Você sabe que está na pós-graduação quando…

…acha seu pen-drive mais valioso para você do que seu celular. [via @cau_s]

…tem que responder diariamente à pergunta: “mas você só estuda, não trabalha?”

…vê orientador até onde não tem. [via @lady_blueberry]

…o “Periódicos Capes” se torna página principal do seu navegador. [via @nataliaacdc]

…você passa mais tempo procurando seu orientador do que sua namorada.

…passa horas conferindo citações bibliográficas.

…as madrugadas de sábado são iguais às de segunda. [via @paulo_ddd]

…tem pesadelos com o orientador. [via @claudinha_m]

…reza pra chegar logo o 5º dia útil e fica puto quando chega o 6º e sua bolsa ainda não caiu. [via @biolo_gi]

…se reune com amigos e papeia sobre tese, papers, orientadores, laboratório, bolsa de pesquisa… [via @michellerigo]

…tem insights noturnos e, por isso, dorme com o notebook ligado, no criado-mudo. [via @fseabrademoura]

…passa uma semana lendo um livro de 400 páginas para escrever um parágrafo sobre ele. [via @ProfSergioJr]

…acha que não existe nada mais interessante do que o tema da sua tese/dissertação.

…se apavora com o cursor do Word piscando em uma página em branco.

…todos os seus amigos baixam séries e você baixa artigos. [via @dr_thalis]

…percebe que sua vida virou um monólogo e só tem espaço para um assunto: tese. [via @CynthiaJOR]

…tem que dividir seu tempo na internet com outras coisas menos importantes, como artigos, resumos, dissertações e teses.

…fica irritado com a volta das aulas que deixam a biblioteca novamente cheia [via @dirceucadena]

…esquece a senhas do banco, do email e todas as outras, menos a da biblioteca. [via @sibelefausto]

…tem que ouvir do professor “que a sua nota será baseada na sua participação nas aulas”.

…tenta colocar a chave do laboratório na fechadura de casa.” [via @GuiFrancescon]

…qualquer coisa te faz pensar em algo que você aprendeu em uma disciplina.

…você consegue dizer a hora do dia apenas olhando o fluxo do tráfego na biblioteca.

…seu tempo livre é utilizado para estudar ou ler um artigo.

…você acha as bibliografias dos livros mais interessantes que o próprio texto.

…você desiste de manter os livros organizados, tentando apenas mantê-los no mesmo lugar.

…você aceitou a culpa como característica inerente ao relaxamento.

…você começa a se referir a grupos de pessoas como “Branca de Neve et al”.

…estudar nas noites de sábado já não parece estranho.

…você passa grande parte da conversa tentando explicar o tema da sua tese.

…a maioria das suas viagens está relacionada a congressos.

…você passa 90% do seu tempo em frente a um computador.

…você não consegue ler um texto sem pensar em sugestões/correções.

…você já gastou mais de R$ 50,00 em xerox/impressão enquanto estudava um único tema.

…há um cantinho na biblioteca que você considera como “seu”.

…literatura não-científica é algo raro nas suas leituras.

…seu gasto com xerox/impressão é maior que a sua fatura do telefone.

…você discute assuntos acadêmicos em um evento esportivo.

…você pensa nas suas férias como um tempo para cuidar dos seus trabalhos atrasados sem ter que se preocupar com disciplinas.

…você tem cada minuto dos próximos quatro meses planejado, mas não faz a menor idéia do que vai fazer pelo resto de sua vida.

____________________________________________________

Adaptado de: Getting In To Grad School