alunos, desde a Uniabc, antes da Anhanguera o ensino é muito mais qualitativo: eram Mestres e Doutores a maioria do Corpo Docente.

  67. Raphael 24.10.13 at 12:05 - Reply

    A qualidade da educação no Brasil ainda é péssima e relamente, como foi afirmado em comentários anteriores, a atual política educacional no Brasil consiste apenas no incentivo à fabricação de diplomas, no caso de cursos como engenharia, arquitetura etc. Há casos mais gritantes, como o caso do Magistério, onde há um índice absurdo de professores atuantes que não possuem sequer diploma para darem aula (especialmente no ensino fundamental e médio, além dos cursos pré-vestibular). Segundo o último censo escolar, temos cerca de 30 a 40 % dos professores neste caso, são mais de 630 mil! Os resultados nós encontramos por toda parte, especialmente em lugares como esta página, que contém tantos comentários onde as regras mais básicas da nossa língua são ignoradas, totalmente desconhecidas pelos autores.
    Raphael de Assis

  68. Zargosky 27.10.13 at 15:51 - Reply

    É uma via de mão dupla. Na universidade, tanto o docente, quanto o aluno, devem procurar se aperfeiçoar cada vez mais. É um aprendizado constante. É uma pena que muitos dos alunos que reclamam dos seus professores não chegam sequer a completar 90% de presença em aula. Fica complicado desse jeito.

  69. Cleide 05.11.13 at 20:08 - Reply

    Imaginem um professor de curso técnico, em um dos programas atuais do governo?

    Liberdade de trabalho??
    Remuneração igual ao que os convênios (contratos firmados entre as instituições e os vários programas de ensino do governo federal) previram a hora/aula???

  70. Isaac Bezerra 19.11.13 at 11:42 - Reply

    Essa é o profundo conhecimento da função social da educação para alguns. E dessa forma nada melhor que a mão do deus ‘mercado’ para resolver os problemas educacionais no ensino superior, o que inclui os profissionais de educação.
    Lamentável…

  71. Aperlino 24.11.13 at 19:59 - Reply

    Tudo isso se resume em duas palavras, e uma nova modalidade de crime ” Estelionato Educacional” Antes se dizia que era muito conteudo para um curso de Direito ser feito em 4 anos, pois bem, agora são 5 anos e na Anhanguera nem aula tem na sexta, incluiram a famosa ATPS, ( embrulha e manda), aulas virtuais e outros artificios em outras faculdades para pagar pouco aos nossos mestres e encher os bolsos dos proprietários, cade o MEC? Cadê a OAB? Cade os estudantes que se calam e só irão descobrir o grande prejuízo no fim do curso e no inicio de uma longa jornada de cursos preparatórios para o exame de ordem!!!!! Está na hora de dar um basta e receber a contrapartida no aprendizado!!!!!

  72. Nilson 06.12.13 at 17:02 - Reply

    Ola caros amigos internautas,
    Eu estou me formando este ano pela Uniban adquirida pela anhanguera. E já vou deixar um aviso para o marinheiros de plantão que estão pensando em estudar na Anhanguera. Esta instituição e muito mercenaria, com uma desorganização total. Digo isso pelo fato de uma carteirinha estudantil demorar meses para ser entregue, pelo fato deles sumirem com a sua documentação e etc.
    Dos meus professores não tenho que reclamar pois são muito bons. Mais quanto a instituição em si e muito ruim e so pensa em dinheiro e não no ensino.
    E quando a Uniban foi adquirida pela Anhanguera os professores mestres e doutores em sua maioria foram demitidos.
    Sinceramente não estudem neste lugar e dor de cabeça na certa. Conselho de amigo!

  73. Daniel 04.01.14 at 16:59 - Reply

    apenas para ilustrar: No “rancking” das Universidades espalhadas pelo Mundo, a USP situa-se por volta do 280esimo lugar, a UNICAMP e a UNESP se equiparam a Universidades dos paises mais subdesenvolvidos e atrasados do Planeta. Os Estados Unidos possuem umas trinta dentre as 150 melhores, cabendo a paises como a Alemanha, Holanda, Belgica, China, Japao, Reino Unido e alguns poucos mais completarem essa lista das 150. Acredito que essa questao do sucateamento das nossas Universidades, que se iniciou ha uns 20 anos, passa tambem pela voracidade dos paises colonizadores dos tempos modernos que fazem de tudo, repito, de tudo para deixar o terceiro mundo no terceiro mundo. Quanto ao PT, me desculpem senhores Petistas, admitir que pessoas condenadas e trancafiadas pela justiça por roubo….sim, roubo do dinheiro publico que poderia beneficiar tantas pessoas….criancinhas..miseraveis..e por ai vai, permaneçam no partido, e no minimo, conivencia com tudo isso. Sinto repugnancia e nojo em alguns outros paises, eles seriam simplesmente fuzilados. (por favor, me perdoem os erros de pontuacao e de acentuacao, nao estou num teclado convencional).

