Quando se inicia a pós-graduação uma das maiores dificuldades é começar a escrever.

Por onde começo?

O que é relevante?

DO NOT PANIC!

Aqui estão algumas dicas pra organizar as idéias e sair da página em branco do Word.

Para começar você vai precisar de: papel, caneta, lápis de cor, tesoura sem ponta e um pouco de concentração. Quando já tiver definido o tema, anote tudo que lhe vier à cabeça sobre ele, conforme for lendo artigos sobre o assunto (esses artigos podem ser encontrados em bases de dados, como a Web of Knowledge, o Google Scholar, o Pubmed, entre outras) vá anotando tudo o que serve para o seu estudo, se for colocar alguma dessas anotações no texto, não se esqueça de dar os créditos.

O objetivo aqui é organizar as idéias, não copiar o trabalho de alguém. Escrever é uma maneira comprovada cientificamente de visualizar o que se está pensando e ordenar da maneira que melhor convir.

Tá, mas e aí, não ia falar sobre a introdução?

Ia e vou. Depois de saber sobre o que vai escrever e ter uma noção do que tem se falado ao redor do mundo sobre o assunto, é hora de começar a escrever a introdução…

1º parágrafo: Ir direto ao assunto, explicando qual seria a vantagem de trabalhar com esse tema. Mas cuidado para não ser extremamente sucinto. Aqui queremos convencer o leitor de que o seu tema é interessante e que vale a pena continuar lendo.

2º parágrafo: Apresentar as limitações que o tema oferece hoje em dia, que problemas ele apresenta, quais ainda precisam ser resolvidos, etc. Em seguida pode-se ilustrar o que foi dito com uma implicação prática. É importante que o leitor veja como isso afeta a vida dele ou de um grupo específico.

3º parágrafo: É a parte que exige maior revisão de literatura. Falar sobre os métodos que outros pesquisadores têm utilizado para contornar os problemas apresentados, e por que esses métodos podem não ser os mais adequados (seja por dificuldade de recriar em laboratório, custo, dificuldade de aplicação, etc).

Se este parágrafo se tornar muito extenso pode ser dividido em 2 parágrafos. É interessante citar outros estudos que falem sobre o tema, para que o leitor também tenha noção do que está se fazendo no mundo em relação à temática escolhida. Não dá aquela sensação de “preciso fazer um estudo, vou inventar aqui qualquer coisa”. Dificilmente um tema vai ser totalmente inédito, que não tenha NADA na literatura a respeito.

4º parágrafo: Falar sobre a forma como você pretende solucionar o problema, apresentando alternativas que pareçam ser viáveis para contorná-lo, dando uma LEVE pincelada no objetivo do seu estudo.

Vale ressaltar que essa é uma receitinha de bolo para quem não tem nem idéia de por onde se começa a escrever. A famosa “luz no fim do túnel”. Conforme a pessoa for escrevendo, ela vai aprimorando as técnicas de escrita, afinal, “a prática leva à perfeição”.