Na última semana apresentei meus argumentos favoráveis à divulgação científica pela internet. Também apresentei algumas plataformas que poderiam ser utilizadas por quem tem esse intuito. Esta semana irei explorar de forma mais aprofundada o uso dos blogs para essa finalidade.

Onde hospedar seu blog?
Existem diversos serviços para hospedagem do seu blog. Eu vou apresentar três: o Blogger, o WordPress e o WebNote. As três plataformas de gerenciamento são bastante simples de usar e exite uma infinidade de tutoriais na internet (e no próprio site de cada plataforma) com o passo a passo para se inscrever e começar a trabalhar.

Blogger
Pertencente ao Google, é a plataforma mais conhecida e utilizada, por ser bastante simples e fácil de manipular, permitindo uma grande flexibilidade no seu uso. O usuário pode criar um template exclusivo ou alterar os já existentes como bem entender.

WordPress
Existem duas opções de uso, o WordPress.org, que necessita um domínio próprio e uma hospedagem, mas que você tem 100% de controle sobre a página. Já o WordPress.com, é uma plataforma gratuita. A vantagem de criar seu blog no WordPress é que existem muitos plugins, complementos e ferramentas a serem utilizados para fazer alterações no layout e que permitem que o blog seja mais dinâmico e dialogue melhor com os leitores.

WebNote
Plataforma mais utilizada por sites estáticos, mas que pode ser utilizada gratuitamente para a criação de blogs, porém algumas funcionalidades só são disponíveis com a assinatura de uma conta premium. Vale a pena? Depende das necessidades de cada usuário.

Qual conteúdo apresentar?
Um blog é a plataforma mais abrangente quanto ao que pode ser incluído. Você pode postar qualquer tipo de conteúdo, lembrando sempre que a linguagem utilizada deve levar em conta o público alvo.

Tendo consciência disso, você pode postar seu ponto de vista sobre algum assunto que esteja em voga, até mesmo estimulando a reflexão sobre o tema. Caso a ideia seja de criar um fórum para discussão ou criar enquetes, deve-se avaliar de antemão o perfil da plataforma de hospedagem.

Pode-se, ainda, preparar material teórico sobre algum tema, disponibilizar conteúdo que já existe na internet (ou suas publicações convencionais) para download ou divulgar eventos e cursos. Nesse caso, deve-se ter em mente que o público terá uma participação menos maciça, com menos comentários.

A evolução do blog
Para manter o fluxo de leitores sempre em alta é essencial, antes de tudo, prezar pela qualidade das postagens e manter a regularidade de publicação (mesmo que quinzenalmente). Outra maneira de tornar seu blog conhecido é comentar em outros blogs, principalmente aqueles que tratem de temas próximos aos que você desenvolve, o que aumenta a sua visibilidade.

Quando blog for bem conhecido e as visitas mais frequentes, é interessante que se crie outras maneiras de dialogar com o público (como um perfil no Facebook ou Twitter). Também podem ser utilizadas novas ferramentas para diversificar a apresentação dos conteúdos (como podcasts e videocasts).

Facilite a navegação
A boa navegabilidade do blog é fundamental para facilitar a vida do leitor e aumentar a assiduidade. Dois pontos podem facilitar nesse aspecto. Primeiramente, caixas de busca são importantes para que o leitor possa encontrar qualquer conteúdo facilmente. Outro cuidado é a escolha das categorias (marcadores) do seu blog. Evite categorias em excesso (muitas vezes repetitivas) e escolha aquelas mais abrangentes.

Cuidado com os direitos autorais
A incorporação de imagens nos blogs é quase que uma regra, pois tornam o layout do blog muito mais interessante ao leitor. Mas deve-se tomar muito cuidado com as fontes dessas imagens. O mais indicado é buscar imagens de domínio público (para isso existem diversos sites de busca). Pode-se também, citar a fonte das imagens ou deixar claro que estas foram extraídas da internet e, casa tenham direitos autorais, o proprietário deve entrar em contato com o administrador. Isso evita maiores transtornos.

Para saber mais:
Recomento a leitura de “Então você quer escrever um blog de ciência”, publicado pelo Atila Iamarino, no Rainha Vermelha. Para entender melhor como essa mídia pode ser interessante, consulte o ScienceBlogs Brasil e o Blogs de Ciência, que agregam diversos blogs com conteúdo científico (nas mais variadas áreas) e podem ser uma boa fonte de inspiração.

Até a próxima semana, quando tratarei das “redes sociais”, abordando Facebook, Twitter e Mendeley.