  74. Sol 08.01.14 at 16:27 - Reply

    Boicote a essas faculdades-lixos!

  75. cassio 21.01.14 at 19:30 - Reply

    Dei aula durante 10 anos em universidades particulares, desde o primeiro ano de mestrado. Quando terminei meu mestrado era a forma que possuíamos de ingresso no ensino superior. Doutorei trabalhando, 20 horas aula recebendo R$30,00. Ingressei recebendo R$15,00. Cheguei a dar aula em 3 universidades ao mesmo tempo para pagar as contas. Quando terminei o doutorado me ofereceram o cargo de professor tempo integral na universidade que dei aula desde que comecei. O salário aumentou bem, mas como doutor ganhava R$4.200,00, que convenhamos é um salário baixo. Mas o fato de poder dar somente 12 horas aula, estabilidade no emprego me chamaram atenção.
    As universidades particulares não tem obrigação de ter 1/3 do corpo docente mestre e doutor. necessita de 1/3 em regime de tempo integral, e por questões de avaliação do ENADE selecionam os professores doutores. Haviam professores comigo que ganhavam o dobro ou triplo do que eu ganhava, porque o curriculo deles representava pontos valiosos nas avaliações do MEC. Os outros professores eram horistas, como hora aula mais baratas e sem contratos como os nossos. Geralmente eram contratados horistas recém mestres ou mestrandos para lecionar, como professores ingressantes, com hora-aula menor. depois de um tempo por questões de salário os que eram amigos da coordenação ou ganhavam a simpatia dos alunos seguiam com contrato de horista com salario um pouco melhor os outros eram demitidos. Fato é que como eramos poucas escolas de arquitetura na época, o rodizio de professores entre faculdade era grande. Você entrava em uma, saía, seu amigo já avisava que havia vaga em outra que algum outro professor tinha saído, era uma dança das cadeiras, pegando disciplinas que você nunca se especializou ou detestava lecionar.
    De toda forma esse tempo foi bom para entender duas coisas: universidades particulares são empresas. Ou você se adequa as regras do jogo e procura uma forma de bailar ou você está fora. Essa experiência foi fundamental para ser aprovado num concurso de professor em uma federal. tantos anos, em disciplinas diferentes, estudando, preparando aulas, buscando artigos, livros, textos, orientando alunos a banca pra professor foi bem mais fácil, e cheguei um professor mais maduro.
    Costumo dizer a meus amigos em começo de carreira: é um degrau necessário. Isso que aconteceu na Anhanguera acontece em todos os lugares, o tempo todo. Você assina um contrato de 6 meses, em julho rescindem, em agosto te ligam pra assinar de novo, em novembro nova rescisão. Você nunca sabe se estará empregado no próximo semestre, quais disciplinas, quem serão seus colegas… O curso as vezes não forma novas turmas, muda o currículo. Na época eram 5 escolas de arquitetura, hoje são 12 na cidade. Hoje contratam professor a grito, só procuram saber se tem titulo e experiencia didática, contratos de 4, 6, 8 horas aula, que mestrandos ou doutorandos pegam pra complementar a renda já que a bolsa mal paga o aluguel.
    Quem está nesse meio sabe bem o que estou falando, e com certeza aprendeu a dançar conforme a música. Faculdade Particular é empresa, lembrem-se disso. Há a esperança de que profissionalmente os estágios moldem o aluno como profissional, pois academicamente como cidadão critico da forma de produção e construção da sociedade é muito difícil, talvez isso explique o porque de raros alunos na pós graduação oriundos dessas faculdades.
    De toda forma não se assustem, não se desesperem… com a ampliação das faculdades pelo interior do brasil novas vagas surgem tanto em federais quanto em particulares e é uma questão de buscar uma nova carreira docente, mas tendo sempre o pé no chão e estando preparado pro pior. Por isso sempre mantenham contato com outros professores, coordenadores de curso, porque esse rodízio de professores é uma realidade.
    Desculpem estou escrevendo do celular, deve estar cheio de erros.

