A Estatística é uma ferramenta valiosa para a pesquisa e está ao alcance de todos, mesmo para aqueles que optaram por metodologias de cunho qualitativo, pois complementa e enriquece o trabalho científico. Em geral, os autores apresentam os resultados de seus estudos na forma de gráficos, quadros e tabelas com os dados obtidos, acompanhados de estatísticas descritivas (médias, desvios-padrão, medianas) e quase sempre mencionando os testes estatísticos realizados.

Entretanto, é possível encontrar em periódicos científicos alguns equívocos na escolha dos testes estatísticos utilizados na análise dos dados, visto que a grande maioria dos softwares estatísticos não orienta o usuário na escolha da análise mais adequada. Desta forma, o conhecimento de conceitos básicos (e muitas vezes esquecidos) de estatística se torna fundamental para evitar estes erros comuns.

Entre estes conceitos importantes, encontra-se a definição de variável e as suas classificações. Podemos definir variável como a característica que é medida ou avaliada em cada elemento da amostra ou população. Em resumo, é aquilo que está sendo avaliado no seu ensaio/experimento. Como o próprio nome diz, seus valores variam de elemento para elemento. As variáveis podem ter valores numéricos ou não numéricos, e podem ser classificadas da seguinte forma:

Variáveis Quantitativas
As variáveis quantitativas são características que podem ser descritas por números, sendo estas classificadas entre contínuas e discretas.

- Variáveis discretas: a variável é avaliada em números que são resultados de contagens e, por isso, somente fazem sentido números inteiros. Exemplos: número de filhos, número de bactérias por litro de leite, número de cigarros fumados por dia.

- Variáveis contínuas: a variável é avaliada em números que são resultados de medições e, por isso, podem assumir valores com casas decimais e devem ser medidas por meio de algum instrumento. Exemplos: massa (balança), altura (régua), tempo (relógio), pressão arterial, idade.

Variáveis Qualitativas
As variáveis qualitativas (ou categóricas) são as características que não possuem valores quantitativos, mas, ao contrário, são definidas por categorias, ou seja, representam uma classificação dos indivíduos. E podem ser nominais ou ordinais.

- Variáveis nominais: não existe ordenação dentre as categorias. Exemplos: sexo, cor dos olhos, fumante/não fumante, doente/sadio.

- Variáveis ordinais: existe uma ordenação entre as categorias. Exemplos: escolaridade (1º, 2º, 3º graus), estágio da doença (inicial, intermediário, terminal), mês de observação (janeiro, fevereiro,…, dezembro).

Entretanto, as distinções são menos rígidas do que a descrição acima insinua. Uma variável originalmente quantitativa pode ser coletada de forma qualitativa.

Por exemplo, a variável idade, medida em anos completos, é quantitativa (contínua); mas, se for informada apenas a faixa etária (0 a 5 anos, 6 a 10 anos, etc…), é qualitativa (ordinal). Outro exemplo é o peso dos lutadores de boxe, uma variável quantitativa (contínua) se trabalharmos com o valor obtido na balança, mas qualitativa (ordinal) se o classificarmos nas categorias do boxe (peso-pena, peso-leve, peso-pesado, etc.).

E eu com isso?
Conhecer a classificação da variável estudada é uma das premissas básicas para a escolha do melhor teste estatístico a ser utilizado na análise dos dados.

Não raro é possível encontrar, por exemplo, trabalhos científicos em que a análise de uma variável quantitativa contínua é realizada com testes de comparação de médias, como o Teste t ou o Teste Tukey, quando na verdade o mais adequado para se estudar o efeito de um tratamento em uma variável quantitativa contínua seria uma análise de regressão.