Escrever artigos se tornou uma febre em nossas universidades, e o contágio, de maneira geral, já ocorre na iniciação científica. Ou seja, a pressão exacerbada por publicações já atinge até aqueles que estão tendo os primeiros contatos com o método científico – e que deveriam ter outras preocupações nesta etapa da vida acadêmica.

Neste cenário, não é raro ver pesquisadores escrevendo artigos simplesmente por escrever. E muitas vezes não o fazem por mal: escrever artigos se tornou algo tão normal, comum e necessário, que poucas pessoas param para refletir a respeito.

Mas em resposta à questão-título deste post, os principais motivos para escrever um artigo científico são:

1. COMUNICAR SUA DESCOBERTA

Depois de formular uma pergunta inquietante, você planejou e executou uma pesquisa para respondê-la. Se você conseguiu uma resposta satisfatória, não faz sentido algum guardá-la para si após todo esse trabalho.

Este é o principal motivo para escrever um artigo científico: divulgar sua descoberta para a comunidade acadêmica. Repare que a redação do artigo científico não é – e não deve ser – o propósito da pesquisa. O artigo é meramente a etapa final de um longo processo que se iniciou com a elaboração das hipóteses do trabalho.

É por meio do artigo científico que o cientista contribui com a expansão do conhecimento, e torna pública suas descobertas para toda a sociedade.

“O artigo científico acontece por causa da pesquisa, e não o contrário!”

2. VALIDAR SUAS CONCLUSÕES

Não é porque você acha que tem a resposta certa para determinada questão que isso necessariamente é verdade. Todo cientista é um ser humano e, como tal, sujeito às falhas. Algum erro conceitual ou metodológico pode ter passado despercebido durante a pesquisa, ou até mesmo as conclusões formuladas podem ser equivocadas.

Ao publicar um artigo científico, o cientista submete sua pesquisa ao crivo de seus pares (às vezes, tão ímpares…), possibilitando, assim, que a comunidade acadêmica possa avaliar, estudar e, principalmente, discutir e tentar replicar as descobertas da pesquisa.

Esta é a razão pela qual resultados não publicados não são levados a sério pela comunidade acadêmica, mesmo que estejam corretos. A publicação do artigo é a primeira etapa de validação da pesquisa científica.

3. GARANTIR O CRÉDITO PELA DESCOBERTA

Na Ciência, o crédito vai para o cientista que primeiro convence o mundo de uma ideia, e não necessariamente para aquele que a teve primeiro. Relatos de casos em que dois pensadores chegaram às mesmas descobertas ou conclusões por caminhos distintos são muito comuns na história da Ciência.

A publicação científica, nesse sentido, tem a função de registro histórico, sobretudo para as pesquisas que inicialmente não resultam em patentes. Publicar um artigo científico consistente é uma forma eficiente de garantir a precedência e a originalidade da pesquisa científica realizada.

E O CURRÍCULO?

Mas todo mundo escreve artigos para aumentar o currículo, para ser aprovado no concurso público ou para ganhar bolsa de produtividade!

Estes, caro leitor, não são bons motivos para escrever um artigo científico. Na verdade são apenas consequências naturais do seu trabalho, do seu esforço e da sua dedicação à Ciência.

Eu acredito que sua mãe deve ter dito isso a você em algum momento da sua vida – as mães geralmente adoram dizer isso – mas não custa relembrar: “Você não é todo mundo!

Se você está cursando uma Pós-Graduação stricto sensu, então você está em um período de preparação e treinamento para a vida de professor universitário ou de cientista. É o momento adequado para se perguntar: “Que tipo de cientista eu quero ser?

Você quer ser apenas mais um desta massa insossa de pesquisadores que ininterruptamente repetem experimentos, que têm na publicação um fim e não um meio, que “trocam” nomes em artigos científicos dos quais nem imaginam o conteúdo, que criam “panelinhas de citações”, que dividem uma pesquisa em dezenas de partes ou que publicam a mesma pesquisa em diferentes periódicos?

Qual é a carreira que você quer construir? Qual é a reputação profissional que você quer merecer? E, por fim, como é que você quer ser lembrado?

De acordo com suas respostas a estes questionamentos, você com certeza encontrará a motivação certa para escrever os artigos científicos.