  76. Solange 26.01.14 at 21:51 - Reply

    Caro Fernando…

    Realmente você representa muito bem o ensino que o PT, com seus “dados estatísticos” teimam em tentar comprovar, é isso que temos: as palavras número e públicas sem acento, apesar de serem obrigatoriamente acentuadas por serem proparoxítonas e a maior relíquia: subi-sídeos!!!!!!!!!!!!!
    Valha-me Deus…
    Acho que não preciso de mais comentários!!!!

  77. Antonio 27.01.14 at 17:50 - Reply

    Bom. Meu comentário é sobre a mania de discutirmos o que um ou outro falou ou deixou de falar (e, na maior parte da discussão toda acima, acentuou ou deixou de acentuar) e no fim darmos menos importância ao que realmente deve ser discutido.

    Sim, é gravíssima essa situação de demissão de professores, sejam eles de qualquer nível. Era (é em todos os casos) necessária uma intervenção maior por parte do MEC. Um controle mais rígido, cobrar explicações mais coerentes e, no mínimo, cobrar bom senso desta instituição.

    Por outro lado, evidentemente pois é tanto falado (jogado na nossa cara, por assim dizer) e tanto foi discutido acima, que o governo do PT criou muita oportunidade e, principalmente, expectativa em questão de educação. Me pergunto se isso, criar mais universidades, mais cursos, investir nos cursos, não seria o mínimo, a menor coisa a que um governo deve se responsabilizar em fazer. Qualquer governo deveria (e é capaz de) fazer isso.

    Seria de se maravilhar e de vangloriar se, além disso tudo acima, o governo (qualquer governo) também conseguisse melhorar nossos índices internos e externos; se os alunos do Brasil em qualquer nível se importasse mais com seu aprendizado (motivação) do que com qualquer outra coisa do dia-a-dia (visto que essas outras questões estariam sanadas); se houvesse um plano de ensino mais elaborado para todos os níveis; se os professores se sentissem realizados (ou seja, satisfeitos) em ministrar aulas, e em ser professor; se a sociedade, em geral, pudesse colher de imediato o resultado dos investimentos em educação, como os resultados de pesquisa em remédios, em agropecuária, em engenharia, em educação, etc. Esses motivos e mais um monte de outros fariam sim jus a tanta propaganda por parte do governo.

    Adianta falar: “No meu governo, foram criadas tantas universidades!” – se não há dinheiro para começar um estudo científico importante nas regiões onde foram criadas tais universidades – ou “No governo do Partido Tal, foram abertas muitas vagas para muitos cursos superiores!” – se há poucos professores, e incentivo para novos professores, onde foram criadas as benditas vagas – ou “Esse ano vamos construir e entregar tantas escolas técnicas (ou instituto federal, ou ensino médio técnico, etc)” – se os alunos que saem do ensino médio mal sabem o querem da vida por falta de uma boa orientação, não porque o professor não saiba das coisas para informar estes alunos, mas porque falta-lhe tempo já que deve cumprir com o planos de ensino que é, no mínimo, mal elaborado (viu? caiu no que eu disse acima)?

    Bom, pessoal vamos nos ater aos fatos, não às palavras, às promessas. Nem mudemos o foco da discussão, pois é isso que os políticos precisam que façamos para que possam continuar nos enganando com tanta blábláblá em qualquer época e não só nas eleições.

  78. Sophie 19.02.14 at 16:24 - Reply

    Pedro Gabriel, Parabéns, comentário muito pertinente.
    Me enche de ódio quando vejo compararem o governo PTralha com anteriores sem considerar o mínimo de aspectos históricos. Por favor, se eles tivessem assumido o país naquela época, com certeza iam estabilizá-lo: na lama! Mas é isso, vamos construir portos em Cuba, virar socialistas/comunistas, VIVA UMA NOVA CORÉIA DO NORTE (o nome já temos igual: Partido dos Trabalhadores)! Realmente, é demonstração de um avanço e tanto para a educação, saúde, segurança, etc etc etc.

  79. Carlos 24.02.14 at 00:44 - Reply

    Todas as empresas que conheço fazem uma seleção de profissionais para ocupar cargos, verificam se tem experiencia, se já executaram atividades semelhates, se tem perfil para a atividade, etc….e o tutor dessas universidades será que tem ,,,pelo que posso ver são tudo recém formado sem experiencia de aula e sem qualquer preocupação em ensinar, é uma vergonha. enganam o aluno que ao ser atendido por um tutor que não tem experiencia , do que ser atendido por um professor experiente e com vivencia de mercado, eu ainda prefiro ter professor de verdade

  80. Wagner Silva 24.03.14 at 13:28 - Reply

    Uma curiosidade: As maiores universidades americanas (todas com dezenas de prêmios-nobel na prateleira) são particulares. Donde se conclui que o importante não é ser ou não ser particular, o importante é ser eficiente. E as maiores nem vivem de mensalidade. Que coisa, hein?

