Baseado nos fantásticos posts Game of Thesis: e se eles tivessem feito pós-graduação? e E se a turma do Chaves fosse um grupo de pesquisa? e, após ver aquela famosa montagem que circula no Facebook, pensei seriamente em me aventurar em uma metáfora do tipo.

Digam aí se concordam comigo… Se a Caverna do Dragão fosse um Programa de Pós-Graduação, a história poderia ser assim:

Um grupo de jovens que se aventura num caminho pensando que vão se divertir e acessam um portal para uma realidade paralela. Longe da família e de tudo que era familiar. Lá eles encontram um Mestre que lhes oferece “armas mágicas” e diz que com sua ajuda eles encontrarão o caminho de volta para casa. Uma história cheia de aventuras e duelos com um vilão principal e tantos outros que mesmo não sendo aquele não são nada fáceis.

Mestre dos Magos (Sábio Orientador)

Este mestre na verdade é um doutor (ou um PhDeus) e a sua principal magia e manejar os recursos dos projetos para te “ajudar” a sair da pós-graduação. Ele se propôs a te guiar no seu caminho de volta pra casa dos pais profissional. Ele te dá “armas mágicas”, ou seja, habilidades criativas e científicas. Você sabe que ele tem todas as respostas, mas ele nunca vai te dar algo diretamente. Ele sempre diz que estará “lá” por você, mas ele some quando você mais precisa e aparece quando menos se espera.

Vingador

É o vilão com super poderes. Vai variar de programa para programa, mas duvido que fuja das opções a seguir: coordenador de programa, diretor de área, secretário do Programa e professor frustrado em bancas de avaliação. Qualquer um deles tem somente uma característica em comum: atrasar seu retorno a vida normal e roubar suas “armas mágicas” para benefício próprio.

Hank

Esse é o doutorando do último ano. Ele é o mais antigo no grupo de pesquisa, está com o orientador desde o segundo semestre da graduação e por isso é o mais mandão responsável no grupo. Ele será o elo entre você e o Sábio Orientador, que muitas vezes vai perguntar se você falou com ele antes de lhe perguntar alguma coisa. Ele também se sente responsável por todos e o seu maior medo é desagradar o orientador.

Sheila

Ela representa o(a) pós-Doc do grupo de pesquisa. Tem uma forte ligação com Hank e muitas vezes recorre a ele também. Superprotege o tipo Bobby. Sempre que você procurar o tipo Sheila, não encontrará, afinal ele estará invisível em algum lugar escrevendo seus artigos e estudando para o próximo concurso.

Eric

Está no grupo de pesquisa a um certo tempo e por isso acha que sabe o suficiente para não usar EPI no laboratório e dar pitaco na pesquisa do colega. Quase nunca está errado e adora falar do mestre dos magos pelos corredores, embora o discurso mude bastante na presença do mestre. Seu poder está no escudo, ou seja, projeto de pesquisa que foi aprovado em seu nome e que ajuda muita gente.

Presto

É aquele colega boa gente e super inteligente. Pode ser um IC ou um pós-graduando. Consegue contribuir para o progresso do trabalho do grupo sem muitas reclamações. Seu poder pode variar de grupo para grupo: ele pode em propor gambiarras efetivas para execução de um método ou conserto de equipamento, pode ser “o cara” dos programas estatísticos ou ainda aquele amigo que traz o top 10 do Youtube ou o mais novo seriado pra relaxar o stress do laboratório.

Diana

É o membro super confiante do grupo. Sua confiança pode ser por que ela foi recém aprovada na banca da dissertação tem todo o gás e tem certeza de que se passou pelo sufoco do mestrado, o doutorado vai ser moleza ou por que seus artigos foram escritos, aprovados e publicados em menos de um ano de forma acrobáticamente rápida. É boa gente em geral, tem peito para enfrentar o tipo Eric e paciência para lidar com Bobby.

Bobby

O tipo Bobby é o mais imaturo dos IC’s. Jovem e impulsivo, mas também cheio de gás. Ainda não entendeu muito o ritmo da ciência e tem pouca paciência para ver as coisas acontecendo ou procurar as melhores referências bibliográficas. Até aprender a lavar a vidraria com o devido cuidado, vai ter derrubado uma parte significativa no chão. Seu futuro depende de menos superproteção dos tipos Diana e Sheila, menos sobrecarga de trabalho pelo tipo Eric e mais crédito pelo tipo Hank.

Uni

O tipo Uni pode ser um IC ou pós-graduando. Sua principal característica é ser encostado em algum tipo superior para poder acompanhar o grupo. Vai fazendo suas coisas sem saber do potencial que tem… Ora ajuda ora atrapalha. Provavelmente viverá uns bons anos no reino encantado da pós-graduação.

Tiamat

É o único tipo de quem o tipo vingador tem medo. Dependendo de “quem” for o tipo Vingador, Tiamat pode ser associado ao avaliador da Capes, o diretor da área ou chefe do departamento.

E ai? Quem é quem no seu grupo?