Depois de ter passado muito tempo no laboratório ou no campo, chega a hora de computar e torturar os dados… Naqueles dias de sol em que você decide estudar, ler um artigo, preparar uma apresentação ao invés de ir a praia.

Para onde você vai? Onde se esconder concentrar?

Nesses momentos, não é difícil encontrar pós-graduandos nas bibliotecas, principalmente se nela houverem condições ideais de temperatura glacial e pressão (outros desesperados estudantes que te impulsionam a procrastinar menos) e, claro, internet para acessar o seu facebook periódico favorito.

Se você atende a algum dos sintomas abaixo, meu amigo, você passa muito tempo na biblioteca:

1. Você elege um local pra chamar de seu… “minha” cadeira (“a” escolhida), “minha” mesa, “minha” tomada.

2. Você fica furioso(a) quando um indivíduo utiliza o “seu” lugar. E não, não serve a mesa ao lado. #SheldonCooperfeelings

3. Você compete silenciosamente com o concurseiro mais próximo para ver quem será o último a sair da biblioteca.

4. Seu celular já não sai mais do modo silencioso. Qual era o toque (ringtone) do seu celular mesmo?

5. O segurança da portaria comenta que você chegou mais tarde hoje e pergunta se está tudo bem.

Esqueci algum?

Força meu amigo! Essa fase também passa… E a final, pra quê praia se eu tenho infinitos artigos pra ler?

Olha, fica a dica: fique amigo do concurseiro, afinal, entre outras coisas, ele pode olhar seu material enquanto você vai atender o chamado da natureza. 😉