São muitas as dúvidas sobre a vida fora do país. Neste contexto, vim contar minha experiência e dar algumas dicas.

Realizei um estágio de três meses em Portugal, na cidade de Coimbra. Fiz três anos de iniciação científica e, quando me formei, minha orientadora entrou em contato com sua orientadora de doutorado sanduíche e propôs o estágio.

Dica: Converse com seu orientador. Muitos já realizaram estudos no exterior e podem ajudar nessa hora.

A aceitação foi imediata e ainda pagaram minha hospedagem em residência universitária, além de um auxílio-alimentação. Assim, tive o custo da passagem e uma grana pra me manter.

O custo de vida em Portugal é muito barato. Sempre almoçava no restaurante universitário (com direito à bacalhoada) e as compras no mercado rendiam muito.

Com relação ao trabalho, achei a estrutura muito antiga, mas aprendi muitas técnicas até então desconhecidas para mim, além de viagens de campo e contato com diferentes pesquisadores.

O ritmo de trabalho era intenso, mas a qualidade de vida tornava tudo muito mais fácil.

Convivi com pessoas de diversos países e áreas de trabalho. Esse é o ponto alto: se você tiver interesse, você pode aprender diversas línguas, além de ensinar o nosso querido português.

O lado bom de estar na Europa, é que você pode conhecer muitos países com um custo baixíssimo. Fui à Alemanha e Espanha.

Por já morar longe de casa, a questão de viver fora não foi difícil. Pra quem não tem essa experiência, não há nada mais enriquecedor. Cozinhar, lavar sua roupa… tudo isso te faz crescer. Além de tudo, não é fácil pedir aquele “help” pra família quando o dinheiro acaba. Você aprende a valorizar cada centavo.

Os três meses passaram voando. Nesse tempo, falei com a família o tempo todo: Skype, celular (Sim! Lá era muito barato pra ligar pro Brasil…). Você tem tanta coisa pra aprender que nem percebe o tempo passar.
Quando voltei, minha entrada no Mestrado foi quase instantânea. Mesmo assim, nunca parei de buscar as oportunidades fora do país.

Foi aí que descobri o site eracareers.pt. Nesse site você entra TODAS as oportunidades disponíveis em Portugal. Ele abrange todas as áreas e tem todo tipo de bolsa: pra recém-formados, mestres, doutores…

Geralmente eles pedem uma carta de motivação, curriculum vitae e certificados de habilitações. Alguns processos seletivos exigem entrevista, mas não são todos.

A duração das bolsas é bem variável e, no caso da bolsa para os mestres, alguns até incluem como forma de seleção o interesse em prosseguir para o doutorado.

É ótimo se você puder sair do país com uma bolsa garantida, sabendo que pode dar continuidade às outras etapas da sua formação. Além disso, uma vez que você se envolve em um projeto, tudo fica mais simples.

De forma geral, e entrando no clichê, a experiência é muito válida.

Agora é aproveitar as oportunidades e preparar as malas.