Tese entregue, diploma na bolsa e agora o que fazer?! Após anos de correria, vai e vem de artigos, noites em claro, análise estatística, muito desespero e poucas alegrias. ACABOU! Bem-vindo a vida de recém-doutor. A pergunta que não quer calar “E agora, fazer o quê?”.

Após anos de pesquisa/laboratório você: já adquiriu um fenótipo peculiar, sua vida social encontra-se restrita, como bom concurseiro encontra-se em estado de alerta para os concursos de professor, além disso, seu senso crítico e capacidade de questionamento encontram-se incrivelmente refinados.

Como possibilidades para o recém-titulado, que ainda não possui vínculo empregatício, além dos concursos, existem os programas de pesquisa com inserção do recém-doutor, da Capes, dentre eles tem: Prodoc (Programa de Apoio a Projetos institucionais com a Participação de Recém-Doutores) e PNPD (Programa Nacional de Pós-Doutorado) que são programas que possuem suas particularidades.

O Prodoc e o PNPD são projetos institucionais propostos e escritos por membros de um Programa da Pós-Graduação e submetidos a análise da Capes, para concessão de bolsa de pesquisa para alunos de estágio pós-doutoral. O projeto sendo aprovado, o Programa de Pós-Graduação selecionará, mediante critérios próprios, os candidatos a bolsa.

De maneira geral os projetos para solicitação de bolsa Prodoc e PNPD possuem características semelhantes quanto a necessidade de descrição técnico-científico seguindo de justificativas sólidas e claras que demonstrem a importância do projeto para a instituição. No entanto existem algumas diferenças conforme colocado no quadro abaixo:

CaracterísticasPRODOCPNPD
Quem propõe

Coordenador de programas de pós-graduação reconhecidos pela CAPES (nota igual ou superior a 3) e vinculados a instituições de ensino superior públicas;
Professor contemplado com bolsa do Programa Professor Visitante Nacional Sênior (Bolsista PVNS)

Instituições públicas ou privadas que possuem Pós-Graduação stricto sensu, recomendado pela CAPES,reconhecido pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) /Ministério da Educação (MEC) e em funcionamento;A interlocução com a CAPES deverá ser feita apenas por intermédio do Coordenador do Programa de Pós-Graduação, respaldado pela Comissão de Pós-Graduação do respectivo programa

Prioridades

Projetos de programas de Pós-Graduação que visem à formação e à capacitação de recursos humanos para o ensino, a pesquisa e a extensão;Programas de Pós-Graduação que visem à consolidação e/ou criação de área(s) de concentração e linha(s) de pesquisa;
Projetos cujas linhas de pesquisa não sejam contempladas pelo Programa Nacional de Pós-Doutorado – PNPD, e projetos proposto por bolsistas do PVNS

As cotas de bolsas serão distribuídas considerando:
I – política de apoio prioritário às áreas estratégicas estabelecidas pela CAPES;
II – característica, localização, dimensão, nível e desempenho do curso na avaliação da CAPES;
III – análise de diagnósticos e políticas de indução da CAPES

Especificação/LimitaçõesOs bolsistas deverão ser recém-doutores (até 5 anos de formado) e não ter,preferencialmente, realizado o doutorado na mesma instituição a que se vincula o Programa de Pós-Graduação responsável pelo projeto de cuja execução participará;
Com a consolidação do PNPD é provável que o Prodoc seja extinto
Os bolsistas serão categorizados segundo três modalidades:a) ser brasileiro ou estrangeiro residente no Brasil portador de visto temporário, sem vínculo empregatício (professor substituto pode ser inclusos nesta categoria);
b) ser estrangeiro, residente no exterior, sem vínculo empregatício;
c) ser docente ou pesquisador no país com vínculo empregatício em instituições de ensino superior ou instituições públicas de pesquisa (há a necessidade de afastamento da instituição pelo período de vigência da bolsa e o estágio pós doutoral não pode ser realizado na mesma instituição com a qual possui vínculo empregatício)
Duração da bolsa

Bolsa única que não poderá ultrapassar o prazo de execução do projeto (2 anos)

Candidatos aprovados nas modalidades “a” e “b”, o período de duração da bolsa será de doze meses, podendo ser renovado anualmente até atingir o limite máximo de 60 (sessenta) meses;
Pode contemplar de 1 a 3 bolsistas;
Candidatos aprovados na modalidade “c”, o período máximo de duração da bolsa será de 12 meses, sem possibilidade de renovação

Valor da bolsa3.300,001O valor será fixado pela CAPES,observada a duração das bolsas2.
Repasse de custeio12.000,001

O quantitativo de bolsas e custeio que serão concedidos conforme critérios de prioridades e desempenho na avaliação da CAPES2

1valores descritos em  edital MEC/CAPES 029/20102Portaria Nº 086, de 03 de julho de 2013.

Prodoc e PNPD são modalidades de bolsas de estágio pós-doutoral no Brasil, no entanto existe bolsa pós-doutoral no exterior (assunto para outros textos), o bolsista terá dedicação exclusiva ao programa, metas a cumprir e relatórios a enviar. O planejamento do estágio pós-doutoral deve ser, corretamente, idealizado e coordenado  pelo Programa de Pós-Graduação,  pois as atividade executadas e as metas alcançadas serão avaliadas anualmente conforme a execução do estágio pós-doutoral.

Etapas como identificação do perfil ideal do bolsista, cronograma orçamentário e de execução devem estar em sintonia com a proposição do projeto. Se você almeja permanecer na linha de pesquisa de seu doutorado,  inserir-se em Programas de Pós-Graduação via Prodoc ou PNPD pode ser uma grande oportunidade. Agora que você já conhece um pouco de cada um destes projetos utilize suas habilidades técnicas, monte uma proposta de estágio pós-doutoral e apresente a um Programa de Pós-Graduação, mostre o cientista que há em você!