Olá.
Descobri o blog há pouco tempo e achei-o interessante, acompanho pelo feed. Mas o que eu gostaria de dizer é que eu ainda sou graduando e gostaria de fazer uma iniciação científica. Porém, me sinto despreparado. O meu curso é de Lingüística, e minha dúvida é:

É normal essa insegurança? Eu posso começar uma iniciação científica sem saber muita coisa sobre o assunto (mesmo me interessando por ele, obviamente) e então desenvolver esse conhecimento?
Abraço,
Gabriel.

___________

Caro Gabriel,

Tenho boas e más notícias para você. Comecemos então pelas más: sabe essa sensação de despreparo, de que você não sabe nada e que não tem segurança sobre assunto algum?

Pois então, ela não irá desaparecer após a sua formatura. Nem após um eventual mestrado ou doutorado. Provavelmente essa sensação terrível irá te acompanhar durante toda a sua vida profissional.

A boa notícia é que você não está sozinho. Eu estou no doutorado e me sinto da mesma forma em relação ao tema da minha tese. Enquanto leem este texto, aposto que muitos pós-graduandos, leitores deste site, estarão balançando a cabeça com um sorriso de concordância.

Tive um professor durante a graduação que, veja só, estava para se aposentar e me garantiu que iria encerrar sua carreira acadêmica com essa sensação de não saber nada.

Por isso,  tranquilize-se: essa insegurança é muitíssimo normal e comum. Estranho mesmo seria se você não a tivesse.

Durante a graduação, eu trabalhei em apenas uma linha de pesquisa. Quando comecei o mestrado, em outra instituição, meu novo orientador me propôs outra linha, da qual nunca havia sequer estudado como disciplina. Aí bateu essa mesma sensação que você descreve.

E sabe o que eu descobri?

Não existe nada mais motivador do que um assunto completamente novo para a gente. Ele atiça nossa curiosidade. Essa insegurança nos faz dedicarmos com maior afinco.

Aposto que se eu estivesse ainda na mesma linha de pesquisa da graduação até hoje, estaria desmotivado e cansado do mesmo assunto.

Tanto é que agora no doutorado escolhi outro tema, completamente diferente das minhas duas linhas de pesquisa anteriores.

Dá trabalho? Claro que dá.

Você terá que partir do zero, aprender o básico, depois terá que aprofundar seus conhecimentos a ponto de conseguir discutir seus resultados. E isso você não consegue da noite para o dia.

Não vou mentir para você, se você fosse trabalhar com um assunto que você já domina, seria muito mais fácil. E você economizaria muitas horas de leitura, estudo e dedicação.

Mas qual seria a graça?

Será que a sua motivação seria a mesma?

Será que o seu crescimento profissional seria o mesmo?

Minha aposta é que não.

Já que você nos disse que tem interesse pelo tema, então ignore essa sensação de insegurança, que é inteiramente normal, e mergulhe de cabeça.

Dedique-se com afinco.

Minha sugestão é que você comece com a leitura de livros básicos, bem didáticos. Depois passe para os chamados livros clássicos, que são referência no assunto.

Em seguida, é hora de passar para os periódicos científicos na sua área. E converse muito sobre o tema.

Discuta suas dúvidas com seus colegas, com seu orientador e, principalmente, fale sobre o que você aprendeu com pessoas que pesquisam outra coisa.

Você não tem ideia do quanto uma pessoa de fora, com outra visão sobre o assunto, pode contribuir com o seu trabalho.