  81. Ehrick 08.04.14 at 16:01 - Reply

    Olá, e agora pergunto, cadê a classe para fazer um movimento pedindo um posicionamento da secretaria de ensino superior do MEC. O grande problema é que somente há movimentação quando é no público, creio que a classe como um todo deveria pedir que essa secretária mude o sistema de avaliação que as instituições não sejam avaliadas somente em determinadas épocas como ocorre atualmente, mas que sejam avaliadas constantemente.

  82. gralha 08.04.14 at 16:49 - Reply

    Na boa… o ensino é uma merda mesmo.. quem estudou nestas faculdades sabe o lixo que são…

    mas ate ai… a faculdade é privada é tem direito de contratar e demitir quem ela quiser… a questão é bem simples… se o consumidor… os alunos… se preocupassem uma virgula em aprender… não iriam atras de universidades de fundo de quintal… e que não tem nenhum mestre / doutor no quadro de funcionarios…

    mas ja que continuam se matriculando e se formando nestes lixos… a faculdade ta certa em ganhar mais e sucatear o ensino… ja que brasileiro não exige nada de qualidade mesmo…

    • Alaor 09.04.14 at 10:32 - Reply

      Concordo! Mas também tem o problema na renda do brasileiro que não permite pagar por educação de maior qualidade!

      Agora quem vai ganhar dinheiro mesmo, é aquele que montar uma faculdade, pagar um pouco mais pelos professores com maior graduação e vender diplomas a um preço não muito fora do padrão de consumo.

  83. Leonardo Ol. D. 21.07.14 at 14:09 - Reply

    Eu fiz mestrado para dar aulas as universidades tem obrigação de me contratar para dar aulas, acho uma vergonha, eu tirei meu mestrado para dar aulas e ganhar 8 mil, e agora fico aqui vendo isso

  84. Rogério Vianna 25.11.14 at 06:36 - Reply

    Saudações
    E qual governo seria o Ideal? O partido A, B, C ou entre outros? Um ditado bem antigo mas atual que gosto muito. “Cada povo tem o governo que merece”. Algumas Características de uma Pessoa Íntegra: É honesta, é ensinável, fiel, autêntica, transparente, é alguém de conduta reta, é sincera, é humilde, fala sempre a verdade, não mente, é confiável, é digna de confiança, não engana, mantém a sua palavra, mesmo quando sai prejudicada, não fala mal do próximo, não dá falso testemunho, entre outras…
    “A verdade é o alicerce da integridade. E a integridade é o pilar que sustenta o caráter. (…) A verdade é imparcial. É eterna. Ela resiste ao tempo”.
    Edwin L. Cole, no livro “Coragem”, Editora UDF, Pág 101
    “O caráter é muito importante porque não pode ser totalmente avaliado; se for deficiente, porém, falhará no momento em que mais precisarmos dele. É quase impossível ajudar um caráter mal formado” (Pág 18).
    “Poucas [pessoas] mudam de caráter após tornarem-se adultas”. (Pág 45)
    “O caráter puro é transparente” (Pág 47).
    “A obediência constrói o caráter” (Pág 49).
    “A confissão clareia e limpa nosso caráter” (Pg 50).
    “As grandes qualidades na vida estão envolvidas no caráter de uma pessoa, tais como sabedoria, integridade, honestidade, lealdade, fé, perdão e amor” (Pág 84).
    “… o caráter determina como uma pessoa usa sua inteligência” (Pág 109).
    Fred Smith, no livro “O Impacto da Liderança com Integridade”, Editora Vida
    “Todos pensam em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo” – Leon Tolstoy.”Quem procede com integridade viverá seguro, mas quem procede com perversidade de repente cairá” Pv 28:18.
    “O avarento [o que é ávido por lucro desonesto] põe sua família em apuros, mas quem repudia o suborno viverá” Pv 15:27.
    “Muitos se dizem amigos leais, mas um homem fiel, quem poderá achar? O homem justo leva uma vida íntegra; como são felizes os seus filhos!” Pv 20:6-7.
    “Na terra de Uz vivia um homem chamado Jó. Era homem íntegro e justo; temia a Deus e evitava fazer o mal” Jó 1:1.
    Vamos observar a Lei do Criador do Universo e com certeza tudo mudará… Para melhor … Eu garanto…
    Namastê

