Não é o desafio com que nos deparamos que determina quem somos e o que estamos nos tornando, mas a maneira com que respondemos ao desafio. (…) Problemas para vencer, liberdade para provar. E enquanto acreditamos nos nossos sonhos, nada é por acaso.” (Henfil)

Que a vida do pós-graduando é cheia de dificuldades isso todos nós estamos carecas de saber já sabemos. De fato, já compartilhamos aqui no blog diversas situações que nos fazem questionar o sentido de tudo isso, de tanta dedicação, esforço e estudo.

Pois bem, na semana que passou, pude experimentar o outro lado da força um pouquinho de reconhecimento. A empresa onde realizo meu experimento de doutorado organiza todos os anos um encontro de jovens talentos, onde os trabalhos desempenhados por estudantes de graduação e pós-graduação são apresentados e premiados.

Tive a felicidade de ficar em terceiro lugar na categoria pós-graduação, e assim, tive que fazer uma breve apresentação oral de dez minutos sobre o meu trabalho. Pode parecer simples ou pequeno, mas é revigorante!! Como é bom rever todos os passos do nosso trabalho, da ideia no papel até às conclusões. E, enfim, apresentar com muito orgulho os resultados.

Isso nos faz lembrar o porquê e para que estamos aqui!! Perceber que aquilo que parecia distante no inicio do trabalho foi concluído é simplesmente maravilhoso! Aproveitei o momento que me foi concedido para desabafar sobre as dificuldades que a pesquisa no Brasil ainda enfrenta, que são tão presentes no nosso dia-a-dia.

E o mais importante para mim: percebi que além de ficar muito triste com tudo que deu errado no experimento e que não estava sob meu controle, eu consegui tirar lições de todas as dificuldades enfrentadas, e fazer delas degraus para subir ainda mais. Um evento como esse nos faz reafirmar aquilo que acreditamos e nos encoraja a continuar adiante. No momento que você emociona sua platéia com a apresentação, você acredita que o meio acadêmico e de pesquisa não é totalmente cruel e racional, o que conta muito para mim, que coloco o coração no que faço. Gostaria de me deparar com mais eventos como esse por todas as universidades e centros de pesquisa do nosso país!

O melhor de tudo foi voltar para casa com o prêmio que ganhei sem conseguir tirar o sorriso do rosto e as lágrimas dos olhos…