Depois de tanto tempo na frente do computador escrevendo o artigo ou a tese, você quase consegue ver a luz no fim do túnel. Faltam apenas alguns últimos ajustes para finalizar o trabalho quando as manifestações sobrenaturais começam. Figuras mudam de lugar misteriosamente, tabelas se desconfiguram, o gráfico que levou horas para ficar pronto fica fora de proporção e os parágrafos se deslocam sem nenhum motivo aparente.

E aquele gostinho doce de dever cumprido que estava quase na ponta da língua some de repente e se transforma em uma promessa amarga de muito trabalho madrugada afora.

Além do gasto de energia redobrado, sempre fica aquela sensação mista de frustração e ódio por não saber ao certo que tipo de força mística bagunçou todo o seu texto. Quando o assunto é tecnologia, erros fatais e travamentos podem surgir a qualquer momento. Acontece nas melhores famílias. Mas, na maioria dos casos, você poderia ter poupado muita cafeína e noites em claro se já tivesse aprendido alguns truques básicos de Word.

Essas são técnicas muito simples. Mas é impressionante o número de pessoas que ignoram essas funcionalidades tão básicas.

1. FORMATAÇÃO DE ESTILOS

Você pode ter controle perfeito de tamanho de fonte, alinhamento e espaçamento entrelinhas configurando os estilos pré-formatados para as normas corretas. É recomendável criar um estilo para cada tipo de texto diferente: Título Principal, Seção, Subseção, Nota de Rodapé, Legenda, Citação Longa etc. Isso evita erros básicos de formatação por mera distração – uma nota de rodapé em tamanho 12 e outra em 10, por exemplo.

2. ESPAÇAMENTOS AUTOMÁTICOS

Um erro grosseiro que muitas pessoas ainda cometem é inserir espaços em branco da página apertando várias vezes a barra de espaços ou Enter. Essa é a forma mais eficiente de arruinar a formatação do seu texto. Ao invés disso, prefira usar tabulações (tecla Tab) e quebras de página automáticas (Ctrl-Enter).

3. ELEMENTOS GRÁFICOS

A não ser que você seja o mestre supremo do Word, não perca seu tempo tentando desenhar qualquer coisa usando as ferramentas inclusas. Com certeza, aquelas setinhas e blocos que você demorou tanto tempo para alinhar corretamente irão sair do lugar. A solução é criar a imagem separadamente em outro programa. Depois, basta usar o comando “Inserir Figura” e colocá-la no lugar apropriado.

4. ÂNCORAS

OK, a sua imagem não fica mais desfigurada, mas ela ainda aparece e desaparece em lugares inesperados. Domar a sua imagem é muito simples: clique com o botão esquerdo sobre ela, procure atributo “Âncora” e selecione o parâmetro “Como Caractere”. Essa opção é a mais segura. Não recomendamos usar os outros parâmetros, a não ser que você consiga prever exatamente o comportamento da imagem.

5. COMENTÁRIOS

Em geral, as pessoas usam a ferramenta Comentário apenas para … fazer comentários! Um tanto óbvio, mas essa função pode ser muito útil para organizar as citações e referências bibliográficas. A estratégia é simples: em cada citação, adicione um balão de Comentário e escreva nele a referência completa daquele item bibliográfico (Sim, pode ser algo bem chato e repetitivo, mas muito útil a longo prazo).

Na hora de acrescentar as Referências Bibliográficas ao final do texto, basta revisar todos os comentários, copiar a referência completa e colar na seção apropriada. As chances de errar na bibliografia são mínimas!

O Word é talvez a mais básica das ferramentas. Ao invés de praguejar contra ela, é mais interessante aprender a usufruir suas funcionalidades, mesmo aquelas tão óbvias que ninguém se dá ao trabalho de procurar. Escrever um trabalho acadêmico já é uma tarefa árdua o bastante e você não precisa de mais problemas desnecessários.