  85. Adriana 20.01.15 at 15:01 - Reply

    A necessidade das pessoas está mudando rapidamente. Acredito que existe muita facilidade hoje em dia para entrar na universidade, porém qualidade não. De uma certa forma positivo também, quantas pessoas não podiam sonhar com isso e hoje podem sonhar. Não é a universidade que forma o profissional, é o aluno que precisa buscar seus conhecimentos, que precisa ser fiel aos ensinamentos e aprofundá-los, depois quem vai precisar é ele. Ninguém saberá tudo… o tudo não existe. Hoje em dia temos livros, internet, redes sociais… etc. Quantas oportunidades para aprender! Penso que todos buscam uma saída desesperada para sobreviver. Precisamos parar de culpar os outros, eu também sou culpada quando não estudo, quando mato a aula, quando não busco mais conhecimento, quando não devolvo o que não é meu, quando silencio o que não está sendo justo. Temos olhos, boca e ouvidos … não é para tapa-los! Faça o que deve ser feito, isso contribui para vc mesmo.

  86. Angela 06.02.15 at 14:19 - Reply

    Esta Dissertação de Mestrado pesquisou a demissão dos professores com titulação na rede privada e apresenta alternativa para enfrentamento do problema pelo MEC.

    Josenaldo Luiz da Silva Lima – Discriminação por elevada titulação acadêmica de docentes da educação superior privada de Salvador, Ano de Obtenção: 2014. Mestrado em Políticas Sociais e Cidadania – Universidade Católica do Salvador

  87. LOO 07.02.15 at 12:32 - Reply

    Ótima análise do Pedro Gabriel…( me permito enriquecer) ….Parece que o pais não teve passado com e o PT é o solvador de tudo!…Mentira!. Sou educador e o facismo que o PT esta implementando esta igual ao ocorrido no início do século XX. Ora, veja vcs!!! A presidente falar de Pátria e Educadora…Meu Deus!! Que falácia para quem estuda e é sério. Que estúpido dizer isso aos jovens sérios deste pais e educadores que gospem sangue para ter uma vida no mínimo e vivendo na pobreza calculada porque não tem recursos e nem um pingo de prestígio e ou respeito. Nosso sistema educacional faliu e não adianta culpa agentes da educação e sim a gestão MOR que tampa o sol peneira… Idolatria é neste caso endosso de crime!!!!

  88. Joana 08.02.15 at 10:30 - Reply

    Estudei em uma universidade particular, mas recentemente consegui uma vaga em uma universidade federal. Não pensei duas vezes para fazer a mudança. Fiquei chocada com a diferença, esta que é visível tanto na estrutura física das instituições, quanto do conhecimento e no preparo do professor, sem falar do nível dos alunos. Pra ter acesso a esta universidade particular não passei por um vestibular, afinal uma redação não pode ser considerada como vestibular, e não é só no vestibular que é facilitado, todo o percurso acadêmico! Tudo é fornecido de mão beijada, o aluno não é estimulado a buscar o conhecimento, a se tornar crítico e com isto estuda para as provas e não para a vida. Não me arrependo em momento algum da minha escolha, afinal as universidades publicas são as melhores do país.

  89. Ricardo Rando 22.04.15 at 15:24 - Reply

    Existem cargos que não podem ser políticos a exemplo o Ministro da Educação Que deveria ser cargo
    De carreira e com tempo de cadeira Senão comprometeria como acontece hoje com mestres e doutores
    Em escolas de medicinas que pararam no tempo e ensinam uma medicina Venenosa são donos da cadeira
    E só irão sair quando morrerem até lá Deus salve a Rainha. Ministro da Educação
    indicado por partido político é presente de grego.

  90. Domingos Massa 16.06.15 at 19:28 - Reply

    kkkkk O Governo fez inúmera universidades! O que ele fez foi inaugurar as antigas universidades com o nome novo de Federal!

    Conta Outra!!! Me engana que eu gosto #BrasilPatriaEducadora

  91. Prof. Zé... 11.07.15 at 15:26 - Reply

    Faculdades Particulares = corporativismo exacerbado;
    Unis públicas = corte de verbas para pesquisa, extensão e pós graduação;
    Resultado = ensino superior sucateado;
    Administração pública = vergonhosa!

    • Matheus 01.10.15 at 11:47 - Reply

      Estudo em uma Universidade Particular e não trocaria por uma Federal nunca, até passei na época na Federal, mas não quis ingressar por achar completamente desnecessário. Trocar a estrutura de uma Universidade Particular pela Federal, cada um com sua opinião.

