“Há uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade ea energia atômica: a vontade!” Albert Einstein

Pessoalmente vejo que o valor da pessoa está nas suas verdades e naquilo que lhe inspira. Sendo assim, o valor do pós-graduando é reflexo de seus anseios, da energia que ele dispõe na realização de suas tarefas e sua resiliência às condições (adversidades/ vaidades).

Existem vários métodos de otimizar nossas tarefas na pós-graduação, além da ação direta do orientador (que para muitos, soa como utopia). Entendo que essas ferramentas são interessantes mas devíamos fortalecer nossa autoestima e perceber ao fundo aquilo que realmente nos inspira a permanecer na pós-graduação.

Para manter-me próximo a minha fonte inspiradora, releio os agradecimentos da minha dissertação, leio agradecimento de outros pesquisadores e passo a imaginar como será a minha vida acadêmica como docente. SIM a minha viagem é longa… Eu imagino as formaturas que irei participar e até mesmo o discurso que farei quando for professora homenageada e mestre amiga (chego a esboçar os discursos).

Tenho em mim meus desejos que me fortalecem para transpor as dificuldades, manter a serenidade e empenho necessários. Afinal são muitos anos, muitas expectativas e muitas metas.

Na minha opinião, o bom pós-graduando é aquele comprometido com a docência e o desenvolvimento da ciência (SIM é necessário publicar), e assim será um bom educador. O equilíbrio no desenvolvimento do docente com habilidade de pesquisa é o grande desafio. Por isso, pergunte-se: o que me inspira? Ter em mente o que nos motiva facilita o encontro do caminho do meio.