Para que um pesquisador realize e avalie uma pesquisa corretamente, um bom conhecimento de estatística é essencial, sobretudo para compreender as potencialidades e as limitações das técnicas utilizadas.

É muito comum no início da vida acadêmica surgirem dúvidas sobres termos utilizados em artigos científicos, dissertações e teses de áreas experimentais. Em alguns casos, entretanto, é possível encontrar o uso equivocado de determinados termos até mesmo por pesquisadores mais experimentes.

MÉTODO

Método é um conjunto de meios dispostos convenientemente para se chegar a um fim que se deseja.

O método experimental, de forma resumida, consiste em manter constantes todas as causas (fatores), com exceção de uma, e variar esta causa de modo que o pesquisador possa descobrir seus efeitos, caso existam.

O método estatístico surge diante da impossibilidade de manter as causas constantes. Assim, admite-se todas as causas presentes, variando-as e registrando essas variações para determinar, no resultado final, que influências cabem a cada uma delas.

DADOS

Dados consistem em informações que vêm de observações, contagens, medições ou respostas.

POPULAÇÃO

População pode ser definido como o conjunto de elementos que têm em comum uma determinada característica. Repare que em estatística a palavra “população” não possui necessariamente o sentido de “conjunto de habitantes” ou “conjunto de pessoas“. É possível ter uma população estatística de televisores de uma empresa ou de determinado modelo de automóvel, por exemplo. Uma população estatística é uma coleção de todos os resultados, respostas, medições ou contagens que são de interesse.

Um censo consiste de dados de uma população inteira. Mas a menos que a população seja pequena, é normalmente impraticável obter todos os dados da população. Na maioria dos estudos, as informações devem ser obtidas de uma amostra.

AMOSTRA

Uma amostra é um subgrupo de uma população, ou seja, é todo subconjunto não vazio e com menor número de elementos que o conjunto definido como população.

VARIÁVEL

Variável é, convencionalmente, o conjunto de resultados possíveis de um fenômeno. São observações obtidas por meio da avaliação dos elementos em cada unidade amostral. São chamadas assim porque apresentam variação, de elemento para elemento, na população ou amostra de estudo. Exemplo: gênero, cor da pele, altura, idade, salário.

PARÂMETRO

Parâmetro é a descrição númerica de uma característica populacional.

EXPERIMENTO

Experimento é um trabalho previamente planejado, no qual se faz a comparação dos efeitos dos tratamentos.

ENSAIO

Consiste na exposição das ideias e pontos de vista do autor sobre determinado tema, buscando originalidade no enfoque, sem, contudo, explorar o tema de forma exaustiva. Uma tese pode no todo ser um ensaio.

Apesar de muitas vezes serem utilizados como sinônimos, existe uma diferença conceitual importante entre ensaio e experimento.

TRATAMENTO

Tratamento é o método, elemento ou material, cujo efeito se deseja medir ou comparar em um experimento. Um tratamento pode ser, por exemplo, uma cultivar de soja, um medicamento, uma dose de um produto, um procedimento ou uma embalagem diferente.

Exemplo: identificando conjunto de dados

Em uma pesquisa recente, os leitores do blog foram questionados sobre quais temas seriam mais interessantes para um curso de estatística online. O questionário aplicado nesta pesquisa foi respondido por 792 leitores do blog. A população, neste caso, consiste das respostas de todos os leitores do blog, pois são um conjunto de elementos que apresentam pelo menos uma característica em comum: acessar o blog. Já a amostra consiste das respostas dos 850 leitores do blog que responderam a pesquisa.