Voltada basicamente para quem quer seguir a carreira acadêmica, a pós-graduação stricto sensu (sentido restrito, em latim) forma pesquisadores e professores em mestrado e doutorado. O candidato a uma dessas modalidades precisa ter um diploma superior que atenda às exigências do edital de seleção da instituição de ensino desejada, além de passar por um processo seletivo detalhado, que inclui desde a análise do currículo escolar (e da universidade onde fez a graduação) ao projeto de pesquisa que o aluno pretende elaborar.

A seleção é realizada por uma comissão de professores do curso, que pode recusar o candidato, inclusive sem fornecer as razões. Como se trata de uma formação que exige grande carga de estudo, muitas vezes em período integral, é comum a solicitação de bolsa de estudo para a realização do curso. O estudo é acompanhado de perto por profissionais experientes, os chamados professores-orientadores, que auxiliam e interferem no rumo das pesquisas, em busca de um trabalho consistente.

De acordo com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) foram concedidas, em 2011, 41.054 bolsas para estudantes de mestrado, 26.108 de doutorado, 3.580 de pós-doutorado e 1.215 de mestrado profissionalizante. Os cursos stricto sensu estão sujeitos a autorização, reconhecimento e renovação de suas credenciais pelo MEC. A cada três anos a Capes faz um levantamento e atribui notas, descredenciando aqueles com notas muito baixas. Esse dados também podem ser consultados pelo candidato no endereço www.capes.gov.br/cursos-recomendados. A duração do curso é variada, mas chega a 24 meses para o mestrado e a 48 meses no caso do doutorado.

MESTRADO ACADÊMICO

Se o que o profissional busca é seguir carreira no mundo acadêmico, o mestrado é o primeiro degrau entre os cursos de pós-graduação (apesar de não ser um pré-requisito para quem quer fazer doutorado). Com ele, o estudante é capaz de adquirir conhecimento para desempenhar funções como professor universitário ou pesquisador, e pode aprofundar seus conhecimentos na área escolhida.

O processo de seleção costuma ser exigente (especialmente nas universidades públicas) e varia de acordo com cada instituição. Ele costuma incluir análise de currículo, testes escritos e até projeto de dissertação. Ao final do período de curso, que pode durar entre um e dois anos, os alunos são avaliados através de dissertações, nas quais devem demonstrar domínio do tema escolhido e capacidade de sistematização. Aprovados, recebem o grau acadêmico de mestre.

DOUTORADO

Os cursos de doutorado formam pesquisadores voltados para o mundo acadêmico, com capacidade para trabalhar de forma independente e com profundo conhecimento de um tema específico. Para obter o grau de doutor é exigida a defesa de uma tese que “represente trabalho de pesquisa com real contribuição para o conhecimento do tema”, segundo orientação da Capes, órgão que avalia a pós-graduação stricto sensu no país. Esse trabalho é avaliado por uma banca, formada por especialistas no tema. No Brasil, o curso tem duração mínima de dois anos, mas sua conclusão costuma levar pelo menos três a quatro anos. É possível fazer um doutorado logo após a graduação, mas a maioria das pessoas costuma passar por um mestrado antes.