  92. jose 12.07.15 at 15:21 - Reply

    Esse Fernando deve ser um MAV petista. Sou professor universitário titulado na área de exatas há 15 anos e leciono em universidades particulares há 20 anos. O PT conseguiu nesses 12 anos a proeza de concentrar em algumas instituições de quinta linha através de financiamento público como FIES, PROUNI, PRONATEC, quase 80% do mercado. Tanto é que com a redução do FIES muitas dessas organizações perderam valor na bolsa. Essa concentração eliminou do mercado faculdades que propiciavam um nível razoável de ensino em termos de qualidade e praticamente retirou dos professores opções para mudança de emprego. Paralelamente o MEC incentivou e autorizou cursos de mestrado e doutorado de nível risível. Isso gerou uma quantidade imensa de mestres e doutores que não tem condições sequer para lecionar em primeiro grau.Todo esse composto gera um ciclo vicioso que praticamente é impossível de corrigir. Sinto muito mas a educação superior é apenas mais um item na lista de destruição que esse partido produziu.

  93. Leo 13.07.15 at 02:16 - Reply

    Que post ridículo. Se os professores mestres e doutores aceitarem receber os R$26,00 por hora aula, tenho certeza que nao serao demitidos. E pior ainda são os que acreditam que a culpa disso é do “capitalismo”. Pelo contrário, instituiçoes como as Anhanguera que, em vez de educação, vendem diplomas, só existem por causa do MEC que valoriza esses diplomas.

  94. Chumbo 13.07.15 at 10:21 - Reply

    O MEC já tem como função sucatear o ensino público. Não é justo que se delegue a ele esta nova missão, sucatear o ensino particular.

  95. Cintia 18.07.15 at 13:36 - Reply

    Cai o nível dos professores e a nota do ENADE. Só aguardar!

  96. Harlei Cursino Vieira 07.08.15 at 15:04 - Reply

    Por um lado, até que é bom, já que dá às pessoas que têm o título de especialista, a oportunidade de dar aulas no nível superior!

  97. Alcides Pereira Leite Filho 08.08.15 at 22:42 - Reply

    Retificando: Fui PROFESSOR, e não como foi grafado. Obrigado !

  98. Paulo RB 07.09.15 at 17:02 - Reply

    Não interessa a qualidade dos professores, o importante é lucro e um diploma fajuto para os estudantes.

  99. Professor 09.09.15 at 08:25 - Reply

    Fui coordenador de uma faculdade que era excelente em corpo docente e qualidade. Assim como outros professores de 40 h eu ganhava mais de 10 mil por mês. A Anhanguera comprou a faculdade e destruiu tudo. Demitiu mestres e doutores, tirou as aulas de quinta e sexta-feira e nos demais dias os alunos saíam às 21h45. Hoje a maior parte dos professores e até coordenadores são alunos recém formados!!!
    Esse lixo de empresa esta destruindo a vida de milhares de pessoas (coordenadores, professores, funcionários e alunos) que de uma hora para outra se vem trabalhando ou estudando em uma faculdade que não foi a sua opção. Isso é absurdo.

  100. Ormes de Paula 17.09.15 at 12:55 - Reply

    No Pará também teve, especificamente em Tucuruí, onde eu atuo.
    O que aconteceu, na verdade, é que ela os demitiu e esses professores foram admitidos pelas instituições que lha prestam serviço. Foi o meu caso e de meus colegas. Houve demissão sumária no polo de Tucuruí-PA, E todos readmitidos pelo gestor do polo aqui.

  101. Luciana 06.01.16 at 18:54 - Reply

    É preciso lembrar que as demissões estão ocorrendo justamente em época de problemas com o FIES e com a diminuição de vagas do PRONATEC. Um amigo meu foi contratado em meados de 2014 e correu o risco de ser demitido por causa de tais fatores. Não adianta considerar apenas a ganância das universidades particulares, o ensino, de maneira geral, vem sendo tratado como bandeira política mas os investimentos em educação caíram drasticamente.

  102. joelcio 06.01.16 at 19:50 - Reply

    Essa instituição é uma piada ela nunca visa e educação ela somente visa o lucro ela diz que dá um jeito pra quem se esforça poder pagar diz que o esforço do aluno lá tem valor é tudo balela na primeira oportunidade eles quebram um contrato que eles mesmos disseram que não mudaria e fazem oque querem com os valores estipulados nele ! E quando você procura um respaldo você nunca encontra! ESTOU TOTALMENTE ARREPENDIDO DE TER ME MATRICULADO NESTA INSTITUIÇÃO!

