Orientadores são seres incompreensíveis às vezes. Todo pós-graduando com certeza já teve vontade de fazer algumas “perguntinhas” ao seu orientador. Se você nunca teve coragem de fazer essas perguntas mais… sinceras, a sua oportunidade chegou! Pergunte ao nosso Orientador que ele responde.

P: O senhor não acha que tenho traduzido artigos em inglês demais?
R: Verdade. Mas não se preocupe. Assim que você acabar esses, tenho alguns em alemão e outros em japonês na minha gaveta.

P: Por que o senhor deixa pra corrigir todos os meus relatórios, projetos e artigos na última hora?
R: Você precisa ver a cara de desespero que você faz. Acho hilário.

P: Como que eu vou dar conta de estudar tudo isso que o senhor pediu?
R: O que é mesmo que você faz da meia-noite às seis?

P: O senhor já se esqueceu que um dia foi estagiário também?
R: Já. Próxima.

P: O senhor não acha que trata seus orientados como escravos?
R: Não. Eu não mando, eu peço. E quando você não faz o que eu peço, não te dou chibatadas. Apenas corto a sua bolsa. Viu só como é muito diferente?

P: Existe alguma previsão se eu terei pelo menos um final de semana livre?
R: Claro que sim! Assim que você entregar sua monografia encadernada na biblioteca.

Envie a sua pergunta para o @posgraduando ou no [email protected]. Mas não tenha muita pressa. Afinal de contas, sabe como é orientador, né?

Aviso aos estressadinhos: o conteúdo deste post é de caráter irônico-sarcástico-humorístico. Releve.