  103. João Silva 06.01.16 at 21:57 - Reply

    A Uninove é pior. Mandou os professores embora e tirou dois dias de aula. Em um pois um EAD muito meia boca, em outro pois uma oficina em que alunos dão aula de inglês. O MEC proíbe mais de 20% de aulas em EAD, logo todos os cursos estão irregulares. Também, o que você pode esperar de uma faculdade cuja a propaganda é ter WiFi nas salas?

  104. Ana 11.01.16 at 19:05 - Reply

    A má qualidade do ensino público superior é o resultado do fato de muitos professores universitários darem aula por obrigação, da inserção de alunos em diversos projetos com único objetivo de publicar artigos em massa, da forma como a pesquisa tem sido vista nas universidades. Formação de professores é tudo, não existe qualidade de ensino sem investimento na qualidade do professor, seja em qual nível for. Com o surgimento das instituições particulares de ensino básico, o ensino público ficou relegado a um último plano e isso ainda tem relação com as deficiências de muitos dos alunos que entram no ensino superior. Por outro lado, a massificação do conteúdo na última série do ensino básico visando aprovação nos vestibulares, com um tratamento por vezes superficial dos conteúdos, jogando literalmente para último plano o que, apesar de ser importante para construção do conhecimento básico do aluno que pretenda ingressar no ensino superior, fica relegado a último plano. Isso vai demorar a mudar porque depende de uma ampla reforma no sistema educacional e o ensino virou mercadoria, infelizmente. Todo mundo quer lucrar, não importando se está inserindo um aluno num projeto de iniciação científica inútil, ou se está dando um ensino de péssima qualidade para uma pessoa que tem simplesmente uma esperança de mudar de vida estudando e carece de malícia para perceber que está sendo enganada de um jeito terrível. Muitos dos mestres e doutores, professores universitários das universidades públicas só fazem concurso pela estabilidade financeira e para pesquisar, apenas. Tive um professor que sempre no horário da aula, saia do laboratório dizendo odiar dar aula, e os alunos conseguiam aprender bem com uma professora que dava aula no lugar dele depois de uma certa quantidade de aulas; será que o problema sempre está em nós alunos? E faziam a prova dele com facilidade, quando quem dava aula era ela, não porque ela facilitava de alguma forma.

  105. Diogo 14.01.16 at 23:42 - Reply

    Então querem que o Estado interfira nos interesse do setor privado? Queria saber o que o Democratas e o PSDB iam achar disso.

  106. Raquel 23.01.16 at 16:51 - Reply

    Eu não quero saber a titulação do professor, quero sentir que ele tem conhecimento amplo sobre a discilina que ministra.
    Conheço doutores que ao invés de se preocupar em transmitir o conhecimento relacionado com a disciplina ocupam grande parte da aula exibindo seu título de doutor. Quando me formar não vou km levar comigo os diplomas e certificados do professor, quero que me passe o conhecimento que eu busco pra valer o MEU diploma.
    Espero que os demitidos sejam esse, que usam suas titulações com arrogância, sem o amor por lecionar.

  107. Arnaldo 12.02.16 at 15:31 - Reply

    Arnaldo

    Interessante as discussões sobre a educação no Brasil. Sendo Professor Universitário por formação, investi na formação acadêmica de minha filha caçula em Medicina na Russia, pois lá minha esposa e eu conseguimos pagar uma Universidade Pública que cobra uma taxa semestral para estudantes estrangeiros. Taxa que sai muito mais barato do que pagar uma Universidade Privada de Medicina no Brasil. Essa é a realidade da educação por aqui.

  108. Crash 03.05.16 at 12:07 - Reply

    Nem sempre mais quer dizer mais, vms a um exemplo na época do meu velho pai um eletrotecnico ganhava 10 salarios minimo,hoje um engenhero em inicio de carrera se sujeita a 5, o professor de ensino médio do meu pai de escola pública era um da academia de letras do seu estado um mestrado ou doutor,hoje o mec se quer exigi mestrado ou doutorado para dar aula em pós graduação eu mesmo faço uma pós que tem um professor que se que tem mestrado,então vejamos… seu pai que vivia na década de 60-70 tinha uma educação de nível médio melhor que sua educação de nível superior hoje, seu pai tinha um salario maior que o seu tendo menos formação do que vc… uê que raio de distorção está ocorrendo no Brasil de hoje.. ou seja está havendo uma degradação na educação do Brasil atualmente assim como a qualidade das vagas de trabalho assim como na qualidade da industria níguem percebe, estamos igual sapo em água morna e a temperatura vai sendo elevada aos poucos de forma imperceptivel,o sapo permanece na água até cozinhar e morrer e é o que está ocorrendo a educação está sangrando,seu trabalho está morrendo,a industria está morrendo…levando-nos a depender mais do governo,imagina o absurdo mestrado e doutor desempregado..por um brecha proposital na lei para degradar a chance de idependencia que o pobre pode obter que é na educação,vai por mim uma aula de um professor mestrado ou doutor é bem melhor que se um graduado,o graduado se vc aperta nas perguntas o mesmo chega uma hora do não sei ou vovê no google e te repondo na proxima aula aluno curioso,agora um professor qualificado te responde tudo e mais um pouco isso que é educação vc sai um pouco melhor do que vc entrou, já dizia chico science “depois que vc dar um passo para frente o mundo jamais será o mesmo” mec exija professores qualificados pa lecionar já!!queremos estudar sim mais queremos que este estudo seja de qualidade!!

  109. Marcos Antonio 10.07.16 at 04:46 - Reply

    A minha missão como homem transformador é ser educador, ou seja transformar e construir um Brasil para todos. Independente de quem sejam os partidos governantes tais como : PT, PSDB, PSOL, DEM e outros . A minha missão como homem transformador é ser educador, ou seja transformar e construir um Brasil para todos. Agora amigos críticos do sistema de governo e construtores de uma política social, qual é a sua missão para o contexto social no exercício da formação de futuros cidadãos?

  110. Antonio S.N. Araujo 27.07.16 at 12:03 - Reply

    Eu também passei por uma experiência dessas que por sinal foi muito desagradável. Estava trabalhando na FMU há três anos e também fui demitido em Janeiro/2015, juntamente com outros colegas e bons profissionais de ensino superior. Tem outro grupo americano comprando Faculdades no Brasil.
    A pergunta é ” qual é o interesse que esses grupos estrangeiros têm pelo ensino do Brasil ” ? Um país como o nosso, tão rico e próspero.
    Que nova estratégia é essa de controle pelo sistema educacional. E nossas autoridades não veem?

  111. Tiago Pereira 25.09.16 at 01:20 - Reply

    Sei o quanto é difícil falar em Educação, sem deixar de mencionar a política. Sou estudante da Anhanguera, e por ironia do destino curso pedagogia, sou bolsista pelo PROUNI, quando penso em Educação nos dias de hoje, e num contexto bem aprofundado é o notório que quanto mais o tempo passa mais a educação se torna a “crescer por demanda”.
    Todos os dias vou pra faculdade, onde meus professores dão aquela aula linda, trazendo toda aquela reflexão da escola nova, transformadora e reflexiva, porém noto que algo dentro deles é trancado a 7 chaves(e não é de se passar despercebido depois de ler esse artigo). Tive a oportunidade de estudar em outras faculdades o mesmo curso, porém nunca conseguia pagar, tendo sempre que trancar a faculdade, e o vestibular esse era sempre uma provinha com uma redação com o “Tema a importância da Água”(outras nem prova tinha ) … E pronto… em menos de 5 minutos vinha um mensagem dizendo parabéns e que eu estava apto a engessar na faculdade,e que tive uma boa nota(e que eu podia fazer minha matrícula, e assim gerar minha primeira mensalidade). Já no PROUNI o negócio é mais em baixo, foram 2 dias sofridos cada um com 90 questões, onde cada questão vinham os 10 mandamentos e mais 3 capítulos do velho testamento para serem respondidos em 3min, pra depois eu passar por uma rigorosa seleção e o pior depois de me submeter a tudo isso ter que provar que eu realmente estava apto a receber esta bolsa.Bom, li em alguns comentários PT e PMDB, mas ambos eu sinto dizer são farinha do mesmo saco(me perdoem a expressão chula), de quem é o culpa da educação está o de estar e como ela está, é nossa..(quando falo isso vai de todos nós cidadãos até os governantes),pois é como se a maior a arma contra todos os perigos(Educação) fosse vendida a preço de banana no mercado negro.

  112. José Augusto Nogueira Fernandes da Silva 28.10.18 at 23:13 - Reply

    Não gostei Anhanguera educacional ano 2016, fui forçado trabalhar catador de lixo dominando condições prévias desde então, não foi possível possibilitar esse curso, deste então me decidir não fazer nada por precauções no País (Índice do Desemprego), sem chance pra eles!

Leave A Comment